Insights de IA: advogados tensos e avanços na saúde

0
4116

Pode anotar. Um setor mobilizado para entender os efeitos da inteligência artificial sobre as suas atividades é o do direito. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) até criou um conselho para monitorar os avanços tecnológicos e regulamentar o uso de sistemas que pretendem substituir tarefas ou advogados. Os profissionais começam a questionar a legitimidade de uso de alguns recursos, como “robôs” que já auxiliam escritórios em causas trabalhistas. Há na entidade, inclusive, quem já proponha a criação de um código de ética para o uso de recursos baseados em logarítimos.

Plataforma de IA orienta equipes cirúrgicas para realização de procedimentos complexos

A Digital Surgery, uma startup de tecnologia em saúde sediada em Londres, lançou o que a empresa chama de o primeiro sistema de inteligência artificial (AI) dinâmico do mundo, projetado para a sala de cirurgia. A ferramenta de referência ajuda a orientar os cirurgiões em procedimentos médicos complexos. O cofundador e cirurgião plástico Jean Nehme descreveu o produto como um “Google Maps” para cirurgia.

A IBM vai utilizar a inteligência artificial para prever ações de funcionários

Como acompanhar a produtividade de milhares de funcionários espalhados pelo mundo. A IBM acredita que a resposta está na utilização da inteligência artificial do Watson. O sistema pode, pelo menos em tese, fornecer relatórios de produtividade individuais dos contratados, com base nas informações que já estão disponíveis no banco de dados da empresa. Futuramente, estes dados produzidos poderiam ser utilizados para fazer outras previsões.

Cientistas desenvolvem rede neural artificial a partir de DNA

Cientistas do Instituto de Tecnologia da Califórnia desenvolveram uma rede neural artificial a partir de um DNA, capaz de executar reconhecimento de padrões. Futuramente, essa rede neural pode ser desenvolvida para incluir a inteligência artificial em um nível molecular para diversas finalidades, em praticamente todas as áreas da ciência.

Primeiro método de aprendizado de máquina capaz de extrapolação precisa

Um novo método desenvolvido por cientistas do Instituto de Ciência e Tecnologia da Áustria (IST Áustria) e do Instituto Max Planck para Sistemas Inteligentes (MPI for Intelligent Systems) é o primeiro sistema de aprendizado de máquina que pode usar observações feitas em condições seguras para fazer previsões precisas para todas as condições possíveis regidas pela mesma dinâmica da física. A principal característica do novo método é que ele se esforça para revelar a verdadeira dinâmica da situação: coleta dados e retorna as equações que descrevem a física vinculada.

Aprendizado de máquina ajuda a prever os resultados do tratamento da esquizofrenia

O diagnóstico e o tratamento de transtornos mentais poderão um dia ser auxiliados por sistemas de aprendizado de máquina? Uma nova pesquisa da Universidade de Alberta, nos Estados Unidos, está nos aproximando desse futuro. Os responsáveis pelo estudo esperam  encontrar biomarcadores confiáveis ​​que possam prever a esquizofrenia antes que os sintomas apareçam.

União Europeia atenta aos avanços da tecnologia

Ministros de negócios da União Europeia estão atentos à inteligência artificial. Eles devem apresentar um documento de análise e posicionamento político em setembro, de acordo com a ministra austríaca de Assuntos Econômicos, Margarete Schramböck. A criação de empregos na Europa é a preocupação central, diante dos avanços da digitalização e da robótica. “Estamos à espera de empregos que ainda não foram inventados, eles vão substituir os empregos que estão sendo retirados”, disse o comissário da União Européia, Elzbieta Bienkowska.

Movimentos das big tech

Facebook quer ensinar inteligências artificiais a serem guias de turismo

Alibaba cria inteligência artificial que escreve os textos de seu e-commerce

IBM treina inteligência artificial para seguir código de ética

Google assegura que a IA é capaz agora de resolver problemas de natureza humana e pensamento abstrato

Reflexões

Em uma nova entrevista para a imprensa alemã, Yuval Noah Harari, autor do livro Homo Deus afirmou que não é a inteligência artificial o maior perigo para a humanidade. É a estupidez humana.