Verdadeiros saltos exponenciais começam a ser dados na indústria, com a adoção ampliada de inteligência artificial e robótica - Imagem: Pixabay
Verdadeiros saltos exponenciais começam a ser dados na indústria, com a adoção ampliada de inteligência artificial e robótica – Imagem: Pixabay

Radar do Futuro

Os maiores saltos de automação nas indústrias globais serão dados na próxima década. O segmento vai se beneficiar de avanços exponenciais em capacidade de processamento e armazenamento de dados, velocidade de tráfego de informações e queda de preços dos equipamentos, entre outros fatores. Fornecedores de recursos vão apostar especialmente em aplicações de inteligência artificial e robótica.

Apostando na tendência para a indústria eletrônica, a Mitsubishi Electric, conta com a possibilidade de tornar as linhas de produção cada vez mais eficazes. A inovação em ambientes de produção das fábricas passa pelo desenvolvimento de aplicações que já contam com o suporte de algoritmos de inteligência artificial em robótica.

Um dos destaques entre as apostas de inovações da Mitsubishi estão sistema de visão 3D. Câmeras com percepção em terceira dimensão, com velocidade de processamento de imagens de alta velocidade e precisão, tem aplicações para manipulação de componentes de dimensões reduzidas como terminais e conectores dispostos em posições aleatórias. Além disso, guia o braço robótico, dispensando o uso de mesas vibratórias.

A Manutenção Preventiva, outro foco estratégico, utiliza algoritmo do robô para monitorar os dados dos motores como velocidade e consumo de corrente. As informações são processadas e, a partir daí, são calculadas as folgas ou anormalidades do conjunto mecânico antes que ocorra uma parada do robô. O benefício é poder planejar as atividades de manutenção, sem prejudicar a eficiência da linha.

Sistema da calibração automática de pontos: Nesse sistema, o próprio robô trabalha de forma coordenada com o sistema de visão e move um objeto de referência, capturando os pontos de forma automática. Na prática, o tempo com o ajuste de pontos pelo operador cai de 20 minutos para apenas 30 segundos, reduzindo o tempo e custo de partida da linha.

“Ainda há muito espaço para aumentar o uso dessas novas tecnologias. Acreditamos que investimentos constantes em P&D e trabalho conjunto com os clientes são o pilar fundamental para que essas aplicações possam ser utilizadas em maior escala,, trazendo benefícios como maior produtividade, redução de tempo de setup e custos em outros setores industriais.”, finaliza Sugimura.

Inteligência artificial

A inteligência artificial é apontada como uma das principais ferramentas para o setor industrial alcançar melhores resultados ao longo do tempo. Na indústria eletrônica, isso não é diferente. Segundo a Mitsubishi Electric, hoje, as fábricas já aplicam esse recurso na produção de itens de alto valor agregado e nas linhas robotizadas com alto volume de produção.

“Os recursos de inteligência artificial integrados aos robôs industriais permitem que os gargalos de produção possam ser reduzidos ao mesmo tempo que aumentam o nível de qualidade do processo e do produto.”, afirma Hélio Sugimura, gerente de marketing de automação industrial da companhia.

A Mitsubishi Electric, uma das principais companhias de automação industrial do mundo, disponibiliza inversores de frequência que podem ser configurados de maneira rápida e segura. Com a função especial de sincronismo de motores, os equipamentos levam em média 20 minutos para serem configurados – redução expressiva em relação à média do setor, de quatro horas.

“Isso facilita o trabalho de técnicos de engenharia em vários segmentos, desde o automotivo até o de mineração e siderurgia. Pontes rolantes, guindastes e elevadores são controlados por esses inversores e configurá-los de maneira rápida é algo fundamental para o dia a dia desses profissionais”, afirma Renato Bedendi, especialista de produto da Mitsubishi Electric.

Para garantir essa eficiência, os equipamentos da companhia contam com um módulo de programação avançado e com recursos tecnológicos diferenciados, capazes de interagir com outros equipamentos dentro da planta de maneira eficaz.

Exemplo disso é a função “Droop Control”, que permite sincronizar a carga de dois ou mais motores de maneira simples. Outro recurso simples dos inversores é o “Anti Balanço” ou “Anti Sway”, que elimina o balanço natural durante a movimentação de cargas por pontes rolantes ou guindastes, reduzindo o tempo de transporte.

Os resultados estão alinhados com o compromisso da companhia em fornecer soluções inovadoras e eficazes para seus clientes. “A Mitsubishi Electric investe continuamente no estudo de novas tecnologias e em aplicações para melhorar a eficiência de seus produtos. No Japão, a companhia tem protagonismo em Pesquisa e Desenvolvimento e, globalmente, é empenhada em oferecer o que há de mais moderno em produtos e serviços”, finaliza Bedendi.