Para especialistas do Fórum Econômico Mundial, os impactos das tecnologias serão expandidos
Para especialistas do Fórum Econômico Mundial, os impactos das tecnologias serão expandidos

Carlos Teixeira
Radar do Futuro

O comércio global está próximo do momento das grandes transformações decorrentes da introdução efetiva das tecnologias disruptivas. Aquelas mudanças capazes de substituir padrões antigos por novos. A avaliação é de Ziyang Fan e Cristian Rodriguez Chiffelle, especialistas e membros do Fórum Econômico Mundial, em texto publicado no site da organização.

Segundo eles, o mundo vive a etapa em que a combinação de diferentes tecnologias, em diferentes partes do ciclo de vida de adoção poderá  mudar a forma como os recursos são alocados e a operação do comércio internacional. “Os governos e as empresas precisam entender as tendências atuais para se manterem à frente da curva”, assinalam.

Com atenção voltada aos movimentos dos Estados Unidos e da China, o mundo parece alheio ao que está ocorrendo de fato no comércio internacional. O planeta gira enquanto a maior parte das discussões se concentra na ameaça de uma guerra comercial, nas tarifas e na saúde da ordem global de comércio.

Tecnologias disruptivas

“Embora extremamente importantes, essas conversas estão perdendo um lado mais brilhante do comércio internacional — como as tecnologias inovadoras na Quarta Revolução Industrial estão transformando o comércio, tornando os processos mais inclusivos e eficientes”, assinalam Ziyang Fan e Cristian Chiffelle.

Eles reconhecem que o impacto das tecnologias não é novo para o sistema de comércio global. A revolução da energia a vapor conectou o mundo como nunca antes. A invenção dos contêineres de transporte lançou as bases para a globalização. Mais recentemente, tecnologias como o reconhecimento óptico de caracteres (OCR), aplicado à leitura de números de contêineres, identificação por radiofrequência (RFID) e códigos QR, para identificar e rastrear remessas e digitalização básica de documentos comerciais, melhoraram a confiabilidade e a eficiência do comércio internacional.

Há contradições pelo caminho. Persistem ainda acordos comerciais escritos no passado, transações vinculadas a grandes quantidades de papel e o financiamento que ainda depende de métodos bancários tradicionais. Ou seja, o sistema de comércio global não conseguiu tirar proveito das tecnologias de ponta, que poderiam tornar o comércio mais eficiente, mais inclusivo e menos oneroso.

Tecnologias em destaque

A partir de estudos realizados no Fórum Econômico Mundial, Ziyang Fan e Cristian Rodriguez Chiffelle fizeram uma lista de cinco tecnologias que vão mudar profundamente o comércio global nos próximos anos. Confira abaixo:

1. blockchain

As tecnologias de blockchain podem ter um tremendo impacto na cadeia de fornecimento do comércio global . Organizações comerciais como a Câmara de Comércio e Indústria de Dubai lançaram uma iniciativa para alavancar a tecnologia blockchain para tratar de questões relacionadas ao tema, como altos custos de operações e falta de transparência e segurança.

Além de tornar a movimentação de mercadorias mais eficiente e confiável, as soluções baseadas em blockchain estão alterando o sistema de financiamento do comércio mundial. Por exemplo, a tecnologia de blocos  está sendo usada para simplificar o longo e tedioso processo de obtenção de uma Carta de Crédito (LoC, da sigla em inglês), um mecanismo de pagamento usado no comércio internacional.

A Deloitte ajudou um banco indiano do setor privado a reprojetar sua emissão de LoC ao desenvolver uma solução blockchain que reduziu o tempo de emissão de 20 a 30 dias para horas. Em outros casos, empresas como a Skuchain estão facilitando o acesso à LoC ao mesmo tempo em que  fornece rastreamento em tempo real de bens e financiamento de estoque, o que agiliza as transações e permite que financiadores forneçam apoio de capital de giro a todos os parceiros da cadeia de fornecimento ao menor custo de capital.

2. Inteligência Artificial e Aprendizado de Máquina

A Inteligência Artificial e o Aprendizado de Máquina podem ser usados ​​para otimizar as rotas de envio comercial, gerenciar o tráfego de embarcações e caminhões nos portos. Também para traduzir as consultas de pesquisa de comércio eletrônico de um idioma para outro.

Mais do que ganhos de eficiência e melhores serviços ao consumidor, a inteligência artificial também está sendo usada para tornar o comércio global sustentável. Por exemplo, o Google lançou o Global Fishing Watch em 2016, uma ferramenta em tempo real que usa o aprendizado de máquina para combater a pesca ilegal, fornecendo uma visão global das atividades de pesca comercial com base nos movimentos de navios e dados de satélite. Pode ser usado por governos e outras organizações para identificar comportamentos suspeitos e desenvolver políticas sustentáveis.

3. Serviços de negociação através de plataformas digitais

É cada vez mais fácil negociar serviços on-line. Plataformas digitais como o Upwork permitem que os usuários encontrem provedores de serviços de todo o mundo para uma ampla gama de serviços e possam encontrar desde um desenvolvedor web na Sérvia até um contador no Paquistão assistente nas Filipinas.

Enquanto isso, startups como a plataforma internacional de aprendizagem VIPKID emparelham educadores americanos com crianças chinesas para ensinar inglês online. Essas plataformas digitais conectam perfeitamente os clientes aos provedores de serviços, de uma maneira que não era possível antes, quando esses serviços profissionais eram entregues principalmente em pessoa.

4. impressão 3D

O júri ainda está fora do impacto da impressão 3D no comércio global. Há estudos que prevêem que, uma vez que a impressão 3D de alta velocidade seja adotada em massa e barata o suficiente, o comércio global pode diminuir em até 25%, já que a impressão 3D exige menos mão de obra e reduz as necessidades de importação. 

Outros argumentam que tais visões são otimistas demais e não levam em conta a complexidade e a realidade da manufatura em massa.Independentemente das posições, o impacto da impressão 3D no comércio global é real, especialmente à medida que métodos mais rápidos e baratos de impressão 3D se tornam disponíveis.

5. Pagamentos móveis

Do Apply Pay ao Alipay para o M-Pesa, os pagamentos móveis estão transformando a maneira como vivemos e conectando mais pessoas às oportunidades de mercado. De acordo com o Banco de Dados de Inclusão Global do Banco Mundial , o número de pessoas que obtiveram acesso a contas bancárias aumentou 20% entre 2011 e 2014. As contas em dispositivos móveis foram um grande impulso para a inclusão financeira, especialmente nas economias emergentes.

 Pagamentos móveis estão transformando a maneira como vivemos

Por exemplo, na África Subsaariana, 12% dos adultos (64 milhões de adultos) têm contas celulares (em comparação com apenas 2% em todo o mundo), e 45% deles têm exclusivamente a na internet. À medida que a população recém-depositada se conecta a pagamentos móveis, será muito mais fácil para eles participar do comércio global, seja como consumidores ou empresas.

Desafios de governança

Deve-se notar que essas tecnologias também apresentam difíceis desafios de governança, tanto doméstica quanto transnacional. Da falta de estrutura de governança aos requisitos incompatíveis de licenciamento e tributação, a acordos comerciais desatualizados, não é possível simplesmente supor que essas tecnologias criarão raízes e darão frutos automaticamente.

As partes interessadas, tanto dos setores públicos quanto privados, devem trabalhar em conjunto para estabelecer a estrutura e promover o ambiente para que essas novas tecnologias liberem seu potencial positivo, enquanto mitigam os possíveis danos. Em particular, as partes interessadas devem adotar a abordagem de governança ágil com múltiplas partes interessadas e centrada no ser humano para permitir espaço para experimentação e para obter informações de um conjunto diversificado de participantes. 

Além disso, na ausência de um padrão global, os órgãos regionais devem se encarregar e liderar os esforços para harmonizar as regras regionais em questões como fluxo de dados, licenciamento e tributação.

As inovações tecnológicas oferecem um futuro estimulante para o comércio internacional entre as incertezas de hoje. “Com a abordagem governamental correta, essas inovações darão início a um crescimento comercial mais inclusivo e eficiente nos próximos anos”, dizem Ziyang Fan e Cristian Rodriguez Chiffelle.

Informação original em Weforum.org