Notas econômicas: 17 a 21 de maio de 2021

0
96
Confira as notas econômicas da semana

área desmatada na amazonia - foto Vinícius Mendonça / Ibama
Foto: Vinícius Mendonça/Ibama

O maior desmatamento registrado em um mês de abril em dez anos. Confira nas Notas Econômicas o que foi destaque na semana

Coleta de informações semanais feita pelo Economista Paulo Roberto Bretas

Indústria Química: O cenário para a competitividade da indústria química brasileira não é dos melhores. De acordo com estudo de 2019 da consultoria Deloitte, o principal obstáculo competitivo é o custo da matéria-prima. No setor químico, os custos com matérias primas representam 58,6% do total, contra 48,8% na média da indústria de transformação. Além disso, a carga tributária na indústria brasileira chega a 46% – muito mais elevada do que nos outros países. A média internacional é de 25%. De 2011 a 2019, a participação do Brasil na produção química mundial diminuiu de 3,1% para 2,6%. (Poder 360)

Pequenos Industriais Paulistas: Com queda no faturamento, aumento de custos, falta de insumos e de acesso a crédito, a situação dos pequenos industriais paulistas piorou em abril, de acordo com pesquisa encomendada pelo Sindicato da Micro e Pequena Indústria do Estado de São Paulo (Simpi) ao Datafolha. A segunda onda da pandemia interrompeu um processo de melhora que ocorria no início do ano, mostram os dados. O setor representa 60% dos empregos industriais do Estado. (Meio)

Custo Brasil: Segundo cálculos da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), o Custo Brasil fez com que, de 2008 a 2018, houvesse um diferencial de preços de 25,9% em média entre o produto nacional da indústria de transformação – que engloba a indústria química e outros setores – e o importado dos principais países parceiros comerciais. (Poder 360)

Ambiente econômico

Um Oligopólio que se Aprofunda: Embora 77% da base instalada de sistemas de gestão empresarial (ERP, na sigla em inglês) já esteja concentrada em três empresas — Totvs, SAP e Oracle – o segmento tente a se consolidar ainda mais nos próximos anos, aponta a Pesquisa Anual Sobre Uso de Tecnologia nas Empresas, da Fundação Getúlio Vargas.

Tarifa Externa Comum do Mercosul 1: Os ministros de Economia e das Relações Exteriores do Mercosul agendaram uma reunião extraordinária para definir o futuro da Tarifa Externa Comum (TEC). O encontro deverá ocorrer presencialmente, no dia 8 de junho, em Buenos Aires. Brasil e Argentina divergem frontalmente. (Valor)

Tarifa Externa Comum do Mercosul 2: O secretário de Comércio Exterior do Ministério da Economia, Lucas Ferraz, disse ao jornal Valor, que o governo brasileiro não abrirá mão da proposta de reduzir a TEC em 20%. Serão duas rodadas de cortes unilaterais das tarifas de importação, uma de 10% imediatamente e outra de mais 10% em dezembro, de forma linear entre todos os setores. (Valor)

Cresce a arrecadação dos Estados 1: Com um desempenho melhor que o esperado, a economia beneficiou arrecadação dos Estados nos primeiros meses do ano, apesar do vácuo do auxílio emergencial de janeiro março e da segunda onda de covid-19. Dados do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) mostram que a arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) consolidada de 18 Estados somou R$ 152,2 bilhões de janeiro a abril deste ano, com avanço de 19,6% nominais em relação a igual período do ano passado e de 21,4% contra o de 2019. (Valor)

Cresce a arrecadação dos Estados 2: O desempenho é atribuído a aumento de preços de combustíveis e de energia elétrica, além da consolidação das compras on-line e do uso da poupança do auxílio emergencial pago até dezembro do ano passado. O efeito base também contribui, visto que em abril do ano passado a pandemia já afetava a arrecadação. (Valor)
Riscos no Abastecimento de Energia: O Operador Nacional do Sistema (ONS) alertou o governo para o risco de déficit na oferta de energia nos últimos meses de 2021, com destaque para o desfalque de 12,7 Gigawatts (GW) de potência em novembro. (Valor)

Indicadores

Inflação de Custos: Os custos de produção de suínos e de frangos de corte mantiveram-se em alta em abril, segundo a nova edição do estudo mensal publicado pela Central de Inteligência de Aves e Suínos (Cias) da Embrapa. Em relação a março, os aumentos das despesas em suínos e frango foram de 2,33% e de 2,75%, respectivamente. (Valor)

Ministério Eleva Previsão do PIB 1: O Ministério da Economia apresentou dia 19-05-2021 uma relação entre a vacinação e o aumento do Produto Interno Bruto. Ao divulgar a elevação da previsão do PIB para este ano de 3,2% para 3,5%, a Secretaria de Política Econômica (SPE), que integra a estrutura do ministério, destacou no seu Boletim Macrofiscal que a vacinação em massa contra a covid é imprescindível tanto para o crescimento atual, quanto para o futuro. (Valor)

Ministério Eleva Previsão do PIB 2: Foram analisados dados das 30 maiores economias do mundo e a SPE constatou que, para cada aumento de dez pontos percentuais nas doses aplicadas por 100 habitantes, há uma revisão para cima do PIB em 0,13 ponto percentual, na média. (Valor)

Monitor do PIB: Impulsionado pela melhora na atividade de serviços em fevereiro e em março, o Monitor do PIB calculado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) subiu 1,7% no primeiro trimestre desse ano ante quarto trimestre de 2020, e sinaliza revisões para cima nas projeções de variação do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro para os três primeiros meses do ano, e para desempenho de 2021. A avaliação partiu do economista da FGV Claudio Considera, responsável pelo cálculo do indicador. Os meses de fevereiro e março contaram com flexibilização maior de atividades de serviços, em meio à pandemia. Isso, na prática, conduziu a maior aquecimento do setor, que representa em torno de 70% do PIB. (Valor)

Inflação do IGP-10: A inflação medida pelo Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) acelerou para 3,24% em maio, vindo de 1,58% em abril, informou Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre). Com esse resultado, o índice acumula alta de 12,70% no ano e de 35,91% em 12 meses. Em maio de 2020, o índice tinha avançado 0,07% no mês e acumulava elevação de 6,07% em 12 meses. (Valor)

Brasil se Segura nas Commodities 1: A combinação de alta dos preços de commodities, de taxa de câmbio desvalorizada e de expansão do comércio mundial vai dar uma sustentação mínima à atividade econômica no Brasil neste ano, contrabalançando uma parte dos efeitos negativos da pandemia e das incertezas políticas e fiscais. (Valor)

Brasil se Segura nas Commodities 2: Não se sugere um crescimento exuberante. As projeções do PIB entre 3,2% e 3,6%, aparentemente altas, estão infladas por fatores estatísticos, tecnicamente conhecidos como carregamento. Um crescimento de 3,6% significa que a atividade está apenas parada. O Brasil deve se expandir mais devagar que o mundo, cujo crescimento o Fundo Monetário Internacional (FMI) estima em 6%. Ainda assim, o motor externo está ajudando mais o Brasil. (Valor)

Setores

Potência dos Biocombustíveis: O Brasil tem capacidade para produzir 9 bilhões de litros de biocombustíveis de aviação por ano, volume mais do que suficiente para suprir a demanda doméstica, e, com isso, reduzir de forma expressiva as emissões de CO2 no segmento. É o que aponta estudo feito pela Roundtable on Sustainable Biomaterials (RSB), com a colaboração da consultoria Agroicone e de professores da Unicamp e da Unifei, que será apresentado em evento internacional que terá início na segunda-feira no Brasil. (Valor)

Confiança do Empresário do Comércio: O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), caiu 1,2% em maio ante abril, para 91,3 pontos. Na comparação com maio do ano passado, a queda foi de 3,3%, informou a entidade. No entendimento da confederação, além das condições gerais da economia, a queda do índice pode relacionar-se com baixa capacidade de reativação do consumo. (Valor)

Superaquecimento das Compras de Insumos: Fabricantes de todos os tipos, como de colchões, automóveis e folhas de alumínio, compram matérias-primas além do necessário para sobreviver à velocidade vertiginosa com que a demanda por bens se recupera e amenizar o medo primitivo de ficar sem estoque. A onda de compras pressiona cadeias de suprimentos, e a escassez de produtos, gargalos logísticos e preços perto dos níveis mais altos na memória recente reforçam a preocupação de que o superaquecimento da economia global pode acelerar a inflação. (Valor)

Tempestade Perfeita 1: Os produtos na construção civil registram, em maio, o maior patamar de inflação acumulada em 12 meses dos últimos 28 anos. É o que aponta levantamento exclusivo da Fundação Getulio Vargas (FGV), elaborado a partir do Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) de maio. De acordo com André Braz, economista responsável pelo estudo, dentro do Índice de Preços ao Produtor-10 (IPA-10), material e equipamentos para construção, sem frete e sem impostos (porta de fábrica), atingiram inflação de 38,66% em 12 meses até maio. (Valor)

Tempestade Perfeita 2: Quatro fatores contribuem para a continuidade de preços em alta, na construção civil, no país, no entendimento de Flávio Paiva, CEO da IPC Brasil: escassez de matéria-prima e desorganização de comportamento de consumo, influenciadas por choque de “parada global” da economia, em março de 2020, devido à pandemia; dólar sobrevalorizado e fretes caros. (Valor)

Gestão

Educação Corporativa 1: A educação corporativa não trata apenas de treinar os recém-chegados à empresa. Ela é um conjunto de ações que permite aos funcionários aprenderem continuamente, se atualizarem à medida que surgem demandas por novas habilidades, e também um mercado avaliado em US$ 394,2 bilhões em 2020, segundo análise da Azoth Analytics. A pandemia acelerou, e distanciou, a educação corporativa. Assim como o ensino em geral, da pós-graduação às aulas de inglês, ela ganhou o complemento “à distância”. (Meio)

Treinamento de Recursos Humanos: Com os treinamentos corporativos sendo necessariamente à distância, a criatividade entrou em jogo para adaptar os conteúdos ao digital, sem limitá-los ao slideshow. A Vicon, empresa especializada em realidade virtual (VR, em inglês), acredita que essa tecnologia pode transformar a educação corporativa porque consegue replicar atividades em diferentes ambientes de trabalho. (Meio)

Finanças

Expectativas do Mercado 1: O comportamento da inflação e das expectativas de inflação de médio prazo foi o principal tema abordado na primeira reunião entre economistas de mercado e diretores do Banco Central (BC) no dia 17-05-2021. Os encontros são realizados trimestralmente pela autoridade monetária e servem como base para a elaboração do Relatório de Inflação (RI) do BC. (Valor)

Expectativas do Mercado 2: O sentimento geral entre os presentes era de maior preocupação com a inflação neste ano, acima de 5%, o que poderia contaminar a inflação de 2022. (Valor)

Inflação Mais Alta: O Boletim Macrofiscal do Ministério da Economia destaca a inflação esperada mais alta em todos os índices. Para o IPCA, índice oficial de preços que baliza o regime de metas, a estimativa subiu de 4,4% para 5,05% em 2021, mesmo índice projetado para o INPC (que é a referência para o salário mínimo e que antes estava previsto em 4,27%). A alta mais intensa, porém, foi no IGP-DI, de 5,06% para 15,21% entre a projeção de março e a atual. (Valor)

Itaú Unibanco Projeta Inflação do IPCA: A pressão de commodities deve ser a maior vilã da inflação em 2021 e, não fosse o choque vindo do aumento das cotações de matérias-primas, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) poderia terminar o ano sem ultrapassar o teto da meta, de 5,25%. A avaliação é do Itaú Unibanco, que projeta alta de 5,3% para o indicador oficial de inflação no ano corrente. (Valor)

Elon Musk e as Criptomoedas 1: Elon Musk, o fundador da Tesla e Space X, ajudou a legitimar as criptomoedas aos olhos dos investidores de Wall Street. Agora, seus tuítes estão assustando-os. Cerca de um quarto do valor do Bitcoin foi eliminado no espaço de uma semana, em parte graças aos tuítes de Musk, que vão desde o impacto do Bitcoin no meio ambiente até a hipótese se a Dogecoin é a melhor moeda digital. Especialistas em criptoativos dizem que a volatilidade impulsionada por Musk é apenas um pontinho temporário e logo passará. (Valor)

Elon Musk e as Criptomoedas 2 : Com o acúmulo de novos investidores institucionais e de varejo, os preços subiram de US$ 29.000 em janeiro e chegaram a US$ 60.000 no mês passado. Após o recuo, a moeda digital agora é comercializada em torno de US$ 43.000 e alguns analistas dizem que o mercado ainda parece precário, especialmente porque o destino do Bitcoin está vinculado às explosões de Musk no Twitter. (Valor)

Criptolavagem de Moedas: As criptomoedas entraram no rol de estratégias para a lavagem de dinheiro. A Polícia Federal investiga uma quadrilha por lavar R$ 110 milhões do tráfico com moedas digitais. A PF diz que os criminosos se aproveitam da falta de regulamentação desse mercado pelo Banco Central e pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) para fazer a criptolavagem. (Revista Piauí) (Meio)

Ambiente social

Registros Irregulares: Entre 2018 e 2020 os registros irregulares no Cadastro Ambiental Rural, usados para legitimar grilagem de terras, em reservas indígenas e parques ecológicos cresceram 56%, segundo levantamento do Instituto Socioambiental (ISA). Além disso, o desmatamento nessas áreas cresceu 63% no mesmo período. (Globo) (Meio)

Coronavírus: Com a vacinação em ritmo lento e o baixo isolamento social, o Brasil corre o risco de enfrentar uma terceira onda ainda mais grave de Covid-19 no inverno, com possibilidade de chegar à marca de 750 mil mortos até agosto, segundo estudo da Universidade de Washington. (Globo) (Meio)

Meio ambiente

Amazônia Ameaçada: Ao longo do mês de abril, 778 km² de florestas na Amazônia foram desmatados, segundo levantamento do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Não apenas é uma alta de 45% em relação ao mesmo período do ano passado, como é o maior desmatamento registrado em um mês de abril em dez anos. O levantamento oficial do governo também havia registrado recorde em abril. (G1) (Meio)

Extinção das Espécies: Pelo menos sete espécies de aves que habitavam a Mata Atlântica, especialmente em Pernambuco, foram extintas nas últimas décadas, segundo um estudo baseado em dados de observação nacionais e estrangeiros. O principal motivo foi a perda de habitat provocada pela expansão da agricultura e das cidades. Outras nove espécies enfrentam risco iminente de desaparecem também. (O Eco) (Meio)

Ambiente político

Socorro para Empresários do Nordeste Vira Farra: A Câmara dos Deputados aprovou medidas provisórias (MP) para renegociar, com altos descontos, as dívidas de empresários com os fundos de financiamento do Nordeste (Finor) e da Amazônia (Finam) e para reduzir as taxas cobradas pelo governo da internet banda larga via satélite. Os textos seguiram para sanção. A renegociação de dívidas causou polêmica por causa do aumento dos descontos aprovado pelo Senado, que subiu de 15% para 80%. (Valor)

Suspensão dos Despejos: A Câmara dos Deputados aprovou, por 263 votos a 181, no dia 18-05-2021, um projeto de lei que suspende despejos devido à pandemia do novo coronavírus. O texto do PL 827/2020 havia sido protocolado há mais de um ano e reuniu 22 propostas de parlamentares. O texto segue para o Senado para ser apreciado. (Carta Capital)

Privatização da Eletrobrás Avança: O plenário da Câmara dos Deputados aprovou dia 19-05-2021, a MP (medida provisória) 1.031, que autoriza a capitalização da Eletrobrás. Foram 313 votos a favor, 166 contra e 5 abstenções. Todos os destaques, trechos analisados em separado e que podem modificar o texto principal, foram rejeitados. A medida segue para votação do Senado. O Legislativo tem até 22 de junho para concluir a votação para que a MP não perca a validade. A proposta permite o aumento no capital social da empresa. O governo, atualmente acionista majoritário, fica autorizado a fazer uma oferta pública de ações. A expectativa do governo é arrecadar R$ 100 bilhões na operação. Por ora, está autorizado apenas o estudo da privatização pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). (Meio)

Governo

Naufrágio de Bolsonaro no Datafolha: Em cada cem brasileiros, 58 acham que o presidente Jair Bolsonaro não tem capacidade de liderar o Brasil, segundo pesquisa do Datafolha. Somente 38% consideram Bolsonaro apto. A reprovação é majoritária em praticamente todos os grupos, a exceção dos empresários, com 62% confiando na capacidade de Bolsonaro. Metade dos pesquisados disse nunca confiar nas declarações do presidente, contra 14% que sempre acreditam. E o apoio a um eventual impeachment chegou a 49%, enquanto 46% são contrários à medida. (Folha) (Meio)

Pacote para os Caminhoneiros: Fragilizado politicamente e pressionado pela alta do diesel, o presidente Bolsonaro lançou um pacote de medidas para atender os caminhoneiros, uma das principais categorias de sua base eleitoral. Batizado como “Gigantes do Asfalto”, o programa está focado em facilitação de acesso ao crédito e melhorias na prestação de serviços com informatização e redução da burocracia. A medida mais impactante é a possibilidade de antecipação do valor do frete, que vai movimentar um mercado de R$ 120 bilhões. O pacote, que não tem medidas de impacto fiscal, ainda engloba linhas de crédito e renegociações de dívida na Caixa Econômica Federal (Valor)

Novas Empresas Estatais 1: O governo do presidente Jair Bolsonaro deve criar pelo menos duas novas estatais neste ano – a NAV Brasil e a ANSN (Autoridade Nacional de Segurança Nuclear). Ambas são da área militar. A NAV Brasil será resultado da divisão da Infraero e está ligada ao Ministério da Defesa, comandado pelo general Walter Braga Netto. Segundo o governo, a ANSN será fruto da cisão da CNEN (Comissão Nacional de Energia Nuclear) e funcionará com 922 funcionários redistribuídos da CNEN. Por isso, afirma, não representa um aumento de despesa pública neste momento. (Poder 360)

Novas Empresas Estatais 2: A ANSN e a NAV são as primeiras estatais criadas pela gestão Bolsonaro. De acordo com o Panorama das Estatais, o governo tem outras 158 empresas, sendo 45 de controle direto e 113 de controle indireto. Das 45 estatais controladas diretamente da União, 18 são dependentes do Tesouro. Por isso, o governo também tem um programa de concessões e privatizações que visa a reduzir o número e os gastos com as estatais. (Poder 360)

Arrecadação Federal Avança 1: A arrecadação federal de impostos registrou uma alta real de 45,22% em abril, na comparação com o mesmo mês de 2020, e chegou a R$ 156,822 bilhões. Esse montante foi o melhor para abril na série histórica da Receita Federal, iniciada em 1995, considerando dados atualizados pelo IPCA de abril. (Valor)

Arrecadação Federal Avança 2: Sem correção inflacionária, a arrecadação mostrou uma alta de 55,03% em abril ante o mesmo mês do ano passado, quando a arrecadação total somou R$ 101,154 bilhões (valor corrente). (Valor)

Desoneração Tributária: Nos quatro primeiros meses de 2021, o governo deixou de arrecadar R$ 30,863 bilhões devido a desonerações tributárias. Em 2020, abriu mão de R$ 28,767 bilhões no mesmo período. Apenas em abril, as desonerações somaram R$ 8,901 bilhões. No ano, somente com Simples e MEI (Microempreendedor Individual) o governo deixou de receber R$ 5,261 bilhões em tributos. Além disso, a desoneração do PIS/Cofins sobre o diesel atingiu R$ 1,839 bilhão. (Valor)

Novo Refis: O governo e o Senado trabalham para que o projeto de renegociação de dívidas de empresas, chamado de Refis, seja aprovado na Casa até o fim de maio. A medida ainda não foi à pauta por falta de concordância do Ministério da Economia, de Paulo Guedes, que não apoia a ideia. Articuladores do governo no Senado negociam com a pasta para viabilizar a votação no prazo. (Poder 360)

Ambiente internacional

Constituinte Chilena: Candidatossem filiação partidária, ligados principalmente a pautas identitárias ficaram com 65 das 155 vagas na Assembleia Constituinte do Chile, eleita no fim de semana. Isso representa 42% dos assentos e mostra, segundo analistas, um profundo desejo de mudança da população e o repúdio à Constituição herdada da ditadura militar. A direita governista sofreu uma derrota avassaladora, obtendo 37 cadeiras (24%), contra 53 cadeiras da esquerda (34%), que tende a compor com os independentes e obter os dois terços necessários para incluir na Carta temas da agenda progressista. (Folha) (Meio)

Clima Econômico na América Latina: O Indicador de Clima Econômico (ICE) da América Latina, calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre), avançou de 70,5 para 81,2 pontos entre o primeiro e o segundo trimestres de 2021. Apesar da alta de 10,7 pontos, o indicador continua na zona desfavorável do ciclo econômico, com uma combinação de avaliações desfavoráveis sobre o presente e expectativas otimistas em relação ao futuro próximo. (Valor)

Setor Serviços nos EUA: O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) dos setores de serviços e indústria dos EUA apurados pela IHS Markit subiram a novas máximas históricas em maio, com o indicador de serviços alcançando os 70,1 pontos, de 64,7 pontos em abril, e o industrial avançando a 61,5 pontos, de 60,5 no mês anterior. O índice composto, por sua vez, avançou a 68,1 pontos, de 63,5, também anotando um novo recorde. (Valor)

Plano de Vacinação do FMI 1: O Fundo Monetário Internacional (FMI) apresentou um plano para que ao menos 40% da população global seja vacinada contra a covid-19 até o fim deste ano. O custo da proposta é de US$ 50 bilhões e inclui, entre outras coisas, doações de vacinas por parte dos países ricos e um aumento substancial do financiamento de ferramentas já criadas para o combate à pandemia. (Valor)

Plano de Vacinação do FMI 2: Na proposta apresentada em seu blog oficial, o FMI também reitera que os líderes globais já sabem que não será possível superar a crise econômica sem acabar com a pandemia. Um fim mais rápido para a covid-19 poderá injetar US$ 9 trilhões na economia global até 2025, segundo os cálculos da entidade. (Valor)

Surge Gigante do Entretenimento: A AT&T aprovou a fusão da divisão Warner Media com a rival Discovery para a criação de uma gigante do entretenimento que pretende bater de frente com outras gigantes de streaming, como Netflix e Disney. A nova companhia ainda não tem um nome, mas seu valor é estimado em US$ 150 bilhões, segundo pessoas do mercado. As sócias esperam que a transação seja concluída até a metade de 2022. (Valor)

Surge Gigante do Entretenimento 2: As empresas apostam em sinergias de até US$ 3 bilhões de custos por ano, e para a AT&T e seus acionistas, essa transação oferece uma oportunidade de liberar valor em seus ativos de mídia e posicionar melhor o negócio de mídia para aproveitar as atraentes tendências de streaming do setor. (Valor)

Surge Gigante do Entretenimento 3: A empresa de conteúdo vai possuir uma das maiores bibliotecas do mundo com quase 200 mil horas de programação e reunirá mais de 100 das emissoras mais prestigiadas como: HBO, Warner Bros, entre outras. (Valor)

Ambiente tecnológico

Herança Digital: Mais famílias vão à Justiça para ter acesso a e-mails, celulares e redes sociais de um parente que morreu. Seja para buscar por resposta pela morte do filho ou para resgatar documentos para os inventários, os casos tiveram poucas decisões do Judiciário. Entre as proferidas, a maioria foi desfavorável aos familiares. O debate sobre a herança digital divide os especialistas. (Valor) (Meio)

Telemedicina Avança 1: As consultas virtuais, também chamada de telemedicina, tornaram-se mais frequentes com a pandemia. Elas permitem consultas remotas de quem não consegue ou não pode sair de casa, e facilitam o acesso à especialistas por pessoas que moram em locais distantes dos grandes centros. Um relatório da Deloitte sobre as perspectivas do setor de saúde em 2021 mostra que, em abril de 2020, 28% dos pacientes foram atendidos por meio dessa modalidade. No começo de 2019, o número era de 15%. (Meio)

Telemedicina Avança 2: A FenaSaúde (Federação Nacional de Saúde Suplementar), com dados de 8 das 15 maiores empresas de assistência médica e odontológica do país, fala que a telemedicina atingiu 2,6 milhões dos atendimentos a beneficiários de planos de saúde entre fevereiro de 2020 e janeiro deste ano. (Meio)


Notas Econômicas: fontes

Jornal Valor, O Eco, Folha, Estadão, Canal Meio Newsletter, Veja, Poder 360, Carta Capital, Revista Piauí, Portal G1 e Globo.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.