Notas econômicas: 28 de junho a 2 de julho de 2021

0
138

Coleta de informações semanais feita pelo Economista Paulo Roberto Bretas

Nas notas econômicas, a notícia em destaque reunião de senadores para discutir uma estratégia nacional para o retorno seguro às aulas presenciais
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Destaques da semana

O Senado promoveu um debate temático com o objetivo dediscutir uma estratégia nacional para o retorno seguro às atividades educacionais presenciais. O encontro ocorreu na sala de controle da Secretaria de Tecnologia da Informação (Prodasen), destinada a discutir uma estratégia nacional para o retorno seguro às atividades educacionais presenciais. Dados apresentados durante a semana mostram que a vacinação surte efeitos positivos em grupos totalmente imunizados. Como resultado, prefeitos relaxam as medidas restritivas de reuniões. Apesar dos indicadores, especialistas alertam que a pandemia não está controlada e que a variante delta ainda é um risco.


Economia e Finanças

Carlos Thadeu: “O Brasil está realmente avançando no estabelecimento do sistema financeiro do futuro, com as iniciativas tecnológicas e de desburocratização, como as novas funções do Pix, a integração de dados pelo Open Banking, o real digital, além da nova lei do câmbio. Estamos democratizando os serviços financeiros gradativamente, mas nunca é demais frisar que, para que o futuro seja breve, as pessoas precisam sentir-se mais seguras, e para isso, mais informação também não é demais”. (Poder 360)

Expansão do Crédito: O chefe do departamento de estatísticas do Banco Central (BC), Fernando Rocha, afirmou que a expansão do crédito para pessoas físicas “permanece em aceleração”, alcançando alta de 16,5% no acumulado em 12 meses até maio. Mas para pessoas jurídicas houve desaceleração, embora continue em um patamar alto, de 15,7%, também no acumulado de 12 meses. (Valor)
Inadimplência Segue Baixa: Fernando Rocha afirmou que “a inadimplência segue em níveis baixos”. Em maio, ela ficou em 2,3%. (Valor)

Consumo de Cigarros Contrabandeados 1: Pela 1a vez desde 2015, o consumo de cigarro do contrabando registrou uma queda de demanda no país provocada, principalmente, pelos efeitos da pandemia e alta do dólar. É o que aponta a última pesquisa Ibope Inteligência/Ipec sobre o mercado ilícito de cigarros, divulgada pelo Etco (Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial). (Poder 360)

Consumo de Cigarros Contrabandeados 2: O levantamento mostra uma retração de 8 pontos percentuais em 2020 se comparado com 2019, quando o cigarro ilegal respondia por 57% do mercado. Hoje, 49% de todos os cigarros consumidos no Brasil ainda são ilegais, sendo 38% contrabandeados – especialmente do Paraguai – e 11% produzidos em território nacional, por empresas devedoras contumazes, que estruturam suas operações desde a criação para não pagar impostos, praticando, assim, preços muito abaixo dos concorrentes legais. Diferentemente das fabricantes paraguaias, estas empresas tiveram aumento de market share (3%). (Poder 360)

Déficit Comercial de Químicos 1: O déficit na balança comercial de produtos químicos atingiu a marca inédita de US$ 33,5 bilhões em 12 meses até maio, o maior saldo negativo já registrado pelo setor, segundo dados preliminares do Relatório de Estatísticas de Comércio Exterior (Rece), da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim). (Valor)

Déficit Comercial de Químicos 2: O déficit em bases anualizadas é resultado de importações de US$ 45,2 bilhões e de exportações de US$ 11,7 bilhões, em produtos químicos, com taxas de crescimento de 9,4% e de 7,4%, respectivamente, na comparação com os dados consolidados de 2020. (Valor)

Déficit Comercial de Químicos 3: De janeiro a maio deste ano, conforme a entidade, o saldo negativo da balança comercial cresceu 27%, para US$ 14,5 bilhões. Nesses cinco meses, os produtos químicos mais importados pelo país foram farmacêuticos (US$ 5,1 bilhões), intermediários para fertilizantes (US$ 3,1 bilhões) e resinas termoplásticas (US$ 2,2 bilhões). Juntos, representaram 52,5% do total importado, que chegou a US$ 19,9 bilhões. (Valor)

Índice de Confiança: A Confederação Nacional da Indústria (CNI) verificou que, em junho de 2021, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) cresceu em 29 dos 30 setores da indústria analisados. A confiança caiu apenas no setor de outros equipamentos de transporte, com queda de 1,1 ponto. Todos os setores estão com o ICEI acima da linha divisória dos 50 pontos em junho, indicando confiança. Foi o segundo mês consecutivo de confiança disseminada entre todos os setores da indústria. (Valor)

Taxa de Juros do Cartão: A taxa de juros do cartão de crédito rotativo variou de 336,1% ao ano em abril para 329,6% em maio, conforme divulgado pelo Banco Central (BC). O rotativo é uma linha de crédito pré-aprovada no cartão e inclui também saques feitos na função crédito do meio de pagamento. Já a taxa do parcelado do cartão saiu de 165,7% para 164,4%. (Valor)
Taxa do Cheque Especial: No cheque especial, a taxa de juros cobrada foi de 122,1%, vinda de 124,3% em abril. (Valor)

Fundo para Investir em Entretenimento: Um mês antes do início da pandemia, cinco executivos que eram do Grupo Finaxis resolveram deixa-lo e criar a Contea Capital, dedicada a criar soluções estruturadas para investimento em ativos alternativos. A gestora está montando dois fundos que trazem inovação ao mercado. Um deles, em fase de captação, vai investir em entretenimento e já deu o primeiro passo: comprou a agenda de shows do sertanejo Gusttavo Lima. Outro produto, ainda em fase inicial, deverá se dedicar ao mundo do futebol. (Valor)

Hiato do Produto 1: Apesar da surpresa positiva com o desempenho da atividade no primeiro trimestre, o grau de ociosidade na economia ficou ligeiramente maior no começo do ano. Segundo cálculos do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre), o hiato do produto – que mede a diferença entre o crescimento efetivo do PIB e o seu potencial – foi negativo em 3,9% de janeiro a março, nível semelhante ao observado no quarto trimestre de 2020 (-3,7%). (Valor)

Hiato do Produto 2: A diferença entre o crescimento efetivo e o potencial é uma variável importante para a condução da política monetária: se o hiato está no campo negativo, ou “aberto”, isso significa, de maneira simplificada, que não há pressões inflacionárias de demanda, o que permite que a taxa de juros fique em patamar estimulativo. (Valor)

Projeção do PIB: O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) passou a projetar crescimento de 4,8% para a economia brasileira em 2021, segundo o documento “Visão Geral”, que faz parte da Carta de Conjuntura referente ao segundo trimestre. A projeção anterior era de 3%. Para 2022, o instituto trabalha com alta de 2% no Produto Interno Bruto (PIB). (Valor)

Fluxo de Portfólio para Emergentes: Os fluxos de portfólio para os emergentes ficaram positivos em US$ 28,1 bilhões em junho. Desse total, os mercados de ações tiveram entrada de US$ 9,2 bilhões, enquanto em dívida o saldo ficou positivo em US$ 18,9 bilhões, segundo o Instituto Internacional de Finanças (IIF). Do fluxo total para ações, US$ 5,2 bilhões foram para a China e US$ 3,9 bilhões para o restante. Do fluxo para dívidas emergentes, US$ 6,4 bilhões foram para a China e US$ 12,5 bilhões para os outros emergentes. (Valor)

Balança Comercial: Impulsionadas por commodities, principalmente minério de ferro e petróleo, as exportações somaram US$ 28,1 bilhões em junho, novo recorde da série histórica, desde 1997, para qualquer mês. O superávit do mês, de US$ 10,4 bilhões também é recorde absoluto. No acumulado do primeiro semestre, o superávit somou US$ 37,5 bilhões. O governo passou a projetar saldo positivo de US$ 105,3 bilhões para o ano. O valor é considerado otimista por analistas. (Valor)

Patamar da Produção Industrial 1: O patamar de produção de bens de capital e de bens intermediários já superou o de antes da pandemia, em fevereiro de 2020, mas isso não ocorreu no caso dos bens de consumo, em função dos efeitos da demanda doméstica, aponta o gerente da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF), André Macedo. Então, verificando os percentuais, podemos dizer que, no caso das categorias econômicas, duas estão acima do patamar pré-pandemia – bens de capital (14,1% superior) e bens intermediários (2,2% acima). As outras duas, no entanto, estão abaixo: bens de consumo duráveis (-14,5%) e semi e não duráveis (-6,3%). (Valor)

Patamar da Produção Industrial 2: O expressivo crescimento da indústria brasileira em maio deste ano, de 24%, frente a maio de 2020, precisa ser relativizado, reforça o gerente da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF), André Macedo. A base de comparação depreciada de maio de 2020 – quando a produção tinha recuado 21,9% – tem influência fundamental nesse movimento. (Valor)

Formação Bruta de Capital Fixo: Os investimentos produtivos na economia começaram o segundo trimestre em queda, depois de um bom desempenho no começo do ano, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O Indicador Ipea de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) recuou 18% entre março e abril, feito o ajuste sazonal. Nos cálculos do Ipea, a FBCF caiu 11,4% no trimestre móvel terminado em abril. Já na comparação com igual trimestre de 2020, os investimentos aumentaram 24%, enquanto a comparação entre abril de 2021 e igual mês do ano anterior mostra alta de 39,1%. No acumulado em 12 meses, o Indicador Ipea de FBCF subiu 6,9%. (Valor)

Trabalho e Emprego

FGTS 1: Projetos em tramitação no Congresso Nacional que reivindicam novas modalidades de saque no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço ou redução de contribuição assim como a discussão no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre mudança no índice de correção dos saldos das contas dos trabalhadores podem inviabilizar financeiramente o FGTS, segundo do diretor do fundo do Ministério da Economia, Gustavo Tillmann. As mudanças podem encarecer o funding dos investimentos feitos em habitação, saneamento básico e infraestrutura urbana e o custo dos empréstimos para o trabalhador. (Valor)

FGTS 2: Nos últimos anos, o lucro líquido do fundo tem se reduzido gradualmente com os saques extraordinários e impacto da queda de juros nas receitas financeiras. Em 2020, segundo balanço preliminar, o FGTS registrou um lucro de R$ 8,231 bilhões, o que representa uma redução de 27,16% ante 2019. O resultado apurado no ano passado é o mais baixo desde 2011, quando o lucro foi de R$ 5,147 bilhões. (Valor)

Volta dos Inativos 1: Na avaliação do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com a saída de muitas pessoas do mercado em 2020, a força de trabalho ainda se encontra abaixo do patamar pré-pandemia. Porém, uma parcela já voltou a procurar uma vaga no primeiro trimestre, movimento que tende a se intensificar nos próximos meses, o que deve manter a taxa de desemprego em nível elevado. (Valor)

Volta dos Inativos 2: A alta recente no contingente de desempregados — que atingiu 15,2 milhões nos três meses terminados em março, ou 14,7% da força de trabalho — vem sendo influenciada pelo retorno de pessoas que ficaram inativas ao mercado. (Valor)
Volta dos Inativos 3: Apesar do avanço, os pesquisadores destacam que a força de trabalho ainda está 4,4% aquém do patamar pré-pandêmico, de 105,1 milhões, registrado no primeiro trimestre de 2020. Em igual período de 2021, esse contingente ficou em 100,5 milhões. (Valor)

Normas Trabalhistas 1: O governo federal deve editar um Novo Marco Legal administrativo, com o objetivo de simplificar e desburocratizar as portarias e normas trabalhistas. As cerca de 2 mil normas infralegais administrativas que foram avaliadas pelo governo, devem ser reduzidas a 15 atos, segundo Bruno Bianco, secretário Especial de Previdência e Trabalho. (Valor)

Normas Trabalhistas 2: Segundo Bruno Bianco os atos cobrem segurança e saúde do trabalho e incluem portarias obsoletas que já não correspondem mais à realidade do mercado profissional. Essas normas foram analisadas pela Comissão Tripartite Paritária Permanente (CTPP), com representantes de empresas, trabalhadores e governo, na comissão e quase todas foram aprovadas em consenso por audiências públicas. (Valor)

Taxa de Desemprego: A taxa de desemprego no país ficou em 14,7% no trimestre encerrado em abril de 2021, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada pelo IBGE. A taxa repete o resultado de março, que foi o maior da série histórica da pesquisa, iniciada em 2012, e ficou acima do verificado no trimestre móvel anterior (encerrado em janeiro, de 14,2%). (Valor)

Número de Desempregados: No trimestre até abril, o país tinha 14,8 milhões de desempregados – pessoas de 14 anos ou mais que buscaram emprego, sem encontrá-lo. O número aponta crescimento de 3,4% frente ao trimestre anterior (489 mil pessoas a mais) e alta de 15,2% frente a igual período de 2020 (1,9 milhão de pessoas a mais). (Valor)

Desalentados: O país tinha, no trimestre encerrado em abril, quase 6 milhões de desalentados (5,967 milhões), segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgada nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número é muito próximo do contingente recorde já registrado na série histórica da pesquisa, de 5,970 milhões, no trimestre móvel encerrado em agosto de 2020. (Valor)

Trabalho Intermitente: Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados dia 01-07-2021, pelo Ministério da Economia, mostram que o país criou em maio 8.851 novos postos de trabalho intermitente, modalidade criada pela reforma trabalhista que permite jornada em dias alternados ou por horas determinadas. O número é resultado de 19.805 admissões e 10.954 desligamentos. No ano, foram criados 26.066 postos intermitentes, resultado de 91.001 admissões e 64.935 desligamentos. (Valor)

Vagas com Carteira Assinada: O mercado de trabalho brasileiro registrou em maio a abertura de 280.666 vagas com carteira assinada, resultado de 1.548.715 admissões ante 1.268.049 desligamentos, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quinta-feira pelo Ministério da Economia. De janeiro a maio, o saldo acumulado de contratações ficou positivo em 1.233.372 postos de trabalho, resultado de 7.971.258 contratações e 6.737.886 demissões. (Valor)

População Ocupada: No período, a população ocupada (empregados, empregadores, funcionários públicos) era de 85,9 milhões de pessoas. Isso representa estabilidade estatística em relação ao trimestre móvel anterior, encerrado em janeiro, e queda de 3,7% frente a igual trimestre de 2020 (3,3 milhões de pessoas a menos). (Valor)

Pejotização sem Inibição: A tributação de dividendos, com isenção para os valores de até R$ 20 mil mensais pagos por empresas de pequeno porte, não deve ser grande desestímulo à chamada pejotização, fenômeno pelo qual o prestador de serviço se constitui como empresa e dessa forma recolhe os tributos, entre eles o Imposto de Renda (IR), como pessoa jurídica. O efeito das mudanças tributárias propostas pelo governo para o IR deve ser limitado sobre a pejotização, avaliam especialistas. (Valor)

Finanças Públicas

Gastos com Saúde 1: Impulsionado pela segunda onda da pandemia de covid-19, o gasto com saúde agregado de 4.759 municípios cresceu 11% nominais de janeiro a abril de 2021 contra igual período do ano passado. O aumento chama a atenção quando se olha a despesa total, que ficou estável, com queda de 0,1% em igual período. (Valor)

Gastos com Saúde 2: A alta foi puxada pelos municípios com mais de 1 milhão de habitantes. Nesse grupo de 16 cidades, responsável por mais de 23% de todas as despesas municipais do período na área, o gasto com saúde aumentou 16,3% nominais e suscita uma discussão sobre a oferta de serviços públicos de saúde pelas prefeituras. Caso uma terceira onda da pandemia venha de forma mais agressiva que a segunda, o sistema esbarra em limites de recursos materiais e humanos para se expandir mais, avaliam representantes dos municípios. (Valor)

Gastos com a Covid: O secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, destacou que já foram pagos R$ 48,3 bilhões com medidas de enfrentamento à covid-19 para 2021. Para o ano, a previsão é de um gasto de R$ 106,8 bilhões. Somente em maio, as despesas primárias em resposta à crise covid-19 totalizaram R$ 16,1 bilhões. (Valor)

Déficit da Previdência: O déficit do RGPS mais RPPS Civil e pensões/inativos de militares somou R$ 329,3 bilhões (4% do PIB) no acumulado em 12 meses. A redução do déficit do RGPS entre maio de 2020 e maio de 2021 de R$ 65,1 bilhões deveu-se ao efeito da queda de R$ 38,5 bilhões dos benefícios previdenciários e de elevação de R$ 26,6 bilhões da arrecadação do RGPS. (Valor)

Déficit Primário 1: O déficit primário do governo central – que reúne as contas do Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central – totalizou R$ 20,947 bilhões no mês passado. Esse é o saldo das despesas e receitas dessas esferas, sem contar pagamento de juros de dívida. Em maio de 2020, o déficit foi de R$ 126,636 bilhões, pressionado por medidas de mitigação dos efeitos da pandemia. No acumulado de janeiro a maio de 2021, o resultado foi positivo em R$ 19,911 bilhões ante déficit de R$ 222,493 bilhões do mesmo período do ano passado. (Valor)

Déficit Primário 2: Em 12 meses, o déficit primário chega a R$ 535,7 bilhões – o que representa 6,3% do PIB. A meta de déficit primário do governo central para 2021 é de R$ 247,118 bilhões, mas pela lei 14.143, sancionada em abril, alguns gastos ligados à pandemia não serão contabilizados no cálculo do resultado primário. (Valor)
Déficit Primário 3: No acumulado de janeiro a maio, a receita líquida total teve uma expansão de 26,9% ante mesmo período de 2020, somando R$ 621,448 bilhões. Já as despesas totais caíram 17,3% totalizando R$ 601,537 bilhões na mesma base de comparação. (Valor)

Recuo nos Investimentos: O governo federal investiu R$ 2,661 bilhões em maio, o que representa um recuo real de 7,3% em relação a um ano antes. No acumulado do ano, os investimentos somaram R$ 8,558 bilhões, recuo expressivo em relação aos R$ 39,076 bilhões registrados no mesmo período de 2020. (Valor)
Inflação

Conta de Energia Mais Cara: Com voto divergente do relator, a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o aumento do valor cobrado pela bandeira tarifária vermelha Patamar 2 (P2) dos atuais R$ 6,24 para R$ 9,49 a cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos. A alta de 52% valerá já a partir do consumo de energia faturado em julho. (Valor)
Projeção da Inflação: Em relação à inflação, por outro lado, o cenário se deteriorou, avalia o Ipea, que passou a prever aumento de 5,9% para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2021, ante 5,3% anteriormente. O teto da meta para o ano é 5,25%. (Meio)

Ambiente Social

Endividamento das famílias: A expansão do crédito vem dando impulso à recuperação da atividade econômica, mas também tem levado o endividamento das famílias para altas históricas. Em maio, o estoque de crédito da economia brasileira cresceu 1,2%, alcançando R$ 4,2 trilhões, conforme divulgado pelo Banco Central. No acumulado de 12 meses, a alta foi de 16,1%. (Valor)

Busca por Recursos Extras: Quase metade dos brasileiros teve que buscar recursos financeiros extras durante a pandemia. Segundo pesquisa da EY Brasil, destes, 14% buscaram empréstimos, metade delas com familiares e o restante com instituições financeiras. A grande maioria (78%), buscou por bancos tradicionais, mas 15% procuraram fintechs e bancos digitais. (InfoMoney) (Meio)

Confiança nos Bancos: Pesquisa realizada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (IPESPE) mostra que os mais de R$ 2 bilhões de investimentos em tecnologia por ano realizados pelos bancos para combater fraudes virtuais e a forte regulamentação bancária têm surtido efeitos. Cerca de dois terços dos brasileiros (65%) confiam nos bancos para proteção de dados, contra 31% que não confiam. (Valor)

Meio Ambiente, Sustentabilidade e Energia

Eficiência Energética: A crise hídrica e o consequente aumento nos preços da energia elétrica estão impulsionando a busca por eficiência energética, principalmente nos setores mais afetados pela pandemia, como comércios, escolas, hotéis e shoppings. Tecnologias que otimizam o uso da energia por meio da análise dos dados de consumo, por exemplo, têm atraído consumidores. Empresas e institutos de pesquisa que oferecem serviços de eficiência começaram a notar um aumento da demanda entre o fim do ano passado e o primeiro trimestre de 2021, quando os consumidores se deram conta da possibilidade do agravamento da crise no setor elétrico. (Valor)

Alta das Queimadas: Desde 2007 não eram registrados em junho tantos focos de queimadas na Amazônia quanto neste ano. Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais (Inpe) divulgados ontem, foram identificados no mês passado 2.308 pontos de incêndio na floresta. Isso representa um aumento de 2,6% em relação aos 2.308 focos registrados em junho de 2020. Pior: em tese, os quatro meses da “temporada de queimadas” na Amazônia só começam oficialmente em agosto. (G1) (Meio)

Fundação Renova: A Fundação Renova informou que concluiu no primeiro trimestre a restauração florestal em uma área de 550 hectares de florestas e áreas de preservação permanente nos municípios mineiros de Mariana, Barra Longa, Rio Doce, Santa Cruz do Escalvado e Ponte Nova. (Valor)

Governo e Ambiente Político

Negócios suspeitos 1: A Covaxin não é a única vacina cuja negociação atrai suspeitas da CPI da Pandemia. Os senadores investigam também a compra, depois cancelada, de 60 milhões de doses da Convidencia, fabricada pelo laboratório chinês CanSino. A negociação era intermediada pela empresa Belcher Farmacêutica do Brasil, investigada por fraude na venda de testes de Covid-19 para o Distrito Federal. Cada dose sairia por US$ 17, ainda maior que os US$ 15 da Covaxin. A Belcher tinha um lobby poderoso: os empresários bolsonaristas Carlos Wizard e Luciano Hang. O negócio só não foi adiante porque o laboratório chinês descredenciou a Belcher ao saber das suspeitas de irregularidades. (CBN) (Meio)

Negócios suspeitos 2: A Belcher tem outra particularidade. Um de seus sócios é filho de Francisco Feio Ribeiro Filho, ligado ao líder do governo Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR). Quando este foi prefeito de Maringá (PR), entre 1989 e 1992, Ribeiro Filho foi presidente de uma empresa pública. Depois, quando a mulher de Barros, Cida Borghetti, governou o Paraná, o empresário também teve um cargo público. (Metrópoles) (Meio)

Percepção de Polarização 1: De cada dez brasileiros, oito concordam que há muita ou considerável tensão no país entre apoiadores de diferentes partidos políticos. O resultado foi apurado numa pesquisa global da Ipsos, que investigou a percepção das pessoas a respeito de temas com potencial de gerar tensão e polarização nas sociedades. (Viralizado) (Valor)

Percepção de Polarização 2: As redes sociais tiveram “papel decisivo” na intensificação dessa tendência. Com enorme capilaridade e algoritmos que atuam para aproximar pessoas com os mesmos interesses, as redes acabam virando ambientes propícios para a promoção de exacerbações. (Valor)

Orçamento Secreto: A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, decidirá sobre ação que solicita a suspensão de pagamentos de valores do orçamento secreto. No cálculo de um importante integrante da CPI da Civid, se o dinheiro for barrado, a rede de proteção de Bolsonaro no parlamento desmorona, jogando uma pressão cada vez maior pela abertura de um processo de impeachment no presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). (Valor)

Transferência Especial e Direta: Deputados dos blocos independente e de oposição ao governador Romeu Zema (Novo) apresentaram um projeto de emenda constitucional (PEC) permitindo que recursos extraordinários possam ser gastos por meio de transferência especial. O objetivo é destravar as discussões entre os deputados e o governo do Estado sobre a forma de transferir para as prefeituras R$ 1,5 bilhão do acordo de reparação da Vale, pelos danos causados pelo rompimento da barragem em Brumadinho (MG), em 2019. (Valor)

Ambiente tecnológico

Tecnologia vestível: Um tipo de “fibra programável”, que pode ser usada no monitoramento de atividades do corpo e detecção antecipada de doenças. A inovação é de engenheiros do MIT, que explicaram que a nova fibra é feita de centenas de pequenos chips de silício que, ao ser costurada em uma camiseta, é capaz de, por meio de inteligência artificial, sentir, armazenar, analisar e identificar atividades. A expectativa é de que, no futuro, roupas de atletas possam analisar digitalmente eventuais quedas de ritmo respiratório ou desempenho esportivo, ou até problemas de longo prazo. (Meio)

Vendas de Computador: Fabricantes de notebooks e computadores de mesa venderam 1,77 milhão de máquinas no primeiro trimestre deste ano, o que representa um avanço de 19,7% sobre o volume comercializado em igual período de 2020, informou a consultoria IDC Brasil. Os preços subiram mais de 20% no primeiro trimestre, na comparação anual, refletindo o ajuste do ICMS no começo de janeiro. O valor médio de um desktop subiu 22,5%, de R$ 3.146 para R$ 3.842, no período, enquanto o preço do notebook aumentou 20,5%, de R$ 3.692 para R$ 4.450. (Valor)

Líderes Financeiros e Transformação Digital: Os líderes financeiros do Brasil são os mais preocupados com a transformação digital das empresas. Dos 150 CFOs brasileiros da pesquisa da Rimini Street, 89% acreditam que os investimentos em transformação digital são a chave para o sucesso das empresas, contra 71% da média global. (Meio)

Fintechs Crescem no País: As fintechs e contas digitais estão crescendo. Só em 2020 no Brasil, foram abertas cerca de 67 milhões de contas 100% digitais, superando as expectativas. Ao mesmo tempo, uma parcela da população continua resistente aos meios digitais — das pessoas que possuem pleno acesso à internet, 28% delas parecem não ter migrado suas finanças para o digital em 2020. Associar a educação financeira à tecnologia pode ajudar, não só a tornar o processo mais simples, mas principalmente mais efetivo para a realização de suas metas e sonhos. (Meio)

Bancos e Redes Sociais: Um sistema financeiro aberto permitirá no futuro acessar o seu banco por meio da rede social. A previsão é do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Para ele, a tendência se confirma com a entrada de empresas de mídias sociais e big techs no mercado financeiro, como os pagamentos pelo WhatsApp. Os usuários terão cada vez mais poderes sob os seus dados e mais a longo prazo, isso se refletirá na redução nos juros e tarifas. (Folha) IMeio)

Fábrica de Carne de Laboratório: A primeira fábrica do mundo de carne criada em laboratório acaba de ser inaugurada em Israel. A empresa de biotecnologia Future Meat afirma que a instalação pode produzir cinco mil hambúrgueres por dia e que sua carne cultivada cria 80% menos emissões de carbono do que a carne tradicional. (Meio)

Internet Banda Larga: Até agosto, a Starlink transmitirá internet de banda larga em todo o mundo, exceto nas regiões polares. A previsão é de Elon Musk responsável pela rede de satélites de internet de alta velocidade. Por enquanto, o serviço conta com 1.500 satélites em órbita e já está em operação em cerca de uma dúzia de países. (Bloomberg) (Meio)

Ambiente Empresarial

Artesanato Dá Dinheiro: Por US$ 217 milhões, a brasileira Elo7 de venda de produtos artesanais foi comprada pela plataforma de e-commerce americana Etsy. (Meio)

Fintech em Alta: JP Morgan comprou 40% da fintech C6 Bank por cerca de R$ 10 bilhões. (Meio)

As Mais Endividadas: O Banco de Compensações Internacionais (BIS), espécie de banco dos bancos centrais, calcula que companhias brasileiras terão dívidas a pagar nos próximos dois anos em valor equivalente a 45% de seu lucro líquido. É o maior percentual entre sete grandes emergentes examinados. Esse percentual cai para 12% em três a cinco anos. (Valor)

Vazamento de Dados do Linkedin: No que pode ser um dos maiores vazamentos de dados do Linkedin, mais de 90% dos usuários da plataforma podem ter tido seus dados vazados. Segundo a empresa de cibersegurança Restore Privacy, dados de cerca de 700 milhões de usuários da rede social foram colocados à venda na web. Dentre as informações vazadas estão endereços de email, nomes, números de telefones, endereços, link do perfil, currículo profissional, salários e outras contas em redes sociais. (Globo) (Meio)

Sequestro de Informações: O trabalho remoto durante a pandemia e a valorização de criptomoedas turbinaram o sequestro de informações de empresas. Estima-se que só em 2020 as empresas gastaram mais de US$ 350 milhões em resgate. Esse tipo de ataque, chamado de ransomware, responde por 10% dos incidentes cibernéticos. Há cerca de 50 gangues reconhecidas por esse ataque no mundo, a maioria do Leste Europeu. Pesquisa do DataFolha apontou que 73% dos brasileiros já sofreram algum tipo de ameaça digital, destes, 13% declaram que já tiveram seus dados vazados. (Folha) (Meio)

Estratégias de Segurança: O problema é que muitas empresas ainda possuem estratégias de segurança baseadas em on-premise, apesar de começarem a ter adotado com a pandemia servidores em nuvem e outras soluções como serviço. São necessárias uma série de mudanças para proteger essas aplicações, como ter uma equipe multidisciplinar para definir a governança. (Meio)

Livrarias Virtuais em Alta: Com as livrarias físicas fechadas pela pandemia, a saída foi apelar para a internet. A venda de livros digitais em 2020 cresceu 83%, segundo pesquisa da consultoria Nielsen. No gênero ficção, a alta foi ainda maior, 134%. Apesar disso, o faturamento do setor cresceu somente 36%. De acordo com especialistas, as livrarias virtuais fizeram políticas de descontos agressivas para atrair leitores, com redução de até 25% nos preços, o que encolheu a margem de lucro. (Folha)


Notas Econômicas: Fontes

Fontes:Jornal Valor, Folha, Estadão, Canal Meio Newsletter, Infomoney, CBN, Poder 360, UOL, Viralizado.Com, G1 e Globo.

  • Paulo Roberto Bretas
    é economista pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), especialização no CEDEPLAR- UFMG e MBA em Gestão pela Fundação Getúlio Vargas – Rio de Janeiro. Atualmente é professor associado da Fundação Dom Cabral e Professor de História Econômica, Economia Brasileira e Desenvolvimento Socioeconômico do CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA – BH.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.