73% dos brasileiros se incomodam com o lixo do Natal

0
595

Maioria dos consumidores valoriza embalagens recicladas e apoia compartilhamento de sacolas, revela levantamento da Radar Pesquisas.


O que faz do final de ano um momento mágico para as famílias? E o que torna o tradicional presente tão especial para quem o recebe? A embalagem ou o produto? Segundo levantamento exclusivo elaborado pela Radar Pesquisas, empresa de pesquisa de mercado consolidada no setor há 30 anos, 73% se incomodam com a quantidade de lixo gerada na época de festas e dizem fazer o possível para reduzir o acúmulo. Além disso, 86% acreditam que usar material reciclado na embalagem pode agregar ainda mais valor a recordação.

A pesquisa “Natal Sustentável” envolveu 800 respondentes de um questionário digital, com idade a partir de 20 anos das classes A, B e C, e com abrangência nacional. O levantamento revelou que quando estimulados pelo varejo, os consumidores são ainda mais receptivos às práticas sustentáveis. Por exemplo, 77% dos entrevistados elogiariam uma loja para amigos se o vendedor sugerisse compartilhar as sacolas com outras lojas. E mais: 45% acham que as lojas deveriam confirmar a necessidade da sacola pois é nesse momento que eles se sentem alertados para recusar.

Mas, apesar de bem intencionado, existe uma distância entre intenção e a prática do consumidor. Ao mesmo tempo que afirmam fazer o possível para evitar a produção de lixo, só 47% abrem mão de decoração mais elaborada nos pacotes, mesmo que isso gere mais descarte de papéis e fitas. Além disso, apenas 56% dos entrevistados disseram reaproveitar as embalagens para novos embrulhos.

“O brasileiro tem muita vontade de ser mais sustentável. Os números levantados apontaram que três em cada quatro pessoas se incomodam com a quantidade gerada de lixo na época de festas. Contudo, aquele pacote cheio de adereços ainda faz parte do imaginário do Natal. É quase como se o consumidor estivesse no automático. Agentes envolvidos na jornada de compra podem conduzir os clientes a vencer essa lacuna do consumo consciente. A pesquisa revelou, por exemplo, que o momento em que o vendedor consulta o consumidor se ele deseja ou não a sacola é crucial. Funciona como uma chavinha, uma pausa para a reflexão”, comenta Joana Belo, sócio-diretora da Radar.

Dar mais opções para o consumidor é outro fator de impacto. “O lojista ganha um protagonismo e pode se diferenciar da concorrência ao oferecer pacotes que produzem menos resíduos. 93% das pessoas recomendariam uma loja se ela oferecesse opções de embalagem de presente mais sustentáveis”, conclui Joana.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.