Futuro está ligado à redução dos impactos ambientais e à incorporação de elementos feitos a partir de materiais reciclados. Foto: Pixabay
Futuro está ligado à redução dos impactos ambientais e à incorporação de elementos feitos a partir de materiais reciclados. Foto: Pixabay

Alessandra Grisolia
Radar do Futuro

Sustentabilidade, durabilidade e baixa quantidade de resíduos. Conforto, isolamento térmico e acústico, economia na execução da obra. Essas são características fundamentais do futuro das construções, que está intrinsicamente ligado à redução dos impactos ambientais e à incorporação de elementos feitos a partir de materiais reciclados.

Tijolos ecológicos

Conhecidos como blocos de terra comprida (BTCs), os tijolos ecológicos oferecem economia de até 50% se comparados aos tijolos comuns. Além disso, o tempo de construção pode ser reduzido em até 30% em relação à alvenaria convencional. Compostos por areia argilosa, água e um pouco de cimento, os “tijolos-lego”, ao contrário dos convencionais, não precisam ser levados ao forno à lenha e, por isso, são menos agressivos ao meio ambiente.

Quem quer construir com tijolos ecológicos encontra, ainda, benefícios como economia de 100% em relação a caixarias dos pilares, vergas e contra-vergas e à massa de assentamento, uma vez que dispensam o uso da madeira e os tijolos encaixam perfeitamente.

Os tijolos ecológicos oferecem vantagens como economia de 50% do uso de ferros nas construções; colunas mais seguras, devido à melhor distribuição de peso sobre as paredes; durabilidade que chega a ser seis vezes maior que a dos tijolos convencionais.

Os BTCs são ideais para modelos de construções rústicas, porque não precisam de acabamento e necessitam apenas de impermeabilização, a base de silicone ou acrílico, e de rejunte flexível disponível em diversas cores. Eles podem receber qualquer tipo de revestimento, inclusive azulejos.

Outro diferencial dos tijolos ecológicos, formados por apenas dois furos, é que eles proporcionam isolamento acústico e térmico, e evitam a formação de umidade. E mais: as instalações hidráulicas e elétricas são embutidas nos próprios furos dos tijolos, evitando a quebra dos mesmos, proporcionando mais economia na construção.

Se por um lado, a média de preço de um tijolo ecológico custa pouco mais que o dobro de um tijolo convencional, por outro, os tijolos convencionais são a metade do tamanho dos tijolos ecológicos. Por isso, usa-se 50% menos BTCs em uma construção em comparação com os tijolos convencionais.

Telhado verde

O telhado verde ou ecotelhado agrega as vantagens de um jardim suspenso e oferece benefícios como captação de água da chuva e de energia solar, e pode ser usado para tratar o esgoto produzido na própria edificação.

Além de funcionar como isolante térmico, o telhado verde oferece vantagens para o meio ambiente, pois ele absorve 30% da água da chuva, o que reduz as chances de enchentes na cidade, e age como purificador da poluição urbana.
O ecotelhado colabora para a redução das ilhas de calor nos centros urbanos, com a diminuição do uso do ar condicionado e com a redução da poluição do ar pelo sequestro de carbono. Também contribui para maior durabilidade das construções.

Ao contrário dos telhados convencionais, que transferem o calor acumulado para o interior das construções, o telhado verde dissipa ou consome o calor pela evapotranspiração e pela fotossíntese, produzindo conforto térmico e acústico nos ambientes internos.

Pisos vinílicos

Os pisos vinílicos representam uma das melhores alternativas na hora de construir ou reformar. Feitos de PVC reciclados ou com material 100% reciclável, eles são encontrados em variados estilos, texturas, cores e preços mercado, e podem ser aplicados em diferentes ambientes.

A maior vantagem dos vinílicos é que eles imitam vários tipos de material como, por exemplo, madeira, mármore e cimento queimado, com custo bem mais em conta, ideais para quem não dispõe de orçamento alto. Além disso, apresentam durabilidade, flexibilidade e resistência.

Considerados antialérgicos, os vinílicos preservam a temperatura dos ambientes e promovem isolamento acústico superior aos demais tipos de revestimento. Considerados antialérgicos, dificilmente mancham e não exigem produtos específicos para sua manutenção limpeza.

Além disso, permitem a realização de uma obra limpa, sem quebradeiras, sujeira e desperdício de material, pois podem ser instalados sobre outros pisos, desde que estejam nivelados, em poucas horas, proporcionando uma instalação rápida e fácil.

A desvantagem é que os pisos de vinil não podem ser utilizados em áreas extremamente úmidas como banheiros, porque, apesar de serem resistentes, não possuem resistência adequada para esses ambientes.

Considerado menos resistente, o piso vinílico em manta, o primeiro a surgir, é mais barato e recomendado para ambientes grandes. Com custo mais alto, o piso de vinil click vem em placas e é facilmente instalado, por não depender de cola, pois conta com um sistema de encaixe. Por sua vez, o piso vinílico autocolante pode ser encontrado em manta ou empeças menores, é resistente e facilmente instalado.

Em comparação com outros pisos, os vinílicos são mais acessíveis, com custo médio de R$ 50 o metro quadrado sem instalação e R$ 150 com a mão de obra. Os preços variam de acordo com marca, tamanho, quantidade, modelo, entre outros fatores.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.