Como escrever uma história sobre o futuro

92

Para saber como escrever uma história sobre o futuro, misture o foco sobre tendências, com esforço e criatividade

Divulgação – Her

Carlos Plácido Teixeira
Jornalista I Radar do Futuro

Deprimido pelo processo de separação de um longo relacionamento, Theodore Twombly encontra na inteligência artificial de seu novo computador a solução para o desejo de ter alguém, ou algo, que dê atenção para suas angústias. O apoio surge no sistema operacional da máquina. A companheira virtual, tecnológica, é a alma de Samantha, personagem com a voz da atriz Scarlett Johansson, com quem o homem passa a conviver em todos os momentos do dia e em qualquer lugar.

A companheira digital está instantaneamente presente. Do momento em que Theodore, interpretado pelo ator Joaquin Phoenix, acorda até o boa noite. As necessidades e desejos ganham intensidade na amizade do homem com a companhia digital. Os vínculos passam a ser afetivos. E a relação entre o sujeito complexo, sensível e confuso, que ganha a vida escrevendo cartas pessoais comoventes para outras pessoas, e a voz feminina da máquina, perspicaz, sensível e surpreendentemente engraçada, vai revelando um cenário de complexidade crescente sobre o futuro da saúde mental humana.

O enredo de Her (Ela), filme produzido em 2013 pelo cineasta Spike Jonze, ganhador do Oscar de Melhor Roteiro Original em 2014, sintetiza uma fórmula simples para quem deseja escrever uma história sobre o futuro.

É quase uma ideia na cabeça e uma câmera na mão. Na versão da revolução digital, identifique uma tecnologia emergente e imagine como ela vai impactar a vida das pessoas e da sociedade. Faça as perguntas certas sobre como serão usadas, que necessidades vão atender.

Uma ficção requer, acima de tudo, perspicácia, criatividade e sensibilidade para explorar as inquietações humanas. O filme comprova como é possível antecipar os acontecimentos, desde que se tenha a atenção concentrada nas forças que tendem a provocar as transformações. Pensando bem, Her não é uma história sobre tecnologia e futuro. Segundo seus produtores, é “uma história de amor original que explora a natureza em evolução – e os riscos – da intimidade no mundo moderno.”

Roteiro: como fazer

O grande feito do cineasta Spike Jonze foi identificar a força futura da inteligência artificial e dos sistemas de interação por voz. Em outubro de 2011, a Apple havia lançado oficialmente a Siri, assistente virtual integrada com o iPhone 4S. Os desenvolvedores de sistemas para o mercado já anunciavam a expectativa de que, no futuro, os comandos para os computadores serão dados oralmente e por gestos, substituindo a atual interação entre máquinas e humanos por meio de telas sensíveis ao toque.

Mais ainda, eles asseguram que a tecnologia por trás dos assistentes inteligentes está cada vez mais próxima do pensamento de um ser humano. E se a inteligência das máquinas se desenvolver demais ao ponto de superar a mente humana? E se no futuro as pessoas não encontrarem quem as ouça? E se criarem uma realidade paralela, assim como um metaverso, onde pessoas idealizadas se encontram?

A combinação de perguntas condicionais é uma das estratégias para o desenvolvimento de histórias como a apresentada neste artigo.

Portanto, o processo de escrita criativa de textos sobre o futuro requer o foco em tendências. São insights. Ou mesmo a especulação sobre algo provável, como a descoberta de soluções para doenças genéticas. A estratégia envolve a capacidade de focar em um problema que inquieta a humanidade e usar as estratégias corretas de levantar perguntas.

Coloque a tecnologia promissora no centro da mesa e identifique possíveis aplicações e efeitos na vida de pessoas, de grupos ou da sociedade.

No processo de levantamento de informações, é importante destacar quando e onde vão ser desenvolvidos os acontecimentos de sua história, além de criar seus personagens. No curtíssimo prazo, entre dois a cinco anos, os dados disponíveis sobre inovações são muito mais identificáveis do que a médio ou longo prazos. Lembre-se também que um enredo imaginado em uma região pobre do Brasil é bastante diferente daquele que se passa em São Paulo ou outra grande metrópole global.

Era uma vez

A melhor forma de apresentar o futuro para alguém é através das histórias. Seja com objetivo informativo ou apenas de entretenimento, elas têm o poder de nos ajudar a antecipar e entender os rumos da sociedade e de nós mesmos. Como escritores ou como leitores carregamos o mesmo desejo de encontrar significados para a nossa existência. São as inquietações retratadas pela imaginação das pessoas que, no final das contas, viabilizam a sobrevivência da literatura, do teatro e do cinema

Escritores criam e transmitem suas ideias movidos pela emoção. Narrativas são impulsionadas por personagens e fundamentadas em um senso de lugar. As histórias refletem a sociedade, de onde viemos, por que estamos aqui e o que esperamos ser, retratando a diversidade das cores do mundo, como transmissoras de nossas emoções. A arte de contar histórias também significa ouvir ativamente, estar totalmente engajado no momento e desenvolver a curiosidade nos outros.

Passo a passo: sua história sobre o futuro

Antes de mais nada, é necessário entender que toda narrativa envolve 99% de esforço e 1% de criatividade. Boas histórias surgem dos processos de interação com as boas informações. Não é, portanto, um processo mágico.

  1. Antes da criação, o esforço
    Pesquise nas mídias sociais sobre inovações tecnológicas ou projeções ou indicadores que possam impactar a sociedade. Pode ser algo como a holografia. Ou sobre novos remédios, dados sobre a crise climática ou envelhecimento da população.
  2. E se: imagine os impactos
    Faça boas perguntas. E se o metaverso dominar toda a nossa atenção? E se o Rio de Janeiro for inundado? Pergunte-se sobre como o assunto vai impactar a sua vida e a vida de pessoas próximas a você.
  3. Crie o seu enredo
    Estabeleça o momento do futuro em que a história vai se desenrolar, assim como o lugar que vai funcionar como o cenário. Lembrando que quanto mais distante, menor será a quantidade de certezas sobre o que pode acontecer.
  4. Construa os personagens
    Pense em quem vai ajudar a descrever os acontecimentos da sua narrativa. Os personagens são pessoas que carregam características físicas, têm personalidade, com hábitos, comportamentos e opiniões.
  5. Enfim, desenvolva a história
    Momento de usar a criatividade. Crie blocos de notas com as informações levantadas previamente. Escreva em um caderno como livre associação das ideias. Crie uma linha do tempo com a evolução da história, utilizando o quadro abaixo.
    E boas viagens.

.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.