Coleta de informações semanais feita pelo Economista Paulo Roberto Bretas

Foto: Exército da Espanha

No início da semana, em 9 de agosto, o novo relatório divulgado pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, da sigla em inglês, reitera a constatação de as mudanças do clima promovidas pelos seres humanos são irrefutáveis, irreversíveis e causaram o aumento expressivo das temperaturas do planeta. O que causa incêndios de grandes porte, como os que estão ocorrendo na Espanha (foto), Grécia e Turquia. O estudo salienta que o impacto da ação humana está próximo do limite da temperatura global estabelecido pelo Acordo de Paris, de 2015. Distante do tema, o governo Bolsonaro está mais preocupado em gerenciar sua crise de perda de credibilidade na sociedade. Viu apoiadores sendo presos, teve perdas no Congresso, como o “voto impresso”, onde não obteve maioria constitucional. Enquanto o presidente distrai a plateia, propostas apoiadas pelo Centrão são aprovadas, retirando direitos dos trabalhadores.

Economia e Finanças

IBC-BR: O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) subiu 1,14% em junho, perante o mês anterior, conforme divulgado nesta sexta-feira pela autoridade monetária. Em maio, o indicador teve queda de 0,55% (dado revisado de baixa de 0,43%). Nos 12 meses até junho, o índice subiu 2,33%. Devido às constantes revisões, o indicador acumulado em 12 meses é mais estável do que a medição mensal. De janeiro a junho, na comparação com o mesmo período de 2020, o índice subiu 7,01%. (Valor)

Pesquisa Focus 1: A mediana das projeções dos economistas do mercado para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2021 subiu pela 18ª semana seguida, agora de 6,79% para 6,88%, segundo o Relatório Focus, do Banco Central (BC). Para 2022, também subiu, de 3,81% para 3,84%. (Valor)

Pesquisa Focus 2: Para a taxa básica de juros (Selic), o ponto-médio das expectativas subiu de 7% para 7,25% tanto no fim de 2021 quanto no encerramento de 2022. A meta de inflação a ser perseguida pelo BC é de 3,75% em 2021 e 3,50% em 2022, sempre com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. (Valor)

Pesquisa Focus 3: Quanto ao câmbio, a mediana das estimativas para o dólar no fim deste ano foi mantida em R$ 5,10. Para 2022, o ponto-médio das projeções também ficou parado, em R$ 5,20, entre uma pesquisa e outra. (Valor)

Demanda por Cimento: Reformas, autoconstrução residencial e comercial e continuidade das obras imobiliárias seguem demandando volumes elevados de cimento, mas o crescimento das vendas desacelerou, em julho, diante de base de comparação mais elevada desde meados do ano passado. Segundo o Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (Snic) apontam que o crescimento das vendas ficou próximo da estabilidade, com leve alta de 0,2%, no sétimo mês do ano, para 5,9 milhões de toneladas, após seis meses seguidos de alta mais expressiva. (Valor)

Inadimplência em Cartões 1: A inadimplência dos consumidores no cartão de crédito caiu para a menor taxa da série histórica, segundo dados da Abecs, associação que representa o setor de meios eletrônicos de pagamento. A taxa de atrasos caiu para 3,8% em abril. (Valor)

Inadimplência em Cartões 2: O dado mostra que o brasileiro tem usado o cartão de forma mais consciente. Segundo o Banco Central, o saldo das transações sem juros do cartão cresceu 40,5% em junho, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Já, o crédito rotativo caiu 8,3% e registrou sua 11ª queda consecutiva. (Valor)

Atraso Tecnológico dos Agricultores: Os agricultores da região Nordeste estão à margem da modernização tecnológica, segundo um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), feito a partir do cruzamento dos dados dos últimos dois censos agropecuários. No comparativo, os pesquisadores detectaram baixo uso de adubos, defensivos agrícolas, irrigação e maquinários nos estabelecimentos da região. Os autores relataram ainda queda no acesso a assistência técnica no intervalo entre os dois censos, elaborados em 2006 e 2017, e dificuldades fundiárias e de obtenção de crédito. (Valor)

Adeus Juros Baixos: A era dos juros “superbaixos” acabou. Depois de uma longa temporada de corrida dos grandes bancos para baixar os juros do crédito imobiliário, o ciclo se inverteu. Com a previsão de momentos mais difíceis para a economia brasileira, alguns dos maiores bancos privados do Brasil aumentaram as taxas cobradas no crédito imobiliário em cerca de 0,5 a 1,0 ponto porcentual, chegando perto de 8% ao ano. (Estadão)

Roubo de Criptomoedas: Cerca de US$ 600 milhões em criptomoedas, o equivalente a mais de R$ 3 bilhões, foram roubados dia 10-0-2021, do protocolo de blockchain da Poly Network. O ataque é um dos maiores de criptografia já registrados. A Poly consiste em uma aliança entre equipes de diferentes plataformas, como Neo, Ontology e Switcheo, para facilitar a troca de tokens entre diferentes blockchains. De acordo com os desenvolvedores, o montante roubado, que inclui Ethereum e outras moedas digitais, foi transferido para carteiras separadas. (O Globo) (Meio)

Vendas no Varejo 1: O volume de vendas no varejo caiu 1,7% em junho, em relação ao mês anterior, na série com ajuste sazonal, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A retração apurada no sexto mês deste ano é a segunda maior da série histórica da pesquisa do instituto, iniciada em 2000. (Valor)

Vendas no Varejo 2: Na comparação com junho de 2020, o varejo avançou 6,3%. Em 12 meses, houve alta de 5,9% no resultado acumulado em 12 meses. No primeiro semestre de 2021, o comércio varejista registrou avanço de 6,7%. (Valor)

Vendas no Varejo 3: Depois de alta de 1% em maio, as vendas de hipermercados e supermercados voltaram a cair em junho, com baixa de 0,5%, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do IBGE. Com o maior peso na pesquisa, o setor foi a principal influência para a queda de 1,7% do varejo em junho, na série com ajuste sazonal. Com alta dos preços, as famílias tendem a reduzir o volume de compras para tentar adequar os gastos ao orçamento doméstico. (Valor)

Vendas no Varejo 4: Na comparação com junho de 2020, as vendas de hipermercados e supermercados tiveram recuo de 3%, a quinta taxa negativa seguida nesta base de comparação. (Valor)

Recuo no Varejo 1: O processo inflacionário e o desemprego elevado, ambos comprometendo a renda disponível das famílias, bem como a “disputa” por demanda com serviços, devem frear a retomada do varejo brasileiro no terceiro trimestre, em um cenário que tinha tudo para ser mais positivo, com o avanço da vacinação, o aumento da confiança entre consumidores e a expansão do crédito. A leitura entre economistas é que o resultado decepcionante do comércio em junho não muda a tendência de curto-médio prazo de recuperação do setor, mas indica que ela será, a partir de julho, mais gradual e volátil. (Valor)

Recuo no Varejo 2: O varejo recuou em junho, ante maio, tanto no conceito restrito (-1,7%) quanto no ampliado (-2,3%), que inclui veículos e material de construção. Na comparação interanual, houve avanços de 6,3% e 11,5%, respectivamente, porque a base de comparação ficou muito baixa em meio aos impactos da pandemia à época. A contração de junho foi a maior para o varejo restrito no ano e a segunda maior para o mês na série, atrás apenas de 2002 (-2%). (Valor)

Indústria Paulista: Após avançar em maio, recuperando parte das perdas de abril, a indústria paulista voltou a recuar em junho, com retração de 0,9% da produção industrial frente a maio, na série com ajuste sazonal. Principal parque industrial do país, com cerca de 34% de peso na atividade industrial nacional, São Paulo teve desempenho instável ao longo de 2021. A produção avançou 1% em janeiro, recuou 1,5% em fevereiro e teve variação de 0,1% em março. Em abril, mês de amplas restrições de atividades no Estado, houve perda de 4,6%, em parte compensada pelo aumento de 3,3% em maio. (Valor)

Desempenho dos Serviços Prestados 1: O volume de serviços prestados no país teve alta de 1,7% em junho, frente a maio, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esta é a terceira taxa positiva seguida, após altas de 1% em abril e 1,7% em maio (dados revisados de +0,7% e +1,2%, respectivamente). (Valor)

Desempenho dos Serviços Prestados 2: Com o desempenho de junho, os serviços alcançaram patamar 2,4% superior ao do pré-pandemia, em fevereiro de 2020. Além disso, estão no patamar mais elevado desde maio de 2016. (Valor)

Desempenho dos Serviços Prestados 3: Comparado à junho de 2020, o indicador teve alta de 21,1%. No acumulado em 12 meses até junho, houve alta de 0,4%. É a primeira taxa positiva no acumulado em 12 meses desde março de 2020, quando era 0,7%. Nos primeiros seis meses de 2021, o indicador acumula variação de 9,5% frente a igual período de 2020. (Valor)

Movimento de Cargas nos Portos: Segundo a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), no primeiro semestre, a movimentação total de carga nos portos nacionais cresceu 9,4%, quando comparada ao mesmo período do ano passado. No ano, a expectativa é a de que a movimentação total atinja 1.218 milhões de toneladas, 5,5% a mais do que em 2020. (Valor)

Mudança Estrutural nos Serviços: O setor de serviços passou por uma mudança estrutural desde o início da pandemia, com ganho de espaço de empresas ligadas à tecnologia de informação, logística e transporte de carga e perda de participação daquelas que prestam serviços às famílias, como alojamento, alimentação e transporte de passageiros. A análise foi feita por Rodrigo Lobo, gerente da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE. (Valor)

Papelão Ondulado: As expedições de papelão ondulado, importante termômetro do nível de atividade econômica, seguiram em alta em julho, segundo dados prévios da Associação Brasileira de Embalagens em Papel (Empapel). O Índice Brasileiro de Papelão Ondulado (IBPO) subiu 2,3% no mês passado, na comparação anual, para 152,7 pontos. (Valor)

Finanças Públicas

Precatórios Parcelados: A economia com as novas regras de precatórios é estimada em R$ 33,5 bilhões em 2022, informou o Ministério da Economia em apresentação para detalhar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que permite o parcelamento dos precatórios (dívidas decorrentes de decisões judiciais), enviada ao Congresso. Em 2022, o volume de precatórios de R$ 89,1 bilhões ocuparia um nível recorde de 68% das despesas primárias, diz a pasta. (Valor)

Prisma Fiscal 1: Analistas de mercado melhoraram a projeção para o déficit primário do governo central, que reúne as contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central, em 2021. A mediana das estimativas passou de um resultado negativo de R$ 184,337 bilhões para R$ 163,640 bilhões entre as edições de julho e agosto do relatório Prisma Fiscal, divulgado nesta quinta-feira (12) pelo Ministério da Economia. (Valor)

Prisma Fiscal 2: Já para 2022, a projeção de déficit caiu para R$ 100,566 bilhões, contra R$ 116 bilhões na edição anterior do documento, que traz as projeções das áreas de pesquisa de instituições financeiras e de consultorias econômicas para os principais indicadores fiscais do governo. (Valor)

Alerta do Presidente do BC: O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto disse, dia 12-08-2021, que a piora recente nos riscos fiscais já começa a afetar as expectativas de inflação implícitas nos títulos públicos federais. (Valor)

Caem os Gastos com Educação nos Municípios: A média de gastos dos municípios na educação em relação a receitas de arrecadação e transferências caiu de 26,7% para 17,8% do primeiro semestre de 2020 para igual período deste ano. O dado, da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), indica taxa média de gastos na primeira metade de 2021 bem aquém do mínimo constitucional de 25% estabelecido para a área. (Valor)

Arrecadação de Impostos Federais: A arrecadação de impostos federais ficou em R$ 171,5 bilhões em julho, em cálculo prévio elaborado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre). Se confirmado, será uma alta real de 35,6% sobre o observado em julho do ano passado. A prévia é calculada com base nos dados do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), do governo federal. (Valor)

Inflação

IGP-DI: Commodities e energia mais caras, respectivamente no atacado e no varejo, aceleraram a inflação apurada pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), que subiu de 0,11% em junho para 1,45% em julho, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Em 2020, o IGP-DI subiu 23,08%. (Valor)

IPCA 1: O resultado do IPCA de julho mostrou mais uma vez pressões inflacionárias disseminadas e resistentes, com alta forte de alimentos, bens industriais, serviços e preços administrados, como combustíveis e energia elétrica. O indicador subiu 0,96%, a maior alta para julho desde 2002, levando a acumulado em 12 meses para 8,99%. (Valor)

IPCA 2: Os grupos de habitação e transportes responderam, sozinhos, por 83% da alta do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), indicador oficial de inflação do governo, em julho. O impacto conjunto dos dois grupos foi de 0,80% da taxa de 0,96% do IPCA geral em julho, o maior resultado para o mês desde 2002 (1,19%), segundo os dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (Valor)

INPC: O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede inflação percebida por famílias com renda entre um e cinco salários mínimos mensais, foi de 1,02% em julho, ante alta de 0,60% em junho, informou IBGE. No resultado acumulado 12 meses, o INPC avança 9,85%. Até junho, o resultado acumulado em 12 meses estava em 9,22%. (Valor)

Meio Ambiente, Sustentabilidade e Energia

Irreversibilidade e Devastação 1: Provocadas pela ação do homem, mudanças climáticas sem precedentes já são inevitáveis e irreversíveis, segundo um relatório elaborado pelo Painel Internacional da Mudança Climática (IPCC, na sigla em inglês). Segundo a entidade, que reúne os maiores especialistas no tema, a temperatura média do planeta tende a se elevar em 1,5º C nas próximas duas décadas, trazendo devastação generalizada. (Guardian) (Meio)

Irreversibilidade e Devastação 2: No Brasil, que já enfrenta secas sem precedentes, um dos esforços para mitigar esse cenário exige repensar o agronegócio, dizem especialistas. O avanço descontrolado da pecuária na Amazônia está destruindo o bioma, com impactos no clima do Brasil e do mundo. (CNN Brasil)

Energia Eólica: A energia eólica é a terceira maior fonte do país, representando 10,9% da matriz elétrica nacional. (Valor)
Ambiente Social, Emprego e Renda

Alto Risco de Inadimplência: A Selic mais alta pode piorar o endividamento dos brasileiros. A taxa subiu para 5,25% na semana passada e, segundo a economista Marcela Kawauti o risco do endividamento virar inadimplência é grande, pois muitas famílias ainda dependem de incentivos do governo concedidos ao longo da pandemia, como o auxílio emergencial. (CNN Brasil) (Meio)

Um Ministro para Poucos: “A universidade deveria ser para poucos.” Disse o pastor Milton Ribeiro, ministro da Educação. Segundo ele, o futuro está nos institutos federais, que formam técnicos. “Tenho muito engenheiro ou advogado dirigindo Uber porque não consegue colocação devida. Se fosse um técnico de informática, conseguiria emprego, porque tem uma demanda muito grande”, afirmou em entrevista ao Sem Censura, da TV Brasil. Segundo dados da OCDE, o Brasil tem 16% de sua população com nível superior, contra 28% da Alemanha, que o ministro citou na entrevista, e 49% da Coreia do Norte, por exemplo. (Poder360) (Meio)

Ângela Pinho: “O Brasil destoa do mundo desenvolvido no acesso às universidades justamente porque suas universidades ainda são para poucos — e, com os estragos da pandemia e a inação do governo federal, tendem a ser para menos ainda. Sem crescimento econômico e sem um olhar para todas as áreas da educação, o Brasil provavelmente terá não só advogados, mas também técnicos em informática, eletrônica e outros egressos de cursos profissionalizantes dirigindo carros de aplicativo.” (Folha)

Mais Ataques Contra os Trabalhadores 1: A Medida Provisória (MP) 1045, com o texto-base aprovado ontem pela Câmara dos Deputados por 304 votos a 133, promove uma nova minirreforma na legislação trabalhista. O parecer do deputado Christino Aureo (PP-RJ) reduz o pagamento por horas extras contratuais, acaba com a jornada máxima de seis horas diárias para os trabalhadores de minas em subsolo, reduz o poder da Justiça do Trabalho sobre acordos extrajudiciais e o acesso à Justiça gratuita. (Valor)

Mais Ataques Contra os Trabalhadores 2: As mudanças na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) não constavam do projeto original, que tratava da prorrogação do programa de manutenção do emprego (que permitiu, durante a pandemia, o corte de salários com redução proporcional de jornada), mas foram incluídas como “jabutis” pelo relator dentro da medida. Associações do Ministério Público criticaram as propostas e a “minirreforma trabalhista disfarçada”. (Valor)

Governo e Ambiente Político

Abuso de Poder Político: O inquérito administrativo contra o presidente Jair Bolsonaro aberto pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por conta dos ataques às urnas eletrônicas tem um componente de potencial explosivo, revela o Painel. A Corte tem em mãos um dossiê de funcionários da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC) detalhando o uso político da estatal não apenas na live em que o presidente admitiu não ter provas de fraude eleitoral. O caso já motivou uma notícia-crime no STF e pode caracterizar abuso de poder político e econômico, um crime eleitoral com potencial de inelegibilidade. (Folha) (Meio)

Terceira Via sem Bolsonaro: Líder nas pesquisas de intenção de voto, o ex-presidente Lula e seus assessores já trabalham com a possibilidade de Jair Bolsonaro não participar da eleição do ano que vem, revela a Coluna do Estadão. E isso não deixa os petistas felizes, pois avaliam que a polarização favorece Lula. Seria esse o motivo dos ataques do ex-presidente às tentativas de formação de uma terceira via. (Estadão) (Meio)

Derrota do Voto Impresso: Vista inicialmente como um afago a Bolsonaro, a decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de levar ao Plenário a PEC do voto impresso já é encarada por políticos como a oportunidade para sepultar de vez o assunto. A proposta foi rejeitada na comissão especial por 23 votos a 11, mas parlamentares avaliam que uma derrota igualmente expressiva no Plenário deixará o Executivo sem condições de insistir no tema. Hoje Bolsonaro usa o voto impresso como casus belli em seu confronto com o Judiciário. Derrotado pela maioria da Câmara, ele precisaria lutar com o Legislativo também, o que nunca é um bom negócio. (Veja) (Meio)

Expressiva Votação e Liberação de Emendas: E a expressiva votação em favor da PEC no voto impresso, 229 votos, mesmo insuficiente para sua aprovação, tem explicação. O Executivo liberou R$ 1 bilhão em emendas parlamentares sem fiscalização às vésperas de a matéria ser votada. (Estadão) (Meio)

Notícia Crime: O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apresentou uma notícia-crime contra o presidente Jair Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal (STF). Bolsonaro é acusado de divulgar ilegalmente dados de uma investigação da Polícia Federal que corre em segredo de Justiça. O inquérito apura, a pedido do próprio TSE, um ataque hacker em 2018 que atingiu a área administrativa da Corte, sem acessar o sistema das eleições. O vazamento alimentou ao longo do fim semana a máquina de notícias falsas das redes bolsonaristas. (G1) (Meio)

Liberdade para Mentir: A Advocacia-Geral da União (AGU) e a Secretaria-Geral da Presidência responderam à notificação feita pelo STF a pedido da Rede para que Bolsonaro apresentasse provas de suas alegações de fraudes nas eleições de 2014 e 2018. Sem provas a apresentar, os órgãos alegaram que a ação do partido busca cercear a “liberdade de expressão” do presidente. (Globo) (Meio)

CPI da Pandemia: O relatório final da CPI da Pandemia deve enquadrar o presidente Jair Bolsonaro por crime de responsabilidade na condução do combate à Covid-19, disse em entrevista ao Roda Viva o relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDB-AL). (UOL) (Meio)

Intimidações, Derrotas e Atitudes Ridículas: Se a ideia do desfile militar na Praça dos Três Poderes na manhã do dia 10-08-2021 era intimidar a Câmara no dia em que a PEC do voto impresso ia ao Plenário, o tiro passou longe do alvo. Embora tivesse a maioria apertada dos votos, 229 a 218, a PEC não conseguiu o mínimo de 308 e está arquivada, em definitivo. Mais cedo, o Senado deu de surpresa uma resposta ainda mais contundente: aprovou o projeto que extingue a Lei de Segurança Nacional, além de criminalizar golpes de Estado e fake news em eleições. Bolsonaro expôs as Forças Armadas ao ridículo com um desfile de tanques soltando fumaça para uma centena de apoiadores. As redes sociais passaram o dia gerando piadas e críticas no Brasil e no exterior. (Estadão) (Meio)

Octávio Guedes: “Bolsonaro representa para as Forças Armadas brasileiras o que a Guerra das Malvinas representou para os militares argentinos. Levantamento feito pela Quaest Pesquisa em 2.300 posts publicados nas redes sociais indica que 93% são chacota com o desfile ou críticas ao presidente.” (G1) (Meio)

Quebra de Patentes: O Senado aprovou a quebra das patentes de vacinas em casos de emergência sanitária, como a pandemia de Covid quebra temporária-19. Como o Executivo é contra a medida, a lei permite que o Legislativo tome a iniciativa de autorizar a quebra. O texto vai agora para sanção presidencial. (UOL) (Meio)

Etanol Hidratado Direto às Bombas: O presidente Jair Bolsonaro assinou medida provisória que permite a produtores e importadores venderem etanol hidratado diretamente aos postos de combustíveis, sem intermediação dos distribuidores. A proposta também possibilita a comercialização pelos postos “bandeirados” de combustíveis de fornecedores diferentes daqueles ligados à marca comercial exclusiva, “devidamente sinalizado ao consumidor”. (Valor)

Federações Partidárias: Um dia depois de mimar os partidos nanicos com o retorno das coligações proporcionais, a Câmara foi além e aprovou o projeto oriundo do Senado que cria as federações partidárias. O que isso significa? Duas ou mais legendas com programas ou interesses pecuniários comuns podem montar uma federação que tem de durar pelo menos quatro anos. Terão um único líder, mas poderão manter suas próprias burocracias e escapar da cláusula de desempenho. (Poder360) (Meio)

Auditoria nas Urnas Eletrônicas: Dois dias depois do arquivamento da PEC do voto impresso, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tomou uma iniciativa para tentar serenar os ânimos. O presidente da Corte, ministro Luiz Roberto Barroso, anunciou medidas para aumentar a transparência no processo de auditoria das urnas eletrônicas. Os códigos-fontes das urnas serão liberados em outubro, antecipando em seis meses o prazo para que eles avaliem o sistema. Também foi ampliado o número de urnas escolhidas aleatoriamente para auditoria. Barroso lembrou que desde 2016 os partidos não enviam técnicos para a fiscalização, mas atribuiu o fato à confiança no sistema. (CNN Brasil) (Meio)

Ambiente Tecnológico

Mais Vigilância e Rastreamento: A Apple começou a colocar em uso um sistema que checa iPhones à distância para verificar imagens de abuso sexual infantil. A tecnologia só será adotada nos EUA e funciona antes de uma imagem ser armazenada no iCloud — procura correspondências com material de abuso sexual infantil já conhecidos e se identificado, o usuário é denunciado às autoridades. A novidade não pegou bem entre especialistas de privacidade que acreditam que a tecnologia possa ser expandida para rastrear telefones em busca de conteúdo proibido ou mesmo discurso político. (BBC Brasil) (Meio)

Tóquio, Cidade Inteligente: Sede das Olimpíadas e das Paraolimpíadas, Tóquio também é uma cidade inteligente que se tornou modelo mundial. Enquanto outras buscam atualizar novas tecnologias para aumentar a eficiência dos serviços, a capital japonesa cria iniciativas que abordam as dificuldades observadas no espaço urbano. O seu plano chamado Sociedade 5.0 foca principalmente no desafio do envelhecimento da população. Soluções de inteligência artificial e IoT são usadas para que a população idosa, incluindo os residentes de áreas rurais, possa acessar os benefícios de maneira rápida, barata e eficiente. (Estadão) (Meio)

Aplicativos Chineses em Alta: Um relatório da AppsFlyer mostrou que 21% dos 3 mil apps mais instalados no Brasil são da China. Os nacionais representam 12%, empatando também com os EUA (12%). (Mobile Time) (Meio)

Ataque Hacker: Mais uma empresa de grande porte sofreu ataque hacker. Desta vez, a Accenture, vítima de um ataque de ransomware. O bando conhecido como LockBit teria obtido acesso a 6 TB de arquivos da companhia e exigido o pagamento de US$ 50 bilhões em criptomoedas. (Canaltech) (Meio)

Ambiente Empresarial

Gestão Financeira e Criatividade: Já foi o tempo em que criatividade e finanças eram palavras opostas. Atualmente, a gestão financeira precisa combinar o rigor da análise financeira com a capacidade de ver oportunidades e riscos de ângulos diferentes. Segundo pesquisa global do Deloitte, os CEOs identificaram a criatividade, acima do rigor, disciplina de gestão ou visão, como a característica mais importante para que líderes naveguem com sucesso em um ambiente de negócios cada vez mais complexo. E os líderes financeiros têm papel fundamental nesse processo. (Meio)

Tributação das PMEs: A reforma do Imposto de Renda deve aumentar a tributação para PMEs que optam pelo regime de lucro presumido. A conclusão é de tributaristas, que calculam que a redução do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica proposta no texto não vai compensar a tributação de dividendos na fonte — com uma alíquota de 20%. (UOL) (Meio)

Favela Tecnológica: Paraisópolis, na cidade de São Paulo, se tornou a primeira favela do país a receber uma loja autônoma. Desenvolvida pelo braço social da startup Onii, a loja funciona 24h sem vendedor, caixa ou segurança. O acesso é feito por aplicativo no celular, que também escaneia produtos e processa o pagamento. Além da conveniência do consumo, o objetivo é capacitar empreendedores da comunidade para operarem outras unidades, se tornando licenciados da marca. (Folha) (Meio)

Pouco Impacto da IA: Quando a pandemia chegou, a comunidade de inteligência artificias se apressou em desenvolver um software que permitiria aos hospitais diagnosticar ou fazer a triagem de pacientes com mais rapidez. No entanto, apesar de centenas deles, nenhum fez uma diferença real e alguns até eram potencialmente prejudiciais, segundo vários estudos compilados pelo MIT Technology Review. O consenso foi que as ferramentas de IA tiveram pouco ou nenhum impacto na luta contra a doença. (MIT Technology Review) (Meio)

Governança de dados: A governança de dados começou a entrar no radar de muitas empresas. São esses modelos os responsáveis por dizer quem pode realizar determinado projeto, quais e como os dados serão usados para ele. Sem uma estratégia como essa, o negócio pode correr o risco de usar dados de baixa qualidade, difíceis de usar, sem integridade e vulneráveis a ameaças de cibersegurança. Adotar boas práticas de governança de dados significa identificar os dados críticos e tratá-los como recurso estratégico e ainda implantar políticas e procedimentos definidos. (Meio)

Adeus, Panasonic: A japonesa Panasonic vai encerrar a produção de televisores no Brasil após 40 anos, o que deve resultar no desligamento de 130 funcionários. (Valor) (Meio)

Índice de Confiança do Empresário Industrial: Pelo quarto mês consecutivo, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), registrou aumento. Com isso, o indicador atingiu maior patamar do ano, de acordo com a entidade. Somente de julho para agosto, a alta foi de 1,2 ponto percentual, atingindo a marca de 63,2 pontos. A alta acumulada em quatro meses chega a 9,5 pontos. O índice varia de 0 a 100, sendo 50 pontos a linha divisória entre falta de confiança e confiança. (Valor)

Limite para Microempreendedor Individual: O Senado aprovou, por unanimidade, um projeto de lei complementar que aumenta para R$ 130 mil o limite de receita bruta anual necessário para que um empresário se enquadre na categoria de microempreendedor individual (MEI). O texto também prevê que ele poderá contratar até dois empregados. O projeto agora segue para a Câmara dos Deputados. (Valor)

Ambiente Internacional

Volta à Social Democracia: Foi uma vitória difícil construir, obtida com margem de um voto — os republicanos votaram todos contra, os democratas todos a favor, deu 50 a 50, a presidente do Senado e vice-presidente Kamala Harris desempatou. Mas o gigantesco pacote de US$ 3,5 trilhões (RS 18,2 trilhões, mais que o dobro do PIB brasileiro em 2020) foi aprovado, nos EUA. O dinheiro terá por destino ampliação da rede de seguridade social, garantia de acesso à saúde e educação e investimentos em energia limpa, com taxação maior de empresas e dos mais ricos. (New York Times) (Meio)


Fontes das notas econômicas:

Jornal Valor, Folha, Estadão, Canal Meio Newsletter, Carta Capital, Poder 360, BBC Brasil, UOL, CNN Brasil, MIT Technology Review, Mobile Time, Canaltech e G1

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.