Com dinheiro curto e muito esforço para sobreviver, o final de ano será propício para quem vende pequenos prazeres. Foto: Pixabay
Com dinheiro curto e muito esforço para sobreviver, o final de ano será propício para quem vende pequenos prazeres. Foto: Pixabay

oi, como vai você?

Você é convidado do Radar do Futuro para discutir e se manter atualizado sobre as tendências sociais, ambientais, econômicas, políticas, tecnológicas que estão formatando a sociedade sob a influência da revolução digital. Este é o primeiro boletim semanal, com um resumo de informações publicadas no site e em outras publicações.

As redes 5G de telefonia móvel serão mais populares que o 4G em 2023.

Fonte: Consultoria Canalys

Pequenas indulgências

Setembro com a marca definitiva de proximidade de final de ano e com com uma visão de futuro marcada por tempos propícios para quem produz ou negocia coisas que representam pequenas compensações para os dias difíceis do cidadão brasileiro. Bens e serviços de qualidade, com um valor razoável, nem tão caro, nem tão barato. Serão sonhos de presentes que as pessoas concederão a elas mesmas. Elas perseguirão o objetivo de reduzir o estresse e a síndrome de burnout crescentes. São “pequenas indulgências”, de acordo com expressão cunhada pela futurista Faith Popcorn. Consumidores reagem inconscientemente aos tempos difíceis com recompensas pessoais. “Eu me esforço tanto, mas tanto, que mereço me dar um presente”, dizem, enquanto acionam o cartão de crédito.

Mudanças disruptivas

Estamos em meio a uma transformação do modelo econômico, cujo pano de fundo é o esgotamento dos recursos e as mudanças climáticas. De alguma maneira, assistimos ao fim do capitalismo como o conhecemos. O alerta é de um grupo de especialistas finlandeses, publicado em um estudo demandado pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de contextualizar seu relatório mundial sobre desenvolvimento sustentável.

“O capitalismo como o conhecemos depende de energia barata. E esse é o motor ou facilitador do crescimento que vimos nos últimos 100, 150 ou 200 anos, basicamente”, explica o economista Paavo Järvensivu, integrante do centro de pesquisas finlandês BIOS e um dos autores do estudo, à BBC News Mundo.  Agora, diz ele, estamos entrando em outra etapa. “A era da energia barata está chegando ao fim, e, se não tivermos essa energia barata, já não poderemos ter esse tipo de capitalismo”.

Sinais do clima

Uma planta tropical produziu cones masculinos e femininos ao ar livre no Reino Unido pela primeira vez em 60 milhões de anos, em um evento que os botânicos dizem ser uma indicação clara da mudança climática. Duas cycad (cycas revoluta), um tipo de planta primitiva que dominou a flora da Terra há 280 milhões de anos, produziram cones nas falésias de um jardim botânico na Ilha de Wight, na costa sul da Inglaterra.

“Isso pode ser visto como uma evidência adicional do reino vegetal da mudança climática em ação. Certamente este tipo de planta não poderia ser considerado resistente no Reino Unido; a recente onda de calor contribuiu para o crescimento do cone individual”, disse o Jardim Botânico de Ventnor.

Controle e desintermediação

Reconhecimento de rosto com inteligência artificial, entre prós e contras. Na China, uma máquina de venda automática utiliza reconhecimento de rosto para entregar produtos. Não é necessário dinheiro, cartão ou telefone. Confira Em Hong Kong, em meio a protestos, manifestantes criam estratégias para se proteger contra a vigilância de câmeras de identificação. Confira também.

Pílulas intestinais

Vai ser um alívio para o seu parente médico, que não se dispõe a se expor diante dos colegas. O futuro do diagnóstico de doenças intestinais é uma pílula. Uma sonda gastrointestinal representa avanço por ser um exame não invasivo que elimina biópsias e intervenções mais agressivas. Segundo o Jornal da USP, a ciência está caminhando muito rapidamente para que a gente consiga desenvolver técnicas cada vez mais sensíveis e específicas para melhorar o diagnóstico de várias doenças.

Indicadores sobre o futuro

Nos Estados Unidos, 74% dos vegetarianos e veganos são mulheres e 52% se identificam como de esquerda. Só 14% se apresentam como conservadores. Eles são 2% da população de norte-americanos. Ex-vegetarianos e ex-veganos representam 10% dos adultos com mais de 17 anos.

42,3% da população economicamente ocupada no Brasil vivem de trabalho informal. O grupo é composto por pessoas empregadas no setor privado sem carteira, trabalhadores domésticos sem carteira, trabalhadores por “conta própria” sem CNPJ e empregadores sem CNPJ, além de pessoas que ajudam parentes.

Cerca de 20% das funerárias dos Estados Unidos estão oferecendo um serviço inovador: Serviços de streaming ao vivo de funerais. Isso mesmo, transmissão ao vivo dos eventos de despedida de familiares e amigos. Apesar de aparentemente mórbido, há alguma razão de ser. A transmissão ao vivo possibilita às pessoas impossibilitadas a comparecer ao funeral, por causa das despesas de viagem,  a dizer adeus e podem rever as gravações de homenagens ao falecido mais tarde.

Segundo o site Wired, Gary Richards, fundador da OneRoom, uma empresa que oferece serviços de transmissão ao vivo para diretores de funerárias na Nova Zelândia, Austrália, Canadá e EUA, diz que percebeu que muitas das famílias que usam seus serviços são imigrantes recentes das Filipinas, Vietnã ou Vietnã. Índia, que está procurando uma maneira de se conectar com a família e amigos de casa.

Dias do sorvete

O último dia 2 de agosto marcou, nos Estados Unidos, a celebração do Dia Nacional do Sanduíche de Sorvete. Que certamente antecede o Dia Nacional do Sanduíche, comemorado no dia 3 de novembro. O mais surpreendente é que o não tenham criado ainda datas comemorativas semelhantes no Brasil. Não custa esperar. Será a oportunidade de desfrutar de um sorvete de cachorro quente ou de mostarda, duas atrações do evento de agosto deste ano.  Leia aqui sobre as duas alternativas.

Muitos países ao redor do mundo têm sua própria versão do sanduíche de sorvete. No Vietnã, vendedores de rua vendem sorvete recheado entre duas camadas de pão. No Irã, sorvete de pistache ou com sabor de rosa é colocado entre duas bolachas finas.

Empresas multimodais

Em direção à tendência urbana global de mobilidade multimodal, a Audi apresenta seu novo conceito de patinete elétrico. Batizado de Audi e-tron scooter, combina as vantagens de um patinete elétrico e um skate. O modelo tem 12 kg e pode ser dobrado e armazenado convenientemente no porta-malas do veículo ou puxado como um carrinho, de forma a ser transportado por carro, ônibus ou trem. Dentre os destaques está seu manuseio, pois permite ao piloto ter uma mão livre e assim poder olhar ao redor e sinalizar com a outra mão. Produção e vendas são planejadas para o final de 2020.

“Com o Audi e-tron scooter, nos aproximamos ainda mais dos clientes que se movimentam pelas cidades de formas multimodais – e para os quais estilo e funcionalidade são importantes”, diz Thorsten Schrader, gerente de projeto para micromobilidade da Audi. Embora o piloto mantenha uma mão sobre o guidão, ele controla o patinete como um skate, com os pés mudando seu peso. Os eixos móveis com quatro rodas permitem curvas muito apertadas. “Naturalmente o Audi e-tron scooter também se move em linha reta. Porém a sensação de fluxo só acontece quando você começa a trafegar no asfalto – e isso é surpreendentemente fácil com nosso novo conceito”.


Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.