Muitos estudantes questionam as perspectivas do curso de odontologia foto: Pixabay
Estudantes questionam as perspectivas do curso de odontologia

Dr. Wilson Correia Jr.
Fundador do site Empreenda Dentista

Esta é uma dúvida que muitos estudantes que desejam cursar uma faculdade de Odontologia possuem. Afinal de contas, Ser dentista vale a pena?

Vamos entender o contexto da atual Odontologia em diversos aspectos, que irão desde a questão tecnológica até a mercadológica.

De fato, a Odontologia cresceu bastante nas últimas duas décadas. Quando se faz uma comparação tecnológica, percebe-se facilmente uma evolução.

Para se ter uma ideia, hoje é possível realizar o tratamento de canal em uma única sessão,algo que não era possível antes.

Também temos hoje aparelhos dentários que oferecem tanto uma maior agilidade no tratamento, como é o caso do aparelho ortodôntico autoligado, quanto na questão estética, que é o que traz os aparelhos transparentes.

As inovações tecnológicas na Odontologia trouxeram muito mais qualidade, conveniência e previsibilidade no tratamento proposto ao paciente. E, com isso, todos ganham no fim das contas.

Quem imaginaria ser possível ter um sorriso lindo e perfeito em poucos dias, como é o caso das lentes de contato dental? Pois é! É possível ter um sorriso de artista rapidamente.

E, quando pensamos nos custos ao paciente,  de forma geral, reduziu-se bastante. O avanço tecnológico também trouxe ao dentista uma economia na hora de comprar materiais e de contratar serviços de terceiros, como é o caso do protético. Isso permite entregar ao paciente um tratamento MELHOR pelo mesmo preço do tratamento antigo.

E, por falar em comprar material, nos dias atuais, os dentistas possuem um maior poder de barganha, principalmente pela possibilidade de se comprar pelas recentes dentais virtuais, que nada mais são do que lojas que vendem materiais odontológicos pela internet com um preço 15-20% mais barato e com uma forma de pagamento mais atrativa, principalmente no parcelamento da compra.

Do outro lado, o mercado não anda nada favorável ao dentista. A atual política do nosso país fomenta a abertura indiscriminada de faculdades sem quaisquer estudos, o que fatalmente leva a saturação do mercado.

Para se ter uma ideia, o Brasil possui um pouco mais de 300.000 dentistas, segundo dados do Conselho Federal de Odontologia (CFO). Isso corresponde,em números, há mais de 20% dos dentistas de todo o mundo.

A Organização Mundial de Saúde preconiza uma proporção mínima de habitantes por dentista, que é de 1200 habitantes por dentista.

Para se ter uma noção da saturação do mercado, em São Paulo, esta proporção já está abaixo dos 500 habitantes por dentista.

Além disso, o dentista não aprende na faculdade conhecimentos de gestão para administrar seu consultório. E isso fatalmente reflete na competitividade do mercado. Por que?

Porque, em um mercado altamente competitivo e predatório, uma categoria que não sabe lidar com isso, quase sempre, utiliza a famosa guerra de preços para tentar angariar clientes. E a Odontologia não é exceção.

Os dentistas, para captar clientes, oferecem mais e mais descontos em cima dos seus serviços de saúde, o que, além de desvalorizar a profissão, consiste infração segundo o Código de Ética Odontológica.

E quando falo de descontos, não entenda mal! Não é um desconto para quem paga todo o tratamento à vista. É algo do tipo “traga a oferta dele que eu cubro”.

Isso é ruim  porque, na maioria esmagadora dos casos, fica impossível associar preços baixos a um serviço odontológico de qualidade. Em outras palavras, todos perdem: o dentista, o paciente e a Odontologia.

Outra consequência da saturação do mercado é o aparecimento dos convênios odontológicos. Em um mercado no qual o dentista não possui conhecimentos para captar pacientes, os convênios, para muitos dentistas, terminam por ser a única opção.

Contudo, os baixíssimos valores pagos pelos convênios ao dentistas fazem com que haja uma necessidade de atendimento por volume, justamente para compensar a baixa remuneração.

Diante disso, há uma perda significativa da relação dentista x paciente, e isso é fundamental para a manutenção de médio e longo prazo de qualquer empresa que lide com pessoas.

Então não vale a pena ser dentista?

A Odontologia ainda é uma profissão lucrativa, todavia, nunca como era há 15 anos, quando tínhamos poucas faculdades e alguma reserva de mercado. É importante ter isso em mente.

Na graduação, os professores ainda insistem em dizer que basta ser bom que terá pacientes. Minha opinião é: ser bom no que faz é obrigação.Afinal de contas, o estudante passou 5 anos dentro da faculdade estudando só Odontologia.

Sem sombra de dúvidas, o grande diferencial hoje para um dentista ter sucesso é estudar assuntos relacionados ao planejamento estratégico odontológico, o que inclui o marketing odontológico.

A falta de conhecimentos de empreendedorismo fará com que o dentista não possua informações básicas, como por exemplo informações sobre seu público-alvo e sobre seus concorrentes diretos e indiretos. Sem essas informações, qualquer ação realizada será literalmente um tiro no escuro.

É importante que os dentistas abram os olhos e comecem a pensar fora do consultório. Estes conhecimentos inevitavelmente tornarão seu consultório fortalecido e diferenciado no mercado.

Do outro lado, os gestores da graduação e os representantes legais das entidades odontológicas precisam começar a enxergar a importância de disciplinas que abordem administração e gestão no consultório.

Desta maneira, a Odontologia se tornará muito mais valorizada não só pelo dentista como também pelo paciente. Em outras palavras: no final, todos ganharão com isso!

Email: faleconosco@empreendadentista.com.br