CEO da BRlink elege as principais previsões para o setor no próximo ano - foto: Pixabay
CEO da BRlink elege as principais previsões para o setor no próximo ano foto: Pixabay

Rafael Marangoni *

Os últimos anos foram marcados por um grande avanço das tecnologias, sendo a computação em nuvem uma das principais delas. A democratização da nuvem e o aumento da conscientização sobre esta plataforma de serviços têm feito com que mais pessoas e empresas se beneficiem desse modelo. Até o momento, o mercado do cloud presenciou grandes acontecimentos como a ascensão dos dispositivos de Internet das Coisas (IoT) e a criação das estratégias de nuvem para segurança da informação, por exemplo. Porém, qual será o cenário do cloud no próximo ano?

Crescimento das soluções em nuvem

A indústria da computação em nuvem segue como uma das mais crescentes no mundo. O aumento da aderência aos serviços de cloud deve impulsionar ainda mais esse mercado, estimulando também a ascensão de novas empresas de SaaS e PaaS, entre outros segmentos da nuvem. Outro fator a ser considerado será o aumento da receita da indústria do cloud, já que essa transição será inevitável paras as empresas. Segundo estimativa da consultoria Gartner, realizada em 2017, a indústria da nuvem deve atingir o valor de US$ 411 bilhões no próximo ano, o que mostra mais uma vez o aumento do interesse mundial pela tecnologia.

Aumento da capacidade de armazenamento

Outro aspecto relevante será o aumento exponencial da capacidade de armazenamento em nuvem. Com o crescimento do uso desses serviços, as empresas fornecedoras devem disponibilizar mais serviços e com recursos tecnológicos mais avançados. Em outras palavras, as empresas e indivíduos que quiserem armazenar um grande volume de dados ou executar análises mais arrojadas usando a nuvem, obterão mais eficiência em seus objetivos com essas solução. Um estudo divulgado pela Unisys, aponta que o uso de data centers privados deve passar de 43%, em 2017, para 29% em 2019. Por outro lado, o armazenamento de dados na nuvem deve aumentar entre 20% e 28% até 2020.

Aumento da adoção da nuvem híbrida

Apesar de algumas organizações ainda optarem por data centers internos, as perspectivas de crescimento para a nuvem híbrida no próximo ano continuam positivas. Diante dos custos elevados com a manutenção das infraestruturas privadas, as empresas devem considerar dividir boa parte de seu workload com a nuvem pública. Além de oferecer redução de custos com TI, essa modalidade permite, mais agilidade na entrega de demandas, além de facilitar a implementação de novas tecnologias. Outra previsão da Gartner para 2020 é que, até lá, a nuvem híbrida seja a forma de cloud mais utilizada pelas empresas em todo o mundo.

Expansão do conceito da Internet de Tudo (IoE)

Depois de muito se ouvir sobre Internet das Coisas (IoT), o conceito da Internet de Tudo (IoE) se estabelecerá como uma nova onda. Se por um lado a primeira está relacionada a máquinas fazendo conexões com outros máquinas, esta última, como o nome já diz, se refere a uma comunicação mais abrangente, envolvendo também pessoas, dados e processos. Nesse âmbito, a computação em nuvem terá uma função importante na capacidade da IoE para realizar processos como coleta de dados, interações entre diferentes agentes e análises. O IoE também permitirá que o usuário obtenha informações exclusivas sob demanda.

Expansão da Inteligência Artificial e Machine Learning

A Inteligência Artificial tem revolucionado a indústria e deve ser a mais disruptiva das tecnologias nos próximos dez anos, de acordo com a Gartner. Um levantamento realizado neste ano pela consultoria aponta que 14% das companhias já utilizam a IA e quase 50% deve empregá-la no próximo ano. Nesse sentido, a Machine Learning (ML) segue como uma das principais tendências do IA para o mercado em 2020. Além do emprego da tecnologia propor experiências já conhecidas, como nos serviços de streaming e assistentes virtuais, veremos também eventos como a ascensão do Deep Learning, da interface para voz, do Edge Intelligence (EL), como também do uso do (ML) para transferência de aprendizado. Um exemplo desse último é a adoção dessa tecnologia para aplicação na educação e aprendizagem.

PaaS terá aderência significativa

Uma das modalidades em nuvem que terá maior crescimento será a Plataforma como serviço (PaaS). Segundo um relatório da KPMG, a aderência desse serviço terá um crescimento expressivo até 2020, passando de 37%, em 2017, para até 56% de adoção no próximo ano. Essa ferramenta representa um ambiente hospedado na nuvem para suportar importantes ações, como criação, testes, desenvolvimento e gerenciamento de aplicações. Algumas das principais vantagens do PaaS são a redução de custo com infraestrutura, otimização da segurança de dados e sistemas, aumento de produtividade e comunicação, como também pela capacidade de escalabilidade mesmo com grandes picos de acesso.

Foco na segurança

Os últimos anos registraram o maior número de ataques cibernéticos da história e é natural que as pessoas sintam-se receosas quanto ao uso das novas tecnologias. No entanto, no que tange o segmento do cloud computing, a segurança deve permanecer como um dos principais focos dos provedores de serviço. Nos próximos meses, essas empresas devem se concentrar em lançar soluções mais sofisticadas e seguras no mercado, capazes de armazenar, transmitir e operar grande volume de dados com alta segurança. Um outro fator para isso são as leis e regulamentos para proteção de dados, como o GDPR e LGPD, por exemplo. Nesse aspecto, a BRLink desenvolveu o Cloud Insights, uma funcionalidade com a qual os usuários possuem diretrizes, relatórios e políticas para aplicação de padrões de segurança em seus ambientes em nuvem.


  • CEO da BRLink

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.