Jornalismo de dados: o novo modelo de produção e consumo de notícias

395

Novos modelos de produção de notícias, como o jornalismo de dados, tendem a fortalecer e qualificar o papel dos jornalistas

jornalismo de dados pessoas em torno de uma mesa com seus computadores
Photo by Annie Spratt on Unsplash

Carlos Plácido Teixeira
Jornalista I Radar do Futuro

Os jornalistas têm acesso a milhares de dados e informações sobre estatísticas econômicas, sociais e políticas que abrem alternativas para a produção de notícias com abordagens inéditas e mais aprofundadas, com o apoio das tecnologias. E também com uma revisão de conceitos sobre as atividades profissionais. A diversidade de indicadores, organizados em bases públicas e privadas, tende a fortalecer os processos baseados em jornalismo de dados como alternativa para a produção de notícias sobre todos os temas de interesse da sociedade.

Contexto: como era antes e para onde caminha

Quem começa a viver como jornalista na terceira década do século 21 não imagina as dificuldades enfrentadas por quem, como repórter investigativo ou especialista em cobertura de eventos diários, precisava levantar dados para fundamentar argumentos de suas matérias. Pense como seria a cobertura de uma epidemia como a Covid-19 nos anos 1990.

Repórteres e editores dependeriam integralmente de agências de notícias, de uns poucos especialistas e de assessorias de imprensa, em cada Estado e globalmente. O levantamento de informações seria extremamente lento e limitado. Ao contrário do que existe hoje, com o apoio da internet, haveria uma dificuldade absoluta de acesso a informações capazes de apresentar o quadro diário de doentes e mortes e a compreensão dos impactos da expansão da doença no Brasil e no mundo.

Outro exemplo, até os primeiros anos do século atual, o acompanhamento dos atos governamentais, dos legislativos e do judiciário dependia de um jornalista dedicado, com olhar atento ao folhear as páginas dos diários oficiais. Era um exercício de paciência e de perseverança para encontrar detalhes suspeitos nos atos oficiais. Mesmo o acesso a uma estatística de demografia do IBGE era uma missão complexa, dependente de alguém da empresa, um assessor ou um especialista. Boa vontade dos intermediários era essencial para a obtenção de informações.

Ainda nos anos 1990, ao cobrir o mercado financeiro em um jornal econômico regional, repórteres e editores tinham de se contentar com as informações entregues pelas agências de notícias. Com os dados do encerramento das bolsas de valores, cotações do dólar e do ouro e as taxas de juros, nós, jornalistas envolvidos com cobertura especializada, recorríamos a algumas poucas fontes locais para produzir textos sobre os acontecimentos que teriam alterado os humores dos investidores e para justificar as oscilações dos valores dos ativos.

Emergência do jornalismo de dados

A evolução e universalização da internet, o aumento da potência de processamento dos computadores e do poder de armazenamento criam condições para novas abordagens no processo de produção de notícias e análise de acontecimentos. A tendência é favorecida pela variedade e quantidade de instituições que organizam e deixam acessíveis os seus indicadores setoriais.

Especialmente, o modelo valoriza a capacidade de investigação dos profissionais de imprensa. O jornalismo de dados tende a ser um destaque entre alternativas dos recursos que chegam no ambiente digital. O conceito abre um campo de oportunidades amplo para quem deseja encontrar novos rumos como produtores de conteúdos úteis e de qualidade.

“Quando as informações eram escassas, a maior parte de nossos esforços era dedicada à caça e coleta. Agora que a informação é abundante, o processamento é mais importante”, relata um artigo publicado no site DataJournalism. Se no passado os repórteres de destaque eram aqueles com boas cadernetas de fontes, guardadas a sete chaves, hoje e no futuro os melhores tendem a ser aqueles capazes de recorrer às bases de dados disponíveis.

Uma pesquisa realizada pelo DataJournalism mostrou a expectativa de que os profissionais envolvidos na aplicação de estratégias baseadas em análises de dados tendem a ser melhor remunerados. O principal papel imaginado para quem atua como produtor de conteúdos é de análise de dados. Esta pode ser uma boa notícia, especialmente para quem tem formação aprofundada em áreas de ciências sociais, com competências para a identificação impactos e tendências relevantes para o consumidor de reportagens.

Impactos para os leitores

Pense em uma reportagem sobre como a questão climática. Recorrendo às informações do site da ONU, os produtores do conteúdo informativo oferecem uma visão dinâmica sobre como o aquecimento do planeta vem se acelerando desde o início do século. Inclui informações sobre estimativas de emissões de CO2, espécies em risco de extinção e indicadores de conflitos relacionados com a água. Com tabelas e gráficos dinâmicos, é possível a cada leitor interagir e identificar informações específicas sobre países ou regiões específicas.


Visão geral: jornalismo de dados

Por que importa

No cenário de crise do mercado de comunicação, aumento do desemprego no segmento, precarização do trabalho e concorrência crescente, a sobrevivência dos jornalistas no futuro passa por investimentos em conhecimentos relacionados com prospecção, seleção, análise e divulgação de informações a partir de uso das fontes de conhecimento disponíveis na rede.

Como vai trazer diferença no jornalismo?

Mais até do que apostar em criação de podcasts, canais no Tik-Tok, Instagram ou You Tube é o jornalismo de dados que vai possibilitar criar estratégias de diferenciação entre os profissionais de imprensa e outros produtores de conteúdos, sem experiência nas rotinas da produção jornalística.

O jornalismo de dados reflete o papel cada vez maior dos dados numéricos na produção e distribuição de informações na era digital. Envolve uma crescente interação entre jornalistas, como produtores de conteúdo, e diversas outras áreas como design, tecnologia e estatística.

Qual é o papel de um jornalista de dados?

Um jornalista de dados é valorizado pelas competências desenvolvidas em todas as etapas do processo de produção de informações de interesse. Isso inclui garantir que as fontes de dados usadas sejam confiáveis até a produção final. A integridade dos dados é vital no jornalismo porque os artigos serão vistos por muitos leitores.

Como os dados melhoram uma reportagem?

Os dados podem ser usados para fornecer insights mais profundos sobre o que está acontecendo ao nosso redor e como isso pode afetar a sociedade ou grupos sociais. As informações podem ajudar os jornalistas a fornecer a análise e as informações de que precisam para entender as questões importantes do dia.


Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.