Não poderia ser diferente. O discurso do presidente Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia Geral da ONU foi o acontecimento mais esperado da semana. Na terça-feira, dia 21, o mais importante não foi o fato de que ele mentiu sobre temas de interesse interno. Para os seus seguidores fieis, ele apresentou uma fantasia de um país onde a economia vai bem, desmatamento não existe, a “ameaça socialista” está sendo combatida. E voltou a defender o que ele chama de “tratamento precoce”, que nada mais é do que tratamento sem eficácia. Ao retornar, deixou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em isolamento em Nova York após ter testado positivo para a Covid-19.

A semana fecha com o MTST levando a fome para a Bolsa de Valores de São Paulo. E a novidade de uma entrevista publicada pela revista Veja, que tenta dar uma lustrada civilizatória no presidente. O que não tira de evidência o envolvimento da operadora de planos de saúde Prevent Sênior em fraudes de atestados de óbito de pacientes da Covid-19. Para as próximas, uma nova série das desventuras brasileiras vai ganhar mais destaque, com a crise hídrica.

A situação se agrava a cada dia que passa e quem paga a conta é o consumidor brasileiro. Conta essa que pode se prolongar até meados de 2025, de acordo com especialistas do setor de energia. A situação se agrava a cada dia que passa e quem paga a conta é o consumidor brasileiro. Conta essa que pode se prolongar até meados de 2025, de acordo com especialistas do setor de energia.

Coleta de informações semanais feita pelo Economista Paulo Roberto Bretas

Economia e Finanças

Caindo Mais Ainda: Segundo o Iedi (Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial), nos últimos 15 anos, fomos da nona para a 14º posição entre as maiores indústrias do mundo e, neste mesmo período, a participação brasileira na manufatura global caiu de 2,2% para 1,3%. (Valor)

Alerta Evergrande 1: O mercado financeiro global iniciou a semana em estado de alerta. O medo é de que a incorporadora chinesa Evergrande possa ser a próxima Lehman Brothers, banco americano que quebrou em 2008 e desencadeou uma das maiores crises financeiras da história. A empresa, segunda maior do setor na China, acumula mais de US$ 300 bilhões em dívidas e corre risco de falir se não pagar o valor do acordo até esta quinta-feira. (Seu Dinheiro) (Meio) 

Alerta Evergrande 2: Por parte da China, há poucas chances de que exista um plano liderado pelo Estado para resolver a crise. O governo tem imposto novas diretrizes monetárias e reguladoras para frear a especulação imobiliária no país, o que afetou diretamente os negócios da Evergrande. Embora o caso tenha sido comparado à crise de 2008, alguns analistas não veem maiores semelhanças com o episódio. (Seu Dinheiro) (Meio)

Alerta Evergrande 3: Uma turbulência no mercado internacional poderia afetar os países emergentes mais vulneráveis ou com problemas fiscais, como é o caso do Brasil. Contudo, o economista e professor da Universidade de Nova York, no campus de Xangai, Rodrigo Zeidan avalia como improvável que a crise transborde as fronteiras chinesas. “Não há como a quebra da Evergrande gerar colapso do sistema financeiro global, por uma razão simples: a China não tem sistema financeiro integrado com o do mundo e o yuan nem é conversível”, explicou. (UOL) (Meio)

James Kynge, editor global de China no Financial Times: “O governo chinês decidiu fazer da Evergrande um exemplo, a fim de deixar claro para outros incorporadores de imóveis que estava falando sério sobre as ‘três linhas vermelhas’ que decretou no ano passado a fim de reduzir os níveis de dívida no setor e conter o excesso crônico de oferta no segmento de imóveis residenciais.” (Folha) (Meio)

Produção de Petróleo 1: O Brasil deve superar as expectativas de produção de petróleo em 2022. É o que deverá sair na revisão do Plano Decenal de Expansão de Energia 2030 até fevereiro. Os estudos estão sendo feitos agora. Na versão atual espera-se 3,4 milhões de barris por dia até o fim do próximo ano. O país se aproximará da previsão que até agora era feita só para 2025. De acordo com Flávio Vianna, diretor executivo de Exploração e Produção do IBP (Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás), o mercado projeta 3,5 milhões de barris por dia em 2025. (Poder 360)

Produção de Petróleo 2: A Petrobras continuará sendo a principal responsável pelo desempenho do setor. A estatal estima que sua produção deve passar de 2,72 milhões de barris de óleo equivalente por dia para 2,8 milhões em 2022, retornando a 2,7 milhões em 2025. A redução é atribuída ao processo de desinvestimentos da empresa em campos de terra e águas rasas, que devem diminuir a participação em 0,6 milhão de barris por dia. (Poder 360)

Leilão de Aeroportos: O leilão da sétima rodada de aeroportos do governo federal deverá atrair forte interesse de grandes operadores. Os grandes atrativos são Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ) – considerados as últimas “joias da coroa” a serem licitadas no setor. (Valor)

Auxílio Brasil 1: O custo do programa Auxílio Brasil neste ano será de R$ 9,368 bilhões, informou o ministério da Economia. A compensação feita com a alta do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para cumprir as leis de Responsabilidade Fiscal (LRF) e de Diretrizes Orçamentárias (LDO) representa apenas uma pequena parte desse montante, R$ 1,6 bilhão. O restante, R$ 7,7 bilhões, terá como fonte de recursos o dinheiro não utilizado pelo Bolsa Família neste ano, em decorrência do auxílio emergencial, que usou um orçamento à parte. (Valor)

Auxílio Brasil 2: Com o Auxílio Brasil, 17 milhões de famílias serão atendidas na nova versão do Bolsa Família, que hoje alcança 14 milhões. Para o ministério da Economia, a elevação do IOF é uma “tecnicalidade” forçada pelo desenho da LRF, que tem que ser cumprida mesmo em um quadro de aumento na arrecadação. Para 2022, essa exigência seria atendida pela taxação dos dividendos, que o governo ainda precisa aprovar no Senado. (Valor)

Venda de Aço Melhora: As vendas de produtos siderúrgicos começam a reverter a curva. No mês passado, segundo dados do Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda), foram comercializadas 274,5 mil toneladas, uma alta de 5% em relação a julho. No entanto, no comparativo com o mesmo mês do ano passado, o cenário ainda é de queda. Em agosto de 2020, foram vendidas 373,8 mil toneladas, o que implica em um recuo de 26,6%. (Valor)

Poupança das Famílias: A poupança financeira das famílias cresceu com mais força no segundo trimestre de 2021, segundo levantamento inédito do Centro de Estudos de Mercados de Capitais (Cemec) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). A variação foi de R$ 117 bilhões, abaixo dos R$ 171 bilhões do segundo trimestre de 2020, mas revertendo a tendência de desaceleração dos meses anteriores (R$ 74,19 bilhões no quarto trimestre de 2020 e R$ 23,52 bilhões no primeiro trimestre de 2021). Com isso, o fluxo acumulado desde o primeiro trimestre de 2019 chegou a R$ 473,4 bilhões. O elevado estoque corrobora os dados das Contas Nacionais, que mostram que a taxa de poupança atingiu recorde de 20,6% do Produto Interno Bruto (PIB). (Valor)

Frustração na Retomada da Economia: Diferentemente das expectativas passadas, a reabertura da economia brasileira não vem acompanhada de uma injeção de otimismo e confiança. Pelo contrário, o humor das famílias está em patamares baixos por conta da aceleração da inflação e da recuperação apenas parcial no mercado de trabalho, que se traduz em menor renda, frustrando a robustez da retomada. A avaliação é do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre-FGV). (Valor)

Crescimento do PIB: O Ibre-FGV revisou a projeção de crescimento do PIB neste ano para 4,9%, ante 5,2% anteriormente. Para o ano que vem, a previsão foi revisada de 1,6% para 1,5%. (Valor)

Aumento da Selic 1: O Copom (Comitê de Política Monetária) aumentou de 5,25% para 6,25% ao ano a taxa básica, a Selic, usada para controlar a inflação. A decisão do colegiado foi unânime. A alta para esse percentual era esperada pelo mercado financeiro. Esse é o maior patamar da Selic desde julho de 2019. (Poder 360)

Aumento da Selic 2: Segundo projeções dos economistas entrevistados pelo Boletim Focus, os juros terminarão 2021 em 8,25% ao ano, o maior patamar desde 2017. (Poder 360)

Aumento da Selic 3: Nos últimos anos, a Selic chegou a 14,25%, em 29 de julho de 2015. Alcançou o patamar de 2% na pandemia de covid-19, a mínima da história. O Copom passou a aumentar os juros para controlar a alta da inflação, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). (Poder 360)

Aumento da Selic 4: Controlar a inflação é o objetivo prioritário do Banco Central. Com a Selic aos 6,25% ao ano, o Brasil passa a ter a 4ª maior taxa de juros nominais do mundo, atrás da Rússia (6,75% a.a.), Turquia (18% a.a.) e Argentina (38% a.a.). (Poder 360)

Transações Correntes: O Brasil registrou um superávit em suas transações correntes de US$ 1,684 bilhão em agosto, conforme divulgado nesta sexta-feira pelo Banco Central (BC). A autoridade monetária estimava um superávit de US$ 1,1 bilhão. No mesmo mês de 2020, o saldo da conta corrente foi positivo em US$ 950 milhões. No acumulado de 12 meses, a diferença entre o que o país gastou e o que recebeu nas transações internacionais relativas a comércio, rendas e transferências unilaterais resultou em um saldo negativo de US$ 19,505 bilhões, o equivalente a 1,23% do Produto Interno Bruto (PIB) estimado pela autoridade monetária. Em julho, o déficit foi equivalente a 1,3% do PIB. (Valor)

Investimento Direto no País: O Investimento Direto no País (IDP) teve ingresso de US$ 4,451 bilhões em agosto. A estimativa da autoridade monetária era de ingresso líquido de US$ 5,8 bilhões. Em agosto de 2020, o IDP tinha somado US$ 2,592 bilhões. Em 12 meses até agosto, o IDP foi de US$ 49,356 bilhões, ou 3,12% do Produto Interno Bruto (PIB), contra 3,04% do PIB vistos até julho. O montante é mais do que suficiente para cobrir o déficit em conta corrente de 1,23% do PIB nos 12 meses. (Valor)

Confiança do Consumidor: O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) do FGV/Ibre caiu 6,5 pontos em setembro, para 75,3 pontos, menor patamar desde abril de 2021 (72,1 pontos), informou o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre). Em médias móveis trimestrais, o índice caiu 1,9 ponto, para 79,8 pontos. (Valor)

Aumenta a Receita dos Estados: Inflação, combustíveis e base baixa de comparação ajudam na recuperação da arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) em 2021. De janeiro a agosto o recolhimento do tributo no total dos Estados alcançou R$ 409,7 bilhões, com alta nominal de 29,7% em relação a iguais meses de 2020. (Valor)

Criptomoedas em Baixa: As criptomoedas foram negociadas em forte baixa dia 24-09-2021, após o governo chinês anunciar a proibição da negociação desses ativos no país. Um comunicado publicado no site do banco central chinês, o Banco Popular da China, declara que todas “as atividades comerciais vinculadas a moedas virtuais são atividades financeiras ilegais”. (Valor)

Inflação

IPCA Previsto: O mercado financeiro aposta que o IPCA terminará o ano em 8,35%, acima da meta do CMN (Conselho Monetário Nacional), de 3,75%, e fora do intervalo de tolerância, de 2,25% a 5,25%. (Poder 360)

Índice de Preço ao Consumidor Semanal: O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) acelerou pela terceira medição seguida, agora para 1,27%, na terceira leitura de setembro, vindo de 1,10% na apuração imediatamente anterior. Com isso, o indicador acumula aumento de 9,42% nos últimos 12 meses, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) dia 23-09-2021. (Valor)

IPCA-15: Após a divulgação do IPCA-15 de setembro, que subiu mais do que o esperado (1,14% ante agosto), economistas projetam que a inflação “cheia” deste mês deve ficar ao redor de 1,2%. (Valor)

Governo e Ambiente Político 

Bolsonaro na ONU: Negacionismo, informações distorcidas sobre meio ambiente e economia, mentiras e a ameaça do socialismo. O cenário era o imponente salão da Assembleia Geral da ONU, em Nova York, mas o presidente Jair Bolsonaro discursou como se falasse para a claque de apoiadores diariamente posicionados na porta do Palácio da Alvorada. Garantiu que não há corrupção no governo, disse que o desmatamento na Amazônia diminuiu, criticou os passaportes de vacinação e defendeu tratamentos comprovadamente ineficazes contra a covid e exaltou a economia brasileira, entre outras afirmações. (G1) (Meio)

Repercussões na Imprensa Internacional: A imprensa internacional foi majoritariamente crítica ao discurso de Bolsonaro, especialmente ao negacionismo em relação à pandemia e ao meio ambiente. (Poder360) (Meio)

Repercussões no Brasil: Entre políticos, analistas e ambientalistas, a avaliação é de que o discurso do presidente foi uma peça de ficção sem qualquer respaldo. (Estadão) (Meio)

Crime de Extermínio: A Associação Brasileira de Juristas pela Democracia entregou à CPI da Covid, um documento em que argumenta que o presidente Jair Bolsonaro cometeu “crime de extermínio contra a humanidade”. O crime de extermínio é previsto pelo Estatuto de Roma, que rege o Tribunal Penal Internacional. A ABJD já protocolou uma representação no tribunal contra Bolsonaro por crime contra a humanidade na pandemia. (Carta Capital)

Protegendo as Fake News: O presidente Jair Bolsonaro insiste em querer legislar sobre o que as plataformas sociais podem fazer ou não — se a medida provisória não deu certo, tenta agora como projeto de lei. De um lado, faz parte de sua estratégia política intensificar o discurso de ódio e a disseminação de notícias falsas para manter os apoiadores aguerridos. De outro, o cerco que a Justiça, via STF e TSE, vem fazendo a essas práticas aumenta. O Planalto enviou neste domingo ao Congresso o novo projeto de lei, que é virtualmente idêntico à MP das Fake News, devolvida pelo Senado e suspensa pelo STF. Em síntese, o projeto limita o poder de redes sociais de retirarem do ar conteúdo falso e discursos de ódio e de banir quem os dissemina. (Estadão) (Meio)

Produzindo as Fake News: A estratégia de Carlos e Eduardo Bolsonaro, os filhos Zero Dois e Zero Três do presidente, para as eleições do ano que vem deve ser a internacionalização dos disparos em massa nas redes sociais. O conteúdo do “gabinete do ódio” segue produzido aqui, mas lançado nas redes por empresas e laranjas no exterior, para driblar a Justiça brasileira. (UOL) (Meio)

Ronaldo Lemos: “A discussão desta MP não passa de distracionismo. Seu texto quis passar a mensagem de que as fake news são um problema de liberdade individual. Sua premissa seria que são indivíduos que criam e espalham informações falsas. A questão das fake news não é individual, mas industrial. Fake news é indústria lucrativa, bem organizada e bem financiada, com comando e controle, funcionários e prestadores de serviço de várias naturezas, incluindo redatores, programadores, agitadores e gestores de redes de robôs e perfis falsos. Tanto que o termo ‘fake news’ é em si enganoso. O mais correto seria ‘comportamento inautêntico coordenado’.” (Folha) (Meio)

Míriam Leitão: “Discordo radicalmente da afirmação de que iniciar um processo para o afastamento do Presidente Bolsonaro seria banalização do impeachment. O verdadeiro risco que o país corre é o de banalizar o crime. Não houve uma semana de paz em todo este governo. Um tempo em que ele não tivesse infringido alguma lei, algum inciso, algum dos nossos mais caros valores.” (Globo) (Meio)

Reforma Administrativa: A comissão especial da Câmara que avalia a reforma administrativa aprovou, por 28 votos a 18, o texto-base do relator Arthur Maia (DEM-BA). Entre outras mudanças, a reforma propõe a demissão por baixo desempenho (decidida por um colegiado), a redução em até 25% de jornada e salários dos servidores em situações de crise e o corte de “penduricalhos” nos salários do funcionalismo. O Judiciário ficou de fora das mudanças. (Estadão) (Meio)

Fim do Novo: O Novo pode entrar para a história da política brasileira como o partido que durou só uma Legislatura. Após perder metade dos filiados desde a fundação, a legenda está em vias de ficar sem a maioria de sua bancada na Câmara. A perspectiva é que até seis dos oito deputados aproveitem a janela de desfiliação para mudar de partido. Eles não concordam com a posição da direção partidária de oposição ao governo, embora rejeitem a pecha de bolsonaristas. (Estadão) (Meio)

Ultraconservadores: Um levantamento do instituto Locomotiva mostra que o Brasil tem 6,4 milhões de eleitores com ideias ultraconservadoras.De acordo com a pesquisa, destes, 60% são homens, 8 em cada 10 possuem até o ensino superior e 56% têm mais de 45 anos. O estudo revela ainda que a proporção dos ultraconservadores adultos no País é maior na região norte. (Carta Capital)

Rachadinhas: O Ministério Público do Rio já tem indícios de que pelo menos oito ex-funcionários do gabinete do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) exerciam outras atividades nos horários em que deveriam dar expediente na Câmara carioca. O MP investiga a contratação de fantasmas e a prática de rachadinhas. Entre os assessores estão parentes de Ana Cristina Valle, ex-mulher de Jair Bolsonaro, suposta operadora do esquema, incluindo o irmão dela, André Luis Procópio Siqueira Valle, que “trabalhou” ao mesmo tempo no gabinete de Carlos no Centro do Rio e numa fábrica de autopeças em Resende, a 160 quilômetros de distância. O MP diz também ter provas de que depoimentos de ex-funcionários foram previamente combinados no gabinete de Carlos, e trazem alegações que contradizem documentos já em poder dos investigadores. (Globo) (Meio)

Gastos com Educação: O Senado aprovou ontem em segundo turno a proposta de emenda constitucional que desobriga os estados e municípios de gastar 25% da arrecadação com educação. A suspensão do piso vale somente para os anos de 2020 e 2021, devido à pandemia de covid-19. O texto segue para a Câmara. (UOL) (Meio)

Fake News: O delegado Alexandre de Andrade, da Polícia Federal, disse em audiência pública na Câmara dos Deputados na terça-feira (21) que a propagação de desinformação com finalidade eleitoral preocupa o órgão e tem potencial para causar “distúrbios graves” com reflexos na segurança, ordem pública e na imagem das instituições. (Valor)

Pesquisa IPEC 1: Se as eleições presidenciais de 2022 fossem hoje, o ex-presidente Lula (PT) poderia vencer ainda no primeiro turno, segundo pesquisa do Idec, formado por ex-executivos do Ibope. Foram analisados dois cenários. No primeiro, com cinco candidatos, Lula teria 48%; Jair Bolsonaro (sem partido), 23%; Ciro Gomes (PDT), 8%; João Doria (PSDB) e Luiz Henrique Mandetta (DEM), 3% cada. Lula tem 11 pontos a mais que a soma dos adversários, o que garantiria a vitória na primeira votação. No segundo cenário, foram incluídos Sergio Moro (sem partido), com 5%; Datena (PSL), 3%; e os senadores Rodrigo Pacheco (DEM-MG), 1%, e Simone Tebet (MDB-MS) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE), sem pontuação. Lula teria cinco pontos a mais que a soma, mas essa vantagem está na margem de erro de 3 pontos para mais ou para menos. (G1) (Meio)

Pesquisa IPEC 2: O Ipec mediu também a avaliação do governo Jair Bolsonaro. Para 53% dos entrevistados, ele é ruim ou péssimo, ótimo ou bom para 22% e regular para 23%. A atuação pessoal do presidente é reprovada por 68% e aprovada por 28%. (UOL) (Meio)

Minireforma Eleitoral: O Senado aprovou ontem em caráter definitivo a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da minirreforma eleitoral deixando de fora a volta das coligações em eleições proporcionais, aprovada pela Câmara. Também caíram diversas amarras à ação da Justiça Eleitoral e a redução drástica do número de assinaturas para projetos de iniciativa popular. Foram mantidos a contagem em dobro dos votos para negros e mulheres no cálculo do Fundo Eleitoral até 2030 e a permissão para que deputados e vereadores não percam seus mandatos caso deixem os partidos com anuência da legenda – hoje o MP Eleitoral também pode pedir a cassação. Em seu relatório, a senadora Simone Tebet (MDB-MS) retirou por completo esses trechos aprovados pelos deputados, em vez modificá-los, o que levaria a PEC de volta para a Câmara. Com isso, o texto será promulgado em sessão conjunta do Congresso. (Poder360) (Meio)

Chefe da Quadrilha: Carlos Bolsonaro, vereador do Rio de Janeiro pelo Republicanos e filho “Zero Dois” do presidente da República, é apontado como “chefe de organização criminosa” nos depoimentos e documentos entregues ao juiz Marcello Rubioli, da 1ª Vara Criminal Especializada do TJ-RJ. Carlos é investigado por empregar funcionários fantasmas e por promover “rachadinhas”, uma prática ilegal em que parte dos salários dos assessores é repassada ao parlamentar. O Tribunal de Justiça do Rio quebrou os sigilos telefônicos e de dados de pelo menos 11 ex-funcionários do vereador.  (UOL) (Meio)

Prevent Senior e as Cobaias Humanas: A CPI da Covid avalia que as denúncias contra o plano de saúde Prevent Senior trazem de volta o “gabinete paralelo” e, por conseguinte, o núcleo do governo para o centro das investigações. De posse de um dossiê que aponta experiências com cobaias humanas e ocultação de mortes, a CPI estuda estender seus trabalhos até o fim de outubro. Médicos que fizeram a denúncia e o empresário bolsonarista Luciano Hang, cuja morte da mãe por covid-19 teria sido ocultada, foram convocados a depor. (Folha) (Meio)

Eduardo Leite como Favorito: A consultoria internacional Eurasia Group aponta o favoritismo do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, nas prévias que indicarão o candidato do PSDB à Presidência em 2022. Estão na disputa, além de Leite, o governador de São Paulo, João Doria, o senador Tasso Jereissati (CE) e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio. (Carta Capital)

Meio Ambiente, Sustentabilidade e Energia

Crise Climática 1: Os elementos que caracterizam a crise climática são cada vez mais evidentes. De acordo com o alarmante relatório do IPCC – International Painel on Climate Change, os aumentos observados nas concentrações de gases de efeito estufa são inequivocamente causados pelas atividades humanas. Essa afirmação representa uma mudança considerável em relação aos relatórios anteriores onde informavam que as causas seriam provavelmente em função da atividade humana. (Carta Capital)

Crise Climática 2: Cada uma das últimas quatro décadas tem sido sucessivamente mais quente do que qualquer década que a precedeu desde 1850. A mudança climática induzida pelo ser humano já está causando muitos eventos extremos em todas as regiões do mundo, como ondas de calor, chuvas intensa, secas e ciclones tropicais. (Carta Capital)

Crise Climática 3: As alternativas apresentadas até aqui para a transição verde sustentável – como os bem vindos programas europeus e estadunidense – mantem a lógica financeirizada do atual modo de produção. Os programas são bastante abrangentes. Mas, de forma geral, se limitam as suas fronteiras e a práticas de tributação de produtos importados que não cumpram os padrões de produção compatíveis com as práticas de redução de gases, num processo de proteção industrial camuflado. Repito: são práticas muito bem vindas, mas nem de longe suficientes para impedir a catástrofe que se avizinha. (Carta Capital)

Crédito de Carbono: Em um cenário otimista, mas considerado bastante factível, o Brasil tem a oportunidade de gerar créditos de carbono em torno de 1 bilhão de toneladas de CO2 equivalente e potencial para obter receitas de US$ 100 bilhões até 2030 com a sua comercialização. As estimativas constam de um estudo inédito conduzido pela seção brasileira da Câmara de Comércio Internacional (ICC Brasil), em parceria com a consultoria especializada em gestão de ativos ambientais Way Carbon, a partir da identificação de possibilidades em três setores-chave no país: agropecuário, florestas e energia. (Valor)

Amazônia em Risco: No dia em que o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) divulgou que a área desmatada em agosto deste ano é a pior para o mês em uma década, a Procuradoria-Geral da República (PGR) defendeu o governo por ter adotado “inúmeras medidas para reduzir ao máximo possível o atual cenário” de devastação da floresta. (Valor)

Qualidade do Ar: A Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou dia 22-09-2021 novas diretrizes globais de qualidade de ar. São recomendações para limitar o nível de seis poluentes atmosféricos que mais causam danos à saúde, muitos produzidos na queima de combustíveis. (Meio)

Ataques do Ministério da Economia: Entidades ambientalistas reagiram com fortes críticas ao que estão classificando como um “pacote antiambiental” produzido pelo Ministério da Economia (ME). O repúdio é divido a um conjunto de medidas que a equipe econômica encaminhou ao Ministério do Meio Ambiente (MMA) para que a pasta avalie a possibilidade de flexibilizar regras como parte de um processo de redução do chamado “custo Brasil”. (Valor)

Desmatamentos e Crise Hídrica: A Amazônia registrou 28.060 focos de queimadas em agosto, segundo dados do Programa de Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), um número acima da média histórica. Para especialistas, o avanço do desmatamento e a falta de preservação de mananciais podem fazer com que o país repita cada vez mais o cenário de crises hídricas em razão da escassez de chuvas. (Valor)

Ambiente Social, Emprego e Renda

Viva Paulo Freire: Dia 19-09-2021 o mundo celebrou o centenário de um dos mais importantes pensadores brasileiros, o educador pernambucano Paulo Freire, patrono da Educação brasileira. Seu livro A Pedagogia do Oprimido, de 1968, é uma das obras mais traduzidas no mundo e referência em centros de estudos dos mais diversos matizes ideológicos. Mais que um método de alfabetização, sua pedagogia encara a educação como uma ferramenta de emancipação do indivíduo. Com seu viés humanista, o pensamento de Freire foi combatido pela ditadura militar e é execrado pelo atual governo. O que não faz a menor diferença para algumas das mais exclusivas escolas de elite do país, que têm na obra do pernambucano seu pilar de ensino. (Folha) (Meio)

Negros e o Salário Mínimo: Entre os cerca de 30 milhões de brasileiros que recebem apenas um salário mínimo, quase 20 milhões são negros. É o que aponta um estudo da consultoria IDados, publicado nesta dia 20-09-2021, com base em informações do IBGE. Trata-se de um recorde em comparação com os trimestres anteriores. Hoje, 43,1% dos negros ocupados recebem até 1.100 reais. No quarto trimestre de 2015, no melhor momento da série histórica, eram 34,4%. A população negra representa mais de 54% dos brasileiros. O estudo divulgado pela IDados destaca que dessa parcela, são mais de 46 milhões de pessoas negras ocupadas no mercado de trabalho. (Carta Capital)

Brasileiros e o Salário Mínimo: Do total de trabalhadores ocupados no Brasil, 34,4% recebem até um salário mínimo – o patamar também é o mais alto já apurado desde o início da série histórica, em 2012. Quanto à escolaridade, 69,2% dos que recebem até um salário mínimo não tiveram acesso aos estudos. Entre indivíduos com ensino superior completo, 13,4% recebem um salário mínimo. Em 2012, esse percentual era de 8,9%. Isso significa que mesmo os que se graduaram continuam a receber salários baixíssimos.  (Carta Capital)

Movimentos Sociais Ocupam a B3: Integrantes de movimentos sociais ocuparam no começo da tarde do dia 23-09-2021 o prédio da B3, a bolsa de valores brasileira, em São Paulo. O ato é um protesto “contra a fome e a precarização do trabalho”. Também critica o presidente Jair Bolsonaro e o mercado. A ação foi realizada pelo MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) e frente Brasil Sem Medo. (Poder 360)

Ambiente Tecnológico

Embraer se Valoriza: A Embraer anunciou a venda de 100 unidades do carro voador Eve, desenvolvido pela fabricante brasileira. O acordo envolve a Bristow Group e as empresas trabalharão em conjunto em novas modalidades de mobilidade aérea urbana (UAM). As entregas das primeiras unidades do eVTOL (veículo elétrico com decolagem vertical) estão programadas para 2026. (Canaltech) (Meio)

Dificuldades com a Inteligência Artificial: A inteligência artificial (IA) já é usada em diversos setores, mas quando se trata das operações, muitas empresas ainda não conseguem implementar a tecnologia com sucesso. Uma pesquisa da Juniper Networks mostrou que apenas 6% dos profissionais de TI conseguiram ter sucesso no uso operacional da inteligência artificial. Além disso, poucas empresas implementam projetos de IA em suas operações apesar de enxergar seus benefícios. (Meio)

Tratores Autônomos Elétricos: Uma empresa de tecnologia agrícola vai produzir tratores autônomos e movidos a bateria elétrica. O projeto é da Monarch Tractor, startup norte-americana fundada por Mark Schwager, ex-funcionário da Tesla. Segundo a empresa, trata-se do primeiro trator inteligente totalmente elétrico do mundo integrado numa única plataforma. O veículo é capaz de realizar tarefas pré-programadas sem operador, processar dados e oferecer análises de longo prazo sobre os cultivos. Por meio de um smartphone, os usuários também recebem alertas. (Istoé Dinheiro) (Meio)

Uso dos HFCs: A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) anunciou novas regras para limitar a produção doméstica e o uso dos hidrofluorcarbonetos (HFCs), gases de efeito estufa comumente utilizados em geladeiras, refrigeradores e aparelhos de ar-condicionado. A nova norma, que segue uma lei aprovada pelo Congresso em 2020, tem como objetivo diminuir a produção e o uso dos HFCs nos EUA em 85% nos próximos 15 anos, parte de um plano global elaborado para conter as mudanças climáticas. (Valor)

Uso de Drones na Agropecuária: O Ministério da Agricultura regulamentou o uso de drones em atividades agropecuárias. Uma portaria publicada dia 24-09-2021 estabelece as regras para operação de aeronaves remotamente pilotadas (ARP), destinadas à aplicação de agrotóxicos, adjuvantes, fertilizantes, inoculantes, corretivos e sementes. A regulamentação busca simplificar os procedimentos e adequar exigências legais às especificidades dessa tecnologia. (Valor)

Ambiente Empresarial

Perdas da Vale: A Vale perdeu US$ 3 bilhões em valor de mercado no dia 20-09-2021, diante da crise da incorporadora imobiliária chinesa Evergrande e da desvalorização do minério de ferro. Com o tombo, a Vale fechou o dia valendo US$ 78,7 bilhões. São US$ 3 bilhões a menos do que os US$ 81,7 bilhões de valor de mercado registrados pela mineradora no dia 17-09-2021. (Poder 360)

Piso Mínimo para Fretes: Entidades que representam os caminhoneiros pediram que os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) julguem as ações que questionam a legalidade do piso mínimo do frete ainda em 2021. O pedido foi enviado a todos os ministros da Suprema Corte dia 20-09-2021. O cumprimento do piso mínimo do frete é um dos principais pontos na pauta dos caminhoneiros, definida dia 18-09-2021, em uma reunião realizada entre líderes e associações representativas da categoria em Brasília. A lei que estabeleceu o piso mínimo do frete é uma das principais conquistas dos caminhoneiros depois da greve de 2018, mas ainda é questionada e descumprida por empresas. (Poder 360)

Crise do Setor Elétrico: As Federações das Indústrias dos Estados do Rio de Janeiro (Firjan) e de Minas Gerais (Fiemg) publicaram uma lista de 14 sugestões para o combate à crise no setor elétrico, causada pelo baixo volume de chuvas. Entre as sugestões, estão a isenção da cobrança de ICMS sobre a bandeira tarifária da escassez hídrica, adotada este mês, que custa R 14,20 adicionais a cada 100 quilowatts hora (kWh) consumidos. Do lado da oferta de energia, as federações defendem a elaboração de um programa para agilizar a entrada em operação de projetos de cogeração e geração local industrial, além de discussões sobre modernização e repotenciação de usinas hidrelétricas. As federações também pedem ações para incentivar investimentos industriais em eficiência energética. (Valor)

Índice Global de Inovação: O Brasil melhorou cinco posições no Índice Global de Inovação (IGI), ficando agora no 57º lugar entre 132 países na comparação com 2020. Mas seu desempenho continua sendo ruim, com dez colocações abaixo da alcançada em 2011. O IGI é publicado pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual (Ompi) em parceria com o Instituto Portulans e algumas confederações nacionais de indústria, incluindo a brasileira CNI. O ranking é resultado da média de cinco pilares – instituições, capital humano e pesquisa, infraestrutura, sofisticação de mercado e sofisticação empresarial – distribuídos em 81 indicadores. Para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a classificação brasileira é incompatível com o fato de o país ter sido a 12ª maior economia do mundo em 2020. (Valor)

Ambiente Internacional 

Suspensão de Restrições: O governo dos EUA anunciou para novembro a suspensão das restrições de entrada no país para estrangeiros que apresentem comprovante de imunização completa. Também serão exigidos testes e uso de máscaras. (CNN Brasil) (Meio)

Uber no Lucro: As ações da Uber negociadas na Bolsa de Nova York (Nyse) chegaram a subir 12,09%, após a empresa divulgar que pode registrar Ebitda ajustado entre prejuízo de US$ 25 milhões e lucro de US$ 25 milhões no trimestre que se encerra em setembro. O número positivo se confirmando será a primeira vez desde sua criação que a plataforma de carona compartilhada irá registrar lucratividade. Para o último trimestre de 2021, a Uber espera um Ebitda ajustado positivo entre US$ 0 e US$ 100 milhões. (Valor)

Emprego na Indústria: A Sondagem Industrial, pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), aponta para um ritmo de contratações cada vez maior e mais disseminado na indústria. O índice de evolução do número de empregados ficou em 52,3 pontos, acima da linha divisória pelo quarto mês consecutivo. O índice varia de 0 a 100, com linha de corte em 50 pontos, os dados acima desse valor indicam crescimento e abaixo, queda na comparação com o mês anterior. (Valor)

Capacidade Instalada Utilizada: A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) ficou em 72%, aumento de 1 ponto percentual entre julho e agosto de 2021. O percentual para o mês se iguala ao registrado no mesmo mês de 2014 e supera o registrado no mês de agosto dos anos subsequentes. Desde maio a UCI se mantém acima da média dos mesmos meses de 2011 a 2019. (Valor)

Evolução dos estoques: O índice de evolução do nível de estoques, pelo relatório de Sondagem Industrial, ficou em 49,7 pontos em agosto. Esse dado aponta estabilidade nesse mês. O índice de nível de estoque efetivo em relação ao planejado praticamente também não mudou, passando de 48,7 pontos em julho (mesmo valor de junho) para 48,6 pontos em agosto. (Valor)

Crescimento da Economia dos EUA: O índice de atividade nacional do Federal Reserve de Chicago recuou a 0,29 ponto em agosto, de 0,75 da leitura revisada do mês anterior, ficando abaixo da expectativa de consenso de 0,65 ponto, de acordo com a FactSet. A média móvel de três meses do índice subiu a 0,43 ponto em agosto, de 0,16 da leitura de julho. O índice leva em consideração quatro fatores principais: mercado de trabalho; produtividade e renda; vendas, encomendas e estoques; e consumo pessoal. Uma leitura em zero indica que a economia do país está se expandindo na média histórica, e a leitura positiva indica que o crescimento segue mais forte. (Valor)


Notas econômicas: fontes

Jornal Valor, Globo, Folha, Estadão, Canal Meio Newsletter, Carta Capital, Poder 360, UOL, CNN Brasil, Seu Dinheiro, Istoé Dinheiro, Canaltech e G1.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.