Capturar.JPG

André Bretas (esq.) e Fabrício Sucupira, sócios do Lavaemcasa: Solução tem preços 40% menores que empresa convencional

Ludimarro Pizzaro
O Tempo

A ideia de aproveitar o tempo ocioso das lavanderias rendeu ao aplicativo Lavemcasa o prêmio de melhores práticas globais 2018, na categoria desenvolvimento de negócios, concedido pelo Comitê Internacional de Profissionais de Cuidados da Indústria Têxtil (Cinet), na última sexta-feira, em Milão, na Itália. A startup competia com 350 empresas de 45 países. “Nosso negócio se assemelha a um ‘Uber de lavanderias’.

O usuário baixa o app e, por geolocalização, apresentamos as ofertas. Um carro da Lavemcasa coleta e depois entrega a roupa na casa dele no dia combinado. Pelo aplicativo, também é possível acompanhar todo o processo”, explica o CEO da startup criada em Belo Horizonte, Fabrício Sucupira.

A startup competia com 350 empresas de 45 países. “Nosso negócio se assemelha a um ‘Uber de lavanderias’. O usuário baixa o app e, por geolocalização, apresentamos as ofertas. Um carro da Lavemcasa coleta e depois entrega a roupa na casa dele no dia combinado. Pelo aplicativo, também é possível acompanhar todo o processo”, explica o CEO da startup criada em Belo Horizonte, Fabrício Sucupira.

Segundo o executivo, o segredo está na utilização do tempo ocioso das empresas. “Toda lavanderia tem um período em que não está utilizando as máquinas. Negociamos esse tempo, e custos como aluguel e logística não entram no nosso preço”, afirma Sucupira.

A estratégia garante uma economia de até 40% na comparação com uma lavanderia convencional. “Se colocar na ponta do lápis, fica mais barato até que lavar a roupa em casa, considerando a energia elétrica da lavadora e do ferro elétrico, o tempo que o usuário perde ou (o valor que) paga para alguém fazer esse serviço”, diz Sucupira.

Com três anos de existência, o aplicativo, que funciona no Android e no iOS, tem mais de 10 mil downloads e mais de mil clientes fidelizados. Além da capital mineira, ele funciona em Curitiba, São Paulo, Goiânia e Brasília. “Nossa taxa de crescimento de faturamento é de 30% ao mês”, diz o CEO.