Coleta de informações semanais feita pelo Economista Paulo Roberto Bretas

Os destaques da semana poderiam ser iniciados pelas denúncias sobre investigações que mostram o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, como donos de dinheiro em contas em paraísos fiscais. O ministro  mantém mais de 9,5 milhões de dólares em uma empresa nas Ilhas Virgens Britânicas. Mas, para mudar um pouco o foco das informações semanais mais importantes, o fato de maior visibilidade é atribuído ao dia em que a Terra parou — lembrando Raul Seixas. Intagram, WhatsApp e Facebook ficaram fora do ar por várias horas. A instabilidade, que se repete nesta sexta-feira, dá uma pequena mostra dos riscos de concentração das redes sociais, uma perspectiva vinculada à tendência “os vencedores levam tudo”.

Pela frente, comerciantes aguardam o Dia das Crianças, na expectativa do comportamento das vendas. A data vai sinalizar as perspectivas dos negócios pela frente. (Radar do Futuro)

Marcello Casal jr/Agência Brasil

Economia e Finanças

Relatório Focus Selic: Para a Selic o ponto-médio das expectativas manteve-se em 8,25% no fim de 2021 e 8,50% em 2022. A meta de inflação a ser perseguida pelo BC é de 3,75% em 2021 e 3,50% em 2022, sempre com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. (Valor)

Relatório Focus PIB: A mediana das projeções do mercado para o crescimento da economia brasileira em 2021 segue a mesma pela terceira semana consecutiva, em 5,04%. Para 2022, o ponto-médio das expectativas para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) também permaneceu inalterado, em 1,57%, depois de quatro semanas em queda. (Valor)

Relatório Focus Dólar: A mediana das estimativas para o dólar no fim deste ano foi mantida em R$ 5,20, segundo o Relatório Focus. Para 2022, o ponto-médio das projeções subiu de R$ 5,24 para R$ 5,25 entre uma semana e outra. (Valor)

Diagnóstico de BID – Habitação: Na coletânea “Habitação de Interesse Social: Construindo Novas Oportunidades”, resultado de uma parceria entre o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Secretária Nacional de Habitação (SNH) do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) o diagnóstico é que, com a forte restrição fiscal, o governo precisa aumentar a participação do setor privado no crédito habitacional para reduzir de maneira mais acelerada o déficit de quase 6 milhões de moradia no país. A mudança passa por aumentar as captações de recursos por meio de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI), Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e Letra Imobiliária Garantida, que, apesar de regulamentadas, continuam bastante tímidas no país. (Valor)

Queda na Produção Industrial: A produção da indústria brasileira recuou 0,7% em agosto, frente a julho, segundo a Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF), divulgada IBGE. É a terceira queda mensal seguida na série com ajuste sazonal, período no qual acumula perda de 2,3%. Em julho, o indicador teve queda de 1,2% na série com ajuste sazonal, após dado revisado (era recuo de 1,3%). Com o resultado de agosto, a indústria fica 2,9% abaixo do patamar pré-pandemia, em fevereiro de 2020 e 19,1% abaixo do nível recorde, em maio de 2011 e 6% abaixo de dezembro de 2020. (Valor)

Pressão Inflacionária: Aumentos de custos do transporte rodoviário no país têm aumentado a insatisfação de caminhoneiros, que ameaçam com paralisações. Mas os custos altos têm produzido outro reflexo: uma pressão contínua sobre os preços pagos pelos consumidores por produtos que dependem diretamente da logística das estradas. (Valor)

Desemprego 1: A taxa de desemprego mensal caiu de 13,7% em junho para 13,1% em julho, segundo os indicadores mensais de mercado de trabalho do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) calculado a partir dos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, que considera o desempenho médio em um trimestre móvel. (Valor)

Desemprego 2: Segundo dados mensais do Ipea, o pessoal ocupado chegou a 90,2 milhões de pessoas em julho, alta de 12% na comparação anual, o que fez o número chegar a patamar próximo ao de março de 2020. Naquele mês, já havia efeitos da pandemia no mercado. Na série com ajuste sazonal, frente ao mês anterior, houve alta de 1,2% em julho, a quarta taxa seguida no campo positivo. Nos dados com ajuste sazonal do estudo do instituto, verificou-se uma queda de quase 4% do contingente de desocupados em julho, na comparação com junho, para 13,4 milhões de desempregados. (Valor)

Desempenho do Varejo: A inflação afetou o resultado do comércio em agosto e traz dúvidas sobre a capacidade de o setor sustentar o ritmo de reação nos próximos meses. A análise é do economista sênior, Fabio Bentes, da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). A entidade reduziu a projeção para o desempenho do varejo em 2021, de um crescimento de 4,9% para aceleração de 4,6%. Em 2020, a variação foi de 1,2%. (Valor)

Saques na Poupança: Os novos saques em caderneta de poupança superaram as novas captações em R$ 7,719 bilhões no mês passado, conforme divulgado pelo Banco Central (BC). Em agosto, houve saque líquido de R$ 5,467 bilhões. Já o acumulado do ano mostrou saque líquido de R$ 23,349 bilhões. O resultado de setembro de 2021 se somou ao rendimento de R$ 3,084 bilhões creditado no mês. Assim, o saldo total da poupança ficou em R$ 1,031 trilhão, contra R$ 1,036 trilhão em agosto. (Valor)

Exportação de Frangos: As exportações de carne de frango do país (in natura e processada) somaram 418,5 mil toneladas e renderam US$ 730,5 milhões em setembro, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Em relação ao mesmo mês de 2020, o volume cresceu 21,3% e a receita foi 52,5% superior. A China continuou a ser o principal destino dos embarques. (Valor)

Exportações Minerais: As exportações do setor mineral totalizaram US$ 40,91 bilhões no acumulado de janeiro a agosto, o que representou um aumento de 93,6% em relação ao valor apurado no mesmo período do ano passado. Os dados são do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram). (Valor)

Projeções do Banco Mundial: O Banco Mundial melhorou a perspectiva de crescimento para a economia brasileira em 2021, mas piorou bastante o cenário para 2022, quando o Brasil deve ter o pior desempenho entre os países da América Latina e Caribe avaliados. De acordo com o relatório semestral da instituição, o Brasil deve ter expansão de 5,3% em 2021 e de 1,7% no próximo ano. Antes, as estimativas eram de 4,5% e 2,5% de expansão, respectivamente. Esse cenário mostra um desempenho do Brasil inferior à média da América Latina e Caribe nos dois anos, para o qual estão projetados aumentos de 6,3% e 2,8% para o PIB da região. (Valor)

Recuo no Comércio – Fatos: O comércio brasileiro teve queda expressiva em agosto, surpreendendo negativamente o mercado, que esperava alta do indicador. O recuo do volume de vendas foi de 3,1% frente a julho – o pior resultado no varejo restrito (que exclui veículos e construção civil) para um mês de agosto da série histórica da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) e o terceiro mais baixo de toda a série, iniciada em 2000. No varejo ampliado, que retraiu 2,5%, houve perdas em sete das dez atividades. 

Recuo no Comércio – Causas: Inflação, mercado de trabalho ainda fraco apesar do início da recuperação, renda em queda e concorrência com os gastos de serviços no orçamento das famílias – gastos que crescem com o avanço da vacinação – são os principais fatores que pesam no consumo. Além disso, o auxílio emergencial, que contribuiu para a reação do varejo no segundo semestre de 2020, agora tem um valor menor e com poder de compra corroído pela alta dos preços.  (Valor)

Prorrogação de Isenções Fiscais: O plenário do Senado aprovou, por 67 votos a três, um projeto que prorroga, por até 15 anos isenções, incentivos e benefícios fiscais vinculados ao ICMS, no âmbito da guerra fiscal entre os Estados. A proposta vai na contramão da PEC 110, da reforma tributária. O texto beneficia quatro setores principais: portuário e aeroportuário (vinculados ao comércio internacional), comercial (desde que o beneficiário seja o real remetente da mercadoria) e de produtos agropecuários. A proposta segue agora para sanção presidencial. (Valor)

Desaceleração das Vendas de Cimento 1: As vendas de cimento no mercado brasileiro vêm em processo de desaceleração desde julho, indicando que vão fechar 2021 em alta da ordem de 6% na comparação com o ano passado, que, mesmo num cenário de pandemia de covid-19, registrou crescimento de 11% sobre o volume de 2019. (Valor)

Desaceleração das Vendas de Cimento 2: De acordo com avaliação da entidade, “os principais indicadores de vendas de materiais de construção, particularmente do cimento, continuam desacelerando em virtude da menor renda da população e crescente endividamento das famílias – que atingiu 59,9% -, alto nível de desemprego, diminuição do auxílio emergencial e elevação das taxas de juros e inflação”. (Valor)

Subsídios à Agropecuária: O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) estendeu até 30 de abril de 2024 a redução ou isenção do Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para insumos e produtos agropecuários. A medida perderia a validade no fim deste ano. (Valor)

Quedas nas Vendas de Cimento: Em setembro, segundo dados divulgados pelo Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC), as vendas de cimento tiveram queda de 1,6%, com volume de 5,7 milhões de toneladas, na comparação com mesmo mês do ano passado. (Valor)

Inflação

Incrível Subida do IPCA 1: A inflação oficial brasileira, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 1,16% em setembro, após alta de 0,87% em agosto. É o maior resultado para o mês desde 1994 – quando a variação foi de 1,53%, logo depois do lançamento do Plano Real. Em setembro de 2020, o IPCA teve inflação de 0,64%. (Valor)

Incrível Subida do IPCA 2: O resultado acumulado em 12 meses atingiu a marca de dois dígitos, com variação de 10,25%. É a maior taxa em 12 meses desde fevereiro de 2016 (10,36%) As informações foram divulgadas pelo IBGE. (Valor)

Nem Cafezinho Escapa: O preço do café torrado e moído já subiu 28% nas gôndolas ao longo do ano, em decorrência, principalmente, da alta da matéria-prima. E novos reajustes virão até dezembro. A projeção para o ano de 2021 é de aumento de preços da ordem de 50%, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic). (Valor)

Relatório Focus Inflação: A mediana das projeções dos economistas do mercado para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2021 subiu pela 26ª semana consecutiva, agora de 8,45% para 8,51%, segundo o Relatório Focus, do Banco Central (BC), divulgado dia 04-10-2021 com estimativas coletadas até o fim da semana passada. Para 2022, subiu de 4,12% para 4,14%. (Valor)

Inflação no Mundo 1: Na OCDE, que inclui todas as economias desenvolvidas e alguns emergentes, a inflação anual subiu para 4,3% em agosto comparado a 4,2% em julho, impulsionada pelos preços de energia e de alimentos. Na zona do euro a alta foi ainda maior para 3% em agosto, comparada a 2,2% na taxa anual em julho. Por sua vez, a taxa anual nos EUA foi de 5,3%. (Valor)

Inflação no Mundo 2: No G20 como um todo, a taxa anual declinou em agosto para 4,5% comparado a 4,6% em julho. A Argentina continua a ter a maior inflação anual, de 51,4%, mas a taxa ficou estável, após nove meses consecutivos de alta. Na Turquia, em segundo lugar, caiu ligeiramente de 19,3% para 19,2%. (Valor)

Inflação no Mundo 3: Entre não-membros da OCDE, a inflação subiu na África do Sul para 5,1% ante 4,7% em julho, na Rússia com 6,7% comparado a 6,5% no mês anterior, e na Indonésia para 1,6% comparado a 1,5% em julho. (Valor)

Inflação no Mundo 4: A taxa anual diminuiu na Índia para 4,8% ante 5,3% em julho, na China para 0,8% comparado a 1% antes, e na Arábia Saudita para 0,3% ante 0,4%. (Valor)

Inflação dos Combustíveis: Os combustíveis veiculares ficaram em média 32% mais caros em 2021. O preço médio do litro da gasolina era de R$ 4,57 no início do ano, mas hoje é de R$ 6,09 e chega a R$ 7,16 em alguns locais do país, segundo a ANP (Associação Nacional de Petróleo). Já o etanol começou o ano custando R$ 3,17 e hoje sai por R$ 4,73. (Poder 360)

Governo e Ambiente Político

Pesquisa Quaest/Genial: Pesquisa Quaest/Genial divulgada dia 05-10-2021 projeta vitória de Lula em todos os cenários considerados para as eleições presidenciais de 2022. As intenções de voto no petista variam entre 43% e 46% no 1º turno – no 2º, o ex-presidente superaria qualquer adversário. (Carta Capital)

Offshores e Conflitos de Interesses 1: O ministro Paulo Guedes, mantém uma empresa offshore no paraíso fiscal da Ilhas Virgens Britânicas, no Caribe, com patrimônio de US$ 9,55 milhões (cerca de R$ 55 milhões). A informação consta de um imenso banco de dados, chamado Pandora Papers, montado por um consórcio de veículos de comunicação de diversos países e expõe casos semelhantes de empresários brasileiros e autoridades de diversos países. (Piauí) (Meio)

Offshores e Conflitos de Interesses 2:  Ter uma offshore não é ilegal, desde que a empresa e seu patrimônio tenham sido declarados à Receita Federal, o que é o caso de Guedes. Porém, o fato de o ministro comandar a política econômica brasileira e tomar decisões que impactam câmbio e tributação, com reflexos sobre bens no exterior, traz um aparente conflito com o artigo 5º do Código de Conduta da Alta Administração Federal. (Piauí) (Meio)

Offshores e Conflitos de Interesses 3:  Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, também é apontado como dono de offshores, mas fechou uma delas e diz não fez remessas de capital para as demais nem investiu com recursos delas desde que assumiu o cargo. Entretanto, ele e Guedes, à frente do Conselho Monetário Nacional (CMN), aprovaram medida beneficiando possuidores de recursos no exterior. Guedes e Campos negaram ilegalidades, e o Planalto ainda não se manifestou. (Piauí) (Meio)

Outras Contas em Paraísos Fiscais: Paulo Guedes e Roberto Campos não são os únicos brasileiros com offshores, geralmente abertas para proteger recursos de tributação no país de origem. Segundo os Pandora Papers, 66 dos maiores devedores brasileiros de impostos mantêm empresas em paraísos fiscais. Juntos, eles devem cerca de R$ 16 bilhões em impostos. (El País) (Meio) 

Conduta Anti-Ética: A Procuradoria-Geral da República abriu uma investigação preliminar para apurar conflitos de interesses por Guedes e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, terem empresas em paraísos fiscais. O Código de Conduta da Alta Administração Federal proíbe que servidores públicos de alto escalão tenham empresas que possam ser beneficiadas por informações privilegiadas ou decisões sob a alçada deles. A exposição dos dois faz parte de um grande levantamento de veículos de comunicação de todo o mundo chamando Pandora Papers. (Estadão) (Meio)

Será o Fim do Paulo Guedes? O ministro da Economia, Paulo Guedes, tem apanhado muito desde a revelação de que possui uma empresa offshore num paraíso fiscal. E boa parte dessa saraivada é fogo amigo. Colegas de governo e aliados de Jair Bolsonaro têm pressionado o presidente a fritar o outrora superministro. Guedes, dizem fontes, nunca esteve tão isolado. (Folha) (Meio)

Manifestações do dia 02-10-2021: No sábado, manifestantes pediram o impeachment do presidente Jair Bolsonaro e protestaram contra a alta da inflação e o gerenciamento da pandemia de covid-19 em 304 cidades do Brasil e em mais 18 países. O maior dos atos ocupou dez quarteirões da Avenida Paulista, em São Paulo, mas com grande concentração apenas nas imediações do MASP, onde ficaram os carros de som. Os organizadores falaram em 100 mil participantes, mas a PM estimou o número em 8 mil pessoas. Embora 21 partidos tenham participado da organização, os discursos foram predominantemente de nomes da esquerda, como o ex-prefeito Fernando Haddad (PT), Guilherme Boulos (PSOL) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT). Ciro aliás, foi alvo de vaias e ataques por parte de militantes do PCO enquanto discursava. Nas redes sociais, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho Zero Três do presidente, ironizou o tamanho das manifestações. (UOL) (Meio)

Arthur Lira, um Bolsonarista de Plantão: Não se limita a engavetar pedidos impeachment a blindagem de Jair Bolsonaro pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Como conta Rubens Valente, Lira usa uma manobra regimental para devolver aos autores projetos de lei contrários aos interesses do governo sem que passem por qualquer avaliação. Já são 55 casos em que o presidente da Casa declara o projeto inconstitucional sem submetê-lo à CCJ, que deveria fazer essa avaliação. (UOL) (Meio)

Violação de Direitos das Crianças: O presidente Jair Bolsonaro foi denunciado ao Comitê de Direitos da Criança da ONU por utilizar crianças para difundir o uso de armas de fogo. A ação de 80 ONGs acontece após ele ter posado com um menino de seis anos vestido de policial e com uma arma de brinquedo. Segundo as entidades, Bolsonaro “corrompe toda a moralidade e dignidade a que uma criança faz jus”. (Metrópoles) (Meio)

Resposta Condenatória da ONU: O Comitê da ONU dos Direitos da Criança (OHCHR) emitiu uma nota condenando o presidente Jair Bolsonaro por exibir num evento uma criança de seis anos com uma arma de brinquedo “para promover sua agenda política”. A condenação, no caso, não implica qualquer punição, é apenas um constrangimento moral. (UOL) (Meio)

Caixa Dois de Fábio Faria: A PGR (Procuradoria Geral da República) pediu o envio do inquérito que investigava suposto caixa 2 do ministro da Comunicação, Fábio Faria (PSD-RN), à Justiça Eleitoral. O ministro é suspeito de receber propina da construtora Odebrecht na eleição de 2010 para a Câmara dos Deputados. (Poder 360)

Igor Felippe Santos: “A capacidade de mobilização das forças sociais e o potencial de galvanização na sociedade da palavra de ordem “Fora Bolsonaro, impeachment já” bateram no teto. Diversos analistas que fazem esse diagnóstico interpretam por diferentes prismas seu significado. Há motivos mais conjunturais e outros mais estruturais. A grande questão, na minha interpretação, é que a sociedade não acredita na capacidade desse movimento de alcançar seu objetivo, afastar o presidente Bolsonaro. O ceticismo é desmobilizador, e alimentar falsas ilusões pode, inclusive, aprofundá-lo. Esse problema tem sido recorrente no último período, desde o “Não vai ter golpe”, passando pela luta contra as reformas e a prisão do Lula”. (Carta Capital)

De Volta ao PP: A volta do presidente Jair Bolsonaro ao PP, partido ao qual foi filiado entre 2005 e 2016, está 90% certa, na avaliação do presidente interino do partido, o deputado André Fufuca (MA). Segundo o parlamentar há poucos estados contra, especialmente no Nordeste, “mas nada demais”. Fufuca diz que Bolsonaro não exigiu o controle da legenda, mas quer escolher os candidatos ao Senado em alguns estados. (Metrópoles) (Meio)

DEM e PSL: Integrantes do DEM e do PSL aprovaram a fusão das duas legendas dia 06-10-2021, em convenções partidárias realizadas em conjunto, em Brasília. Como já divulgado, o novo partido criado da fusão se chamará União Brasil e terá o número 44 após a homologação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que deve demorar cerca de três meses. (Valor)

União Brasil: Depende do TSE a criação do maior partido político no Congresso Nacional. O DEM e o PSL aprovaram dia 06-10-2021 sua fusão e a criação do União Brasil, que deverá ter o número 44. Além de uma superbancada com 82 deputados — 29 a mais que os 53 do PT, segunda força na Câmara — e oito senadores, a nova legenda deve ter um peso imenso nas eleições estaduais, com pelo menos 12 nomes disputando governos como cabeças de chapa. A estimativa dos dirigentes da legenda é de que o TSE homologue a fusão até fevereiro, antes da janela de troca de desfiliações em março. (Globo) (Meio)

União Honra Pagamentos 1: A União desembolsou R$ 649,62 milhões para honrar dívidas não pagas por cinco Estados em setembro, de acordo com o Relatório de Garantias Honradas pela União, divulgado há pouco pela Secretaria do Tesouro Nacional. No mês, foram bancados R$ 475,52 milhões relativos a inadimplências do Estado do Rio de Janeiro, R$ 77,78 milhões de Goiás, R$ 75,22 milhões de Minas Gerais, R$ 16,17 milhões de Amapá e R$ 4,93 milhões do Rio Grande do Norte. (Valor)

União Honra Pagamentos 2: Nos primeiros nove meses do ano, foram honrados R$ 6,16 bilhões em operações de crédito garantidas de cinco Estados e um município. Os mutuários que tiveram os maiores valores honrados no ano foram os Estados do Rio de Janeiro (R$ 2,53 bilhões), Minas Gerais (R$ 2,32 bilhões) e Goiás (R$ 1,06 bilhão). (Valor)

Meio Ambiente

Amazônia Perdendo Água: A região amazônica tem perdas de água que representam um risco para o mundo, alertou hoje o secretário-geral da Organização Meteorológica Mundial (OMM), Petteri Taalas, ao apresentar relatório de agências das Nações Unidas sobre “O Estado dos Serviços Climáticos 2021”. A queda da precipitação e as temperaturas mais altas na Amazônia são um risco para todo o ecossistema. (Valor)

Recursos Captados pelo BNDES: O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou a captação de US$ 500 milhões com o New Development Bank (NDB), o banco de desenvolvimento dos Brics – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Os recursos serão usados para financiar projetos que promovam a redução da emissão de gases poluentes e a adaptação aos efeitos das mudanças do clima. (Valor)

Certificação Verde 1: A União Europeia (UE) deverá anunciar em novembro proposta para exigir de seus importadores de carne bovina, soja, café, cacau, madeira e óleo de palma que se certifiquem de que essas seis commodities são provenientes de terras que não foram desmatadas ilegalmente ou contribuíram para a degradação de solos depois de 1º de janeiro de 2021. (Valor)

Certificação Verde 2: Pelos cálculos da UE, sua futura regulação vai salvar pelo menos 71.920 hectares de floresta anualmente. Pelo menos 31,9 milhões de toneladas de carbono a menos serão emitidas, comparado a uma situação de desmatamento. Calcula que isso representa economia de pelo menos € 3,2 bilhões. (Valor)

Ambiente Social, Emprego e Renda

Endividamento das Famílias: A parcela de famílias endividadas em setembro registrou patamar recorde na Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). No levantamento, a fatia de endividados ficou em 74% no mês passado. Além de ser superior à de agosto (72,9%) e à de setembro de 2020 (67,2%), foi recorde para a pesquisa iniciada em 2010. (Valor)

Inadimplência das Famílias: O endividamento recorde não levou à piora em inadimplência das famílias. Na Peic, 25,5% informaram dívidas em atraso, abaixo de agosto (25,6%); e de setembro de 2020 (26,5%). Já a parcela de endividados que informaram não ter condição de pagar ficou em 10,3% em setembro, abaixo de agosto (10,7%) e de setembro de 2020 (12%). (Valor)

Reparação de Danos da Samarco: Responsável por reparar danos causados pelo rompimento, em 2015, da barragem de Fundão, da Samarco, em Mariana (MG), a Fundação Renova atingiu em setembro R$ 6,5 bilhões em indenizações e auxílios financeiros emergenciais pagos, abrangendo um total de 330 mil pessoas. O montante é mais que o dobro das indenizações pagas há um ano. A projeção de desembolso total para 2021 é R$ 7,99 bilhões. (Valor)

Auxílio Emergencial em BH: O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), sancionou a Lei 11.314/21, que institui programa de auxílio a famílias em situação de extrema pobreza, carência e insegurança social. O programa deve beneficiar 380 mil famílias e cada cadastro (CAD Único) receberá de R$ 100 a R$ 400 mensais durante seis meses, dependendo de cada caso. O programa precisa ser regulamentado. A expectativa da prefeitura é começar a pagar o benefício em dezembro. A estimativa é de um gasto de R$ 240 milhões com o auxílio. (Valor)

Veto do Presidente Bolsonaro 1: O presidente Jair Bolsonaro vetou o projeto aprovado pelo Congresso que previa a distribuição gratuita de absorventes a estudantes de baixa renda das escolas públicas, mulheres em situação de rua e outros grupos. A justificativa foi que o projeto não previa a fonte de custeio, embora o texto indicasse que os recursos viriam do SUS. A Presidência respondeu que absorventes “não são medicamentos essenciais”. (UOL) (Meio)

Veto do Presidente Bolsonaro 2: A decisão trouxe novamente ao debate o conceito de “pobreza menstrual” e a dificuldade de promover políticas públicas capazes de acolher estudantes de baixa renda de escolas públicas e pessoas em situação de rua ou de vulnerabilidade extrema. (g1)

Ricardo Rangel: “É sabido que a falta de absorventes compromete a frequência escolar e o comparecimento ao trabalho, e impacta fortemente a qualidade de vida, a dignidade e a autoestima de mulheres e meninas pobres. O veto é de covardia e crueldade ímpares, mas não surpreende. Bolsonaro despreza pobres, mulheres, estudantes, presidiários e outras minorias, faz o que pode para prejudicá-los.” (Veja) (Meio)

Difícil Vida de Motorista de Aplicativos: Motoristas de aplicativo gastam mais da metade do que ganham nas corridas para abastecer o carro. A proporção era de 20% em 2017, mas disparou com a alta dos combustíveis. Resultado: motoristas deixando a profissão e menos oferta para usuários do serviço. (Poder 360)

Fragilidade da Renda dos Mais Pobres: Crianças e adolescentes pobres no Brasil sofrem não apenas por causa da renda mais baixa, mas por causa da fragilidade dessa renda. Estudo do Instituto Mobilidade e Desenvolvimento Social, a partir de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, mostra que os domicílios pobres apresentam características que deixam a renda da família ainda mais vulnerável, se comparados com os lares dos 20% com mais renda no país. (Valor)

Ambiente Tecnológico

Fora do Ar: Facebook, WhatsApp e Instagram ficaram fora do ar na tarde de 04-10-2021. Pessoas em todo o mundo relataram dificuldades para acessar os três serviços que pertencem ao Facebook. O problema começou por volta das 12h50 e continuou por mais de seis horas até o início da noite, quando os três começaram a abrir novamente para alguns usuários. Foi a pior interrupção sofrida pela gigante de tecnologia desde 2008, quando uma falha deixou o Facebook offline por cerca de um dia para os 80 milhões de usuários. Sem uma resposta oficial do Facebook e das principais empresas de propriedade de Mark Zuckerberg, especialistas em segurança digital divergem sobre o que pode ter acontecido com os sistemas. (g1) (Meio)

Realidade Aumentada: E os investimentos em tecnologia de realidade aumentada (RA) devem subir de US$ 12 bilhões em 2021 para US$ 72,8 bilhões em 2024, segundo um estudo da Deloitte. A pesquisa também revela que as empresas que oferecem esse serviço têm 41% mais chances de serem consideradas pelos consumidores. Outro dado importante é que mais da metade dos entrevistados (56%) disseram que a pandemia tornou as experiências digitais de RA mais importantes. (Forbes Brasil) (Meio)

CEO do Facebook se Defende: Depois da audiência com a ex-funcionária Frances Haugen no Congresso dos Estados Unidos, Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, decidiu se pronunciar. Ele rebateu as acusações de que o site prioriza lucro em cima de informações e conteúdos sensíveis de seus usuários, de que prejudica crianças e de que enfraquece a democracia. Em um longo texto direcionado aos funcionários da companhia, o executivo afirma que “nos preocupamos profundamente com questões como segurança, bem-estar e saúde mental”, reclamando da suposta “falsa imagem que está sendo pintada da empresa”. Ele também falou sobre a pane global que tirou do ar o Facebook, WhatsApp e Instagram, se referindo ao episódio como “a pior queda que tivemos em anos.” (g1) (Meio)

Porque as Redes Sociais me Assustam 1: Em Myanmar, um monge budista radical e ultranacionalista fez despertar pelo Facebook um movimento que levou a uma campanha de limpeza étnica da comunidade rohingya, muçulmana e minoritária no país. Sim: houve um genocídio que nasceu nas páginas de uma rede social. (Meio)

Porque as Redes Sociais me Assustam 2: No Sri Lanka, ondas de vigilantismo e linchamentos contra minorias foram igualmente documentadas. Como o foram na Índia, na Indonésia e nas Filipinas. (Meio)

Porque as Redes Sociais me Assustam 3: Eclode na Etiópia algo que pode se tornar uma guerra civil. E, com frequência, o ódio que leva à morte entre grupos étnicos distintos é atribuído a desinformação que se espalha pela rede. (Meio)

Quanto Custa Produzir um I-Phone: Quanto custa para produzir o novo iPhone 13 Pro? De acordo com o portal TechInsights, a Apple gasta em média US$ 570 dólares (R$ 3.057) para fabricar cada smartphone, um aumento de 4% em comparação com os US$ 548 (R$ 2.939) da versão anterior. Mesmo com o aumento no custo, a Apple decidiu manter o mesmo preço para consumidores em relação ao ano passado, com o valor sugerido de US$ 999 (R$ 5.358). (Canaltech) (Meio)

Ambiente Empresarial

Perdas das Cias Aéreas: Os prejuízos das companhias aéreas com a pandemia do coronavírus devem ultrapassar US$ 200 bilhões à medida que as restrições às viagens devem pesar sobre a demanda corporativa e de longa distância até 2022, de acordo com Associação Internacional de Transporte Aéreo. 

Setor Calçadista: O setor calçadista prevê crescimento médio de 12,2% em 2021 e de 2,6% em 2022, segundo a Abicalçados, associação que representa essa indústria. No segundo semestre as taxas de crescimento do setor devem desacelerar em comparação a uma base mais forte mesmo período do ano passado, quando a atividade já dava sinais de retomada. Ainda assim, a perspectiva é de crescimento no consolidado do ano. (Valor)

Ambiente Internacional

Pandora Papers: A lista do Pandora Papers com os nomes de políticos e empresários que mantêm contas em paraísos fiscais é farta em autoridades internacionais. São 14 chefes de estado e governo na ativa e outros 21 que já deixaram o poder: Ilham Aliyev, presidente do Azerbaijão; Andrej Babiš, que tenta se reeleger esta semana premiê da República Tcheca; Volodymyr Zelenskiy, presidente da Ucrânia, e muitos outros. Sem contar toda a corte que gravita em torno do presidente russo Vladimir Putin. (Guardian) (Meio)

Crescimento na Zona do Euro: O crescimento econômico na zona do euro perdeu força pelo segundo mês seguido em setembro, afastando-se ainda mais da máxima em 15 anos alcançada em julho, com os choques na cadeia global de suprimentos inibindo os setores industrial e de serviços. Segundo dados divulgados pelo IHS Markit, o índice composto dos gerentes de compras (PMI) que abrange ambos os setores caiu a 56,2 no mês passado, de 59,0 em agosto. (Valor)

Fusões e Aquisições: O valor total dos acordos globais para fusões e aquisições encerrou o terceiro trimestre em US$ 3,8 trilhões, segundo dados da Bloomberg. Com isso, o volume em 2021 está a apenas algumas centenas de bilhões de dólares de ultrapassar o recorde anual de US$ 4,1 trilhões estabelecido em 2007. As transações em tecnologia lideram à medida que empresas de todos os setores adaptam seus negócios para a era digital. (Valor)

Google Investe na África: O Google anunciou dia 06-10-2021 que vai investir US$ 1 bilhão na África nos próximos cinco anos. O intuito é aumentar a conectividade e desenvolver comunidades, além de apoiar startups e pequenas e médias empresas. A ideia é facilitar o acesso a empréstimos com juros baixos e a recursos de organizações não-governamentais. (Valor)

Crise Energética da China: Relatório do Rabobank afirma que a crise energética na China já impacta cadeias de suprimento de todo o mundo. Os setores de alimentação e agronegócios também são afetados, principalmente a produção de fertilizantes e defensivos agrícolas. As exportações de alguns insumos fabricados pelos chineses poderão ficar restritas e deverão causar aumento dos preços no mercado global. (Valor)


Notas econômicas: fontes

Jornal Valor, Globo, Folha, Estadão, Canal Meio Newsletter, Carta Capital, Poder 360, UOL, CNN Brasil, Mercado & Consumo, Forbes Brasil, Época Negócios, El País, Metrópoles, Piauí, Canaltech e g1.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.