Izabela Hendrix lança curso que realiza integração de biociências, informática e ciências exatas - imagem: Pixabay
Izabela Hendrix lança curso que realiza integração de biociências, informática e ciências exatas

Guia do Estudante

Se você gosta de biológicas, mas também tem interesse por informática, saiba que agora já existe uma graduação que une essas duas áreas. É o curso superior de tecnologia em Bioinformática, que tem a duração de cinco semestres e começou a ser oferecido no início de 2018 pelo Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix, em Belo Horizonte (MG).

O bioinformata é o profissional que agrega conhecimentos das biociências, informática e ciências exatas para aquisição, gerenciamento, análise e prognóstico de dados médicos e biológicos (dados ou medidas coletados a partir de fontes biológicas como DNA, RNA, proteínas e enzimas). Ele também pode realizar consultorias (assessoria para definição e utilização de ferramentas de bioinformática e projetos) e programação (desenvolvimento de sistemas e scripts).

Trabalha em hospitais, clínicas, indústrias (farmacêutica, agropecuária, petroquímica etc) e laboratórios (biotecnologia, microbiologia, análises clínicas e de imagens), em aplicações em diversas áreas, como saúde, meio ambiente e agropecuária. A coordenadora do curso, professora Fabiana Alves, dá alguns exemplos da atuação do profissional.

“Na área da saúde, no caso de um prognóstico de câncer, o bioinformata analisa os dados do sequenciamento de DNA ou RNA extraídos da biópsia e verifica possíveis alterações gênicas significativas. Também analisa grandes bancos de dados (informações do tumor, estudos clínicos e outras informações sobre o assunto) utilizando os conhecimentos construídos sobre big data”, ela explica. “E utilizando inteligência artificial é possível criar algoritmos que auxiliam na escolha dos melhores tratamentos”, completa.

Na indústria farmacêutica, ele supervisiona e seleciona substâncias e moléculas, a partir de análises, para orientar a manipulação de componentes para o desenvolvimento de medicamentos.

Na área de meio ambiente e agropecuárua, atua para aumentar a qualidade e a produção de biocombustíveis, e no melhoramento genético da agricultura e da pecuária, evitando novas pragas e doenças nos cultivos e criações.

O que você vai estudar

O curso, de caráter multi e interdisciplinar, tem disciplinas como:

  • Big data, Machine Learning, Deep Learning, Banco de Dados, Business inteligence e programação funcional e orientada a objetos, algoritmo e estrutura de dados. Todos esses conteúdos proporcionam conhecimentos em programação, análise, gerenciamento e tomada de decisões;
  • Bioinformática básica, aplicada à biotecnologia, saúde e meio ambiente. Essas matérias permitem a transposição dos processos biológicos à bioinformática. São teórico-práticas e baseadas em estudos de casos, bancos de dados e softwares. O objetivo é compreender a aplicabilidade da bioinformática nos processos das biociências;
  • Neuro robótica. Discussão teórico-prática desde conhecimentos básicos celulares e anatômicos à geração de trajetórias, modelagem, simulação e controle de manipuladores robóticos;
  • Fundamentos em biologia molecular e aplicações biotecnológicas;
  • Modelagem de sistemas de biomoléculas;
  • Projetos integradores, que têm o objetivo de associar os conhecimentos desenvolvidos nas disciplinas em um produto final, além de desenvolver habilidades de comunicação oral e escrita na resolução de problemas do mercado de trabalho;
  • Inovações tecnológicas e patentes, gestão de marketing, governança e ética de dados e gestão de projetos. Para preparar os alunos para empreender e inovar no mercado de trabalho.

A graduação também prevê atividades extracurriculares, como participação em projetos de pesquisas, palestras, workshops e congresso. “Os alunos também têm a possibilidade de realizar intercâmbio nos Estados Unidos, em instituições parceiras”, lembra a professora Fabiana.