Especialistas questionam a realidade sobre a mobilidade social dos Estados Unidos

Heraldo Leite
Radar do Futuro

O sonho americano está se exaurindo? Adele Peters, uma blogueira da terra do Tio Sam especializada em design sustentável e colaboradora do site Fast Company, aposta que sim. Mas ela não é a única. Nos últimos meses, alguns dos principais veículos de comunicação dos Estados Unidos publicaram matérias em que reconhecem a expansão da miséria, em contraste com a maior concentração de renda. E o enterrro da ideia de que o país possui o ambinente ideal para que qualquer pessoa possa subir na escala social.

Segundo as últimas estatísticas de órgãos oficiais, um norte-americano sem boas condições financeiras tem uma chance de 8% de chegar ao topo. Número que não é alterado, ainda segundo a blogueira, desde a década de 20. É verdade que, na época do faroeste e da corrida do ouro, era grande a possibilidade chegar aos EUA com uma mão na frente e outra atrás e enriquecer. Hoje, não.

Para se ter uma ideia, a Dinamarca apresenta chances duas vezes maiores do que os Estados Unidos quando se trata de mobilidade social. O mesmo acontecendo com o Canadá, vizinho e muito mais parecido com os EUA

Um das explicações para o quadro vem do berço. Quando ainda no útero materno, crianças de baixa renda já apresentam desvantagens. Os indicadores também apontam que ganharão menos quando crescerem. Outro fator determinante é o acesso à educação. A maioria dos países tem distribuição de impostos mais uniforme para as escolas públicas. Ao contrário, os norte-americanos financiam sua educação com verbas que acabam determinando que bairros melhores terão melhores escolas.

Estudiosos, acadêmicos e pesquisadores ainda não sabem ao certo quais são os fatores mais determinantes. Arriscam a dizer que as possibilidades variam dentro do próprio território norte-americano. Algumas cidades seriam mais desiguais e estagnadas do que outras.

E segundo a autora do artigo, publicado no site ‘Fast Company’: “Nesse meio tempo, os especialistas acreditam que, se os EUA querem tornar-se mais perto da terra da oportunidade que ele imagina ser, algo tem de mudar. A resposta não será encontrada em nenhum livro de auto-ajuda.” 

Abaixo um quadro com os países que apresentam maior mobilidade social.

Os países desenvolvidos com mobilidade top:

  • Dinamarca 
  • Noruega 
  • Finlândia 
  • Canadá 
  • Austrália 
  • Suécia 
  • Nova Zelândia 
  • Alemanha 
  • Japão 
  • Espanha

 

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.