Tecnologia é destinada ao monitoramento de ativos e permite uma manutenção preventiva destes equipamentos. Foto por Pok Rie em <a href="https://www.pexels.com/photo/cable-clouds-conductor-current-189524/" rel="nofollow">Pexels.com</a>
Tecnologia é destinada ao monitoramento de ativos e permite uma manutenção preventiva destes equipamentos. Foto por Pok Rie em Pexels.com

O CSEM Brasil, Centro de Pesquisas localizado em Minas Gerais, destaca-se no desenvolvimento de tecnologias que auxiliam as indústrias na gestão dos seus ativos. Atualmente, trabalha, em parceria com o Grupo Energisa, no projeto de um sensor para o monitoramento dos transformadores da rede elétrica. Tal inovação contribuirá para a redução dos gastos da empresa com a manutenção destes equipamentos. Além disso, poderá garantir a diminuição de falhas técnicas que causam a interrupção da distribuição de energia.

Segundo dados do Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec), que integra os Procons dos 26 estados do país, do Distrito Federal e de 560 municípios, somente no ano passado, reclamações sobre o setor elétrico figuravam entre os cinco maiores temas abordados. Foram registradas mais de 104 mil reclamações. Entre elas estão as falhas no fornecimento de energia. Situações, muitas vezes, causadas por problemas relacionados aos transformadores. Esse tipo de ocorrência gera penalizações e perdas financeiras para as concessionárias enunciando a necessidade de soluções que possam melhorar o fornecimento de energia.

O “recurso eficiente” utilizado hoje para a identificação de falhas em equipamentos como os transformadores são os próprios usuários. Clientes que entram em contato com as empresas já sinalizando a falta de energia. A insatisfação, acentua-se ainda com a demora no processo de manutenção do equipamento até a normalização do fornecimento de energia. Assim, a identificação antecipada destas falhas ainda é um desafio para as concessionárias.

“Para se estabelecer uma gestão mais eficiente destes ativos, o CSEM Brasil desenvolve, por meio de uma combinação de tendências como Inteligência Artificial e Internet das Coisas (IoT), sensores capazes de monitorar todo o funcionamento do equipamento. Ao serem instalados nos transformadores, tais sensores colhem dados sobre a localização de cada máquina, seu desempenho, sua vida útil e identificam fatores que podem contribuir para potenciais falhas. Com estas informações em mãos, as empresas de energia podem estabelecer uma manutenção preditiva, reduzindo custos importantes como: manutenções emergenciais ou desnecessárias, perdas de equipamentos e desabastecimento de energia”, declara Fabiana Drumond, gerente de novos negócios do CSEM Brasil.

Segundo Pedro Bittencourt, engenheiro de distribuição do Grupo Energisa, as tecnologias de monitoramento de ativos no setor elétrico, normalmente, significam altos investimentos. Porém, a proposta do CSEM Brasil abriu um novo caminho. “A ideia de desenvolver uma tecnologia que permita essa gestão, de forma inteligente e mais eficiente, a um custo alinhado à necessidade do setor elétrico brasileiro, possui um caráter extremamente inovador. Assim, o Grupo Energisa firmou a parceria com o CSEM Brasil e trabalha neste projeto. Essa tecnologia já sinaliza o objetivo de readequação de nossa rede, possibilitando uma manutenção preventiva e não somente corretiva, reduzindo assim os casos de falha na distribuição de energia”, afirma o engenheiro.


  • Com informações da Assessoria de Imprensa

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.