O mundo dos negócios valoriza, e vai continuar valorizando, quem analisas dados e gera informações estratégicas para processos de tomada de decisões. - Foto: Pixabay
O mundo dos negócios valoriza, e vai continuar valorizando, o estatístico, que analisa dados e gera informações estratégicas para processos de tomada de decisões.

O estatístico vive atualmente e viverá, nos próximos anos, um ciclo favorável de ganhos financeiros e de status social. É uma “era de ouro” do segmento. Estudos do Departamento do Trabalho dos Estados Unidos estimam que a demanda pelos especialistas da coleta, processamento, análise e interpretação de dados numéricos, destinados ao estudo de fenômenos naturais, econômicos e sociais, crescerá acima da média de todas as outras profissões.

A informatização intensificada na década de 1980, a criação da internet, na década seguinte, e a evolução da capacidade de processamento, armazenamento e transmissão de dados foram extremamente favoráveis para a atividade. Hoje, o fenômeno do “big data” favorece as potencialidades da profissão e da evolução das “ciências de dados”. As empresas têm consciência, hoje, que há um volume de dados extraordinário circulando diariamente no ambiente das informações “nas nuvens”.

O mundo dos negócios valoriza, e vai continuar valorizando, quem analisas dados e gera informações estratégicas para processos de tomada de decisões. Na prática, a mudança significa que a profissão deixa de ter um papel exclusivamente de apoio, promovendo o levantamento de dados e informações gerais, para assumir função estratégica no organograma das organizações privadas e públicas.

Mercado atual

No Brasil, já hoje, os profissionais são beneficiados pelo desequilíbrio entre a oferta de profissionais e o número crescente de oportunidades no mercado de trabalho. A distância entre polos é evidente em vagas não preenchidas no mercado, de acordo com relato de empresas e consultorias especializadas em contratação de trabalhadores de nível superior.  É uma consequência da  expansão do número de startups e de novos empreendimentos tecnológicos focados em criação de projetos que envolvem inteligência artificial.

fonte: dataviva.info
fonte: dataviva.info

Os principais segmentos contratantes são, ainda hoje, os órgãos governamentais, grandes empresas, institutos de pesquisas, setor financeiro e escritórios de consultoria econômica. Segundo os dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Ministério da Economia, 59% dos profissionais de estatísticas estavam, em 2016, vinculados à administração pública. As atividades financeiras estão em segundo, com 12,4%,  seguidas por serviços especializados, que incluem publicidade e consultoria em gestão, com 4,9%.

A dependência dos concursos públicos tende a mudanças, com a migração de especialistas para o setor privado. O amadurecimento da gestão empresarial nas últimas décadas e o apoio da internet já vinham favorecendo a cultura de criação de bancos de dados governamentais e empresariais. Instituições representativas do setor privado, além das empresas, começaram a acordar para a importância da tomada de decisões baseadas em análises dos dados disponíveis nas redes.

fonte: dataviva.info
fonte: dataviva.info

Cenários

Curtíssimo/curto prazos

Todos os dados disponíveis confirmam que perspectivas do mercado de trabalho para estatísticos são muito favoráveis para os próximos anos.  Espera-se que o crescimento resulte de um uso mais amplo da análise estatística para tomar decisões informadas sobre negócios, saúde e política. Além disso, o grande aumento nos dados disponíveis da internet abrirá novas áreas para análise.

Um número crescente de empregos na próxima década exigirá altos níveis de conhecimento matemático e estatístico. Espera-se que as oportunidades de emprego sejam favoráveis ​​para aqueles com habilidades quantitativas e de análise de dados muito fortes. As habilidades de programação de computadores continuarão sendo importantes para muitos empregadores, assim como os novos métodos estatísticos e linguagens de programação.

Muitos candidatos com experiência em técnicas matemáticas avançadas e modelagem também podem encontrar boas oportunidades de trabalho em outros campos estreitamente relacionados. Além das habilidades técnicas, os candidatos com fortes habilidades de comunicação e a capacidade de interpretar e apresentar seus dados e descobertas terão perspectivas de emprego mais fortes.

Médio/longo prazos

Com o tempo, o domínio sobre a matemática tende a ser menos importante do que a capacidade estratégica da análise de dados. Com auxílio da inteligência artificial e do aprendizado de máquinas, que terão expandido exponencialmente a capacidade de processamento de dados da tecnologia, o estatístico será menos um profissional que tira fotografias de fenômenos sociais, econômicos e comportamentais para ser um antecipador de tendências.

Na prática, alguns sinais já são evidentes, hoje, de como as mudanças estão sendo traçadas. Como no caso de eleições presidenciais nos Estados Unidos e no Brasil. Elas tiveram grande influência no desenvolvimento de estratégias dos candidatos, baseadas em análises de expectativas dos eleitores potenciais, tendo à frente especialistas em comportamento e estatística. Empresas foram contratadas para tratar dados pessoais coletados por meio de inteligência artificial para definir perfis, comportamentos e padrões e, assim, construir mensagens políticas. Esses dados coletados e tratados conseguem identificar quase que individualmente a tendência de voto das pessoas.

Sinais

  • Os estatísticos precisam aprender a pensar como cientistas da computação, não apenas como programadores casuais.
  • Os avanços das tecnologias, como a inteligência artificial, tendem a automatizar vários processos de coleta, processamento e análise de dados. Planilhas serão irrelevantes no futuro.
  • À medida que mais e mais processos estatísticos são automatizados com o software, as estatísticas devem envolver mais e mais habilidades escritas e menos habilidades numéricas.
  • Os estatísticos continuarão provavelmente a desempenhar um papel de bastidores em muitas das grandes decisões tomadas por grupos e indivíduos influentes.