Caixas tradicionais de supermercado começam a dar lugar a terminais em que o cliente registra, empacota e paga compras sem interação com humanos foto: divulgação
Caixas tradicionais de supermercado começam a dar lugar a terminais em que o cliente registra, empacota e paga compras sem interação com humanos

Radar do Futuro

O conceito de autoatendimento aplicado em supermercados tende a acelerar nos próximos meses. Reforçando o vigor da tendência, o Walmart Brasil anunciou a instalação de caixas de “self-checkouts” na sua unidade de hipermercado no Tamboré, em Alphaville, em São Paulo, onde seis caixas de autoatendimento foram instalados.

Nos próximos três meses, até cinco unidades  brasileiras da rede norte-americana receberão 26 caixas de autoatendimento, com previsão de chegar a 100 terminais em operação por toda a rede até 2019. Segundo a empresa, os novos caixas fazem parte de um projeto de “reinvenção das lojas”, que contará com investimentos de R$ 1,5 bilhão até 2020.

Depois de São Paulo, a marca pretende levar os caixas de autoatendimento para lojas de Curitiba, Porto Alegre, Recife e Salvador. A inovação já está disponível, em São Paulo, no Master Supermercado do Shopping Frei Caneca (região central da cidade), no Carrefour do Jardim Pamplona Shopping (no bairro dos Jardins, Zona Oeste) e na loja de doces Tateno (Vila Mariana, Zona Sul). A expectativa dessas lojas é de reduzir o tempo de espera nas filas.

Expansão

Antes de vir para São Paulo, a tecnologia de terminais de autoatendimento já tinha sido implementada no supermercado Zaffari, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Baseado na experiência no sul do país, as lojas de São Paulo estimam que os caixas consigam absorver de 5 a 10% do fluxo de clientes das lojas.

A Consinco, empresa que desenvolveu os caixas automáticos, afirma que já instalou mais de 200 terminais pelo país e que é possível reduzir em 30% o tempo de espera nas filas dos supermercados.

O foco da iniciativa é reduzir o tempo de fila para pagamento, aumentando a produtividade do espaço e oferecendo uma nova experiência de compra aos clientes.

Transformação

Bernardo Perloiro, vice-presidente de Operações, Comercial e Marketing do Walmart Brasil, destaca que o investimento faz parte do projeto de transformação de lojas para que os clientes possam ter ainda mais conforto e agilidade quando visitarem as unidades. “O autoatendimento faz parte dos novos hábitos de consumo no varejo e, por isso, precisamos cada vez mais oferecer formas diferentes de aumentar o poder de decisão dos consumidores sobre como preferem ser atendidos”, comenta.

Nesta fase de piloto, os consumidores que entram na loja no Tamboré estão sendo convidados a utilizar as máquinas em comunicados feitos por mensagem via SMS, enviada por tecnologia de geolocalização, e de forma presencial com promotores, que também estão esclarecendo dúvidas e auxiliando os clientes nos processos de compra.