Voltado às classes C e D, o Cartão de TODOS garante o atendimento de qualidade em saúde, educação e lazer por um preço acessível. Foto por rawpixel.com em Pexels.com
Voltado às classes C e D, o Cartão de TODOS garante o atendimento de qualidade em saúde, educação e lazer por um preço acessível. Foto por rawpixel.com em Pexels.com

Radar do Futuro

A crise dos sistemas público e privado de saúde abre espaço para a expansão de modalidades alternativas de atendimento à população nos próximos anos. O cenário de aumento do desemprego e de expansão do trabalho sem carteira assinada, a redução da renda geral da população e a crise da economia cria oportunidades para empresas como a Cartão de TODOS, líder no segmento de cartões de desconto.

No vácuo deixado pela evasão de usuários dos planos de saúde, que perderam mais de 3 milhões de usuários em três anos, a empresa dobrou de tamanho em 2018. Segundo Altair Vilar, diretor-presidente da empresa, o crescimento deve-se ao fato da modalidade ter ocupado uma lacuna expressiva no mercado de saúde, tanto pública, quanto privada.

Planos de saúde dependem de crescimento econômico e empresas fortes. O desempenho sofrível do produto interno bruto brasileiro, gera saldos negativos no quadro do emprego, segundo os dados do próprio governo. Além disso, no acumulado de janeiro a abril, os planos de saúde aumentaram os valores cobrados dos usuários, em média, 3,22%, segundo o índice IPCA-15 do IBGE, enquanto o índice geral de preços no País subiu 1,92%, o que agravou esse quadro de evasão.

Importância das alternativas

Em 2030, apenas 10% dos idosos terão condições de pagar planos particulares de saúde, segundo um estudo da consultoria McKinsey. O que coloca a dúvida sobre a capacidade do setor privado se reinventar a tempo. E de haver alternativas que levem em conta a capacidade real da população em ter acesso aos sistemas.

Para a Cartão de TODOS, em sua modalidade de cartão de desconto e não de plano de saúde, o sistema se revela uma alternativa positiva à população. “Ainda este ano esperamos chegar a todas as cidades brasileiras com mais de 200 mil habitantes, o que deverá atrair cerca de 1,2 milhões de novas famílias”, conta Vilar.

Com o objetivo de proporcionar assistência primária à saúde a custo baixo, o Cartão de TODOS lidera o mercado brasileiro de cartões de desconto. Com ele, as famílias têm acesso a serviços de qualidade e com hora marcada. A adesão ao Cartão de TODOS dá direito a descontos nas mais de 200 clínicas conveniadas e em tratamentos odontológicos, exames, farmácias, pequenos procedimentos e óticas.

Além da saúde, o Cartão de TODOS atende aos segmentos de educação (descontos em EAD, cursos presenciais em universidades, idiomas etc.) e lazer (academias, pousadas e hotéis etc.). As mensalidades possuem o valor único de R$21,90 por família (pais e filhos até 21 anos). É aceito hoje em mais de 10.000 estabelecimentos em todo o Brasil.

Em 2018, o Cartão de TODOS dobrou de tamanho. Voltado às classes C e D, a empresa atende, hoje, mais de 2,5 milhões de famílias, o equivalente a 10 milhões de pessoas. Especificamente em Minas Gerais, o Cartão de TODOS conta hoje com 24 unidades de atendimento e 6 unidades Clube de Vantagens da Família (CVF), atendendo 297 mil// famílias atualmente, cerca de 1,2 milhão de pessoas.

Origens

O Cartão de TODOS nasceu em Minas Gerais, em 2001, na cidade de Ipatinga. Neste ano, foi fundada como Clínica de TODOS e, em 2008, se transformou em Cartão de TODOS. Atualmente está presente em Belo Horizonte, Divinópolis, Juiz de Fora, Montes Claros, Nova Lima, Sete Lagoas, Pouso Alegre, Uberaba, Varginha, Barbacena, Betim, Patos de Minas, Teófilo Otoni, Santa Luzia, Coronel Fabriciano, Sabará, Ribeirão das Neves, Curvelo, Contagem, Conselheiro Lafaiete, Ubá e Vespasiano. A empresa inaugurou, recentemente, uma unidade em Pará de Minas. A expansão no Estado faz parte de um plano de crescimento do Cartão de TODOS no Brasil e no exterior.

Outra razão que justifica a ascensão do Cartão de TODOS, segundo o diretor-presidente, é a forma do seu modelo de negócio, sustentado pela Administração Solidária. Desenvolver um negócio bom para todos sempre foi o objetivo da empresa. Seu modo de pensar subverte a lógica de que o que é bom custa caro.

Ao oferecer produtos e serviços de qualidade, com o menor custo para seus clientes, a organização promove inserção social ao mesmo tempo em que movimenta a economia das localidades em que atua, gerando valor para o maior número possível de atores envolvidos nesse processo. Esse modelo de negócio solidário, também chamado de TODOS por todos, é amplamente aceito pelas comunidades e é um dos responsáveis pelo sucesso do Cartão de TODOS.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.