Notas Econômicas: 17 a 21 de janeiro de 2022

342

Notas Econômicas: coleta de informações semanais feita pelo Economista Paulo Roberto Bretas

Cientistas sociais e jornalistas especializados em análises de geopolítica, fora do eixo tradicional de influência dos Estados Unidos, criticam as estratégias da imprensa empresarial na criação de um ambiente de animosidade contra a Rússia. Segundo os especialistas, não há intenção, nem preparativos, para uma invasão à Ucrânia. O que há, de fato, é uma tentativa dos norte-americanos impedir a maior aproximação dos russos com os chineses e o aumento da influência dos dois países nos mercados internacionais. Sem qualquer destaque na imprensa, a agência da ONU que apoia refugiados palestinos, UNRWA, voltou a pedir a Israel que suspenda imediatamente todos os despejos e demolições na Cisjordânia, incluindo Jerusalém Oriental, depois que uma família inteira foi forçada a deixar sua casa de longa duração no dia anterior (foto). Em tempos de fakenews, a imprensa e autoridades políticas caminham para a perda de credibilidade. E na principal “Conferência Narrativa do Fórum Econômico Mundial, o comentário era de que “a boa notícia é que a elite em todo o mundo confia cada vez mais uma na outra… a má notícia é que a maioria das pessoas confia menos nessa elite…”. (Radar do Futuro)

notas econômicas: casa destruida pelo exército de israel com destaque para uma mochila de criança
Foto: ONU

BRASIL: 200 ANOS DE INDEPENDÊNCIA.

Economia e Finanças

Varejo em 2022: A inflação e o mercado de trabalho mais fraco devem dar o tom do varejo em 2022. Com o aumento de preços e a queda na renda do trabalhador, o brasileiro está concentrando suas compras em produtos mais básicos. Prova disso é o resultado da PMC do IBGE de novembro, que cresceu apenas 0,6% em novembro, mês de Black Friday. (Mercado & Consumo)

Comentários sobre o Setor Serviços: Os serviços, medidos pela Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE, subiram 2,4% em novembro. Depois de duas quedas seguidas, o índice voltou a subir baseado em serviços de comunicações e transportes. Esse último bastante influenciado por transportes de passageiros. O bom número é resultado do relaxamento das restrições, principalmente de viagens. Os efeitos da Ômicron no cenário só devem ser medidos em março, quando o instituto divulgara o número de janeiro. Além disso, o mercado de trabalho deprimido limita as perspectivas do setor em 2022. (Mercado & Consumo)

Cai o Interesse pelo Brasil: Com inflação de dois dígitos e dúvidas do mercado sobre os rumos de sua política fiscal, o Brasil entrou no ano de eleições presidenciais atraindo menos interesse dos executivos globais para fazer negócios. O país recuou mais duas posições e agora é apenas o 10º mais citado por CEOs de todo o mundo quando eles apontam os principais mercados estratégicos para as suas empresas em um horizonte de 12 meses, segundo pesquisa anual divulgada pela empresa de consultoria e auditoria PwC (antiga Pricewaterhouse Coopers). (Valor)

Interesse pelo Brasil Já Foi Maior: Entre 2011 e 2013, o Brasil chegou ao terceiro lugar como principal mercado de interesse, dividindo o pódio com Estados Unidos e China, que seguem como os países mais importantes. Desde então, cai uma posição por ano no ranking — com exceção de 2019, estreia do governo Bolsonaro. (Valor)

Relatório Focus PIB: A mediana das projeções do mercado para o crescimento da economia brasileira em 2022 voltou a subir, de 0,28% para 0,29%, no Relatório Focus, do Banco Central (BC), divulgado dia 17-01-2022, com estimativas coletadas até o fim da semana passada. Para 2023, o ponto-médio das expectativas para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) também foi elevado, de 1,70% para 1,75%. Para 2024, permaneceu em 2,00%. (Valor)

Relatório Focus Selic: Para a taxa básica de juros (Selic), o ponto-médio das expectativas manteve-se em 11,75% para 2022, 8,00% para 2023 e 7,00% para 2024. (Valor)

Relatório Focus Câmbio: A mediana das estimativas para o dólar no fim deste ano foi mantida em R$ 5,60. O ponto-médio das projeções para a moeda americana subiu de R$ 5,45 para R$ 5,46 em 2023 e de R$ 5,39 para R$ 5,40 em 2024, entre uma semana e outra. (Valor)

Cresce a Exportação de Frutas: Em 2021, o Brasil exportou, pela primeira vez, mais de US$ 1 bilhão em frutas em um só ano, de acordo com a Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas). Ao todo, o volume de embarques cresceu 18% em relação ao ano anterior, para 1,2 milhão de toneladas, e o faturamento subiu 20%, a US$ 1,06 bilhão. (Valor)

Fundos de Infraestrutura do BNDES: O BNDES deverá investir até R$ 2,5 bilhões em fundos de infraestrutura, que serão selecionados por meio de um processo competitivo. O banco de fomento abriu uma chamada pública para escolher até cinco fundos. Serão alocados, no máximo, R$ 500 milhões em cada um deles. A expectativa é alavancar ao menos R$ 5 bilhões adicionais, do setor privado, por meio da iniciativa. Trata-se de um novo mecanismo de investimento do banco que está sendo testado. A ideia é impulsionar tanto fundos de crédito (para conceder empréstimos a projetos e empresas), quanto fundos de participações (que entrarão diretamente no capital dos negócios). (Valor)

Juros Futuros em Elevação: Os novos sinais de piora na dinâmica das expectativas de inflação de médio prazo, que voltaram a subir no Boletim Focus, e as discussões sobre reajustes salariais de servidores levaram os juros futuros a um fechamento em forte alta no pregão de 17-01-2022. Assim, apesar da liquidez bastante reduzida nos mercados de renda variável e câmbio, devido ao feriado de Martin Luther King nos Estados Unidos, investidores realizaram lucros na bolsa e o dólar voltou a subir, após quatro sessões de baixa. (Valor)

Monitor do PIB da FGV: A atividade econômica brasileira cresceu 1,8% em novembro, segundo o Monitor do PIB, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre), com base na série dessazonalizada em comparação a outubro. O indicador aponta retração de 0,3% no trimestre móvel findo em novembro, em comparação com o findo em agosto. Na comparação interanual, a economia cresceu 2,2% no mês de novembro e 1,3% no trimestre móvel encerrado em novembro. Em termos monetários, a FGV estima que o PIB no acumulado do ano até novembro, em valores correntes, foi de R$ 7.911.169 milhões, ou R$ 7,911 trilhões. (Valor)

Subsídio ao Transporte Público: Durante a pandemia, 122 cidades concederam subsídios ao transporte público, em montante que pode ter superado R$ 2,8 bilhões, segundo estudo do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). De acordo com o Idec, o valor torna o aumento de tarifas “injustificável” neste momento. A Frente Nacional de Prefeitos (FNP) solicitou, ainda em janeiro, reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, a fim de pleitear auxílio de R$ 5 bilhões para subsidiar o transporte público. (Valor)

Investimento Estrangeiro Direto: O Brasil recuperou uma posição e subiu para a sétima classificação entre os países que mais atraíram Investimento Estrangeiro Direto (IED) em 2021 globalmente, segundo estimativas da Agência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (Unctad). O fluxo de IED para a economia brasileira cresceu mais de 100% no ano passado, passando para US$ 58 bilhões ante U$$ 28 bilhões em 2020. (Valor)

Operação de Crédito para o BDMG 1: O Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (AIIB) aprovou dia 20-01-2022 sua primeira operação de crédito para o Brasil, no valor de US$ 100 milhões (R$ 546,5 milhões) para o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). Isso ocorre quatro meses depois de o Brasil ter se tornado sócio efetivo desse banco multilateral de desenvolvimento liderado pela China e com sede em Pequim. (Valor)

Operação de Crédito para o BDMG 2: A previsão é que os recursos sejam disponibilizados ao BDMG em três tranches entre 2022 e 2024 e utilizados para compor linhas de crédito para empresas de todos os portes. Não há limitação de porte para aplicação da linha. Porém, pelas características da operação, a expectativa é de alocação dos recursos especialmente em empresas de médio e grande porte. (Valor)

Operação de Crédito para o BDMG 3: Além do crédito de US$ 100 milhões, foi aprovada doação de US$ 1 milhão para o BDMG pelo Centro de Cooperação Multilateral para o Financiamento ao Desenvolvimento, mecanismo que visa promover investimentos de infraestrutura de alta qualidade e conectividade nos países em desenvolvimento por meio de parcerias.(Valor)

Cálculo do Déficit Primário: A Instituição Fiscal Independente (IFI), órgão de monitoramento da política fiscal ligado ao Senado, calcula que o déficit primário do governo central terminou 2021 em R$ 38,2 bilhões. Para este ano, a previsão é de um déficit maior, de R$ 106,2 bilhões. O cálculo para 2021 foi divulgado no Relatório de Acompanhamento Fiscal (RAF), e realizado com dados do portal Siga Brasil e da Secretaria do Tesouro Nacional (STN). (Valor)

Saldo Total da Carteira de Crédito 1: O saldo total da carteira de crédito deverá fechar 2021 com expansão de 16%, segundo a Pesquisa Especial de Crédito da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Se confirmada, o avanço do crédito será o maior desde 2012 (+16,4%) e acima do crescimento de 2020, que foi de 15,6%. (Valor)

Saldo Total da Carteira de Crédito 2: A Febraban destaca que as instituições financeiras disponibilizaram R$ 7,5 trilhões em crédito desde o início da pandemia, repactuaram 18,7 milhões de contratos e viabilizaram o pagamento de auxílio emergencial a 14 milhões de cidadãos brasileiros que não tinham atendimento bancário. Na pandemia, os bancos aumentaram o saldo em 52% de empréstimos para microempresas e 38% para pequenas empresas, concederam 212% a mais em recursos para o crédito rural e 51,6% a mais de empréstimos para compra da casa própria. (Valor)

Privatização da Eletrobras Avança 1: A Eletrobras convocou para 22 de fevereiro a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) que tratará dos termos da capitalização da companhia. O aval dos acionistas é uma das etapas a serem cumpridas antes da privatização da estatal elétrica, prevista para ocorrer no segundo trimestre. Os acionistas votarão se autorizam ou não a desestatização da companhia e uma série de outros pontos envolvidos na operação, como os detalhes da reestruturação societária que transferirá Itaipu Binacional e o controle da Eletronuclear para a Empresa Brasileira de Participações em Energia Nuclear e Binacional (ENBpar), estatal criada para absorver esses dois ativos. (Valor)

Privatização da Eletrobras Avança 2: A capitalização da Eletrobras ocorrerá por meio de um aumento de capital. A empresa emitirá novas ações por meio de uma oferta primária e a União renunciará ao direito que tem de subscrição. O objetivo é que a participação (direta e indireta) da União na companhia seja diluída dos atuais 72,33% do capital votante para 45% ou menos. Caso a oferta primária não seja suficiente para atingir o limite pretendido, será feita uma oferta secundária das ações ordinárias detidas pela União.  (Valor)

Compra e Venda de Imóveis: O registro de escrituras de compra e venda de imóveis em Cartórios de Notas aumentou com a plataforma eletrônica e-Notariado, lançada em junho de 2020. A transação on-line é feita por meio de videoconferência com o tabelião e com comprador e vendedor que, nesse formato, podem estar em locais distintos. Na comparação entre 2021 – primeiro ano no qual a plataforma eletrônica de atos notariais esteve disponível durante os 12 meses – com o ano anterior, o crescimento foi de 26,9%, chegando a 1.550.166 atos, maior aumento já registrado na série histórica iniciada em 2007. Já na comparação em relação à média dos últimos 10 anos e aumento foi de 17,5% no total de atos de compra e venda de imóveis praticados. (Valor)

Pec dos Combustíveis e da Energia Elétrica: O governo deve apresentar ao Congresso em fevereiro uma proposta de Emenda à Constituição (PEC) que permitirá a redução do valor dos combustíveis e da energia elétrica de maneira temporária em momentos de alta nos preços. A medida atende a um desejo do presidente Jair Bolsonaro, vem sendo tocada pelos Ministérios da Casa Civil e da Economia e discutida com deputados e senadores.  (Valor)

Isenção de Impostos Sobre Combustíveis: A Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis (Abicom) estima que a isenção de impostos federais proposta pelo governo para atenuar as altas nos preços dos combustíveis vai ter um impacto de R$ 0,69 sobre o litro da gasolina e de R$ 0,35 sobre o litro do diesel. No caso da gasolina, o impacto de zerar as alíquotas de PIS, Cofins e Cide chega a cerca de 10% do preço final, redução que seria de 6% no diesel, que já é isento da Cide. (Valor)

Regularização de Débitos do Simples: A Receita Federal prorrogou o prazo para regularização de pendências no Simples Nacional. Agora, interessados podem pagar os débitos até 31 de março, mas o período de adesão permanece até 31 de janeiro. (Valor)

Café para China: A China está entre os países que vêm se destacando entre os compradores do café do Brasil. O país asiático ainda não está entre os maiores importadores do grão brasileiro, mas, apenas no ano passado, as compras aumentaram 65%, chegando a 333,6 mil sacas. Ao todo, o Brasil exportou 40 milhões de sacas em 2021. (Valor)

Inflação

Relatório Focus Inflação: A mediana das projeções dos economistas do mercado para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2022 subiu, de 5,03% para 5,09%. Para 2023, também subiu, de 3,36% para 3,40%. Para 2024, permaneceu em 3,00%. (Valor)

Comentários sobre o IPCA: O IPCA, índice usado pelo Banco Central para a meta de inflação, mostrou alta de 0,76% em dezembro, fechando o ano em 10,06%. Apesar da descompressão em relação a novembro, o índice preocupa porque não ficou concentrado em energia e transportes como vinha acontecendo. No último mês do ano, alimentos e bebidas foram os maiores vilões. O aumento do índice de chuvas começa a melhorar a condição dos reservatórios, gerando um cenário mais tranquilo para a inflação de 2022. (Mercado & Consumo)

IBC-BR: O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) subiu 0,69% em novembro de 2021, na comparação dessazonalizada com outubro, conforme divulgado pela autoridade monetária. Em outubro, o indicador registrou queda de 0,28% (dado revisado de baixa de 0,4%). Já no acumulado de 12 meses até novembro, o IBC-Br subiu 4,30%. No acumulado de 2021 até novembro, na comparação com o mesmo período do calendário anterior, o índice subiu 4,59%. (Valor) 

IPC-S Desacelera: A desaceleração da inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) na segunda medição de janeiro de 2022 foi verificada em seis das sete capitais pesquisadas, informou o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre). O indicador geral marcou alta de 0,43% no período, após subir 0,53% na leitura inicial do mês. (Valor)

Governo e Ambiente Político

Campanha Contra Vacinas: O número devia ser maior, mas o governo federal está em campanha contra as vacinas infantis — de acordo com o Datafolha, 79% dos brasileiros apoiam a imunização de crianças entre 5 e 11 anos de idade. O processo começa, oficialmente, esta semana, mas a distribuição das doses de Pfizer infantil teve complicações no sábado e domingo. O Ministério da Saúde contratou uma empresa sem qualquer experiência com transporte de vacinas, e o resultado é que, pelo menos quatro estados, acusaram ter recebido o material em condições inadequadas. A IBL (Intermodal Brasil Logística) assinou um contrato com dispensa de licitação, no valor de R$ 62,2 milhões, em dezembro. O ministério afirma que não houve dano. (Folha) (Meio)

Voto Evangélico Dividido: Público cativo de Bolsonaro em 2018, o eleitorado evangélico entra 2022 dividido. A última pesquisa Genial/Quaest mostra que o ex-presidente Lula (PT) tem 35% das intenções de votos nesse segmento, em empate técnico com os 35% de Bolsonaro. Segundo a Coluna do Estadão, além da crise econômica, uma explicação para a perda de popularidade do presidente entre evangélicos estaria nas imagens de sua longa folga de fim de ano em Santa Catarina, onde apareceu dançando um funk machista ao lado de uma mulher de biquíni e andando de jet-ski. Para os religiosos, teria ficado a ideia de que o presidente tem pouco apreço ao trabalho e que o discurso conservador é da boca para fora. (Estadão) (Meio)

Chapa Lula/Alckmin: A despeito dos ruídos recentes, aliados do ex-presidente Lula (PT) e do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (sem partido) consideram que a chapa com os dois para as eleições do ano que vem está “pavimentada”. Nas últimas semanas, petistas favoráveis à aliança procuraram o ex-tucano para explicar a defesa de Lula à revisão da reforma trabalhista, que preocupou empresários. O anúncio oficial da chapa é esperado para fevereiro. Mas a resistência interna ainda é grande. Rui Falcão, ex-presidente do PT, diz que Alckmin é a “contradição de tudo” o que o partido já fez e pretende fazer e que as prioridades de um futuro governo petista não podem ser “determinadas pela Faria Lima”. (Folha) (Meio)

Visão do Universo Paralelo: O presidente Bolsonaro (PL) defendeu a reforma trabalhista feita no governo Michel Temer (MDB) e afirmou que ela não retirou direito dos trabalhadores. A possível anulação ou ao menos alteração da reforma trabalhista ganhou centralidade no discurso de aliados de Lula, que é pré-candidato petista à presidência. (Valor)

Aumenta Poder do Centrão Sobre Orçamento: Um decreto firmado pelo presidente Bolsonaro reduziu os poderes do Ministério da Economia para promover alterações no Orçamento. De acordo com o texto, publicado ontem no “Diário Oficial da União”, será necessário a partir de agora o aval da Casa Civil para que as mudanças sejam efetivadas. Na prática, transfere-se de Paulo Guedes para Ciro Nogueira, senador eleito e presidente licenciado do PP, a última palavra no governo sobre atos de abertura ou remanejamento de despesas dos ministérios. A medida reflete uma disputa entre a ala política do governo e o ministro Paulo Guedes em torno da condução dos gastos públicos no ano eleitoral. (Valor)

Aloizio Mercadante, presidente da Fundação Perseu Abramo (PT): “[A prioridade] é [combater] a fome e a pobreza. Como é que a gente vai gerar emprego e renda, como a gente vai colocar a emergência climática e o aquecimento global no centro de uma política de desenvolvimento porque [hoje] está totalmente fora das prioridades do Brasil. Como vamos tratar o tema do endividamento das famílias, como vamos equacionar isso”. (Valor)

Em Busca do Voto Evangélico: Disposto a recuperar a primazia sobre o eleitorado evangélico, o presidente Jair Bolsonaro (PL) pode comprar uma briga com parte da base apoio no Congresso e com o filho mais velho. Em entrevista a uma rádio, ele condenou a legalização dos jogos de azar no país, anátema para os evangélicos, e prometeu vetá-la caso o Congresso a aprove. A proposta tem apoio de ampla fatia do Centrão e do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) e deve ser votada na Câmara em fevereiro. Na entrevista, o presidente lembrou que o congresso pode derrubar seu veto. Segundo as últimas pesquisas, Bolsonaro está tecnicamente empatado com o ex-presidente Lula (PT) entre os evangélicos, que não reagiram bem a sua longa folga de fim de ano. (Estadão) (Meio)

União Brasil Quer Moro: O União Brasil, resultado da fusão de DEM e PSL, que tirar Sérgio Moro do Podemos, mas sem briga, segundo a coluna de Lauro Jardim. Os líderes da nova legenda, dona da maior fatia do fundo eleitoral, acreditam que um candidato à presidência competitivo ajudará a eleger uma bancada expressiva no Congresso. Em troca, oferecem a vaga de vice à deputada Renata Abreu (SP), presidente nacional do Podemos. (Globo) (Meio)

Arquivamento de Inquérito: Atendendo ao pedido do MPF, a Justiça Federal da 3ª Região arquivou o inquérito que investigava o empresário Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, por supostos repasses ilegais da Oi às empresas do grupo Gamecorp, revela Mônica Bergamo. O MPF justificou o pedido pela falta de indícios de crime e pela suspeição decretada pelo STF do então juiz Sérgio Moro, que determinou a quebra dos sigilos do filho do ex-presidente Lula (PT). (Folha) (Meio)

Regime de Recuperação Fiscal do Rio é Rejeitado 1: Depois de a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) terem se manifestado pela rejeição do plano de reequilíbrio das contas do Rio, o Estado fez uma defesa veemente do pacote de ajuste fiscal sancionado, em 2021, pelo governador Cláudio Castro (PL). O Palácio Guanabara promete judicializar o caso se o ingresso do Rio ao novo Regime de Recuperação Fiscal (RRF) for vetado, como recomendam os pareceres técnicos da STN e da PGFN. (Valor)

Regime de Recuperação Fiscal do Rio é Rejeitado 2: Ao defender novo plano apresentado, o governador Cláudio Castro (PL) afirmou que um regime de recuperação fiscal não deve se limitar ao pagamento de dívida e que o ajuste fiscal não pode representar o “extermínio do serviço público e do servidor público”. Segundo ele, não permitir o ingresso do Rio ao novo RRF, neste momento, é “uma maldade”. (Valor)

Pais Querem Vacinar os Filhos: Levantamento da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) aponta que a grande maioria dos pais deseja vacinar seus filhos contra covid-19. Em comunicado sobre a pesquisa, chamada pela instituição de “VacinaKids” e realizada entre 17 de novembro e 14 de dezembro pelo Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) com 15.297 participantes, a fundação detalhou que mais de 80% dos entrevistados informaram a intenção de imunizar seus filhos contra a doença. (Valor)

Busca por Tecnologias de Espionagem: Representantes do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) aproveitaram a viagem presidencial a Dubai em novembro para contatar a empresa israelense DarkMatter, que produz um software de espionagem. O Zero Dois é apontado como um dos coordenadores do Gabinete do Ódio, um grupo montado para atacar na internet adversários do presidente Bolsonaro. O software da DarkMatter é capaz de invadir computadores e celulares de alvos, inclusive desligados. Não é a primeira ação do vereador nesse sentido. Em abril do ano passado, ele tentou intervir numa licitação do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) para forçar a compra de outro software espião israelense, o Pegasus. (UOL) (Meio)

Olavistas Atacam o Centrão: Jair Bolsonaro (PL) ficou muito irritado com o ataque de seus antigos apoiadores, os olavistas, aos atuais, o Centrão. No dia 17-01-2022, durante um programa conservador no YouTube do qual participam, os ex-ministros Abraham Weintraub (Educação) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores) não economizaram críticas às atuais alianças de Bolsonaro, embora não diretamente ao presidente. Os ataques começaram quando o pastor Silas Malafaia, convidado do programa, acusou os ministros oriundos do Centrão de não se empenharem na aprovação de André Mendonça para o STF. Weintraub emendou: “Um grande obstáculo que nós conservadores estamos passando, estamos sendo atacados continuamente, e fomos substituídos por essa turma do Centrão.” Bolsonaro ficou duplamente irritado. Primeiro porque seu governo depende cada vez mais do Centrão, e ele próprio se filiou a um partido do grupo. Segundo porque Weintraub, que acaba de voltar para o Brasil, insiste em se lançar candidato ao governo de São Paulo, posto no qual o presidente quer seu ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. (Globo) (Meio)

Pressão Sobre Doria: Se o governador paulista João Doria pensava que vencer as prévias do PSDB pacificaria internamente sua campanha à presidência, pensou errado. Seu principal adversário na consulta, o governador gaúcho Eduardo Leite defendeu em entrevista que Doria desista da candidatura caso continue empacado em quinto lugar nas pesquisas. Uma parte dos tucanos já ensaia uma dissidência em favor da senadora Simone Tebet (MS), pré-candidata do MDB, embora ela tenha um desempenho pior que o de Doria nas pesquisas. (Folha) (Meio)

Rachadinhas Premiadas: Fabrício Queiroz, aquele mesmo dos cheques para a primeira-dama e das suspeitas de rachadinha do Zero Um, tem grandes planos para 2022. O ex-PM negocia a filiação ao PTB para se candidatar à Câmara e prevê que, se contar com o apoio da família Bolsonaro, será o “deputado mais votado do Rio de Janeiro”. (Estadão) (Meio)

Exames Toxicológicos para Estudantes e Políticos: O presidente Bolsonaro (PL) questionou a exigência dos exames toxicológicos para caminhoneiros. Em conversa com apoiadores, o chefe do Executivo indicou que a medida deveria ser cobrada de outras profissões, como políticos e estudantes universitários. (Poder 360)

Moro Pode Trocar de Partido: Para turbinar a campanha do ex-juiz Sérgio Moro a presidente, a direção do Podemos tenta avançar na negociação para que o ex-magistrado deixe o partido e se filie ao União Brasil, legenda que será formada este ano pela fusão entre PSL e DEM, mas que ainda depende de aprovação da Justiça Eleitoral.Desde o fim de 2021, o Podemos tem sofrido dissidências em alguns Estados. Correligionários no Paraná, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Mato Grosso e Bahia já indicaram apoio às candidaturas de Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva.  (Valor)

Poder do PL no Governo: O presidente Jair Bolsonaro cedeu à pressão da cúpula do PL e avalizou a indicação do diretor financeiro e de crédito do Banco do Nordeste (BNB), José Gomes da Costa, para assumir a presidência da instituição, um dos cargos mais concorridos entre aliados da base governista. O BNB será estratégico na condução do futuro programa de microcrédito que o governo vai lançar, de forte apelo popular, entre fevereiro e março. Há expectativa de que o microcrédito alavanque a popularidade do presidente, que está em baixa nas pesquisas sobre a sucessão presidencial. (Valor)

Telegram na Berlinda: Escaldada pelos disparos em massa de mensagens e pela disseminação de notícias falsas nas eleições de 2018, a Justiça Eleitoral estuda para este ano uma medida drástica: suspender o funcionamento no Brasil do aplicativo russo Telegram. A plataforma, presente em 53% dos smartphones no país, foi abraçada entusiasticamente pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) e por seus seguidores, diante das restrições impostas por aplicativos como WhatsApp e Twitter. O banimento do Telegram valeria até que a empresa instalasse uma representação no Brasil. Sem isso, por exemplo, a Justiça não tem como notificá-la em caso de abusos. O Telegram permite grupos de até 200.000 participantes e não limita o disparo de mensagens. Em dezembro, o presidente do TSE tentou contato com o CEO da empresa russa, Pavel Durov, para discutir estratégias contra a desinformação. Ainda não obteve resposta. (Veja) (Meio)

Defesa da Aliança Lula/Alckmin: Criticada por setores do PT, a aliança com o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin foi defendida ontem pelo próprio ex-presidente Lula. “Espero que o Alckmin esteja junto, sendo vice ou não sendo vice”, disse ele, em entrevista a sites de esquerda. O petista minimizou as divergências com Alckmin e ressaltou que o governador já se posicionou contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o governador João Doria (PSDB). Lula chegou mesmo a fazer um elogio aos tucanos antigos, seus adversários em cinco eleições, dizendo que o partido de Doria não era “o PSDB social-democrata” de Mario Covas, Fernando Henrique Cardoso e José Serra. (UOL) (Meio)

Um Fundo Eleitoral Bilionário: A Advocacia-Geral da União (AGU) defendeu, em resposta ao Supremo Tribunal Federal (STF), a constitucionalidade do fundo eleitoral de R$ 4,9 bilhões para o pleito de 2022, previsto no Orçamento da União. O valor é contestado pelo Partido Novo, que defende um fundo de R$ 2,1 bilhões, proposta original do governo. No sentido oposto, parlamentares querem levar o fundo de volta aos R$ 5,7 bilhões aprovados na Lei de Diretrizes Orçamentárias. (g1) (Meio)

Sigilo por Cem Anos: Uma comissão formada por servidores do alto escalão de sete ministérios do governo federal decidiu manter o sigilo de 100 anos imposto ao processo do Exército que não puniu o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello por participar de um ato político ao lado de Bolsonaro (PL). A conduta é vedada pelo código militar, mas, pelo sigilo imposto aos documentos, não é possível saber o que motivou a decisão de não punir o general da ativa. (Carta Capital)

Federação Partidária PT/PSB: O PT e o PSB articulam, desde o segundo semestre de 2021, a criação de uma federação partidária. Mas disputas regionais e desconfianças mútuas sobre o poder de cada legenda ameaçam inviabilizar a união. A ideia original era reunir as siglas para eleger mais deputados federais e ampliar as bancadas na Câmara. A intenção faz parte dos planos de Lula para construir uma base de sustentação robusta na hipótese de ser eleito presidente. (Valor)

MST Não Tem Objeções à Alckmin: O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) sinalizou a Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não ter objeção ao nome do ex-governador Geraldo Alckmin como vice e reforçou a mensagem de que embarcará na campanha do petista à Presidência de qualquer maneira. O MST, que deverá ter papel relevante no núcleo central da candidatura de Lula e na definição de estratégias de mobilização popular, também tem reiterado a necessidade de apresentar um programa com forte teor social e chamar a atenção para a eleição de congressistas à esquerda. (Valor)

Cidadania Busca Federação 1: A Executiva Nacional do Cidadania decidiu dia 19-01-2022, em reunião com dirigentes estaduais, que o partido deve compor uma federação com outra legenda pelos próximos quatro anos. Podemos, PSDB, MDB e PDT são as siglas com quem o partido comandado por Roberto Freire pode selar a aliança. (Valor)

Cidadania Busca Federação 2: Com uma das menores bancadas da Câmara, o Cidadania pode ficar sem tempo de propaganda de rádio e televisão e sem acesso ao fundo partidário nas eleições dos próximos anos, caso não consiga eleger pelo menos 11 deputados federais em 2022. A aliança com outras siglas poderia aumentar as chances de atingir a cláusula de desempenho. (Valor)

Moro X Gilmar Mendes: O ex-ministro Sérgio Moro (Podemos) voltou as baterias contrato o ministro Gilmar Mendes, que se converteu de entusiasta a crítico da Lava-Jato. Em entrevista no YouTube a Felipe Moura Brasil, Moro disse que Gilmar “erra muito ao se despir do papel de magistrado” e proferir “essas decisões que afetam o combate a corrupção”. O ministro foi o relator do processo que culminou com Moro sendo declarado suspeito e suas decisões em relação ao ex-presidente Lula anuladas. Sobre o petista, aliás, o ex-juiz foi taxativo: “Ele foi lá cumprir a pena, onde ele deveria estar até hoje: cumprindo essa pena”. (UOL) (Meio)

Não Sabiam de Nada: Havia rachadinha nos gabinetes de Jair Bolsonaro e de seus filhos, mas eles não sabiam de nada. Essa é a versão relatada à repórter Laryssa Borges por Waldir Ferraz, o Jacaré, ex-assessor e um dos amigos mais antigos e próximos do presidente. Segundo ele, o esquema de desvio de salários de funcionários dos gabinetes de Bolsonaro na Câmara e de seus filhos Flávio, na Alerj, e Carlos, no Legislativo carioca, era obra de Ana Cristina Valle, segunda mulher do presidente. “O Bolsonaro deixou tudo na mão dela para ela resolver. Ela fez a festa”, disse, afirmando ainda que ela chantageia o presidente até hoje. Ana Cristina nega. “Não sou mentora da rachadinha. Quem assina as nomeações e exonerações é o parlamentar. Não faz sentido assinar sem ler”, diz. (Veja) (Meio)

Busca por um Modelo de Desenvolvimento: A presidente nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), defendeu mudanças na política fiscal e na legislação trabalhista. Em meio a críticas ao teto de gastos, Gleisi afirmou que o PT é contra “qualquer tipo de âncora fiscal” e afirmou que o equilíbrio fiscal deve se dar por meio do modelo de desenvolvimento. (Valor)

Pedido de Mais Prazo para Formação de Federações: Partidos do campo da esquerda que pretendem formar uma federação para disputar as eleições neste ano vão entrar com recurso na próxima semana no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo prolongamento de prazo. Pela regra atual, as legendas têm até 1º de março para solicitar o registro formal da criação das associações. O pedido será assinado pelo PT, PSB, PCdoB e PV. A avaliação das legendas é de que é praticamente inviável formalizar a junção partidária até o fim do próximo mês.  (Valor)

Ambiente Social, Emprego e Renda

Estilo de Vida e Pandemia: O estilo de vida recluso provocado pela pandemia é necessário, mas nem por isso benéfico para o resto da nossa saúde. Uma pesquisa feita nas capitais pelo Instituto de Estudos para Políticas de Saúde (IEPS) mostrou, por exemplo, que 21,5% dos adultos terminaram 2020 obesos, contra 20,3% em 2019. O consumo de álcool e de alimentos ultraprocessados e a diabetes em adultos também cresceram. A boa notícia foi uma redução no tabagismo. (Estadão) (Meio)

Greve na Eletrobras: A Eletrobras confirmou que os sindicatos que representam os empregados informaram a holding sobre greve, a partir de 17-01-2022, por tempo indeterminado. Segundo a companhia, há planos de contingência para que serviços essenciais não sejam descontinuados. De acordo com a Associação dos Empregados da Eletrobras (AEEL), o motivo da mobilização é a mudança no plano de saúde da empresa. Em nota, a associação afirmou que o plano proposto pela estatal do setor elétrico tem cobranças abusivas. (Valor)

Aumenta o Número de Endividados: A parcela de endividados na Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), teve média anual de 70,9% em 2021, ante 66,5% em 2020. A fatia de endividados, referente a 2021, foi o maior patamar anual para a pesquisa desde começo da série da Peic, em 2010. Em números absolutos, o contingente de endividados atingiu 12.441.098 famílias, também volume recorde para o levantamento. Na prática, isso significa que, a cada 10 famílias, 7 contraíram algum tipo de dívida com o sistema financeiro em 2021. (Valor)

Inadimplência Cai Ligeiramente: O ano de 2021 mostrou melhora em indicadores de inadimplência, ante 2020. No ano passado, 25,2% de famílias endividadas informaram débitos em atraso, abaixo de 2020, quando essa parcela, para essa resposta, ficou em 25,5%. Além disso, as famílias que declararam contas em atraso, e sem condição de quitar seus débitos ficou em 10,5% no ano passado, abaixo dos 11% observados em 2020. (Valor)

Maioria Deve no cartão de Crédito: Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) o cartão de crédito foi a modalidade mais citada entre as famílias endividadas, respondendo por 82,6% do total, em 2021. (Valor)

Dívidas a Mais de Um Ano Aumentam: Na Peic de 2021 foi apontado que no segundo semestre a proporção de endividados com dívidas acima de 1 ano alcançou em dezembro de 2021 a proporção máxima de 36,3% de famílias endividadas. No entendimento da CNC, tal fato indica que, no encerramento do ano passado, aumentou a necessidade de alongamento de dívidas com o sistema financeiro, das famílias endividadas. (Valor)

Protestos por Aumento de Salário: Gritando palavras de ordem contra o presidente Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, servidores federais fizeram dia 18-01-2022 um protesto em Brasília cobrando reajuste salarial de 28%. Os atos reuniram tanto a chamada “elite” do funcionalismo, como servidores do BC e da Receita, quanto professores federais, cuja média salarial é de R$ 3,8 mil. O estopim do protesto, que pode se desdobrar em greve no mês que vem, foi a previsão de aumento somente para a área de segurança, base de apoio de Bolsonaro. O vice-presidente Hamilton Mourão já avisou que não há dinheiro. (Metrópoles) (Meio)

Reajuste das Aposentadorias: O governo federal oficializou que os segurados da Previdência Social que recebem um benefício acima do salário mínimo terão um reajuste de 10,16%, conforme o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Com isso, o teto dos benefícios pagos pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) passa a ser de R$ 7.087,22 (antes era de R$ 6.433,57). (Valor)

Profissões em Alta: Aperfeiçoar a experiência dos usuários, os sistemas de análises de dados e cibersegurança e garantir um ótimo funcionamento das redes sociais se tornaram prioridades para as empresas em um momento de adaptação aos escritórios híbridos e à digitalização das atividades, ressalta o levantamento do LinkedIn. Por isso, engenheiros de software, cientistas de dados, especialistas em segurança cibernética e gestores de tráfego são alguns dos cargos que mais serão demandados em 2022. Com tantas oportunidades voltadas para TI e análise de dados, surge também a necessidade de recrutadores especializados em tecnologia (tech recruiters) o que explica o motivo deste cargo ocupar a primeira posição do ranking no Brasil. (Valor)

Meio Ambiente e Energia

Desmatamento da Amazônia: O desmatamento na Amazônia em 2021 foi o maior em dez anos, com crescimento de 29% em relação ao ano anterior, segundo dados do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). A região perdeu 10.362 km2 de mata nativa, o que equivale à metade do estado de Sergipe. Quase a metade, 47%, dessa destruição aconteceu em florestas públicas federais. Outro alvo dos desmatadores foram as unidades de conservação federais. Um dos motivos apontados por especialistas foi a redução desde 2019 das operações e multas de órgãos ambientais como Ibama. (Jornal Nacional) (Meio)

Bioeconomia do Baru: O baru, uma castanha pouco conhecida no Brasil mas já muito valorizada em alguns mercados nos Estados Unidos, pode se transformar em um ícone da bioeconomia do Cerrado e um símbolo de política ESG, a sigla que sintetiza o tripé ambiente, social e governança em moda no setor privado. Para isso é preciso fortalecer sua cadeia de produção, com transparência e diálogo entre os elos, para que os benefícios sejam repassados às comunidades extrativistas e o bioma continue em pé. O quilo do baru é vendido a um preço quase cem vezes maior nos EUA do que o pago ao agricultor familiar do Cerrado. (Valor)

Ambiente Empresarial e Tecnológico

Abusos do Facebook 1: O Facebook enfrenta uma ação coletiva no Reino Unido de mais de US$ 3,2 bilhões (R$ 17,7 bi) por abuso de domínio de mercado ao explorar os dados pessoais de 44 milhões de usuários. (Folha) (Meio)

Abusos do Facebook 2: A Comissão Federal de Comércio dos EUA investiga a Meta, controladora do Facebook, por violações antitruste em sua divisão de realidade virtual, uma das principais áreas de investimento da companhia para a construção de um metaverso. (Bloomberg) (Meio)

Concentração de Capital na Saúde: O número total de operadoras de planos de saúde vem caindo no Brasil, com movimento constante de aquisições entre as empresas. A queda foi de 47% entre 2011 e 2020, quando a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) encerrou o ano registrando 711 empresas. Os dados constam de um estudo do Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência (Cade), que passou a olhar com mais atenção os possíveis efeitos negativos ao ambiente concorrencial da integração vertical entre operadoras de planos de saúde e hospitais. (Valor)

Ascensão dos Carros Elétricos: Mais de 20% dos novos carros vendidos, em dezembro, em 18 países europeus, incluindo o Reino Unido, eram movidos exclusivamente a bateria, segundo dados compilados para o “Financial Times” por Matthias Schmidt, um analista independente especializado no setor automotivo. As vendas de carros a diesel, incluindo híbridos a diesel, representaram menos de 19% do total. Então, as vendas de carros elétricos na Europa em dezembro superaram as de modelos a diesel pela primeira vez. (Valor) 

Energia Eólica em Alto-Mar 1: Os potenciais investidores do segmento de eólicas em alto-mar (offshore) aguardam as definições regulatórias do governo para começar a corrida para pôr em andamento os projetos nos mares do Brasil com a segurança jurídica característica do setor elétrico. A Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica) tem pressa para que as principais diretrizes regulatórias de contratação de eólicas offshore saiam, já que investidores internacionais se interessam pelo Brasil. A entidade ajuda na estruturação econômica e regulatória para receber os investimentos e acredita que em 2023 seja possível viabilizar o primeiro certame. (Valor)

Energia Eólica em Alto-Mar 2: A indústria eólica já tem maturidade, mas o Brasil precisa arranjar a infraestrutura de portos e de transmissão, já que os projetos têm uma escala muito grande, e a retomada da economia precisa vir com fôlego para que os investimentos se acelerem. (Valor)

Programas de Recompra de Ações em Alta 1: Bolsa em queda, ações com preços atrativos, empresas capitalizadas e menos endividadas. A combinação desses fatores levou a um forte crescimento na abertura dos programas de recompra de ações em 2021, especialmente no segundo semestre, quando a desvalorização dos papéis se acentuou. Foram 108 programas abertos no ano passado, segundo a base de dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O número representa alta de 44% em relação aos 75 anunciados em 2020. Dezembro, com 18, foi o mês com mais recompras anunciadas. E janeiro parece manter o ritmo, com nove anúncios até dia 17-01-2022. (Valor)

Programas de Recompra de Ações em Alta 2: A recompra é uma forma das empresas de capital aberto darem mais recursos ao acionista. Os papéis recomprados reduzem a quantidade em circulação e, dessa forma, costumam aumentar o valor por ação pago na forma de dividendo. A ferramenta também é usada pelas companhias para sinalizar ao mercado confiança na valorização do próprio negócio. (Valor)

Compra Bilionária: A Microsoft comprou a Activision Blizzard por US 68,7 bilhões. A editora é responsável por algumas das maiores franquias de games, como Call of Duty, World of Warcraft, Overwatch e Candy Crush. Trata-se da maior aquisição já feita nos setores de tecnologia e jogos, superando os US$ 67 bilhões pagos pela Dell na compra da EMC, em 2015. Com o acordo, a Microsoft se torna a terceira maior empresa de jogos do mundo em receita, atrás da chinesa Tencent e da japonesa Sony, fabricante do PlayStation. O CEO da Microsoft, Satya Nadella, disse que “os jogos são a categoria mais dinâmica e empolgante do entretenimento em todas as plataformas hoje e devem desempenhar um papel fundamental no desenvolvimento de plataformas metaverso”. (Guardian) (Meio)

Empresas Mais Sustentáveis: Apenas três empresas brasileiras ocupam a lista de 2022 das 100 empresas mais sustentáveis do mundo, segundo a Corporate Knights, consultoria canadense que avalia e classifica as companhias com base em critérios ambientais, sociais e de governança (ESG). No ranking, estão o Banco do Brasil (22ª posição), a Engie Brasil (23ª posição) e a Natura & Co Holding (88ª posição). (Valor)

Quem ganha e quem perde? Numa palestra proferida na NRF, a feira das grandes varejistas americanas, a CEO da Best Buy, Corie Barry, listou o que considera as cinco maiores tendências do mercado neste momento. A primeira, para clientes e funcionários, é segurança — as pessoas estão preocupadas em se sentirem seguras e, nos negócios, executivos têm de estar atentos. Então vem conveniência: alguns clientes querem receber o que compram em casa, outros querem comprar online e pegar na loja no mesmo dia, há quem goste de passear pelas aleias. O cliente determina. Em terceiro, conforto digital. Consumidores querem ser surpreendidos com novas facilidades, a experiência tem de ser estupenda. Enquanto isso, colaboradores querem mais controle de suas carreiras e esperam do empregador noções claras de quais suas possibilidades futuras. E, em quinto, dados. Todo mundo tem muitos dados sobre clientes, mas poucos conseguem extrair deles informações valiosas e convertê-las em mais vendas. Este salto é que determinará quem ganha e quem perde no jogo da sobrevivência. (NRF) (Meio)

Garrafa no Mar: Tecnologia e solidariedade se unem em favor de quem ficou em dificuldades financeiras por conta da pandemia de covid-19. Desenvolvido pelo carioca Alexandre Caruso, o aplicativo Garrafa no Mar permite que pessoas com contas em atraso de serviços essenciais, como água e energia, cadastrem seus boletos mais urgentes. Bons samaritanos de qualquer lugar do mundo pegam os códigos de barras e pagam as contas, sem intermediação de Caruso. Em menos de dois anos, já são mais de R$ 500 mil em contas pagas. Uma das beneficiadas foi a paraibana Maria da Guia Santana, que, desempregada, cadastrou cinco contas de água de R$ 40 a R$ 54. “Quando recebi o e-mail do projeto informando que uma delas estava paga, já senti uma emoção tão grande que chorei e ri agradecida”, lembra. (Estadão) (Meio)

Ondas Eletromagnéticas Transformadas em Energia: Uma startup do interior de São Paulo chamada IBBX criou uma tecnologia que transforma ondas eletromagnéticas, que estão no ar, em energia móvel, sem fios. A façanha permite, por exemplo, carregar um celular com ondas eletromagnéticas que estão presentes em qualquer local que tenha equipamentos eletrônicos. Pode ser em casa, na empresa, em fábricas ou na avenida Paulista, onde há uma grande quantidade dessas ondas devido às antenas instaladas na região. (Valor)

Implantes Cerebrais: A empresa de implantes cerebrais de Elon Musk, Neuralink, está contratando um diretor de ensaios clínicos, uma indicação de que o objetivo de longa data de implantar chips em cérebros humanos está se aproximando. O cargo de diretor de testes supervisionaria os testes humanos há muito prometidos pela startup. (Valor)

Problemas do 5G: A tecnologia 5G já está aí para revolucionar a forma como a internet se integra a nossas vidas. Mas não para todos. No Brasil, somente 1% dos municípios já têm leis que viabilizem a implementação da tecnologia. Um dos principais problemas é a legislação de instalação de antenas. “Como a nova tecnologia precisa de cinco vezes mais antenas que o 4G, a infraestrutura existente pode não ser suficiente para todas as fases futuras”, explica Luciano Stutz, presidente da Associação Brasileira de Infraestrutura para Telecomunicações (Abrintel). Entre as capitais, somente Rio, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Palmas e Porto Alegre já adequaram a legislação. (CNN Brasil) (Meio)

Carta Anual de Larry Fink: Em sua tradicional carta anual, enviada a lideranças globais, Larry Fink, presidente do conselho de administração e CEO da BlackRock, defendeu que nenhuma relação foi mais alterada pela pandemia do que aquela que sustenta os vínculos entre empregadores e funcionários. Para Fink, acabou o mundo onde as empresas esperavam que os trabalhadores frequentassem o escritório cinco vezes por semana, onde saúde mental não era discutida nos locais de trabalho e onde promoções para profissionais com rendimentos baixos e médios não ocorriam. Os trabalhadores hoje exigem mais e exigem principalmente maior flexibilidade, bons salários e trabalhos mais significativos, diz o executivo.  (Valor)

Larry Fink: “Além de melhorar nossa relação com o local onde trabalhamos fisicamente, a pandemia também evidenciou questões como igualdade racial, cuidados infantis e saúde mental – e revelou a lacuna entre as expectativas geracionais no trabalho. Esses temas agora são o centro das atenções dos CEOs” (Valor)

Ryan Holliday, escritor e dono de livraria nos EUA: “A leitura é o caminho mais curto e consagrado para o total autoaperfeiçoamento”. (Valor)

Custo da Dívida das Empresas Dispara: As empresas que acessaram o mercado de capitais para emitir dívida em 2021 aproveitando o cenário favorável de Selic muito baixa verão seus custos com despesas de juros quase dobrar em 2022. Isso porque, dos R$ 250 bilhões de recursos captados no ano passado por meio de emissões de debêntures, 76% estão atrelados ao CDI. (Valor)

Energia Eólica: Brasil atingiu a marca de 21 gigawatts (GW) de potência instalada da fonte eólica. São mais de 9 mil aerogeradores em operação em 777 parques eólicos distribuídos em 12 Estados do Brasil. Segundo a Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), há mais de 532 MW que já estão em operação de testes e devem entrar em operação comercial nas próximas semanas. A energia eólica é a segunda fonte mais utilizada no Brasil para a geração de energia elétrica, com 11,5% de presença na matriz elétrica brasileira, atrás apenas das hidrelétricas. (Valor)

Ambiente Internacional

Situação Econômica dos EUA 1: A inflação não dá trégua nos EUA. O número de janeiro assustou o mercado e atingiu o patamar de 7% anual. O core, que exclui alimentos voláteis e energia, bateu 5,5%, o maior desde junho de 1982, com a diferença que, naquela época, a inflação vinha em queda de um pico de mais de 14%. As quebras nas cadeias produtivas, o excesso de incentivos do governo e o mercado de trabalho aquecido são os principais causadores do pico inflacionário. A inflação já está generalizada e 50% dos empresários afirmaram que vão aumentar os preços, o que deve castigar os salários. Mesmo com aumento nominal no mercado de trabalho, já é possível ver boa parte dos setores tendo aumento real negativo. (Mercado & Consumo)

Situação Econômica dos EUA 2: O FED, Banco Central americano, deve começar a agir mais rápido e os juros já devem subir no primeiro trimestre, ainda que de forma gradual. A compra de títulos deve ser suspensa com maior velocidade, abrindo espaço para subida. Depois de errar por algum tempo, dizendo que inflação era temporária, a autoridade monetária vai ter que forçar a mão, o que deve fazer com maior força apenas em 2023. (Mercado & Consumo)

Situação Econômica dos EUA 3: Os dados de vendas no varejo dos EUA mostraram queda significativa de 1,9% em dezembro, dando um sinal inequívoco de influência da variante Ômicron nos negócios. Eletrônicos tiveram queda de 2,9% e móveis, de 5,5%, influenciados pelo efeito “rebote” das promoções de novembro. A variante Ômicron atinge não apenas pelo lado da demanda, mas pelo lado da oferta. Os lojistas já sentem falta de produtos por conta de paralisações em fábricas, principalmente fora dos EUA. Outro fator importante, mais estrutural é a inflação, que está minando o poder de compra, principalmente dos mais pobres. (Mercado & Consumo)

Corte de Juros na China: O corte na taxa de empréstimo de médio prazo anunciado pelo Banco Central Chinês (PBoC) horas antes da divulgação de indicadores econômicos do país asiático foi bem recebido pelo mercado financeiro e dá continuidade às medidas já anunciadas em dezembro, sinalizando que estímulos adicionais estão por vir. Ainda assim, os impactos na economia real parecem limitados, diante dos ventos contrários tanto do lado da oferta quanto da demanda, que resultaram na desaceleração do Produto Interno Bruto (PIB) na reta final de 2021. (Valor)

Competição no Espaço: Os Estados Unidos, China, Rússia, Índia, Japão e Coreia do Sul estão planejando missões lunares a partir de 2022. Esses lançamentos lunares revelam uma crescente competição cósmica por recursos, superioridade tecnológica e glória nacional, com potencial para amplificar as crescentes tensões políticas internacionais na Terra. As missões também exigem grandes investimentos, que parecem ainda mais onerosos em tempos de Covid-19. (Valor) 

Pagando o Preço pela Ignorância: Contrária às vacinas, a cantora tcheca Hana Horka teve a brilhante ideia de se contaminar deliberadamente com covid-19 para conseguir um passaporte de imunização e sair em turnê com sua banda, a Asonance. Ela morreu no último domingo, aos 57 anos. (g1) (Meio)

Esperteza para Escapar dos Impostos: Em 1966, as corporações e as pessoas físicas contribuíam de maneira igual no pagamento de impostos nos Estados Unidos: cada um entrava com 50%, segundo Scott Galloway, escritor de negócios e professor de marketing da Escola Stern, da Universidade Nova York. Cinquenta anos depois, essa divisão equânime, seja ela justa ou não, foi para o ralo. Nos EUA, pessoas físicas pagam 8 vezes mais impostos do que as corporações, como conta Galloway numa de suas apresentações no YouTube, chamada “Chart of the Week” (Gráfico da Semana). Como isso aconteceu? Espanta-se o escritor no vídeo. A resposta: houve uma explosão de offshores na economia americana. Offshore, não custa repetir, é uma figura legítima para negócios complexos em vários países, mas passou a ser usada para fugir do pagamento de impostos. Como as corporações são mais espertas e têm mais recursos para escapar dos impostos do que as pessoas físicas, a conta sobrou para o cidadão comum. (Poder 360)

Índia Incentiva Fabricantes de Chips: A Índia lançou um programa de 760 bilhões de rúpias (US$ 10,2 bilhões) em incentivos para atrair fabricantes globais de chips, uma medida que faz parte de um plano do governo para tornar o país em um centro de produção de alta tecnologia. O novo pacote cobre até metade dos custos iniciais de instalação de fábricas de chips no país. O governo indiano vai cooperar com as autoridades dos Estados para construir parques industriais de alta tecnologia, garantindo fornecimento de energia e infraestrutura logística.  (Valor)


Notas Econômicas – Fontes

Jornal Valor, Globo, Folha, Estadão, Canal Meio Newsletter, Carta Capital, Poder 360, Mercado & Consumo, Veja, Jornal Nacional, Guardian, Bloomberg, Metrópoles, UOL e g1.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.