Conversas sobre o futuro: entre tendências e insights, os vencedores levam tudo

0
118
sobre o futuro: Imagem ilustrativa mostra o presidente do facebook, Zuckeberg, um dos líderes globais da área de tecnologia.
Photo by Annie Spratt on Unsplash
Photo by Annie Spratt on Unsplash

Insights, tendências e indicadores sobre acontecimentos que impactam a sociedade e nossas atividades. Confira nas conversas sobre o futuro o que vem por aí

Oi, como vai você?
Tá Tranquilo?

Eu sou o Carlos Plácido Teixeira, jornalista responsável pelo Radar do Futuro.

Hoje vamos conversar sobre a tendência “os vencedores levam tudo“, que vai impactar fortemente os mercados de trabalho e de consumo do futuro. Repare como os noticiários econômicos de sua cidade mostram grandes grupos nacionais e internacionais comprando empresas locais importantes. A mente atenta perceberá vários casos de transferências de propriedade de escolas e hospitais. Mas há muita coisa acontecendo, envolvendo setores de tecnologia, finanças, saúde em geral e comércio, entre outros.

Os maiores grupos empresariais, globais e nacionais, movem peças pela formação de impérios. Uma onda intensa de fusões e aquisições vai resultar, nos próximos anos, na consolidação da tendência: os vencedores levam tudo. Monopólios e oligopólios — ou seja, um ou poucos dominantes — são o futuro. É o movimento de grandes corporações internacionais e nacionais em direção ao domínio dos negócios. Algo que se percebe também diante do poder do sistema financeiro, o poder informal, determinante das regras sobre o funcionamento de todas as instâncias das sociedades, levando à maior concentração de renda já vista no planeta.

Na área tecnológica, a perspectiva é mais visível, com Google, Uber, Amazon, Facebook, Alibaba e Microsoft em exercício ativo e subterrâneo dos papeis de dominantes em suas áreas específicas. Mandam e desmandam não só em mercados específicos, mas também são influentes em ambientes políticos e sociais. As “big techs” são influenciadores globais. Nacionalmente, em alguns setores, como no comércio, educação e saúde, grupos tradicionais tendem a se aliar a estrangeiros para conseguir o domínio.

Por que se importar?

No futuro digital, nem tão distante assim, as empresas de médio ou, mesmo, pequeno porte, terão dificuldades ainda maiores para sobreviver no cenário de digitalização e de concentração. As micro unidades de comércio e indústria, como o pequeno comércio de pequenas cidades do interior, ou lojas de produtos básicos de bairros, terão maiores chances de sobrevivência porque agem em localidades de baixo interesse de geração de receitas ou por conta de dificuldades de logística.


Tendências

Por que os jovens devem reavaliar o que é o trabalho

Há algo muito errado na relação da humanidade com o trabalho. Vejam só, aos 30 anos, segundo alguns estudos, cerca de 70% das pessoas estão insatisfeitas com o que fazem. É muita insatisfação. E muita gente doente por conta do relacionamento com as atividades de sustento. Na transição da era digital, em que empregos são cada vez mais escassos, os jovens precisam precisam rever suas prioridades. Leia

Mindfulness tecnológico

O mindfulness, a prática que oferece caminhos para melhora da qualidade de vida, vai ganhar novos recursos tecnológicos. Os mais recentes aplicativos da prática estão transformando dispositivos em ferramentas psicodélicas de alta inovação. Não mais simplesmente acalmando o cérebro para a meditação, com aplicativos de músicas. A próxima geração de práticas de atenção plena busca a tecnologia para fornecer experiências científicas específicas para ajudar os usuários a mergulhar mais profundamente em novos estados de consciência.

Canabidiol na praça

O acesso ao canabidiol — derivado medicinal da maconha — deve ficar mais fácil para os consumidores brasileiros a partir de julho, com a entrada de uma nova marca nas farmácias. Até abril, apenas a farmacêutica Prati Donaduzzi tinha a autorização da Anvisa para produzir e comercializar o canabidiol dentro do país, mas a empresa Nunature, fundada por empresários americanos e brasileiros de olho no mercado que cresce no país, também recebeu o aval. Desde dezembro de 2019, a Anvisa autoriza empresas a solicitarem a autorização para produzirem e comercializarem o derivado da maconha no Brasil.

Táxi autônomo

A companhia de tecnologia Baidu lançou em Pequim, na China, o aplicativo de corridas chamado de Apollo Go Robotaxi. A plataforma começou a funcionar no dia 2 de maio, no Parque Shougang, em Pequim, que receberá as Olimpíadas de Inverno de 2022.

Insights

Sustentabilidade – Especializada em gestão de resíduos, a Ambipar criou um sistema inédito para o reaproveitamento da água da chuva. A expectativa da empresa é captar, por ano, o equivalente a 75.000 galões grandes. A água captada é usada, entre outros fins, para abastecer caminhões-pipa e irrigar áreas verdes

Corrida pela liderança – A Amazon anunciou sua nova aposta para encurtar os prazos de entrega no e-commerce: o lançamento de uma loja para compras internacionais no site e no aplicativo da empresa. A modalidade com frete grátis para seus assinantes do Amazon Prime terá disponibilidade imediata de alguns produtos para pronta-entrega no país, com prazo de até dois dias para o cliente receber.

Avanço digital – O Walmart está perdendo rapidamente participação no segmento de supermercados online para os concorrentes nos Estados Unidos. A empresa perde espaço para a Instacart, por conta da pandemia.

Novos sabores – O isolamento possibilitou às empresas de alimentos e bebidas um público cativo de pessoas desejosas de novidades. Segundo o site Fast Company, nos Estados Unidos, empresas como a Pepsi, Coca-cola e Anheuser-Busch estão adotando sabores extremos, com remixagem de sabores.

Indicadores

Beleza Masculina – A Research & Markets prevê que os homens sejam responsáveis por movimentar U$ 75 bilhões em 2023 na indústria da beleza. Em termos de Brasil, o setor cresceu 70% desde 2012. De acordo com a Associação Brasileira de Clínicas e Spas (ABC Spas), eles já representam 30% dos pacientes de clínicas estéticas espalhadas pelo país.

Imóveis de luxo – O mercado de imóveis de luxo teve uma alta expressiva em 2021, totalizando um crescimento de mais de 32%, segundo dados do Secovi-SP.

Virtualização – 35% das PMEs pretendem investir em chatbots, os assistentes virtuais. Os dados são da última pesquisa realizada pela startup Octadesk, a CX Trends.

Tendências econômicas

Entre teoria e a prática

E A Hillary, ein. Em vídeo na internet falou sobre a necessidade de os Estados Unidos “retomarem os meios de produção” para combater os avanços chinês. Já o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Abreu, afirmou, em um evento, que o Estado deve ser o motor do desenvolvimento industrial no país. Segundo ele, o setor privado não tem recursos nem crédito de longo prazo para cumprir este papel.


O que são conversas sobre o futuro

Coluna de conteúdos produzida pelo jornalista Carlos Plácido Teixeira, responsável pela produção do site Radar do Futuro

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.