Mais de 11 milhões de pessoas empregadas em renováveis

0
1038
- Aumento da oferta de empregos no setor de renováveis cresce com a descentralização de seu fornecimento. Foto por Pixabay.
Número de  empregos no setor é impulsionado pela descentralização. Foto por Pixabay.

Em 2018, mais de 11 milhões de pessoas foram empregadas no setor de energia renovável em todo o mundo, de acordo com a última análise da Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA).Em 2017, esse número alcançava o patamar de 10,3 milhões de pessoas. Um terço da força de trabalho total de energia renovável está na energia fotovoltaica.

O crescimento do número de empregados no setor ocorre, em parte, em função da descentralização do fornecimento de energia renovável, antes concentrado na China, Estados Unidos e União Europeia. Países da Ásia Oriental e do Sudeste surgiram ao lado da China como principais exportadores de painéis fotovoltaicos (PV). Países como Malásia, Tailância e Vietnã tiveram a participação de 60% na geração de empregos em energia renovável em todo o mundo.

“Além das metas climáticas, os governos estão priorizando as energias renováveis como um motor do crescimento econômico de baixo carbono, reconhecendo as inúmeras oportunidades de emprego criadas pela transição para as energias renováveis”, disse Francesco La Camera, diretor-geral da IRENA.

Em 2018, o emprego de PV aumentou na Índia, Sudeste Asiático e Brasil, enquanto China, Estados Unidos, Japão e União Europeia perderam empregos. A Ásia mantém mais de três milhões de empregos no setor de fotovoltaicos, quase nove décimos do total global.

As atividades da indústria eólica em terra são responsáveis pela maior parte dos 1,2 milhão de empregos gerados. A China representa 44% do emprego global eólico, seguida pela Alemanha e pelos Estados Unidos. De acordo com a análise da IRENA, a energia eólica marítima poderia ser uma opção atraente para alavancar a capacidade doméstica e explorar as sinergias com a indústria de petróleo e gás.

“As energias renováveis atendem a todos os principais pilares do desenvolvimento sustentável ambiental, econômico e social. À medida que a transformação global da energia ganha força, essa dimensão do emprego reforça o aspecto social do desenvolvimento sustentável e fornece mais uma razão para os países se comprometerem com as energias renováveis”, completou La Camera.

De acordo com a última análise da IRENA:

• Os empregos no setor de biocombustível subiram em 6%, atingindo a marca de 2,1 milhões. Brasil, Colômbia e Sudeste Asiático fazem uso intensivo de mão-de-obra, onde predomina o trabalho informal. Em contrapartida, nos Estados Unidos e União Europeia as operações são muito mais mecanizadas.

• O emprego em energia eólica suporta 1,2 milhões de empregos, sendo predominantes os projetos em terra. Por outro lado, o segmento off shore ganha forças e pode aproveitar a expertise e a infraestrutura no setor de petróleo e gás off shore.

• De todas as fontes renováveis, a energia hidrelétrica tem a maior capacidade instalada, mas se expande lentamente. O setor gera 2,1 milhões de empregos diretos, sendo três quartos deles em operação e manutenção.

Fonte: Agência Internacional para as Energias Renováveis (IRENA).

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.