O adiamento definido pelo governo vai representar uma defasagem em relação a outros países. Foto: Pixabay
O adiamento definido pelo governo vai representar uma defasagem em relação a outros países. Foto: Pixabay

Carlos Teixeira
Editor I Radar do Futuro

A tecnologia 5G, que possibilita novos saltos da inovação graças ao aumento da velocidade de acesso e troca de dados e informações pela internet, só deve começar a ser implementada em 2022. A confirmação do cronograma de atualização foi feita pelo ministro Marcos Pontes, da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação. Em entrevista para o jornal Folha de S. Paulo, ele destacou que o leilão de seleção das empresas que vão operar a tecnologia no Brasil só deve ser realizado em 2021.

A informação representa mais um mau sinal para o futuro do País, que já passa, hoje, por cortes de recursos para pesquisas e um processo contínuo de desindustrialização. O adiamento da adoção da tecnologia 5G, que depois de implementada permitirá que a conexão da internet sem fio seja dez vezes mais rápida do que o padrão atual 4G, reforça a perspectiva de atraso em relação a outros países, onde a inovação já tende a se expandir como alternativa de mercado já neste ano.

O padrão 5G já faz parte da realidade de diversos países. Estados Unidos, Coreia do Sul, China, Japão e Suíça são alguns dos exemplos de lugares os usuários de internet já são beneficiados pelo aumento de velocidade de acesso à rede. Em 2019, já se previa que, nos EUA, o número de conexões a redes 5G chegaria a 12% dos smartphones.

Expectativas globais

O adiamento da implementação das redes de quinta geração não diz respeito exclusivamente a uma questão de favorecimento ao usuário comum de smartphones e outros meios de comunicação. Significa, de verdade, o atraso na infraestrutura que possibilita o desenvolvimento e o acesso a novos produtos e serviços, desde a internet das coisas embutida em cidades e casas inteligentes até a medicina e a educação a distância. O brasileiro vai assistir à distância o cenário de inovações desembarcando em outras regiões desenvolvidas do planeta.

Maior evento de tecnologia do mundo, realizado entre os dias 7 e 11 de janeiro nos Estados Unidos, a CES 2020 teve a tecnologia 5G e a conectividade móvel como um de seus temas centrais. Parte considerável dos produtos lançados durante o evento, como novos smartphones, carros conectados, assistentes virtuais e sistemas de monitoramento de saúde passam pela adoção de recursos de acesso à mais veloz à internet.

Antes, no final de 2019, os tradicionais relatórios sobre expectativas para 2020 já tinham eleito a quinta geração da internet como uma das principais forças das novas transformações do mercado e da geração de oportunidades de negócios. Por exemplo, realidade virtual e realidade aumentada são duas áreas de inovação que tendem a ser beneficiadas. Em vez de o processamento de gráficos ser feito no dispositivo do usuário, pode ser feito em poderosos centros de dados e depois transmitido.

Gostou do conteúdo?

Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais informações do Radar do Futuro.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.