O que é zeitgeist: por que isso interessa a quem antecipa o futuro

0
124
As crenças e valores que mobilizam indivíduos e a sociedade. Foto: Pixabay
As crenças e valores que mobilizam indivíduos e a sociedade. Foto: Pixabay

Radar do Futuro

Termo alemão cuja tradução significa espírito da época ou sinal dos tempos, zeitgeist em interpretação mais apurada representa o “espírito do tempo”. Significa, em resumo, o conjunto de valores e crenças sociais, intelectuais, políticas e econômicas predominantes em algum período da história da humanidade. Os pensamentos e práticas que predominavam ou predominam como direcionadores do comportamento de pessoas e da sociedade.

Para entender o futuro é essencial que se compreenda a importância da expressão. E que se dedique esforço mental para identificar quais são as variáveis que se enquadrarão como o zeitgeist de um momento a ser estudado. O espírito do tempo sempre quer nos dizer algo. Fala de onde viemos, onde estamos e onde pretendemos chegar. Como todo espírito, muitas vezes, a alma pede socorro.

Basicamente, o zeitgeist diz muito sobre a época em que vivemos, como a sociedade se comporta, quais são seus anseios, sobre o que as pessoas estão em busca. E isso pode ser identificado de diversas formas: nos livros mais vendidos, nas bilheterias de cinema, nas músicas mais ouvidas, nos produtos que estão nas prateleiras, na moda que está nas vitrines, enfim, há infinitas possibilidades para identificar os reais anseios de uma comunidade, os sinais estão em todas parte.

Quando falamos que os anos 60 foi a década da Era Espacial, que os anos 70 teve uma grande mudança em relação a percepção dos jovens sobre o meio ambiente ou que nos anos 80 foi a era do rock nacional no Brasil, estamos nos referindo ao espírito do tempo dessas épocas e como eles foram responsáveis por moldar toda uma geração que pode respingar até os dias de hoje.

O que o espírito do tempo diz sobre nós?

Qual seria então o espírito do tempo do nosso momento atual? Para identificá-lo, é preciso estar atento aos indícios. Podemos afirmar que a humanidade vive em ciclos, e com isso, muita coisa tende a retornar. Não à toa, a nostalgia tem se feito presente em vários setores da arte, comunicação e até política e economia. O que parece novo, muitas vezes já foi visto em outras eras, mas retorna com nova aparência.

Além disso, muitos outros aspectos permeiam a nossa sociedade atual. A busca por um detox digital, depois das pessoas perceberam o quanto o excesso de informação tem afetado suas vidas; o feminismo em alta, trazendo novos debates sobre a relação homem e mulher e suas funções na sociedade, refletindo, inclusive, em uma nova discussão: a masculinidade, que traz à tona a necessidade de que é preciso desenvolver o perfil de novo homem.

A distopia diante dos anúncios de grandes tragédias que são midiaticamente anunciadas; a forma com que os dados pessoais têm sido vendidos para empresas; a busca por relacionamentos saudáveis; tudo isso, entre tantas outras questões dizem muito sobre a nossa sociedade atual, cheia de necessidades e que busca entender se realmente é isso que almeja.