Notas Econômicas: 9 a 13 de maio de 2022

439

Confira nas Notas Econômicas os destaques das notícias entre 9 a 13 de maio de 2022, da coleta de informações produzida pelo economista Paulo Roberto Bretas

Pessoas fortemente agasalhadas na rua por causa do frio - Marcelo Carmargos - Agência Brasil
Marcelo Camargos / Agência Brasil

O Brasil terá uma semana de frio intenso com neve, ‘chuva congelante’ e temperatura atípica para o mês de maio. A forte massa polar vai derrubar temperaturas entre os dias 16 e 22. No mesmo período, passagem de um ciclone extratropical aumenta a umidade e favorece neve, chuva e ocorrência de geadas. Os termômetros devem ficar abaixo de 10°C em São Paulo. Há previsão de neve e “chuva congelante” para estados do Sul e geadas para outros trechos do país. Informalmente, nas redes sociais, o frio que se aproxima vem sendo chamado de “erupção polar histórica”. 

Economia e Finanças

BNDES Vê Dificuldades nas Privatizações: O presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Gustavo Montezano, afirmou que o período de julho a setembro não parece apropriado para ofertas como a da capitalização da Eletrobras. O governo pretendia privatizar a empresa em maio, mas precisou adiar a oferta de ações porque o TCU (Tribunal de Contas da União) estendeu o julgamento sobre a medida. (Poder 360)

Privatização da Petrobras Não Garante Queda nos Preços: De maneira acertada, especialistas dizem que não há relação direta entre a privatização da Petrobras e os preços dos combustíveis. Os preços dos derivados de petróleo, como gasolina e diesel, seguem as cotações internacionais. Esses preços têm como referência os preços dos produtos no mercado global, em dólar. Outras variáveis que pesam no preço são as atividades de distribuição e revenda; a adição de biocombustíveis e, por fim, os impostos. Sem contar o enorme poder de mercado da Petrobras que consegue administrar preços e gerar mais lucros de monopólio. (Valor)

Programa de Venda de Refinarias: E a Petrobras conduz um programa para vender oito refinarias que correspondem à metade de sua capacidade de processamento. Mas a iniciativa tem avançado lentamente. Só a Refinaria de Mataripe (BA) foi vendida até agora, sendo comprada pelo fundo Mubadala por US$ 1,8 bilhão. (Valor)

A Petrobras Segue Privatizando Ativos: Desde 2015, a Petrobras conduz um processo de venda de ativos que incluiu desinvestimentos de campos de exploração e produção terrestres e em águas rasas, ativos de gás e infraestrutura e de geração de energia elétrica, além das refinarias. (Valor)

Mais Parece um Teatro: O novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, solicitou formalmente ao ministro da Economia, Paulo Guedes, a realização de estudos para que a Petrobras e a PPSA sejam privatizadas. Mesmo sabendo da impossibilidade dessa meta liberal de privatização ter chances de ser executada neste atual governo. (Valor)

Mercado do Diesel Preocupa: No mercado externo o preço do diesel continua em alta como resultado da retomada pós-pandemia e dos cortes de oferta em função da guerra na Ucrânia. A Rússia responde por cerca de 25% das exportações globais de diesel. As últimas semanas foram de recordes de aumento no preço nos EUA. As margens de refino no diesel são hoje o dobro do que na gasolina. O aumento de preço do produto no Hemisfério Norte tem efeitos para a importação no Brasil. O diesel que vai chegar ao país em julho está sendo comprado agora. Mas, a medida em que a Petrobras segura os reajustes, inibe a importação, uma vez que o preço do importado chega mais caro do que o vendido nas refinarias da estatal. (Valor)

IPC-S Desacelera: O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) voltou a desacelerar, com alta de 0,83% na primeira leitura de maio, após marcar 1,08% no encerramento de abril, e acumulando elevação de 10,64% nos últimos 12 meses, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). (Valor)

Dívidas Honradas pela União: A União pagou R$ 511,77 milhões em abril para quitar parcelas de dívidas não honradas por Estados e municípios, nas quais é avalista. Com isso, o total acumulado no ano chegou a R$ 2,63 bilhões. Desde 2016, o montante de garantias honradas chega a R$ 44,54 bilhões, informou o Tesouro Nacional. (Valor)

Olha o Preço do Diesel: A Petrobras anunciou, dia 09-05-2022, um reajuste de 8,9% no preço do diesel nas refinarias. O valor médio por litro passa de R$ 4,51 para R$ 4,91. O reajuste mais recente tinha sido feito há 60 dias, em 11 de março, quando a empresa aumentou o preço do combustível em quase 25%. (Poder 360)

Preço de Paridade de Importação Vai Virando Lenda: O reajuste de R$ 0,40 feito pela Petrobras ainda ficou abaixo da defasagem em relação aos preços dos importadores. Segundo a Abicom (Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis), o preço do diesel praticado no mercado interno está defasado, em média, R$ 0,94 por litro. Assim, o reajuste da petroleira foi cerca de 57% menor que o de uma alteração que seguisse à risca o PPI (Preço de Paridade de Importação). (Poder 360)

Com Alta do Diesel Muitos Bens Sobem de Preço: A NUT (Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos) afirmou que os reajustes do diesel este ano podem elevar as tarifas em 15,4%. O combustível já subiu 47% em 2022 (acima da inflação). Também as mercadorias transportadas por caminhões devem sofrer reajustes de preços. (Poder 360)

Governo Federal Ganha Com Preços Elevados da Petrobras: Em 2021 a Petrobras teve um lucro líquido recorde de R$ 106,6 bilhões, sendo que o governo federal tem uma participação de 36,7% nesse resultado –que tende a aumentar com esses novos reajustes de preços. Somente no atual governo, os sucessivos lucros da Petrobras têm garantido à União, por meio da distribuição de resultados, mais de R$ 100 bilhões por ano. (Poder 360)

Perda do Poder Aquisitivo dos Trabalhadores: Em 2021, a renda média real habitual dos trabalhadores foi de R$ 2.587, queda de 7% em relação a 2020. No primeiro ano da pandemia, esse número teve alta de 4,4%, mas por uma questão de “composição”: mais trabalhadores de menor qualificação foram demitidos, o que elevou a média da amostra. (Valor)

Redução do Imposto de Importação: O governo do presidente Bolsonaro reduzirá para zero as alíquotas do Imposto de Importação de 11 produtos. Da lista, fazem parte alimentos da cesta básica e produtos siderúrgicos usados pela construção civil. Além disso, será reduzida, em 10%, a Tarifa Externa Comum (TEC) vigente no Mercosul. Esta será a segunda vez, em seis meses, que o governo reduz a TEC em 10%. A preocupação do governo é com o crescimento da inflação. (Valor)

Mais Isenção de Impostos: O governo quer isentar do Imposto de Renda (IR) os investimentos estrangeiros realizados no Brasil. Desde 2003, a isenção é válida apenas para aplicação desses investidores em títulos públicos. A ideia, agora, é estendê-la para títulos emitidos por empresas privadas, como as debêntures. Além disso, ficaria isenta a alocação de capitais para investimento em projetos. (Valor)

Mini Reforma Tributária: O Ministério da Economia negocia, ainda, com os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-Al), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), uma espécie de minirreforma tributária. As mudanças propostas contemplariam a redução do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) – de 34% para 30% – e a cobrança de 10% de IR sobre o pagamento de dividendos para pessoas físicas, hoje isentas dessa cobrança, o plano original era cobrar alíquota de 20%, depois 15% e, agora, 10%. (Valor)

Vendas do Varejo se Expandem: O volume de vendas no varejo teve alta de 1% em março, na série com ajuste sazonal, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada pelo IBGE. É a terceira taxa positiva seguida na série com ajuste sazonal. Uma sequência tão longa de expansões no desempenho mensal não ocorria desde 2020, quando o comércio avançou entre maio e outubro na recuperação do período inicial da pandemia de covid-19. Na comparação com março de 2021, o varejo avançou 4%. O comércio acumula elevação de 1,9% nos 12 meses até março. (Valor)

Produção Industrial: A produção da indústria brasileira teve alta em nove dos 15 locais pesquisados pela Pesquisa Industrial Mensal Regional (PIM Regional)do IBGE. Na média brasileira, a indústria avançou 0,3% em março, frente e fevereiro. Frente a março de 2021, a produção industrial caiu em sete dos 15 locais pesquisados. Nessa comparação, a produção industrial nacional caiu 2,1%. (Valor)

Ata do Copom: O Comitê de Política Monetária (Copom) afirmou que o ciclo “corrente” de elevações da taxa básica de juros “foi bastante intenso e tempestivo”, conforme a última ata referente ao encontro realizado pelo colegiado do Banco Central (BC), quando subiu a Selic de 11,75% ao ano para 12,75% ao ano. O colegiado destacou que a decisão de sinalizar alta menor do que 1 ponto percentual da taxa básica de juros para sua próxima reunião foi considerada “a mais adequada” por uma série de fatores. (Valor)

Transações com Cartões: A Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) divulgou que o valor transacionado em cartões no primeiro trimestre deste ano chegou a R$ 758,6 bilhões, uma alta de 36% na comparação com igual período de 2021. Deste total, foram R$ 478,5 bilhões em cartões de crédito (aumento de 42,4%), R$ 235,4 bilhões em cartões de débito (+15,2%) e R$ 44,6 bilhões em cartões pré-pagos (+148,4%). (Valor)

Subsídio ao Crédito Rural: A bancada ruralista da Câmara dos Deputados defende a destinação de R$ 22 bilhões para o Tesouro Nacional subvencionar os juros aos produtores a partir de julho e alíquotas de “um dígito”. O orçamento inicial da temporada 2021/22 foi de R$ 13 bilhões. O difícil será encontrar espaço orçamentário para a demanda. A bancada também busca recursos para equalizar juros para a prorrogação de dívidas de médios produtores. (Valor)

Ganhos da União com as Estatais: O lucro que as seis principais empresas estatais tiveram em 2021 renderá R$ 46 bilhões em receita primária para o governo federal, nos cálculos do Ministério da Economia. Petrobras, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Correios e Eletrobras apresentaram resultado líquido positivo de R$ 186 bilhões, conforme apurado. (Valor)

Confiança da Indústria Sofre Recuo: O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), calculado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), passou de 56,8 pontos em abril para 56,5 pontos em maio. Mesmo com leve recuo de 0,3 ponto, entre um mês e outro, o indicador segue acima de sua média histórica de 54,2 pontos e indica confiança do empresário. (Valor)

Brasil Campeão do Delivery: Segundo um relatório do Euromonitor, empresa de pesquisa de mercado global, em parceria com a Adyen, plataforma de pagamento, pedidos de comida feitos por Whatsapp, internet ou telefone são, hoje, um terço da receita dos bares e restaurantes brasileiros, colocando o Brasil em primeiro lugar do ranking dos países com maior participação do delivery nas vendas totais dos estabelecimentos. O levantamento analisou o setor em 62 países. (Valor)

Alta dos Medicamentos e seus Impactos: Com o reajuste anual dos medicamentos os produtos farmacêuticos tiveram alta de 6,13% em abril, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), com isso, responderam por 0,19 ponto percentual da taxa de 1,06% do IPCA no mês, ou 17,9% do índice. (Valor)

Reajuste dos Plano de Saúde: A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) definirá em maio o reajuste autorizado para os próximos 12 meses, de acordo com a data de aniversário do plano de saúde. Entidades do setor estimam um aumento em torno dos 16%. (Valor)

Desejo de Privatizar a Petrobras: O novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, pedirá estudos sobre como privatizar a Petrobras e a Pré-Sal Petróleo S.A. (PPSA) — estatal responsável por gerir os contratos da União no pré-sal. Este será, ele diz, seu primeiro ato no cargo. Defendeu também que se avance na privatização da Eletrobras com medidas prioritárias a serem aprovadas pelo Congresso. A indicação de Sachsida acontece em meio à insatisfação do presidente Bolsonaro (PL) com os reajustes nos preços dos combustíveis, que teriam motivado a troca de comando do ministério. No fundo, tantas substituições feitas pelo Bolsonaro me parecem jogo de cena político. Faz mudanças para nada mudar. (Poder360) 

Setor Turismo: Após duas quedas seguidas, 0,1% em janeiro e 0,8% em fevereiro, na série contra o mês imediatamente anterior, o volume de prestação de serviços ligados ao turismo no Brasil voltou a subir e teve alta de 4,5% em março, frente a fevereiro. Contudo, a atividade turística ainda está 6,5% abaixo do patamar pré-pandemia, em fevereiro de 2020. (Valor)

Crise no Mundo das Criptomoedas: Estaria o apocalipse chegando ao mundo das cripto? As fortunas bilionárias de criptomoedas que aumentaram nos últimos dois anos estão desaparecendo após uma liquidação que começou com ações de tecnologia se espalhando pelo dinheiro digital. Bitcoine Ether caíram mais de 50% desde seus recordes no final de 2021. Embora quase todos os detentores de criptomoedas tenham sofrido declínios de riqueza, algumas das maiores e mais visíveis perdas estão concentradas entre os fundadores de exchanges (bolsas), onde os traders compram e vendem moedas digitais. No final da semana o bitcoin iniciou uma recuperação.(Valor)

ICMS dos Combustíveis: Para o presidente do Comitê Nacional dos Secretários de Fazenda dos Estados e do Distrito Federal (Comsefaz), Décio Padilhas, os Estados já deram sua cota de sacrifício para conter os preços dos combustíveis. Eles deixaram de arrecadar até abril R$ 16,2 bilhões em Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), por causa do congelamento da base de cálculo instituído em novembro passado. Até o fim do ano, serão R$ 37,2 bilhões. (Valor)

Inflação

Inflação do IPCA: Segundo informações divulgadas pelo IBGE, a inflação oficial brasileira, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), marcou 1,06% em abril, após se situar em 1,62% em março. Trata-se do maior resultado para o mês desde 1996, quando foi 1,26%. Já o resultado acumulado em 12 meses atingiu 12,13%. É a maior taxa em 12 meses desde outubro de 2003 (13,98%). Em abril de 2021, a inflação foi de 0,31%. (Valor)

Índice de Difusão do IPCA: O índice de difusão do IPCA avançou de 76,13% em março para 78,2% um mês depois, o maior patamar desde janeiro de 2003, quando foi de 85,94%. (Valor)

Inflação da Construção Civil: A inflação medida pelo Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi) foi de 1,21% em abril, após alta de 0,99% um mês antes, segundo o IBGE. É a maior taxa desde agosto de 2021. Com o resultado, o indicador acumula variação de 15% em 12 meses, frente a 15,75% até março. (Valor)

Inflação do INPC: Não é para comemorar, mas o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) teve elevação de 1,04% em abril, após alta de 1,71% em março, informou IBGE. Esse foi o maior resultado para um mês de abril desde 2003, quando o índice foi de 1,38%. No resultado acumulado 12 meses, o INPC teve aumento de 12,47%. Até março, o resultado acumulado em 12 meses tinha sido de 11,73%. (Valor)

Avalanche Inflacionária dos Combustíveis 1: Os preços de combustíveis acumulam alta de 33,24% em um ano, considerando o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) até abril. O impacto é de 2,28 pontos percentuais e respondem por quase um quinto (18,8%) da alta de 12,13% do IPCA no resultado acumulado em 12 meses. A inflação para um período de 12 meses é a maior desde outubro de 2003 (13,98%), segundo o IBGE. (Valor)

Avalanche Inflacionária dos Combustíveis 2: Em síntese, todos os combustíveis têm alta de preços acima de 30% em um ano. O maior aumento é o do óleo diesel, com alta de 53,58%, seguido por gás veicular (45,18%), etanol (42,11%) e gasolina (31,22%). (Valor)

Temos Inflação de Custos: Na avaliação feita pelo analista do IBGE, André Filipe Almeida, ao comentar os dados do IPCA referentes a abril, mesmo com a existência um cenário de recuperação econômica e de reação do mercado de trabalho, a inflação aparenta sofrer mais pressão de custos que de demanda. Ou seja, nesse caso, subir juros não vai adiantar muito. (Valor)

Inflação da Cesta de Compras: Desse jeito o consumidor não aguenta. Segundo a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) a cesta de compras do consumidor continuou a subir de preço. De janeiro a março, o preço da cesta de 35 itens (desde alimentos a produtos de limpeza) estabelecida pela Abras somou R$ 736,34 na média, um aumento de 5,11% no trimestre e de 15,45% em 12 meses. Parte desse aumento se deve ao avanço do preço do diesel, que tem forte impacto no preço do frete das mercadorias. (Valor)

Governo e Ambiente Político

Forças Desarmadas e as Eleições: O Ministro Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin, deu uma declaração dura, afirmando que “quem trata da eleição são as forças desarmadas”. Sua fala veio após nova onda de ameaças feitas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) e a rejeição pelo TSE de sugestões apresentadas pelos militares para mudanças no sistema eleitoral, muitas delas espelhando ideias do chefe do Executivo. “Além disso, a contribuição (das Forças Armadas) que se pode fazer é de acompanhamento do processo eleitoral”, disse Fachin. “E, portanto, as eleições dizem respeito à população civil que de maneira livre e consciente escolhe seus representantes.” (Folha) (Meio)

Contra a Reforma Trabalhista: O candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou ontem se colocar contra as reformas trabalhista e sindical do governo Temer, afirmando que foram feitas por pessoas com “mentalidade escravocrata”. “Mentalidade de quem acha que sindicato não tem que ter força, sindicato não tem representatividade. No mundo desenvolvido em que você tem economia forte, você tem sindicato forte”, afirmou. Lula reconheceu a necessidade de mudanças na CLT em função da nova realidade do mercado, mas defendeu que os sindicatos tenham força para “negociar e conseguir o máximo”. (Terra) (Valor)

Aprovação da Gestão Bolsonaro: O governo do presidente Bolsonaro (PL) é desaprovado por 56% da população brasileira, mostra pesquisa PoderData realizada de 8 a 10 de maio de 2022. Por incrível que pareça a aprovação à gestão bolsonarista ainda está em 36% – numa variação de apenas 2 pontos percentuais para baixo, em duas semanas. Pelo nível de incompetência generalizada já era para o povo acordar. Há ainda 8% que não souberam responder à pergunta. (Poder 360)

Eleitores Evangélicos: A Pesquisa PoderData realizada de 8 a 10 de maio de 2022 aponta que 47% dos eleitores evangélicos aprovam o governo de Bolsonaro (PL). Esse número registrou queda de 8 pontos percentuais em relação ao levantamento de duas semanas, quando 55% tinham essa percepção. Os que desaprovam a gestão bolsonarista nesse estrato são 44% –ante 41% na rodada passada. (Poder 360)

Bolsonaro Sem Opções Parece Biruta de Aeroporto: Leia esta notícia. Sem alternativas claras para conter a alta do preço dos combustíveis, o presidente Bolsonaro, que escolhe o presidente e conselheiros da Petrobras, disse que vai à Justiça contra a empresa, em meio ao embate que vem travando contra a mesma, cujo acionista majoritário é o governo federal. Mas ele mesmo reconheceu que as chances de sucesso são reduzidas. (Valor)

Discurso Racista do Presidente da República: O presidente Bolsonaro (PL) voltou a usar uma expressão racista ao se referir a um apoiador negro ontem. Ele disse que negros são pesados em arrobas. Em conversa com simpatizantes, publicada nas redes sociais, lembrou que “já foi processado por isso” e mais uma vez utilizou termo que o levou a ser denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) pelo crime de racismo. (Valor)

Força Tarefa Contra a Desinformação: Se funcionar ajudará a democracia. A empresa Meta (Facebook, Instagram e WhatsApp) anunciou as ações que estão sendo preparadas para evitar a disseminação de desinformação e disparos em massa em suas plataformas no período eleitoral. Entre as medidas, está a implementação de um Centro de Operações para Eleições, onde profissionais de tecnologia no Brasil e no exterior analisarão os conteúdos publicados nas redes com a ajuda de ferramentas de inteligência artificial. (Valor)

Políticas de Reforma Agrária: Aprofundando o modelo do governo Temer, Bolsonaro praticamente extinguiu as desapropriações de terras e assentamentos de famílias no programa brasileiro de reforma agrária. Em vez disso, foi acelerada a entrega de títulos de propriedade a famílias já assentadas em governos anteriores. O orçamento para compra de terras, que era de R$ 930 milhões em 2011, hoje não passa de R$ 2,4 milhões, enquanto o número de famílias assentadas entre 2019 e 2020 ficou em 9,2 mil, contra 614,1 mil nos oito anos de governo Lula, cerca de 135 mil famílias a cada dois anos. Já a entrega de títulos a pessoas previamente assentada chegou a 337 mil sob Bolsonaro, um recorde. (Folha) (Meio)

Pré-Candidatura de Lula e Alckmin: A festa, em São Paulo, tinha ares de convenção partidária antecipada, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lançou dia 07-05-2022 sua pré-candidatura à presidência da República e apresentou o ex-governador Geraldo Alckmin (PSB) como vice, sendo o primeiro pré-candidato a anunciar o companheiro de chapa. Num cenário com predominância do verde-amarelo e adotando um tom moderado no discurso, Lula pediu a união de “democratas de todas as origens”. Até o momento, somente partidos de esquerda – PSB, Rede, PSOL e mais PCdoB e PV, que estão se federando com PT, atenderam ao chamado. Alckmin, que está com covid-19, participou do evento por vídeo com um discurso mais curto que o de Lula, chamando o governo Bolsonaro de “hipócrita” e “o mais cruel da história”. (UOL) (Meio)

Thomas Traumann: “No discurso como pré-candidato no sábado, em São Paulo, Lula centrou sua campanha na construção de uma frente política contra Bolsonaro. Pontuando uma diferença radical com o atual presidente, Lula prometeu um governo de normalidade. Desde que era presidente, Lula não fazia um discurso tão centrista, indicando que a fase de improvisos pode ter acabado.” (Veja) (Meio)

Pauta Conservadora em Educação Está Parada: Uma das pautas mais defendidas pelos conservadores, o ensino domiciliar está travado na Câmara, mas vem avançando nos Legislativos de estados e municípios, mas parando na Justiça. Projetos e leis aprovados nas Assembleias Legislativas de Paraná e Santa Catarina e na Assembleia Distrital do DF, foram contestados nos tribunais e não saíram do papel. Especialistas criticam o modelo por reduzir as chances de avaliação pedagógica dos alunos e seu convívio com outras crianças. (Estadão) (Meio)

Conflito STF com as Forças Armadas 1: O embate entre a Justiça Eleitoral e as Forças Armadas escalou nas últimas semanas e vem sendo patrocinado pelo presidente Bolsonaro, que tem feito reiterados ataques ao processo eleitoral.

Conflito STF com as Forças Armadas 2: Na semana passada, o ministro da Defesa cobrou do TSE a divulgação dos documentos enviados à comissão criada para debater o aperfeiçoamento no sistema eleitoral, com as sugestões das Forças Armadas sobre o pleito. O ministro Fachin, presidente do TSE, respondeu ao general Paulo Sérgio Nogueira, dizendo que não tinha qualquer objeção em tornar o público o material. Ele pontuou, no entanto, que a própria pasta havia encaminhado alguns documentos com “caráter reservado”. (Valor)

Conflito STF com as Forças Armadas 3: Alimentando mais um conflito, o ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, encaminhou ofício ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo para que ele seja comunicado diretamente das atividades da Comissão de Transparência das Eleições. (Valor)

TSE e os Militares 1: O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou as novas sugestões das Forças Armadas para mudanças no processo eleitoral para o pleito de 2022. Segundo a equipe técnica da Corte, os militares confundem conceitos e erram cálculos quando apontam riscos inexistentes nos testes de integridade das urnas eletrônicas.(Folha) (Meio)

TSE e os Militares 2: Das sete sugestões enviadas pelas Forças Armadas, quatro já estão implementadas ou previstas em lei. As outras três foram rejeitadas. Uma delas recomendava apuração paralela nos TREs, o que já ocorre. O TSE também nega que exista uma “sala secreta”, como constantemente insinua sem provas o presidente Jair Bolsonaro (PL). O presidente da Corte, ministro Edson Fachin, afirmou que a Justiça Eleitoral tem historicamente assegurado a “realização de eleições íntegras em nosso país”. (Folha) (Meio)

E o PDT, Vem com Lula? O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, admitiu hoje que o partido está conversando com o PT, mas descartou que a legenda vá desistir da candidatura do ex-ministro Ciro Gomes em favor de Lula. O próprio pré-candidato petista teria telefonado pelo menos três vezes para Lupi, que diz a aliados evitar um encontro entre os dois, devido ao poder de persuasão do ex-presidente. (Globo) (Meio)

Seguem as Loucuras no Ministério da Saúde 1: O Ministério da Saúde vai distribuir pelo SUS mais de três milhões de exemplares da sexta edição da Cartilha da Gestante recomendando práticas classificadas como ineficazes pela OMS e desestimuladas pela própria pasta do passado.(Intercept Brasil) (Meio)

Seguem as Loucuras no Ministério da Saúde 2: O documento, apresentado pelo secretário de Atenção à Saúde Primária, Raphael Câmara, recomenda, por exemplo, a episiotomia e a manobra de Kristeller. A primeira é um corte na vagina que pode comprometer a vida sexual das mulheres sem ter evidências científicas que o apoiem. A segunda, são empurrões na barriga da mulher, o que, segundo a OMS, pode causar “dano à mãe ou ao bebê”. O próprio Ministério da Saúde havia orientado, em 2017, que a manobra não deveria ser realizada. (Intercept Brasil) (Meio)

Jovens Devem Dar Vantagem a Lula: O recorde de 2 milhões de jovens eleitores que tiraram o título neste ano tende a ajudar o ex-presidente Lula (PT) nas próximas eleições. O grupo etário de 16 a 24 anos é o que deu ao petista a maior vantagem na última pesquisa PoderData: 19 pontos a mais que o presidente Bolsonaro (PL). (Poder 360)

Idosos Votam Mais em Bolsonaro: O único grupo etário que dá vantagem numérica a Bolsonaro nas pesquisas é o de pessoas acima de 60 anos. O presidente marca 35% das intenções de voto contra 31% de Lula (um empate no limite da margem de erro). Contudo, o grupo de idosos é o que mais se abstém. (Poder 360)

Aumentando o Leque de Aliados: O Senado da República aprovou a PEC que eleva de 65 para 70 anos a idade máxima com que uma pessoa pode ser nomeada para os tribunais superiores, incluindo o STF. A proposta, que já passou pela Câmara e será promulgada pelo Congresso, foi resultado de acordo com o Planalto, que ganha um leque maior para a indicação de aliados para essas cortes. (g1) (Meio)

Pesquisa CNT/MDA: A diferença entre o ex-presidente Lula (PT) e o presidente Bolsonaro (PL) no primeiro turno caiu para 8,6 pontos, segundo pesquisa CNT/MDA. Enquanto o petista recuou de 42,2% no levantamento anterior para 40,6%, o presidente subiu de 28% para 32%. Atrás deles vêm Ciro Gomes (PDT), com 7,1% dos votos; João Doria (PSDB), com 3,1%; André Janones, com 2,5%; Simone Tebet (MDB), com 2,3%; e Felipe d’Avila, com 0,3%. Os votos nulos e brancos somaram 5,1%, e o percentual de indecisos foi de 7%. (Metrópoles) (Meio)

Mais uma Baixa no Governo: Bolsonaro trocou o Ministério de Minas e Energia, exonerando Bento Costa Lima Leite de Albuquerque. Segundo a edição de hoje do “Diário Oficial da União (DOU), ele foi exonerado, a pedido, e Adolfo Sachsida foi nomeado como titular da pasta. O novo ministro é chefe da Assessoria Especial de Assuntos Estratégicos do Ministério da Economia e indicação de Paulo Guedes. A substituição de Bento Albuquerque acontece após o aumento de 8,9% no preço do diesel nas refinarias da Petrobras, estatal ligada à pasta. Albuquerque, no entanto, discordava do presidente Bolsonaro a respeito de pressionar a estatal a segurar as altas de preços dos combustíveis. (g1) (Meio)

Proteção Legal para os Amigos: Vejam que absurdo. Uma portaria editada em abril de 2021 pelo Planalto permitiu que o próprio presidente Bolsonaro, o vice Hamilton Mourão, os ministros militares e cerca de mil funcionários públicos acumulassem salários e aposentadorias acima do teto constitucional. O maior beneficiário foi o general Luiz Eduardo Ramos, ministro da Secretaria-Geral, que embolsou R$ 350,7 mil a mais nos contracheques. (Folha) (Meio)

Documentos Mostram Mapa do Orçamento Secreto: Mecanismo usado pelo governo Bolsonaro para angariar apoios no Congresso e tema de uma crise entre Judiciário e Legislativo no fim do ano passado, o orçamento secreto começou a ter os detalhes revelados. Documentos entregues ao Superior Tribunal Federal (STF) pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), em cumprimento a uma decisão da Corte, expõem o mapa de distribuição de recursos entre os parlamentares. (Carta Capital)

Pacto pela Democracia: O movimento Pacto pela Democracia, que reúne mais de 200 organizações e atores políticos, entregou um manifesto em “defesa das eleições” aos presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin. A iniciativa tem como objetivo mobilizar a sociedade em um momento em que o sistema eleitoral tem sido reiteradamente atacado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). (Valor)

Fala de Alexandre Kalil Reforça Aliança com Lula: O ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), afirmou em sabatina do jornal “Folha de S.Paulo” e do portal “UOL”, que quer uma aliança formal com o PT, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e descartou a possibilidade de seu partido apoiar a reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL) nas eleições 2022. (Valor)

Pesquisa Quaest/Genial: O levantamento da Quaest/Genial indica que o ex-presidente Lula (PT) venceria no primeiro turno em todos os cenários. Na simulação com mais postulantes, ele alcança seu menor índice, 46%, mais do que a soma dos adversários: Jair Bolsonaro (PL), com 29%; Ciro Gomes (PDT), com 7%; João Doria (PSDB) e André Janones (Avante), com 3% cada; e Simone Tebet (MDB) e Felipe D’Ávila (Novo), ambos com 1%. Num eventual segundo turno, Lula venceria Bolsonaro por 54% a 35%. (CNN Brasil) (Meio)

Pesquisa PoderData: A pesquisa PoderData realizada de 08 a 10 de maio de 2022 mostra um primeiro turno mais apertado, revelando ainda que Bolsonaro parou de crescer. Lula lidera com 42%, seguido de Bolsonaro com 35%, Ciro com 5%, Doria com 4%, Janones com 3% e Tebet com 2%. Os demais pré-candidatos não atingiram um ponto. No segundo turno, Lula venceria Bolsonaro por 49% a 38%. (Poder360) (Meio)

Bolsonaro e os Evangélicos: Bolsonaro (PL) ganharia as eleições presidenciais de 2022 em 1º turno se a disputa fosse realizada só entre eleitores evangélicos. O atual presidente tem mais do que o dobro (52%) das intenções de voto de Lula (PT) no segmento (25%), mostra pesquisa PoderData realizada de 8 a 10 de maio de 2022. Na rodada de quinze dias antes, os percentuais eram 52% e 30%, respectivamente. (Poder 360)

Lula e os Católicos: Entre os eleitores católicos, o pré-candidato petista, Lula,  inverte o cenário e sai na frente. Tem 47%, ante 30% de Bolsonaro. O quadro é de estabilidade em relação a duas semanas antes (quando o placar era 45% X 33%). (Poder 360)

Toma Lá da Cá: Dados enviados pelo Congresso Nacional ao Supremo Tribunal Federal (STF) mostram que, os senadores da base aliada que se destacarem como integrantes da “tropa de choque” do governo Bolsonaro durante a CPI da Covid, em 2021, puderam indicar em torno de R$ 112 milhões a mais em emendas do orçamento secreto. Os valores apontam para um aumento de 52% na indicação de recursos feitas pelo grupo governista que era mais atuante na época das investigações contra o Palácio do Planalto. (Valor)

Ambiente Social, Emprego e Renda

Desemprego Estável 1: O detalhamento da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgado pelo IBGE, mostrou que vinte e seis das 27 unidades da federação registraram taxa de desemprego considerada estatisticamente estável no primeiro trimestre, em comparação aos últimos três meses do ano passado. (Valor)

Desemprego Estável 2: A taxa de desemprego nacional foi de 11,1% nos primeiros três meses do ano, igual à do quarto trimestre de 2021. (Valor)

Desempregados Há Mais de Dois Anos: Do total de desempregados no país no primeiro trimestre de 2022, 29% procuravam trabalho há mais de dois anos, apontam os dados da Pnad Contínua do IBGE. (Valor)

Rendimento Médio do Trabalhador: o Estado de São Paulo puxou o aumento de 1,5% do rendimento médio do trabalhador no primeiro trimestre do ano, ante o quarto trimestre. O valor ficou em R$ 2.548 no primeiro trimestre, R$ 38 a mais que os R$ 2.510 do quarto trimestre. As demais 26 unidades da federação apresentaram rendimento estatisticamente estável, ou seja, dentro da margem de confiança da pesquisa, que é feita por amostragem. (Valor)

Brasil da Obesidade: O Brasil caminha a passos largos para chegar a 2030 com 30% de sua população adulta obesa. Isto sem falar as crianças. A previsão faz parte do Atlas Mundial da Obesidade 2022 e, caso se confirme, levará o país ao quarto lugar no ranking mundial da obesidade. (Poder360) (Meio)

Ambiente Empresarial e Tecnológico

Negócios com 5G: O potencial de geração de negócios com automação da indústria usando tecnologia 5G está movimentando cada vez mais os diversos atores envolvidos nessa cadeia de valor. Empresas de consultoria, fornecedores de software e de equipamentos como robôs, operadoras de telecomunicações, dentre outros, todos querem entrar nas fábricas. O potencial financeiro em negócios com 5G é estimado em US$ 13,2 trilhões em 2035 e o Brasil representa uma fração dessa cifra. (Valor)

A Curiosa Moda Lixo: Acredite. A Balenciaga lançou uma coleção de tênis rasgados e com aparência de sujo, cada par sai por cerca de R$ 10 mil. O lançamento acabou virando piada nas redes sociais. Os novos calçados seguem a estética chamada de “destroyed” (destruída) e trazem consigo reflexões sobre o luxo em um cenário de guerra e de pobreza. (Valor)

Recompra de Títulos da Dívida Externa 1: Aproveitando o momento de queda do dólar, algumas empresas brasileiras, com altos níveis de caixa, aproveitaram a queda do dólar para recomprar títulos de dívida externa, antecipando-se a uma possível deterioração cambial. (Valor)

Recompra de Títulos da Dívida Externa 2: Nos primeiros quatro meses de 2022, dez empresas, incluindo a Petrobras e a Embraer, anunciaram ofertas públicas de recompra de bonds em dólares, conhecidas como “tender offers”. (Valor)

Mudanças na Aviação Civil: Os principais acionistas da empresa de aviação colombiana Avianca e o acionista controlador da Gol, a família Constantino, assinaram um acordo para criar uma holding que controlará as duas aéreas, assim como terá participação não controladora dos interesses econômicos nas operações da Viva na Colômbia e no Peru e um investimento em dívida conversível representando uma participação minoritária na Sky Airline (Chile). A holding, chamada de Grupo Abra, será uma empresa de capital fechado sediada no Reino Unido. A família Constantino é que terá a maior participação no negócio, segundo fontes. (Valor)

Atraso na Implantação do 5G: A implantação do 5G nas capitais brasileiras pode ser adiado e começar com atraso de dois meses. O Grupo de Acompanhamento das Obrigações da Faixa 3,4 GHz, o Gaispi, aprovou um prazo adicional de 60 dias para as operadoras começarem a rodar a tecnologia nas principais cidades. A decisão ainda precisa ser avaliada pelo conselho da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Pela regra estabelecida no leilão das faixas do 5G, a tecnologia deveria estar disponível nas capitais até 31 de julho, mas pode ficar para até 29 de setembro. Um dos motivos é a escassez de equipamentos necessários na implantação do 5G. (Estadão) (Meio)

Gestão Ambiental e Energia

Melhora a Capacidade dos Reservatórios: Os reservatórios das usinas hidrelétricas do subsistema Sudeste e Centro-Oeste devem registrar 68,2% de capacidade de armazenamento ao fim de maio, segundo a atualização semanal do boletim mensal de operação do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). (Valor)

Probabilidade de Queda no Fator de Capacidade: Segundo Jinsun Lim, analista de Energia e Mudanças Climáticas da Agência Internacional de Energia (AIE), um estudo realizado pela Agência sobre a geração hidrelétrica de 13 países da América Latina, indica a probabilidade de queda média de 8% no fator de capacidade das usinas da América do Sul, com as mudanças climáticas. Esse decréscimo pode ocorrer de forma desigual. No Brasil, a redução pode atingir de 13% no fator. (Valor)

Imobilismo do Conselho Nacional da Amazônia Legal: Em que pese o aumento nos alertas de desmatamento na Amazônia, o governo federal não planeja mudança de rumo no combate a ilícitos na floresta. Dia 11-05-2022 foi realizada a primeira reunião do ano do Conselho Nacional da Amazônia Legal (CNAL), comandado pelo vice-presidente Hamilton Mourão. O encontro terminou sem a apresentação de novas ações. (Valor)

Pistas de Pouso Clandestinas se Multiplicaram: As pistas de pouso e clareiras para helicópteros usadas por garimpeiros em terras ianomâmis em Roraima se multiplicaram durante o governo Bolsonaro. São informações recolhidas de relatórios sigilosos da Funai feitos a partir de dados do Ibama. Em 2019 haviam três pistas de pouso e 14 helipontos ilegais ao longo do Rio Mucajaí; três anos depois já foram identificados 87 espaços de aterrissagem na mesma região – em todo o território ianomâmi, o total chega a 227. (Globo) (Meio)

Ambiente Internacional

Inflação no México 1: A inflação mexicana atingiu em abril o maior índice em 21 anos, pressionada pelo preço dos alimentos, que fez com que o governo o governo local tomasse medidas para impedir o crescimento do custo de vida no país. (Valor)

Inflação no México 2: O Índice de Preços do Consumidor mexicano registrou em abril um aumento de 0,54% na comparação com o mês anterior, fazendo com que a taxa nos últimos doze meses subisse para 7,68%. (Valor)

Inflação no México 3: Daí que o pacote anti-inflação do México inclui subsídio a parte da conta de luz de residências do país, apoio a pequenos fazendeiros para aumentar suas produções de grãos, congelamento temporário em pedágios gerenciados pelo governo e a eliminação de tarifas de importação de alimentos básicos. (Valor)


Receba nossos conteúdos

    A gente quer manter você bem informado sobre tendências impactantes

    Deixe abaixo o seu e-mail para receber nossos insights sobre o futuro.

    Seu Nome (obrigatório)

    Seu e-mail (obrigatório)

    Notas Econômicas – Fontes:

    Valor, Folha, Terra, Estadão, UOL, Globo, Veja, Meio Newsletter, Poder 360, Metrópoles, Carta Capital, The Intercept Brasil e g1.

    Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.