Dejetos são transformados em energia. Foto: Pixabay.
Dejetos são transformados em energia. Foto: Pixabay.

Uma miniusina termoelétrica em Entre Rios do Oeste, no Paraná, utiliza o biogás fornecido por 18 fazendas capaz de abastecer 72 prédios municipais e escolas, gerando economia de 3% a 12% aos cofres públicos. Inédito no país, o projeto pretende zerar a conta de energia da prefeitura.

A miniusina tem capacidade de 480 quilowatts (KW) e na primeira etapa, 18 produtores rurais fornecem diariamente 215 toneladas de dejetos de 39 mil suínos, resultando em 4.600 metros cúbicos de biogás. A energia vendida para a Companhia Paranaense de Energia (Copel) gera créditos na conta de luz do município.

Já os suinocultores envolvidos recebem de acordo com a produção. Os valores pagos pela prefeitura variam de R$ 900 a R$ 5mil. Os dejetos dos suínos dessas 18 propriedades são enviados para uma central e transformados em energia, enquanto os resíduos viram fertilizantes não poluentes.

A rede de gasodutos em Entre Rios do Oeste possui 20 Km de extensão e a miniusina produz cerca de 250 Megawatts-hora (MWh) de energia por mês, 43% a mais que o consumo total do governo da cidade. Os suinocultores arcaram com os custos dos biodigestores que convertem os resíduos em biofertilizantes e extraem o biogás. As despesas de manutenção da mini central termoelétrica ficam a cargo da Prefeitura Municipal de Entre Rios do Oeste.

A iniciativa conta com a parceria do Centro Internacional de Energias Renováveis (Cibiogás), Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Copel e Governo do Estado do Paraná. Entre 2016 e 2019 foram investidos R$ 17 milhões na construção de gasodutos e da miniusina inaugurada no último 24 de julho.

Fonte: O Petróleo

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.