Coleta de informações semanais feita pelo Economista Paulo Roberto Bretas

Paulo Guedes 
Notas econômicas: 23 a 27 de agosto de 2021
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, não tem do que reclamar. A inflação em alta, combustível caro e com reajustes sem controle, desemprego, miséria crescente, descrença no futuro e instabilidade política não parecem causar problemas para o sono do banqueiro que temporariamente ocupa um cargo público. Que nada. Ele contabiliza vitórias. Como a aprovação nesta semana, definitivamente, da autonomia do Banco Central. Por oito votos a dois, o Supremo Tribunal Federal julgou constitucional a lei que possibilitou à chamada “autoridade monetária” desempenhar livremente a sua, por assim dizer, autoridade para definir as prioridades da política monetária, decisões centrais que vão impactar o País. O texto defendido pelo ministro e pelo sistema financeiro foi aprovado pela Câmara dos Deputados no último dia 10 de fevereiro e estabelece que o presidente e diretores do BC tenham mandatos de quatro anos. Haverá também um escalonamento para que o presidente da autarquia e a maioria da diretoria sejam indicados pelo chefe do Executivo apenas no terceiro ano de mandato presidencial.


Economia e Finanças

População do Brasil: Segundo o IBGE o total da população atingiu no dia 01-07-2021 o total de 213.317.639 pessoas. Em 2020, o contingente de habitantes no país era de 211.755.692 pessoas. Assim, houve um aumento de 0,73% da população em 2021, frente a 2020. As estimativas são feitas por procedimento matemático, mas os efeitos da pandemia não foram considerados por falta de dados de migração e da necessidade de consolidação dos dados de mortalidade e fecundidade. (Valor)

Supremo Valida Autonomia: Por 8 votos a 2, o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu manter válida a lei que instituiu a autonomia do Banco Central (BC). Para a maioria dos ministros, não houve nenhum vício formal na maneira com que o projeto tramitou no Congresso Nacional. (Valor)

Nota do Dieese: A conclusão da mais recente nota do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, o Dieese sobre os Correios é de que a privatização é um péssimo negócio. A entidade analisou o projeto de lei em tramitação no Congresso, comparando tendências mundiais e projetando várias consequências negativas para a população caso a operação vá adiante. (Carta Capital)

Moeda nas Privatizações: A possibilidade do uso de precatório como moeda de privatização consta da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios, encaminhada pelo governo ao Congresso neste mês e que ainda será debatida. Precatórios são créditos detidos por pessoas e empresas que venceram na Justiça causas contra a União. Nas privatizações, esses créditos serão aceitos por seu valor de face. (Valor)

PEC dos Precatórios: A PEC dos Precatórios foi formulada pelo governo com o objetivo de parcelar uma conta de R$ 90 bilhões desse tipo de crédito a ser paga em 2022. Para os superprecatórios, a ideia é pagar 15% em 2022 e parcelar o restante em nove vezes. Do contrário, o Orçamento de 2022 ficaria comprometido, diz o governo. (Valor)

Fórmula para Pagamento dos Precatórios: O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, defendeu a criação de uma fórmula para pagamento de precatórios que, segundo sua avaliação, não representaria calote, seria suportável para a União e teria boa aceitação no mercado. Sob mediação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), seria estabelecida a data de criação da lei do teto de gastos para separar precatórios que seriam pagos em 2022 dos que ficariam a espera do Orçamento de 2023, o que chamou de “microparcelamento”. (Valor)

Reforma do Imposto de Renda: Estudo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) mostra que uma elevação do IR sobre as pessoas físicas com renda acima de 20 salários-mínimos poderia financiar de forma permanente uma ampliação da atual rede de proteção social de forma a abarcar total de 28,4 milhões de famílias que compõem os 30% mais pobres do país. (Valor)

Relatório Focus PIB: A mediana das projeções do mercado para o crescimento da economia brasileira em 2021 registrou sua segunda queda consecutiva, agora de 5,28% para 5,27%, no Relatório Focus, do Banco Central (BC), divulgado dia 23-08-2021, com estimativas coletadas até o fim da semana passada. Para 2022, o ponto-médio das expectativas para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) também recuou, pela terceira semana seguida, de 2,04% para 2,00%. (Valor)

Relatório Focus Selic: Para a taxa básica de juros (Selic), o ponto-médio das expectativas manteve-se em 7,50% tanto no fim de 2021 quanto no de 2022. A meta de inflação a ser perseguida pelo BC é de 3,75% em 2021 e 3,50% em 2022, sempre com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. (Valor)

Relatório Focus Câmbio: A mediana das estimativas para o dólar no fim deste ano foi mantida em R$ 5,10 pela terceira semana seguida, segundo o Relatório Focus.

Salto do Juro Real: O salto das taxas de mercado diante do estresse em torno da situação fiscal e da continuidade das pressões inflacionárias deu impulso ao juro real, que atingiu o maior nível desde outubro de 2018 na semana passada. Cálculos do Valor Data a partir dos contratos de swap de juro de 360 dias e das expectativas de inflação de um ano apontam que a taxa de juro real ex-ante subiu a 3,61% dia 19-08-2021. (Valor)

Arrecadação Federal Recorde: A arrecadação federal de impostos registrou uma alta real de 35,47% em julho na comparação com igual mês do ano passado e chegou a R$ 171,270 bilhões, um valor recorde para o mês. Com o desempenho de julho, o recolhimento no ano atingiu a marca de R$ 1,053 trilhão, uma elevação real de 26,11% ante o mesmo período de 2020. O montante do ano também é recorde. O maior saldo visto até então era o de 2013: R$ 1,010 trilhão. (Valor)

Desonerações Tributárias: O governo deixou de arrecadar R$ 54,273 bilhões nos primeiros sete meses do ano devido a desonerações tributárias. Em 2020, abriu mão de R$ 54,062 bilhões no mesmo período. Apenas em julho, as desonerações somaram R$ 7,317 bilhões. (Valor)

Vendas de Títulos do Tesouro: As vendas de títulos do Tesouro Direto superaram os resgates em R$ 934,1 milhões em julho de 2021 – a captação líquida mais alta desde abril de 2020, quando chegou a R$ 1,6 bilhão. Com o resultado, o programa passa a acumular a captação líquida de R$ 1,5 bilhão em 2021. No mês de julho, o Tesouro Selic foi o papel mais demandado em julho, com participação de 44,8% nas vendas. (InfoMoney) (Meio)

Aumento dos Juros Bancários: Os juros bancários médios subiram pela primeira vez em três meses, de 20% ao ano em junho para 20,5% ao ano em julho, refletindo o aumento dos custos de captação dos bancos e a alta dos spreads bancários, em meio ao acirramento do ciclo de aperto monetário pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. (Valor)

Crédito Imobiliário: O crédito imobiliário com recursos da poupança movimentou R$ 18,79 bilhões em julho, com alta de 73,6% em relação ao mesmo mês de 2020 e queda de 4,4% frente ao mês imediatamente anterior, segundo a Abecip, associação das instituições que oferecem essa modalidade de crédito. (Valor)

Home Equity Avança: O crédito com garantia de imóvel (CGI) – também conhecido como “home equity” – ainda é pouco comum no Brasil, mas vem apresentado crescimento expressivo. De acordo com dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), o volume de concessões aumentou 50,3% de janeiro a junho de 2021 em relação ao mesmo período do ano passado. Com isso, o estoque da modalidade está em R$ 12,3 bilhões, distribuídos entre cerca de 95 mil contratos. (Valor)

Total de Empresas do Setor de Serviços: Segundo dados do IBGE, o total de empresas do setor de serviços avançou de 969,2 mil em 2010 para 1,371 milhão em 2019. Essas companhias geraram, em 2019, R$ 1,8 trilhão em receita operacional líquida e R$ 1,1 trilhão de valor adicionado. Os quase 13 milhões de trabalhadores do setor receberam R$ 376,3 bilhões em salários, retiradas e outras remunerações. (Valor)

Swaps Cambiais: O Banco Central (BC) teve perda de R$ 26,198 bilhões nas operações de swaps em agosto, até o dia 20, conforme divulgado pela autoridade monetária. Desde o início do ano, houve perda de R$ 10,150 bilhões. Com esses contratos, a autoridade monetária oferece proteção ao mercado quando há grande volatilidade no câmbio. No contrato, o BC é perdedor quando o dólar sobe frente ao real e ganha com a valorização da moeda nacional. Em 2020, a conta ficou negativa em R$ 40,801 bilhões. (Valor)

Crescimento da Carteira de Crédito: O saldo total da carteira de crédito deve crescer 1,3% em julho deste ano, uma aceleração comparada ao que foi registrado em junho (alta de 0,9%). Se essa estimativa for confirmada pelo Banco Central (BC), o ritmo de expansão anual da carteira deve ficar estável em 16,3%, um patamar ainda considerado bastante elevado. As projeções fazem parte da Pesquisa Especial de Crédito da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), divulgada mensalmente e que serve como uma prévia do levantamento oficial feito pelo BC. (Valor Invest)

Casa da Moeda: O governo decidiu retirar a Casa da Moeda do Programa Nacional de Desestatização (PND). A decisão foi tomada na reunião do conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). (Valor)

Redução do PIB da Agropecuária: O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revisou de 2,6% para 1,7% sua estimativa para o crescimento do valor adicionado do setor agropecuário do país em 2021. O ajuste refletiu os problemas climáticos que prejudicam culturas como milho, café e cana, e a piora das perspectivas para a produção de bovinos. O órgão destaca que será o quinto avanço anual consecutivo. (Valor)

Agropecuária 2022: A partir das primeiras informações da Companhia Nacional de Abastecimento para a safra 2021/22, o Ipea prevê que o valor adicionado da agropecuária brasileira crescerá 3,3% no ano que vem, com crescimentos de 3,9% da produção vegetal e de 1,8% da produção animal.

Inflação

Bernardo Mello Franco: “Governadores aliados de Bolsonaro vetaram a divulgação de uma carta conjunta contra as ameaças do presidente à democracia e ao STF. A proposta foi bombardeada por Romeu Zema (Novo-MG), Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Carlos Moisés (PSL-SC), que pretendem concorrer à reeleição em 2022 com apoio do presidente.” (Globo) (Meio)

Relatório Focus IPCA: Para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a mediana das projeções subiu pela 20ª semana consecutiva, agora de 7,05% para 7,11%. Para 2022, também subiu, de 3,90% para 3,93%, em sua quinta alta seguida.
IPCA-15 em Aceleração 1: O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo -15 (IPCA-15) acelerou a alta para 0,89% em agosto, após marcar 0,72% em julho, informou nesta quarta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa é a maior para um mês de agosto desde 2002, quando foi de 1%. Em agosto de 2020, o IPCA-15 tinha avançado 0,23%. (Valor)IPCA-15 em Aceleração 2: A energia elétrica foi a principal influência individual para a alta do IPCA-15 em agosto. No acumulado em 12 meses, o IPCA-15 ficou em 9,30% em agosto, ante 8,59% até julho. (Valor)

Governo e Ambiente Político

Tensão com as Polícias Militares: A tensão entre os governadores em relação aos atos marcados para o Sete de Setembro segue alta. Segundo Bela Megale, eles querem conversar com o comando das Forças Armadas antes do feriado. As convocações de PMs para engrossar manifestações pró-governo serão um dos temas dessas conversas. (Globo) (Meio)

Alexandre Moraes Avalia: Para o ministro do STF Alexandre Moraes, o temor é infundado, como nos conta Lauro Jardim. Ao receber senadores da CPI da Pandemia, Moraes disse que está em contato com as secretarias de Segurança dos estados e descartou um levante de PMs. O ministro é oriundo da área de segurança e mantém forte ligação com o setor. (Globo) (Meio)

Aprovação Sem Vetos: A Secretaria-Geral da Presidência informou dia 23-08-2021 que o presidente Bolsonaro manteve na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) os marcadores RP-8 e RP-9, os quais se referem às chamadas emendas de comissão permanente e do relator-geral do orçamento. As emendas de relator-geral são usadas pelo governo federal para distribuir recursos a sua base. (Valor)

Pedido de Impeachment: A decisão do presidente Jair Bolsonaro de, contrariando apelos de aliados, pedir ao Senado o impeachment do ministro do STF Alexandre de Moraes teve até o momento apenas uma consequência: fazer políticos, a magistratura e o próprio STF cerrarem fileiras com o ministro. O pedido, ao contrário do que prometia Bolsonaro, deixou de fora Luís Roberto Barroso. No mesmo dia o STF divulgou nota de apoio a Moraes, e o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse não ver fundamentos no pedido. No sábado, o STJ, a OAB e as associações de juízes e procuradores se manifestaram contra o que consideram um ataque ao Judiciário. Para fechar o pacote, ontem foi a vez de dez partidos políticos – PDT, PSB, Cidadania, PCdoB, PV, Rede e PT em um manifesto e MDB, DEM e PSDB em outro – defenderem o ministro. (Folha) (Meio)

Lula Livre: A juíza Pollyanna Kelly Alves, da 12ª Vara da Justiça Federal em Brasília, rejeitou a denúncia contra o ex-presidente Lula e os demais acusados no caso do sítio de Atibaia. O Ministério Público Federal havia apresentado a denúncia após o ministro Edson Fachin anular e retirar da Lava-Jato de Curitiba as ações contra Lula. A juíza, porém, avaliou que o MPF não apresentou novas provas, além das obtidas pela força-tarefa do Paraná, tornadas nulas quando o STF considerou que o ex-juiz Sérgio Moro foi parcial nos casos envolvendo o ex-presidente. Cabe recurso, mas a decisão praticamente enterra o processo. (G1) (Meio)

Lauro Jardim: “Jair Bolsonaro botou nas mãos de Ciro Nogueira uma guloseima apetitosa. Ofereceu mais quatro ministérios para o Centrão — ainda sem definição de quais seriam exatamente. Dois irão para o Senado escolher e mais dois para a Câmara.” (Globo) (Meio)

Dificuldades para Aprovações 1: Além de praticamente enterrar as chances de André Mendonça ocupar uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), a nova ofensiva do presidente Jair Bolsonaro contra a Corte deve impor dificuldades ao governo para aprovar as reformas administrativa e do imposto de renda no Congresso Nacional. (Valor)

Dificuldades para Aprovações 2: A piora do ambiente político, provocada pelo chefe do Poder Executivo, exigirá, na avaliação de lideranças partidárias da Câmara, um esforço ainda maior do presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), para garantir o avanço das propostas. Há ainda a percepção de que os projetos, mesmo que avancem na Câmara, terão “caminho difícil” no Senado, comandado por Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que tem procurado se distanciar do Palácio do Planalto. (Valor)

Fórum Nacional de Governadores: Diante do acirramento da crise entre Bolsonaro (sem partido) e o Supremo Tribunal Federal (STF), e com as ameaças de golpe e politização da Polícias Militares feitas pelo presidente, 25 chefes de Executivos estaduais reuniram-se dia 23-08-2021, ou enviaram representantes, ao Fórum Nacional de Governadores, no qual foi sugerida a criação de um pacto pela democracia e de onde saiu um pedido de três reuniões, entre os governadores e os presidentes de Poderes. (Valor)

Barreiras para se Candidatar a Cargos Eletivos: Um item incluído na última hora no projeto de reforma no Código Eleitoral na Câmara dá um golpe de morte nos planos eleitorais do ex-ministro Sérgio Moro, assim como nos de um sem número de candidatos fardados. A proposta da deputada Soraya Santos (PL-RJ) estabelece que magistrados, integrantes do MP, policiais e militares só podem se candidatar a cargos eletivos cinco anos após deixares os postos definitivamente. Moro deixou a magistratura em novembro de 2018 para ser ministro da Justiça de Bolsonaro. Sua esperança é de que a mudança, se aprovada, não seja sancionada até o início de outubro, prazo para entrar em vigor no ano que vem. (CNN Brasil) (Meio)

Ataques à Lei da Ficha Limpa: A reforma do Código Eleitoral ataca a Lei da Ficha Limpa. Pela regra atual, político que renuncia a mandato para fugir da cassação fica inelegível por oito anos, punição que desaparece na nova legislação. A previsão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), é votar a nova lei até quinta da semana que vem. Ela precisa estar sancionada no início de outubro para valer em 2022. (Globo) (Meio)

Meio Ambiente, Sustentabilidade e Energia

Volta dos Incêndios no Pantanal: No Pantanal, os incêndios florestais este ano já atingiram o patamar desta época em 2020, o pior ano da história em termos de queimadas na região. (Folha) (Meio)

Perda de Água: O Pantanal concentrou a maior perda de água no país ao longo de 30 anos. Foram 57% dos recursos hídricos perdidos, contra 15,7% de todo o Brasil. Os dados são do Projeto MapBiomas. (Estadão) (Meio)

Pesquisa Aquecimento Global: Pesquisa PoderData realizada de 16 a 18 de agosto de 2021 mostra que 71% dos brasileiros se consideram muito preocupados com o aquecimento global e as mudanças climáticas. Outros 19% estão “mais ou menos” preocupados, 7% se dizem “pouco” preocupados e 3% não têm preocupação alguma com o tema. O levantamento foi feito pouco depois da ONU publicar, em 9 de agosto, o 1º relatório do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática), que apontou a ação humana como responsável por um aumento de 1,07º C na temperatura do planeta nos últimos anos. (Poder 360)

Preservação da Amazônia: Pesquisa PoderData realizada de 16 a 18 de agosto de 2021 mostra que a avaliação sobre o trabalho do governo na preservação da Amazônia piorou em 1 ano. Hoje, 46% avaliam a gestão federal como “ruim” ou “péssima”. A rejeição subiu 10 pontos percentuais ante julho de 2020. Um grupo de 27% avalia o trabalho do governo como “bom” ou “ótimo”. Outro, do mesmo tamanho, o considera “regular”. (Poder 360)

Energia Solar no Brasil: O Brasil ultrapassou a marca de 10 gigawatts (GW) de potência operacional em geração de energia solar fotovoltaica, segundo levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

Gestão Democrática da Água: Tendências de monetarização dos recursos naturais essenciais à vida nos leva a reflexões mais profundas. Diante da crise hídrica progressiva que se instala e se intensifica, há uma necessidade da preocupação com a gestão democrática da água. O fato de a água ser um bem público e um elemento essencial à vida traz prerrogativas de essência que, de per si, afastam perspectivas de privatização. A gestão da água demanda governos eficientes e democráticos, voltados a uma boa administração dos ecossistemas hídricos. Uma política eficiente para a proteção da água demanda esforço constante. (Carta Capital)

Desertificação: O planeta apresenta um aquecimento médio de 1,09 grau Celsius. Porém, nas áreas continentais, a temperatura média já atinge muito mais, cerca de 1,7 grau Celsius. O Nordeste brasileiro acumula mais de 2 graus Celsius. Gilbués (PI), Irauçuba (CE), Cabrobó (PE) e Seridó (RN), hot spots da desertificação, mergulham agora em cenários sombrios, especialmente diante da falta de expectativa em ações efetivas do governo federal, que não apresenta planos e políticas públicas para prevenir e mitigar os efeitos nocivos das alterações climáticas. (Carta Capital)

Biomas em Risco: Os biomas Amazônia, Cerrado, Caatinga e Pantanal sofrem a olhos vistos. No Sudeste, os reservatórios de água caminham para uma possibilidade frequente de adentrar em seu volume morto, reserva estratégica cujo consumo apresenta riscos decorrentes da ressolubilização de poluentes presentes nos sedimentos. (Carta Capital)

Consórcio Brasil Verde: O fórum de governadores, em reunião ontem de manhã, aprovou a criação do Brasil Verde, um consórcio que procura dar mais articulação internacional aos Estados e fortalecer a gestão interna de projetos socioambientais. O consórcio terá um fundo único, ainda não criado, para qualificar os governos estaduais a conseguir recursos externos. É mais um passo dos governos estaduais para captar recursos de outros países em relação direta, sem o canal do governo Jair Bolsonaro. (Valor)
Ambiente Social, Emprego e Renda

Intenção de Consumo das Famílias: O indicador Intenção de Consumo das Famílias (ICF), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), subiu 2,1% em agosto ante julho, para 70,2 pontos. A alta foi de 6,1% sobre o resultado de um ano atrás. Com o aumento mensal na margem, o terceiro consecutivo, o ICF atingiu maior patamar desde abril (70,7 pontos), embora ainda se encontre abaixo do quadrante favorável, de 100 pontos. (Valor)

Inadimplência dos Brasileiros: O Mapa da Inadimplência do Serasa mostrou que, em média, cada inadimplente deve R$ 3.934,38, mais de três vezes o piso nacional de R$1.100. O valor médio de cada dívida custa R$ 1.163,52, segundo os dados de junho deste ano. Em resumo, os brasileiros com contas atrasadas têm dívidas superiores ao salário mínimo. De acordo com a pesquisa, a maior fatia dessas contas em atraso é de cartão de crédito ou bancos. (Valor Investe) (Meio)

Aumento da Pobreza no Brasil 1: O aumento da pobreza no país por causa da pandemia se deu de forma generalizada entre os Estados e em ritmo mais intenso nos do Nordeste e naqueles com grandes centros urbanos, como São Paulo e Rio de Janeiro. Estudo do economista Daniel Duque, pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre), mostra que o percentual da população pobre aumentou em 24 das 27 unidades da federação brasileira entre o primeiro trimestre de 2019 e janeiro de 2021. Os cálculos foram feitos a partir de dados de renda da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua e da Pnad Covid 19, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além disso, consideram a classificação de pobreza do Banco Mundial, de renda per capita de até US$ 5,50 por dia, ou cerca de R$ 450 por mês, considerando a taxa de câmbio pela paridade do poder de compra. (Valor)

Aumento da Pobreza no Brasil 2: O trabalho da FGV mostra ainda que ocorreu expansão da parcela da população em pobreza extrema em 18 das 27 unidades da federação, considerando Perspectivas para 2022: A partir das primeiras informações da Companhia Nacional de Abastecimento para a safra 2021/22, o Ipea prevê que o valor adicionado da agropecuária brasileira crescerá 3,3% no ano que vem, com crescimentos de 3,9% da produção vegetal e de 1,8% da produção animal.

Perda Real nos Salários: Com um reajuste mediano de 7,6% em julho, e uma inflação de referência acumulando 9,2%, houve perda real nos salários de 1,6%. “É uma situação muito triste, mas era previsível”, diz Hélio Zylberstajn, professor da Faculdade de Economia da Universidade de São Paulo (FEA-USP) e coordenador do Projeto Salariômetro. Julho foi o pior mês, dos últimos 12, para os trabalhadores nas negociações salariais, e não há perspectiva de um cenário favorável nem para o início do ano que vem, aponta o Boletim da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). (Valor)

Famílias Endividadas: A parcela de famílias que se declararam endividadas na Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), bateu recorde pelo segundo mês consecutivo em agosto. Na pesquisa, a parcela de famílias que se declararam endividadas esse mês foi de 72,9%, acima de 71,4% patamar recorde anterior, e superior ao de agosto do ano passado (67,5%). (Valor)

Inadimplência das Famílias: A CNC não registrou piora nos indicadores de inadimplência. Entre os endividados, 25,6% declararam contas em atraso, proporção igual a julho e menor do que a de agosto de 2020 (26,7%). Os que informaram não ter condição de pagar, por sua vez, levaram a uma parcela de 10,7% no total de endividados com débitos em atraso na Peic de agosto, inferior a de julho (10,9%) e de agosto de 2020 (12,1%). (Valor)

Setor de Serviços: Antes de ser atingido em cheio pela pandemia, o setor de serviços teve alta de 2,1% no total de trabalhadores em 2019, para 12,836 milhões de pessoas. Foi a segunda expansão anual seguida. Em dez anos, entre 2010 e 2019, o aumento foi de 22,9%. Os dados constam da Pesquisa Anual de Serviços 2019 (PAS 2019), divulgada pelo IBGE. (Valor)

Mercado de Trabalho 1: O mercado de trabalho brasileiro registrou a abertura de 316.580 vagas com carteira assinada em julho. Com isso, o saldo de contratações no acumulado do ano ficou positivo em 1.848.304 postos. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) foram divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência. (Valor)

Mercado de Trabalho 2: No acumulado de 2021, foram 11.255.025 contratações e 9.406.721 desligamentos. O resultado é melhor que aquele de um ano antes, quando foram fechadas 1.092.578 vagas. (Valor)

Mercado de Trabalho 3: Os dados do Caged, mostram, também, que o país criou em julho 7.665 novos postos de trabalho intermitente, modalidade criada pela reforma trabalhista que permite jornada em dias alternados ou por horas determinadas. O número é resultado de 21.603 admissões e 13.938 desligamentos. No ano, foram criados 41.180 postos intermitentes, decorrentes de 133.869 admissões e 92.689 desligamentos. No caso do trabalho parcial, o resultado ficou positivo em 22.196. Foram 131.064 admissões contra 108.868 desligamentos. (Valor)

Pessoas com Deficiência na Força de Trabalho: Entre as pessoas com deficiência e em idade de trabalhar (mais de 14 anos), apenas 28,3% estavam na força de trabalho, ou seja, estavam trabalhando ou em busca de vagas. A parcela é bem inferior à de 66,3% das pessoas sem deficiências. As informações são parte da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), divulgada pelo IBGE, que traz um retrato sobre as pessoas com deficiência no Brasil. (Valor)

Antecedente de Emprego: O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) do Instituto Brasileiro de Economia do FGV IBRE subiu 1,6 ponto em julho, para 89,2 pontos, maior nível desde fevereiro de 2020 (92,0 pts.). Em médias móveis trimestrais, o IAEmp variou 3,5 pontos, para 86,7 pontos. “O IAEmp mantém em julho a tendência positiva dos últimos meses, retornando ao nível anterior à pandemia. O resultado positivo sugere que a melhora nos números da pandemia e a redução das medidas restritivas podem estar impulsionando a retomada do mercado de trabalho. Além disso, também há uma expectativa mais favorável em serviços, setor que emprega muito, com a maior circulação de pessoas. Mas é importante ressaltar que ainda existe um espaço para recuperação e que até mesmo o nível pré pandemia ainda retratava um cenário desafiador no mercado de trabalho”, afirma Rodolpho Tobler, economista do FGV IBRE. (FGV-IBRE)

Ambiente Tecnológico

Ataques Cibernéticos: O ataque hacker que derrubou na semana passada o e-commerce da Renner acendeu um alerta para os riscos da cibersegurança no Brasil e uma possível “pandemia” de ransonware. Segundo a ISH Tecnologia, 13 mil empresas são atacadas mensalmente, sendo 57% com ataques do tipo ransomware – que pedem resgate em dinheiro às companhias. Em 2020, os valores cobrados pelos criminosos saltaram 82%, chegando a US$ 570 mil por ocorrência. (Época Negócios) (Meio)

Tesla Bot: Como já divulgado nas Notas Econômicas da semana passada, o bilionário Elon Musk anunciou o desenvolvimento de um “robô humanoide” chamado Tesla Bot. O objetivo da tecnologia é eliminar trabalhos perigosos ou maçantes para os humanos. Para isso, o Tesla Bot vai usar inteligência artificial e câmaras para analisar terrenos e ver obstáculos. Um protótipo inicial deve sair até 2022. (G1) (Meio)

Falha Grave: Uma falha na ferramenta de criação de aplicativos da Microsoft expôs os dados de 38 milhões de pessoas online. Os registros incluem nomes, endereços de e-mail, números de telefone e até status de vacinação. A ferramenta, além de gerenciar bancos de dados para o desenvolvimento de aplicativos, fornece interfaces prontas. No entanto, ao ativar a interface, os contratantes não perceberam que o acesso público às informações era padrão e que a privacidade devia ser ativada manualmente. Com isso, dados de 47 empresas e entidades governamentais foram disponibilizados acidentalmente por meio da plataforma Power Apps da Microsoft. O problema foi descoberto originalmente em maio e corrigido pela companhia. (The Verge) (Meio)

Ônibus Elétrico: A cidade de São Paulo será o primeiro mercado a receber os ônibus elétricos que a Mercedes-Benz começará a produzir no próximo ano. A companhia apresentou à imprensa nesta quarta-feira (25) seu primeiro chassi de ônibus elétrico. O veículo será produzido na fábrica de São Bernardo do Campo. (Valor)

Ataques de Hackers 1: Os ataques hackers de grandes proporções tornaram-se uma ameaça para empresas e instituições governamentais no mundo inteiro. Segundo dados da RiskIQ, empresa de cibersegurança com sede em São Francisco, bastam 60 segundos para que empresas de todo o globo sofram 648 ameaças hackers de qualquer tipo ou terem 525 mil dados comprometidos. Além disso, as companhias têm mais de US$ 1 milhão em perdas devido aos incidentes de segurança por minuto. Ou seja, mitigar ciberataques custa tempo, pessoas e dinheiro para as companhias.

Ataques de Hackers 2: Os ataques cibernéticos a empresas como Lojas Renner, Cosan, Braskem, Fleury e JBS, nos últimos meses, mostram que esse tipo de crime encontrou uma brecha importante para agir durante a pandemia. O Brasil foi alvo de mais de 3,2 bilhões de tentativas de ataque no primeiro trimestre, um volume que dobrou em relação aos três primeiros meses de 2020, segundo a empresa de segurança Fortinet. E a demanda por serviços de segurança também cresce. (Valor)

Ataques de Hackers 3: As tentativas de ataque bem-sucedidas no mundo já representaram perdas globais estimadas entre US$ 1 trilhão, em 2020, e U$ 6 trilhões este ano, informa a União Internacional das Telecomunicações. A necessidade de um ciberespaço seguro tornou-se muito importante, diz a UIT, diante da crescente dependência que pessoas e companhias têm da internet. (Valor)

Leilão do 5G: Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou o edital do leilão do 5G, a nova geração de internet móvel. Foram sete votos a um. A proposta havia sido aprovada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em fevereiro deste ano, mas aguardava a análise do tribunal para fazer os ajustes no edital e marcar o leilão, previsto para outubro. No leilão 5G, serão ofertadas quatro faixas de frequência móvel de quinta geração, que funcionam como “avenidas” no ar para transmissão de dados. (G1) (Meio)

Ambiente Empresarial

LGPD: A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) entrou em vigor em setembro do ano passado, mas só neste mês a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) passou a aplicar multas para as empresas que ainda não se adequaram à lei. As penalidades vão desde advertência até multas de 2% do faturamento, que podem chegar a R$ 50 milhões. Um levantamento feito pela RD Station mostra que 93% das companhias dizem conhecer ou pelo menos já ter ouvido falar da LGPD, mas apenas 15% se mostram prontas ou na reta final de preparação. (Mercado & Consumo)(Meio)

A Volta ao Presencial: Na pandemia, empresas e profissionais tiveram de se adaptar aos desafios do trabalho remoto. Agora, com o avanço da vacinação, muitas companhias estão considerando a volta aos escritórios, mas existe uma série de desafios e decisões a serem tomadas: como será o novo modelo de trabalho, os espaços dos escritórios, protocolos de limpeza e muito mais. (Meio)

Boom Digital Varejista 1: O boom digital após a pandemia acelerou a quantidade de marketplaces no país, com aumento da competição entre esse tipo de plataforma que reúne vários lojistas, como um shopping center. Essa profusão de marketplaces deu fôlego novo a pequenos lojistas na crise, mas os grandes grupos de varejo, melhor estruturados, cresceram mais rapidamente e vêm liderando o comércio digital. (Valor)

Boom Digital Varejista 2: O relatório anual “300 Maiores Empresas do Varejo Brasileiro”, elaborado pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), mostra que, somadas, as cinco maiores varejistas on-line do país alcançaram R$ 51,8 bilhões em vendas de produtos do próprio estoque em 2020, alta de 85% sobre o ano anterior. (Valor)

Crise Portuária: Os portos sempre precisaram lidar com atrasos provocados por ondas, neblina ou tempestades, mas agora com a pandemia o setor enfrenta a maior desestabilização já vista desde o início do uso dos contêineres há 65 anos. Atualmente há 353 navios transportadores de contêineres parados fora dos portos pelo mundo, sem espaço para atracar, mais que o dobro do que no início do ano, segundo dados em tempo real da firma de logística Kuehne+Nagel. (Valor)

Dependência Externa de Químicos: As importações brasileiras de produtos químicos seguem ganhando tração e renovaram, em julho, o recorde mensal tanto em valor quanto em volume. Com isso, no acumulado de 12 meses, o déficit comercial do setor chegou pela primeira vez à marca de US$ 36 bilhões, segundo relatório de comércio exterior da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim). (Valor)

Mobilidade Aérea Urbana : A Eve Urban Air Mobility, empresa da Embraer, anunciou dia 23-08-2021 a ampliação de uma parceria com a Ascent Flights Global para desenvolver um ecossistema de mobilidade aérea urbana na região da Ásia Pacífico. A partir de 2026, a Eve fornecerá à Ascent até 100 mil horas de voo no veículo elétrico de decolagem e pouso na vertical (eVTOL) que está desenvolvendo e disponibilizará até 100 aeronaves à plataforma. (Valor)

Desoneração da Folha de Salários: Parlamentares de diversos partidos e representantes dos 17 setores beneficiados com a desoneração da folha de salários vigente até 2021 defenderam, em audiência pública na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara, a aprovação de projeto que prorroga o incentivo para geração de empregos até 2026.

Palavra do Presidente da Abimaq: O fim dessa política afetará quase 60 mil empresas que geram três milhões de empregos no Brasil, afirmou o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), José Velloso. O desemprego no país, que já está em 14,5 milhões, poderá aumentar em 500 mil. (Valor)

Índice de Confiança do Empresário da Indústria: O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), da Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que todos os 30 setores consultados estão confiantes. O resultado marca o quarto mês consecutivo de confiança disseminada entre todos os setores da indústria. (Valor)

Investimentos da Samsung: O Grupo Samsung anunciou um investimento para expansão de 240 trilhões de won (US$ 205 bilhões) que envolverá a contratação de 40 mil pessoas ao longo de três anos, um amplo plano destinado a construir a liderança do conglomerado sul-coreano em tecnologias de próxima geração. O maior conglomerado da Coreia do Sul está reservando 180 trilhões de won para o seu país natal e agora planeja contratar mais 10.000 pessoas durante o período, além dos 30.000 novos empregos já planejados, disse o grupo por meio de comunicado. (Valor)

Produtos Falsificados nos Marketplaces: Os “marketplaces” (shoppings virtuais) quase dobraram de tamanho após a pandemia – as vendas dos cinco maiores subiram 80% em 2020 – e passaram a receber das ruas a massa de produtos falsificados que antes invadia, especialmente, locais de comércio popular no país. Com isso as empresas montaram megaestruturas (áreas com até 600 funcionários) para tentar identificar criminosos. (Valor)

Resort Alemão Chega ao Brasil: O grupo hoteleiro de luxo mais antigo da Europa, o alemão Kempinski, criado em 1897, anunciou uma parceria com os empresários José Paim, José Ernesto Marino Neto e Márcio Carvalho para revitalizar o Hotel Laje de Pedra, em Canela (RS). Os empresários, por meio da LDP Canela S/A, vão investir R$ 540 milhões para transformar o tradicional hotel da serra gaúcha em um resort cinco estrelas de padrão internacional. A expectativa é inaugurar o projeto em 2024. No Laje de Pedra, a diária está prevista inicialmente em R$ 2,5 mil. (Valor)

Ambiente Internacional

Índice de Gerentes de Comprar USA: O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) composto de agosto nos EUA caiu a 55,4 pontos de 59,9 em julho, recuando a uma nova mínima de oito meses, de acordo com dados divulgados há pouco pela IHS Markit. O PMI industrial caiu para 61,2 pontos, de 63,4 pontos em julho, enquanto o PMI de serviços recuou a 55,2 pontos, de 59,9 pontos da leitura anterior. Isso equivale a 54,1% da receita total do comércio eletrônico, de R$ 95,7 bilhões, em 2020, segundo a Ebit/ Nielsen. (Valor)

Clima Econômico da América Latina: O Indicador de Clima Econômico (ICE) da América Latina, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), avançou pelo quinto trimestre consecutivo, alcançando 99,7 pontos entre o segundo e o terceiro de 2021, o melhor resultado desde o primeiro trimestre de 2018 (101,5 pontos) e se aproximando da zona de neutralidade dos 100 pontos. (Valor)

PIB dos EUA: O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos no segundo trimestre de 2021 foi alterado para cima, de 6,5% da leitura preliminar para 6,6% na primeira revisão do dado, divulgada pelo Departamento do Comércio. (Valor)

Notas econômicas: fontes

Jornal Valor, Valor Investe, Folha, Estadão, Canal Meio Newsletter, Carta Capital, Poder 360, UOL, CNN Brasil, Mercado & Consumo, Época Negócios, InfoMoney., The Verge, FGV-IBRE e G1.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.