Conversas sobre o futuro: o que leva as pessoas a buscar novas profissões

0
95
Conversas sobre o futuro: duas profissionais da saúde, de máscara, caminham em uma rua vazia de são paulo - foto: fotos públicas
Foto: Guilherme Gandolfi / Fotos Públicas

Algumas cidades brasileiras adotam lockdown parcial. Profissionais de saúde se deparam com uma crise descontrolada que terá efeitos sobre o futuro de todos nós

Oi pessoal,

Alguns dos assuntos mais acessados no site do Radar do Futuro são relacionados com a busca por informações sobre profissões. Algumas perguntas ou comentários encaminhados seguem a mesma demanda. As pessoas tentam entender o futuro das suas atividades, seja para identificar novas funções ou revelando o desejo de mudança total de área.

Curiosamente, o comportamento dos pedidos confirma um outro dado: o Google Analytics, ferramenta de análise dos internautas, mostra que o público mais frequente no nosso site é formado por pessoas com idades entre 25 e 40 anos. É possível concluir que grande parte busca alternativas profissionais logo depois da graduação. O mesmo para grande parte com experiência de mercado. De acordo com pesquisas do IBGE, em 2017, 56% dos trabalhadores formais sentiam insatisfação no trabalho. E 40% dos brasileiros estavam infelizes com a profissão.

Então

Insatisfeitas com o trabalho e com a profissão, as pessoas tenderão a buscar saídas, possibilidade confirmada pelo comportamento dos dados apontados pelo Radar do Futuro. O cenário marcado por mudanças intensas, em todos os ambientes, do econômico ao tecnológico, passando pelo político, social e ambiental, entre outros, torna essencial a visão de futuro. Errar nas escolhas é algo que atormenta quem hoje concluiu que chegou um momento de mudança.

Ter respostas que contribuam para melhores escolhas é uma missão nossa. Por isso mesmo, temos um canal para responder perguntas dos nossos leitores. Se você tem dúvida, conte com a gente.

Carlos Plácido Teixeira
Editor do Radar do Futuro


Insights

Economia circular e interdisciplinar

Com o objetivo de apoiar educadores e escolas, a plataforma Movimento Circular disponibiliza sequências didáticas e conteúdos interativos sobre o tema. A plataforma Movimento Circular, idealizada pela Atina Educação, foi lançada como um espaço para informar sobre a economia circular – uma nova forma de pensar o lixo, além de trazer conteúdos que apresentam de forma simples, didática e intuitiva o que é a economia circular.

Turismo: cenário ainda nebuloso

Saindo do pior ano da história do turismo, há pouco otimismo no segmento de viagens no início de 2021. Após uma perda estimada de US $ 1,3 trilhão em receitas de exportação em 2020, as restrições a viagens estão sendo reintroduzidas no início do novo ano, com os governos tentando conter a disseminação de novas variantes potencialmente mais perigosas do novo coronavírus. De acordo com uma pesquisa recente da Organização Mundial de Turismo, os especialistas estão agora muito cautelosos em suas perspectivas, com a maioria não esperando um retorno aos níveis pré-pandêmicos antes de 2023.

Milho de baixa estatura

A multinacional Bayer anunciou o desenvolvimento de um “milho de baixa estatura” que vai “transformar a produção” do cereal mais importante do mundo. Segundo a empresa, a inovação vai possibilitar um “novo sistema de produção que permita o uso de proteção de cultivos, bem como o potencial de otimizar o uso de recursos essenciais, como o nitrogênio, o solo e a água”. Essa foi uma das grandes novidades anunciadas pela Bayer.

Indicadores

Futuro dos relacionamentos: separações em alta

O segundo semestre de 2020 registrou o maior número de divórcios em cartórios no Brasil. Foram 43,8 mil processos contabilizados em levantamento do Colégio Notarial do Brasil — Conselho Federal (CNB/CF). O número foi 15% maior em relação ao mesmo período de 2019. Segundo dados do CNB, a alta do número de divórcios foi constatada em 22 estados e no Distrito Federal. A entidade também divulgou balanço que aponta que quase 20% das separações no Brasil já são feitos por meio cartórios de notas. Para a plataforma iDivorcei, a tendência virou oportunidade de ganhar dinheiro.

Mulheres inovadoras

Segundo o “Female Founders Report 2021”, estudo elaborado pela empresa de inovação Distrito em parceria com a Endeavor e a B2Mamy, as empresas de base tecnológica fundadas apenas por mulheres representavam 4,4% do mercado total há uma década. Hoje, esse índice é de 4,7%, o que revela que as dificuldades enfrentadas pelas empreendedoras não diminuíram, provocando uma estagnação na diversidade de gênero no setor.

Futuro da produção: rumo à hiperautomação

O instituto Gartner, especializado em projeções sobre impactos das tecnologias, tudo o que pode e deve ser automatizado será automatizado. O instituto prevê que, até 2022, as organizações globais reduzirão os custos operacionais em 30%, ao combinar tecnologias de hiperautomação com processos operacionais reprojetados. Em resumo, equipes menores e trabalhadores em convivência cada vez mais próxima com um “robô para chamar de seu”. Para a IDC, 70% de todas as organizações terão acelerado o uso de tecnologias digitais no mesmo ano.

Tendências

Futuro da construção

Com amadurecimento das tecnologias, a impressão 3D vai consolidar novas histórias em direção à consolidação de tendências de aplicação. Exemplo do processo, nos Estados Unidos, a empresa imobiliária 3Strands, de Kansas City, no Texas, desenvolveu o primeiro projeto residencial impresso em 3D. As primeiras casas já estão à venda. Segundo a empresa, as casas podem ser construídas mais rapidamente do que as tradicionais, além de serem mais eficientes em termos de energia, mais resistentes e resistentes ao fogo. Os compradores podem escolher entre quatro casas de dois a quatro quartos.

Judiciário ganha inteligência artificial

Entre fevereiro e agosto de 2020, o Judiciário contava com 64 projetos de inteligência artificial em funcionamento ou em processo de implantação, em 47 tribunais do país, além da Plataforma Sinapses do Conselho Nacional de Justiça. Segundo matéria do site Consultor Jurídico, com informações de uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, metade dos tribunais têm um projeto de inteligência artificial implantado ou em implantação.

Profissões do futuro

Fisioterapia: como a Covid-19 impacta a profissão

A profissão sai fortalecida da crise da pandemia. Os traumas deixados pelas doenças vão gerar um aumento da demanda. Além disso, há o envelhecimento da população. Como aspecto negativo, há o empobrecimento da população, que reduz o acesso aos serviços.

Detetive de dados: base para as informações

Função ideal para pessoas das áreas tecnológicas que têm curiosidade em encontrar padrões, fôlego para pesquisar minuciosamente e buscar respostas na infinidade de informações disponíveis no big data de demandas internas e externas das organizações, o detetive de dados “investiga” — levanta — e organiza dados antes da preparação e monitoramento de conhecimentos.

Como prever o futuro:

A análise preditiva, uma proposta desenvolvida com o apoio das tecnologias, ajuda as empresas a olhar para o futuro e examinar as variáveis do ambiente de produção e de negócios com um grau razoável de precisão, com foco principal em dados e informações internas das organizações. Essa capacidade sempre foi importante – mas nunca foi tão crítica como agora, reconhecem os especialistas.

A análise preditiva atingiu, de acordo com institutos especializados do mercado de TI, o topo das listas de prioridades das organizações em todo o mundo. Foi a consequência do fato de que as empresas tiveram que enfrentar as principais crises do comércio e da cadeia de suprimentos, picos repentinos (ou queda livre) na demanda, novos riscos e desafios e águas totalmente desconhecidas. 

Para realizar análise avançada e previsões sobre eventos, comportamentos e resultados futuros, os profissionais usam técnicas estatísticas – incluindo algoritmos de aprendizado de máquina e modelagem preditiva sofisticada – para analisar dados atuais e históricos e avaliar a probabilidade de que algo aconteça, mesmo que esse algo não esteja no radar de um negócio.

Siga o líder

Para pânico de muita gente que trabalha com produção de textos, hoje chamado de conteúdos, em junho de 2020, uma nova e poderosa inteligência artificial (IA) começou a deslumbrar tecnólogos no Vale do Silício. Chamado GPT-3 e criado pela empresa de pesquisa OpenAI em São Francisco, Califórnia, foi o mais recente e mais poderoso de uma série de “grandes modelos de linguagem”: IA que geram fluxos fluentes de texto depois de absorver bilhões de palavras de livros, artigos e sites. “Consegui escrever músicas, histórias, press releases, guias de guitarra, entrevistas, ensaios, manuais técnicos. É hilário e assustador. Sinto que vi o futuro”, afirmou um dos convidados para conhecer o sistema.

Saiba mais sobre o futuro

Venha conversar com o grupo do Radar do Futuro no WhatsApp

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.