Notas econômicas: 15 a 19 de março de 2021

0
102
atendimento a doente em upa no estado do amazonas - o quadro de crise se agrava. Foto: Cicero Pedrosa Neto /Amazonia Real
Foto: Cicero Pedrosa Neto /Amazonia Real – Fotospublicas.com

O quadro do número de contaminados e de mortos pela Covid-19 se agrava. Confira o que foi mais importante nas Notas Econômicas

Coleta de informações semanais feita pelo Economista Paulo Roberto Bretas

Vivemos uma Nova Bolha Especulativa: Estudioso de eventos de escalada de preços de ativos sem fundamentos, o cofundador da gestora americana GMO, Jeremy Grantham, ficou famoso pela capacidade de antever bolhas no mercado acionário dos Estados Unidos, como a das empresas pontocom, no início dos anos 2000, e a do subprime, em 2008, quando escreveu uma carta aos investidores com o título de “Reinvista, quando estiver Aterrorizado”. Para o veterano gestor de 82 anos, vivemos atualmente um momento de “bolha atípica”. Grantham afirma que o comportamento das pessoas físicas nas bolsas americanas se tornou inconsequente e esse padrão tem sido alimentado pelo excesso de liquidez e pelos pacotes de ajuda do governo devido à crise causada pela covid-19. (Valor)

Indústria da Saúde: O Coordenador de prospecção e líder do grupo de pesquisa Desenvolvimento e Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Carlos Grabois Gadelha disse que a saúde é uma das principais forças para o crescimento da economia neste século – como foram o petróleo, a indústria automobilística e o aço no passado – e que a pandemia mostrou que os países que não investirem em saúde ficarão vulneráveis e sem crescimento. (Valor)

Tecnologia 5G e Medicina: A certeza de que o 5G irá revolucionar a medicina é sustentada por vários fatores. O tamanho do mercado de healthcare é de aproximadamente US$ 9 trilhões e ele é uma das indústrias que cresceu mais rápido no mundo nos últimos anos. Gigantes tecnológicos como Apple, Google e Amazon estão de olho nele, que já possui seus gigantes tradicionais como Philips, Siemens e GE. Grande parte das inovações tecnológicas prevista para explodir na próxima década existe hoje, já foram testadas e aprovadas e só precisam de uma rede mais rápida para se popularizar. A COVID-19 acabou com o receio que a classe médica ainda tinha em relação à telemedicina e fez essa tecnologia crescer exponencialmente. Monitoramento contínuo de pacientes, telecirurgia e até a transformação dos hospitais está por vir: estão para nascer equivalentes a AirBnb da saúde, casas confortáveis com todo o equipamento para a melhor recuperação de pacientes.(Meio)

Ambiente econômico

Medicamentos Mais Caros: A Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) autorizou um aumento de até 4,88% nos preços de remédios. O reajuste foi publicado na edição do dia 15-03-2021, do Diário Oficial da União e já pode ser aplicado pelas farmacêuticas. A regulação é válida para um universo de mais de 19 mil medicamentos disponíveis no mercado varejista brasileiro. (G1)

Setor de Shopping Centers em Crise 1: O setor de shopping centers enfrenta o seu pior cenário, em termos de empreendimentos fechados, desde junho de 2020, apurou o Valor com base em dados do segmento. Hoje há 359 centros de compras fechados e 213 abertos – a maioria destes tem algum tipo de restrição de funcionamento, segundo a Abrasce, a associação do setor. Existem apenas 29 empreendimentos no país operando sem qualquer tipo de restrição, de uma base de 601 centros de compra (menos de 5% do total).  (Valor)

Setor de Shopping Centers em Crise 2: Segundo a ABF, associação das franquias, a situação atual é mais frágil do que há um ano, em parte porque as varejistas já carregam desempenho mais fraco de vendas há meses, e já se endividaram para se manter nos últimos meses. (Valor)

Indicadores

IBC-BR: O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) teve alta de 1,04% em janeiro de 2021, na comparação dessazonalizada com o mês anterior, conforme divulgado pela autoridade monetária. Em dezembro de 2020, o indicador teve alta de 0,71% (dado revisado de expansão de 0,64%). O comportamento do indicador em janeiro foi influenciado por aumento de 0,4% da produção industrial e de 0,6% na prestação de serviços e recuo de 0,2% das vendas do varejo restrito (recuo de 2,1% do varejo ampliado, que inclui as vendas de veículos, motos, partes e peças e de material de construção). (Valor)

Consumo Aparente de Aço: O consumo aparente de aço cresceu 24,5% em fevereiro, para 2,1 milhões de toneladas. No bimestre, foram consumidas 4,3 milhões de toneladas, uma alta de 24,7% no comparativo com o mesmo período de 2020. Os dados foram divulgados pelo Instituto Aço Brasil. As vendas internas de produtos siderúrgicos também aumentaram no mês passado. As siderúrgicas comercializaram 1,9 milhão de toneladas, alta de 20,9% no comparativo com fevereiro de 2020. No acumulado do ano, o aumento nas vendas foi de 22,9%, para 3,8 milhões de toneladas. (Valor)

Exportações de Aço: As exportações cresceram em fevereiro tanto em volume quanto em valor. As vendas externas chegaram a 766 mil toneladas, o que gerou uma receita de US$ 522 milhões, altas de 2,1% e 35,5%, respectivamente. No acumulado do ano, as exportações somaram US$ 836 milhões, uma queda de 8,5% no período. Em volume, foram embarcados 1,3 milhão de toneladas no bimestre, recuo de 30,2%. (Valor)

Importações de Aço: Segundo o Aço Brasil, as importações em fevereiro chegaram a 334 mil toneladas e US$ 293 milhões, uma alta de 123,5% em quantidade e 81,2% em valor na comparação com o registrado em fevereiro de 2020. Em janeiro e fevereiro, foram importadas 658 mil toneladas, alta de 74,4% frente ao mesmo período do ano anterior. Em valor, as importações atingiram US$ 581 milhões e avançaram 48,9% no mesmo período de comparação. (Valor)

Monitor do PIB da FGV 1: A economia brasileira cresceu 0,5% no mês de janeiro de 2021, conforme a leitura do Monitor do PIB, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), beneficiada por saldos positivos nas atividades de serviços e de agropecuária, pelo lado da oferta, bem como de consumo das famílias, pelo lado da demanda, afirmou o economista Claudio Considera. No entanto, ele frisou que a taxa positiva está longe de indicar retomada sustentável da atividade econômica em meio à pandemia. (Valor)

Monitor do PIB da FGV 2: Ao falar sobre a trajetória da economia entre dezembro e janeiro no âmbito do Monitor, Considera informou que foram observadas altas de 0,6% no PIB da agropecuária; de 0,9% no PIB de serviços; e de 0,5% no consumo das famílias, na mesma comparação. Mas indústria mostrou queda de 0,2%. (Valor)

Setores

Venda de Materiais de Construção: O faturamento da indústria de materiais de construção teve crescimento real de 8,6% em fevereiro, na comparação anual, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) e a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em relação a janeiro, houve redução de 1,4%. A expansão foi de 12,8% no primeiro bimestre. A Abramat projeta crescimento de 4% neste ano. (Valor)

Problemas da Indústria de Alta Tecnologia: A pandemia piorou ainda mais a situação da indústria de alta tecnologia do país, responsáveis por itens como equipamentos de informática, eletroeletrônicos, farmacêuticos e aviões. Depois de uma queda de 3,3% em 2019, o segmento teve uma retração de 3,4% na produção no ano passado. O problema, segundo especialistas, é mesmo que as dificuldades impostas pela pandemia nas fábricas sejam uma situação global, a piora da realidade brasileira torna ainda mais difícil para os seus ramos de tecnologia acompanhar a fronteira tecnológica que está se acelerando no resto do mundo. (Meio)

Vendas de Biscoitos e Massas 1: A Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães e Bolos Industrializados (Abimapi) diz que as vendas do setor somaram R$ 40,5 bilhões em 2020, 9% acima do valor do faturamento alcançado em 2019, de R$ 37,1 bilhões. Em todo o ano foram vendidas 3,5 milhões de toneladas de produtos, 6% a mais que o ano anterior, de 3,3 milhões de toneladas. Em 2021, a expectativa de crescimento é menor: de 3% a 5%. (Valor)

Vendas de Biscoitos e Massas 2: Entre as categorias, pães e bolos industrializados foram destaque, com crescimento de 12% no volume vendido, surgindo como opção de estocagem. As massas secas cresceram 6% e os biscoitos, 2%. Segundo a associação, embora a venda de biscoitos tenha crescido, a categoria perdeu ocasiões de consumo essenciais, como escolas e escritórios. (Valor)

Finanças

CVM Não Detecta Ganhos Financeiros: A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) informou que não detectou ganho financeiro nos montantes estimados em diversas matérias jornalísticas por ocasião de operações envolvendo o vencimento de opções da Petrobras. Matéria veiculada no jornal “O Globo” apontava para um ganho de até R$ 18 milhões no vencimento das opções, ocorrido pouco depois de o presidente da República, Jair Bolsonaro, ter feito críticas ao sistema de preços praticado pela Petrobras e ter dito que algo mudaria na estatal. Segundo a CVM, a operação de opções em questão “não foi levada ao vencimento”, ou seja, não foi concluída e, portanto, não gerou ganhos. (Valor)

Inflação do IPC-S: O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) voltou a acelerar, pela terceira semana seguida, para 0,88%, na segunda quadrissemana de março, vindo de 0,67% na medição imediatamente anterior, a primeira do mês, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) em relatório. O indicador acumula alta de 5,98% nos últimos 12 meses. (Valor)

Inflação do IGP-M: A disparada do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) levou proprietários de escritórios comerciais e inquilinos a sentarem para discutir novas possibilidades de indexação para os contratos de locação ou a aplicação parcial do principal indicador de referência para correção de aluguéis. No setor, aponta-se que 30% dos locadores já aceitaram a troca do indicador. Gestores de fundos imobiliários reforçam a tendência e dizem que proprietários têm aceitado trocar o IGP-M pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), mas que isso depende de cada contrato. Já economistas alertam que, no longo prazo, os dois indicadores vão se aproximar. No entanto, neste momento de economia fraca no país, o IGP-M descolou e acumula alta de 29,83% em 12 meses. (Valor)

Alta da Selic: O Banco Central aumentou a taxa de juros básica do Brasil para 2,75% — é a primeira alta em quase seis anos, desde 2015. Durante os últimos sete meses, a Selic vinha estável, num patamar histórico de 2%. Este aumento de 0,75 ponto foi maior do que o meio ponto esperado pelos analistas mas, ainda assim, o Conselho de Política Monetária do BC foi unânime. O Copom espera aumentar noutro 0,75 ponto em seu próximo encontro, caso a economia continue no curso que está seguindo. Só muda de ideia se ocorrer uma “mudança significativa nas projeções de inflação ou no balanço de riscos”. Seguindo esse prognóstico, portanto, daqui a 42 dias a Selic pode ir a 3,5% ao ano. É exatamente o que esperam os analistas de mercado, ouvidos pela Pesquisa Focus, que já projetam uma taxa de 4,5% até o fim de 2021. O problema é a inflação, que está subindo num ritmo que preocupa — ela é “mais forte e persistente” do que o esperado, segundo a ata, mas ainda “temporária”. O objetivo, ao fim, é que com essa alta da Selic dólares voltem a entrar no país e os preços, assim, possam ser pressionados para baixo. (Valor Investe) (Meio)

Expectativas da Inflação: Economistas já veem risco da inflação ficar acima do teto da meta deste ano de 3,75%, com tolerância de 1,5% para cima e para baixo. Com a valorização do petróleo e a persistência do câmbio depreciado, algumas estimativas já ficam em torno de 5% a 6%. O próprio governo aumentou sua projeção da inflação. Era de 3,23%, foi para 4,4%, já acima do centro da meta. (Estadão) (G1) (Meio)

Brasil Destoando do G20: A alta da Selic coloca o Brasil como um dos primeiros países do G20 a aumentar sua taxa de juros. E vai na contramão de grandes economias — o Fed, banco central americano, decidiu manter suas taxas próximas a zero até 2023. Esta semana pelo menos 11 bancos centrais vão se reunir para decidir sobre sua política monetária. (Globo) (Meio)

Política Cambial: O Banco Central passou a intervir no mercado de câmbio de forma mais previsível nos últimos dias, num momento em que a sua ação leva operadores e analistas do mercado financeiro a desconfiar de que a autoridade monetária está procurando conter a desvalorização do real. As vendas de dólares futuros feitas ultimamente têm foco muito mais na quantidade, e não preço. São típicas de quem pretende dar uma ponte de liquidez ao mercado num momento em que falta moeda, em oposição a intervenções mais aleatórias que focam na formação de preços. O modelo foi reproduzido em outros momentos, sempre que o BC tinha um diagnóstico do volume de dólares que faltava no mercado. (Valor)

Inadimplência Cai no Brasil: O fim do auxílio emergencial a partir de janeiro ainda não teve impacto nos níveis de inadimplência medidos pela Boa Vista SCPC. De acordo com dados nacionais do birô de crédito, os registros de inadimplentes caíram 3,6% do primeiro para o segundo mês de 2021, feito o ajuste sazonal. Na comparação com o mesmo período de 2020, houve queda de 37%. (Valor)

Recuperação de Crédito: Outro indicador da Boa Vista, o de recuperação de crédito, registrou alta de 4,8% em fevereiro, perante o mês anterior, e subiu 4% no comparativo com um ano antes. Em 12 meses, contudo, ainda aponta para retração de 1,6%. (Valor)

Ambiente tecnológico

Inteligência Artificial e Indústria: A inteligência artificial está cada vez mais se tornando uma indústria a parte, segundo relatório da Universidade de Stanford. Cerca de 65% dos Ph.D.s em IA dos EUA estão indo para a indústria, contra 44% em 2010. Esse é um sinal do papel crescente que as grandes empresas estão desempenhando tanto na pesquisa quanto na implementação de IA e como a tecnologia está deixando de ficar apenas no nível de pesquisa. (Meio)

Carros Elétricos: Os investidores estão correndo para um setor há muito negligenciado: as montadoras de automóveis da velha guarda que estão se reinventando como fabricantes de veículos elétricos. Depois de anos reclamando que suas ações estavam subvalorizadas, FordGeneral MotorsVolkswagen e outras montadoras de primeira linha estão experimentando grandes ganhos no preço dos papéis neste ano, à medida que adotam a nova tecnologia. (Valor)

Ambiente social

Índice de Miséria Avança: O cenário de desemprego elevado e de inflação alta vai continuar nos próximos meses, uma combinação que tende a pressionar ainda mais a popularidade do presidente Jair Bolsonaro. Composto pela soma da taxa de desocupação e do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA) em 12 meses, o índice de miséria calculado pela MB Associados se aproxima de 20 pontos, o nível mais alto desde setembro de 2016. (Valor)

Fome no Brasil: Dois anos antes da pandemia, entre junho de 2017 e julho de 2018, mais de 10 milhões de pessoas já não tinham o que comer conforme a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), do IBGE. Desse total, perto de 8 milhões moravam na zona urbana e pouco mais de 2 milhões na zona rural, onde a rigor se produzem alimentos. (Rede Brasil Atual)

Informal e com Renda em Queda 1: Sem auxílio emergencial e com o mercado de trabalho fraco, o contingente de trabalhadores por conta própria deve continuar crescendo neste início de ano. O movimento começou no quarto trimestre de 2020, mas essas pessoas devem enfrentar outro obstáculo além da precariedade em geral associada a este tipo de trabalho: renda em queda. (Valor)

Informal e com Renda em Queda 2: O número de trabalhadores por conta própria subiu 6,8% no quarto trimestre de 2020, em relação ao terceiro, após uma redução ao longo de 2020. Enquanto isso, a renda desse grupo já sinaliza retração no quarto trimestre, especialmente no grupo sem CNPJ (-3,4% na comparação com o terceiro trimestre). (Valor)

Mercado de Trabalho 1: O mercado de trabalho brasileiro registrou em janeiro um saldo positivo de 260.353 vagas com carteira assinada, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, puxado pela criação de empregos na indústria e nos serviços. (Valor)

Mercado de Trabalho 2: Houve forte criação de vagas na indústria (90,4 mil vagas) e nos serviços (83,6 mil), estes puxados por atividades administrativas, de informação, comunicação e financeiras, atividades típicas do home office. Saúde e serviços sociais, movimentados pela pandemia, também tiveram saldo positivo em janeiro (20 mil). Construção (43.498), agricultura (32.986) e comércio (9.848) completam o quadro. (Valor)

Ambiente político

Municípios de Minas Compram Sputinik: Cinco prefeituras de Minas Gerais — Belo Horizonte, Contagem, Betim, Santa Luzia e Pouso Alegre — negociaram individualmente acordos com a União Química para adquirir um total de 7,3 milhões de doses da vacina russa Sputnik V, que, no Brasil, será fabricado pela empresa sediada em Guarulhos (SP). Esse volume é suficiente para vacinar em duas doses 17% da população do Estado e praticamente toda a população desses municípios. (Valor)

Vacinação em Minas: O governo de Minas espera receber do governo federal, até julho, 23 milhões de doses, o que seria suficiente para imunizar 54% da população do Estado. (Valor)

Caixa Econômica vai Contratar: O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, anunciou que o banco vai contratar 7,7 mil empregados e colaboradores para fortalecer a rede de atendimento. Serão 2.766 empregados, 1.162 estagiários, 2.320 vigilantes e 1.456 recepcionistas. (Valor)

Governo

General Pazuello, o Ineficiente: A ineficiência com que Pazuello conduziu o ministério da Saúde em meio a pandemia surpreendeu até àqueles que já não eram seus admiradores. Seus modos pouco afáveis e o fato de ter levado para a sua equipe direta mais de 20 militares aumentaram o desconforto em relação ao General que, em muitas ocasiões, chegava a trabalhar vestido com a farda camuflada. Sem falar nas situações como uma em que apareceu ao lado de Bolsonaro, dizendo que sua função era obedecer. (Valor)

Perdão de Dívidas de Igrejas: Por orientação do presidente Jair Bolsonaro, a liderança do governo no Congresso construiu acordo e derrubou dia 17-03-2021 um veto que impedia o perdão de dívidas tributárias contraídas por templos religiosos. O veto ao dispositivo foi revogado durante sessão deliberativa da Câmara, mas a decisão ainda precisa ser confirmada pelo Senado. (Valor)

Governo Reduz Imposto de Importações 1: O governo reduziu em 10% o Imposto de Importação para eletroeletrônicos e bens de capital. A medida foi aprovada em reunião do Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex) e, para o governo, representa um passo no sentido de redução das barreiras tarifárias. O país negocia com os sócios do Mercosul um corte linear na Tarifa Externa Comum (TEC). Segundo o Ministério da Economia, a medida anunciada ontem vai baratear a importação de máquinas e equipamentos utilizados pelos setores produtivos, além de diminuir o preço de itens importados, como celulares e computadores. A decisão abrange 1.495 códigos da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) que não dependem de negociação com os parceiros do bloco. (Valor)

Pesquisa Datafolha : O Datafolha revela, dia 17-03-3021, a urgência que sentem aliados do governo quando cobram mudanças no enfrentamento da Covid-19: 54% dos entrevistados reprovam a gestão de Jair Bolsonaro na pandemia, e 43% o consideram pessoalmente responsável pela crise. Somente 22% acreditam que ele faz um bom trabalho. Na avaliação geral, o governo é considerado ruim ou péssimo por 44%, voltando ao pior índice, registrado em junho do ano passado. Para 30% é ótimo ou bom. Em momento algum de seu governo o presidente teve reprovação tão alta. (Folha)

General Pazuello, o Ineficiente: A ineficiência com que Pazuello conduziu o ministério da Saúde em meio a pandemia surpreendeu até àqueles que já não eram seus admiradores. Seus modos pouco afáveis e o fato de ter levado para a sua equipe direta mais de 20 militares aumentaram o desconforto em relação ao General que, em muitas ocasiões, chegava a trabalhar vestido com a farda camuflada. Sem falar nas situações como uma em que apareceu ao lado de Bolsonaro, dizendo que sua função era obedecer. (Valor)

Pesquisa Datafolha : O Datafolha revela, dia 17-03-3021, a urgência que sentem aliados do governo quando cobram mudanças no enfrentamento da Covid-19: 54% dos entrevistados reprovam a gestão de Jair Bolsonaro na pandemia, e 43% o consideram pessoalmente responsável pela crise. Somente 22% acreditam que ele faz um bom trabalho. Na avaliação geral, o governo é considerado ruim ou péssimo por 44%, voltando ao pior índice, registrado em junho do ano passado. Para 30% é ótimo ou bom. Em momento algum de seu governo o presidente teve reprovação tão alta. (Folha)

Constrangimento a Ludhmila Hajjar foi Desnecessário: O constrangimento a que Ludhmilla Hajjar foi submetida, depois de ter sido indicada pelo Centrão/Arthur Lira para o Ministério da Saúde, não tem precedentes. Em vez do esperado convite para ocupar o ministério, passou por uma sabatina por parte do presidente e de seu filho, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), sob o olhar de Pazuello. O Zero Três queria saber a posição dela sobre armas e aborto, enquanto Bolsonaro insistia na cloroquina. Ao falar de medidas restritivas, Bolsonaro foi direto: “Você não vai fazer lockdown no Nordeste para me foder e eu depois perder a eleição, né?” E enquanto a conversa acontecia, a tropa de choque bolsonarista, nas redes sociais, já atacava a médica. Ontem, após o segundo encontro, Hajjar disse que não seria ministra. (Poder360) (Meio)

Orçamento da União sem Aprovação: No meio de março e ainda sem o Orçamento de 2021 aprovado, ministérios vêm seus cronogramas de investimento atrasar. E, em meio a um duro ajuste fiscal, reforçam sua articulação no Congresso para elevar suas verbas por meio de emendas de parlamentares. (Valor)

Justiça

OCDE e a Corrupção no Brasil 1: A corrupção no Brasil entrou no radar da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Pela primeira vez em 27 anos de atividades, o Grupo de Trabalho Anti-Corrupção da entidade criou um grupo específico que vai monitorar a situação no Brasil nesse campo. O chamado subgrupo para acompanhar o Brasil é formado por EUA, Itália e Noruega. Criado em dezembro, teve sua primeira reunião na semana passada, em Paris. O encontro coincidiu com a reviravolta na Lava-Jato, que o governo brasileiro terá que explicar na próxima reunião, que deve ocorrer dentro de seis meses. (Valor)

OCDE e a Corrupção no Brasil 2: No fim de 2019, já em meio a dificuldades no combate à corrupção no país, o Brasil correu o risco de ver suas companhias serem submetidas a dificuldades nas transações bancárias internacionais. Uma medida não concretizada de “due diligence” (processo de reunião de uma série de informações antes da tomada de decisão, um caminho geralmente usado por empresas antes de fusões e aquisições) implicaria que os outros 43 membros do Grupo Anti-Suborno aumentariam o monitoramento de seus negócios com empresas brasileiras, já que o combate à corrupção e à lavagem de dinheiro estaria enfraquecida no país. (Valor)

OCDE e a Ineficiência Jurídica no Brasil 1: A saída da profunda recessão atual causada pela covid-19 exigirá crescimento mais forte da produtividade no Brasil, e reduzir a ineficiência e incertezas judiciais é fundamental para impulsionar a atividade empresarial no país, sugere estudo publicado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O tempo médio necessário para se resolver casos civis e comerciais no Brasil é de 900 dias comparado a menos de 100 na Holanda, por exemplo. A lei, muitas vezes, é considerada excessivamente complexa no Brasil. (Valor)

OCDE e a Ineficiência Jurídica no Brasil 2: Uma insolvência típica demora quatro anos no Brasil comparado a 1,8 ano em países desenvolvidos. Visto que os ativos de companhias em situação ruim tendem a perder valor rapidamente, a taxa de recuperação de dívidas no Brasil com insolvências é de apenas 18 centavos por dólar, contra 68 centavos nos países ricos. (Valor)

OCDE e a Ineficiência Jurídica no Brasil 3: O Brasil aparece igualmente como tendo muito mais litígios do que os países desenvolvidos. O número de advogados no país aumentou 400% desde 1991. Havia cinco advogados por mil habitantes em 2017, comparado a 1 por mil na França. Isso é atribuído a “altos privilégios” da profissão no Brasil.(Valor)

Ambiente internacional

Aumento de Impostos nos EUA: O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, planeja o primeiro grande aumento de impostos federais desde 1993 para ajudar a custear o programa econômico de longo prazo que será lançado pelo governo na sequência do pacote de ajuda de US$ 1,9 trilhão, aprovado pelo Congresso. Embora esteja cada vez mais claro que os aumentos de impostos serão um componente da conta para bancar o programa, os principais assessores de Biden estão preparando agora um pacote de medidas que pode incluir aumento tanto na alíquota do imposto cobrado das empresas como na alíquota individual das pessoas de renda mais alta. (Valor)

Desigualdade Social nos EUA: Como é possível que um país consiga enviar um robô a Marte, mas não garanta água potável à população numa emergência climática ou saúde pública básica numa pandemia? Uma ampla reportagem do Washington Post mostra como, à sombra de sua suposta excepcionalidade, os EUA deixaram de fazer investimentos básicos e priorizaram a riqueza pessoal e o individualismo. O resultado é uma infraestrutura sucateada e a maior disparidade social entre os países desenvolvidos.  (Washington Post) (Meio)

USA X China: Após entrar na Justiça, a Xiaomi conseguiu sair da lista de supostas “companhias militares chinesas”, que teriam ligações com o governo da China. A decisão do juiz tem caráter liminar, mas a companhia, que é uma das maiores fabricantes de celulares do mundo, afirmou que buscará a remoção permanente. Se essa medida, que foi imposta por Donald Trump nos últimos dias de seu mandato, não for revertida até novembro, a empresa pode sair das bolsas de valores americanas. (Meio)

Economia Chilena: A economia do Chile encolheu 5,8% em 2020 por causa da pandemia de covid-19, informou o Banco Central do país. Apesar do recuo anual histórico, a economia começou a se recuperar no terceiro e no quarto trimestres, à medida que o país flexibilizou as restrições para combater a covid-19 e deu início à campanha de vacinação contra a doença, atualmente uma das mais bem-sucedidas do mundo. (Valor)
Análise da UNCTAD 1: A crise sanitária causará perda acumulada de renda de US$ 178,1 bilhões (cerca de R$ 1 trilhão) ao Brasil até o fim deste ano, pelas projeções da Agência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (Unctad). A perda é estimada em US$ 102,2 bilhões em 2020 e US$ 75,9 bilhões neste ano em termos reais (preços constantes de 2015 e taxa de câmbio). No cenário da Unctad, no fim de 2021, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro estará quase 10% menor comparado à tendência de expansão pré-pandemia. Houve baixa real de renda em praticamente todos os países. (Valor)
Análise da UNCTAD 2: A perda é estimada em US$ 102,2 bilhões em 2020 e US$ 75,9 bilhões neste ano em termos reais (preços constantes de 2015 e taxa de câmbio). No cenário da Unctad, no fim de 2021, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro estará quase 10% menor comparado à tendência de expansão pré-pandemia. Houve baixa real de renda em praticamente todos os países. (Valor)

Facebook faz Acordo Grupo de Imprensa: Após resistir, o Facebook fez acordo com o grupo de imprensa News Corp na Austrália. Para cumprir a nova lei do país, a big tech concordou em pagar para os veículos, como canal Fox News, agência Dow Jones e jornal Wall Street Journal, para oferecerem notícias ao News do Facebook. Mas a negociação não foi fácil: a rede social chegou a bloquear o seu serviço de notícias em resposta à nova lei. O Google também reclamou, mas logo fechou acordo. Só que a Austrália está inspirando leis semelhantes pelo mundo. Já movimenta legisladores na Europa e EUA, com apoio da Microsoft. (Meio)

Motoristas do Uber Recebem Compensações: Os mais de 70 mil motoristas do Uber no Reino Unido, até então autônomos como no resto do mundo, ganharão status de “workers” (não significa funcionários, ainda), com salário mínimo e férias remuneradas. A mudança foi feita após uma ampla consulta com seus motoristas e apenas um mês depois de uma derrota na Suprema Corte britânica, que decidiu que eles podem ser considerados “workers”. As tarifas dos serviços devem aumentar no país, mas o Uber também deve absorver o aumento de custos. A mudança pode se replicar no resto da Europa, onde a empresa trabalha para replicar o modelo da Califórnia, ou seja, motoristas autônomos, mas que recebem compensações. (Meio)

Sobre as Notas Econômicas

Levantamento semanal das informações mais importantes realizado pelo economista Paulo Roberto Bretas

  • Fontes: Jornal Valor, Valor Investe, Folha, Estadão, Canal Meio Newsletter, Poder 360, Rede Brasil Atual, Carta Capital, Washington Post, Portal G1 e Globo.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.