A importância da transformação digital no mundo pós-Covid-19

0
232
As companhias precisam romper barreiras culturais, organizacionais e encontrar um novo modelo de liderança e inovação. Ilustração -Pixabay
As companhias precisam romper barreiras culturais, organizacionais e encontrar um novo modelo de liderança e inovação. Ilustração -Pixabay.

Diogo Cuoco *

Momentos de crise tendem a ser grandes provações para empreendedores. O surgimento da Covid-19 mundo afora já está mudando os nossos negócios e a sociedade de maneira significativa. É provável que impulsione áreas como compras online, educação à distância e investimentos em saúde pública, por exemplo. Também pode ser que mude a forma como as empresas configuram suas cadeias de suprimentos e afaste a dependência de algumas mega fábricas localizadas todas no mesmo lugar ou região.

Historicamente, tempos de recessão ou volatilidade são um pêndulo entre o surgimento e o crescimento de novos negócios e a falência de um número expressivo de empresas ou até de setores inteiros. A pandemia do coronavírus acelerou, e muito, a explosão informacional e o movimento da hiperconectividade e hiperdigitalização que já estavam em curso.

Cada dia que passa, o mundo VUCA (Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo) se torna mais presente e isso impacta diretamente na maneira como pensamos e atuamos estrategicamente. Para nos mantermos atualizados e por consequência mantermos os nossos negócios vivos, a mudança deve começar por nós mesmos, entendendo o conceito de lifelong learning, que seria a aprendizagem constante e contínua ao longo da vida.

Devemos estar em ininterrupto desenvolvimento, assim como os nossos negócios.
O ponto principal que gostaria de trazer à reflexão é que, seja qual for o caminho, vivemos uma nova economia, um novo mundo, onde há uma nova forma de consumir por parte dos clientes. E as empresas precisam se adaptar a esta realidade para sobreviver. O planejamento estratégico passa a ter dinâmica completamente diferente, pois estamos chegando ao fim de uma era.

Muitas empresas ainda não estão realizando as transformações e adotando as novas práticas necessárias para a ampla adoção da Inteligência Artificial, por exemplo, acreditando que as tecnologias de ponta são suficientes. Mas não são! As companhias precisam romper barreiras culturais, organizacionais e encontrar um novo modelo de liderança e inovação. Aliás, quando penso em inovação, ela pode ou não estar atrelada à tecnologia. No entanto, quando estão atreladas, há uma relação de interdependência.

Explico: o sequenciamento genético não seria possível sem os avanços ocorridos na análise de dados e na capacidade de processamento; não existiriam robôs avançados sem Inteligência Artificial, que por natureza depende de alto processamento de dados e assim por diante. Vale especial atenção à Computação Quântica.

Se você é empreendedor e quer fazer a diferença daqui para frente, pense fora da caixa e traga algo novo para o mercado. Além disso, se especialize em um nicho que te permita conhecer os hábitos dos seus consumidores. Estude e esteja preparado para modificar a sua empresa com o passar do tempo, porque, como eu disse acima, é importante estar em constante atualização. E sobre as inovações, é isso mesmo: elas não vão parar de surgir.


  • Diogo Cuoco é founder e CEO da Taki Pagamentos, startup credenciada do Denatran com soluções para parcelar no cartão diversos tipos de pagamentos de tributos e boleto