Climatização de edifícios com uso exclusivo de energias renováveis

0
846
Objetivo é produzir um sistema inovador, de baixo custo e alto desempenho. Foto por Pixabay.
Objetivo é produzir um sistema de alto desempenho. Foto por Pixabay.

O Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial (INEGI), em Portugal, trabalha no desenvolvimento de um sistema de ar condicionado para climatização de edifícios com recursos exclusivos de energias renováveis. Denominado Hybrid – BioVGE, o projeto coordenado pelo INEGI tem o objetivo de desenvolver e demostrar um sistema integrado de ar condicionado, alimentado por energia solar e biomassa.

A iniciativa visa reduzir a dependência de energia fóssil no aquecimento e arrefecimento de edifícios, levando em conta que é crescente a busca por energias alternativas que proporcionem a redução no consumo de energia, além da necessidade da criação de uma solução com maior desempenho em relação às existentes e com custos de investimento e operações inferiores.

A ideia é a redução de 95% da carga térmica do edifício. A principal fonte de energia será a energia solar e o biocombustível entrará em ação à noite ou em dias encobertos. O grande desafio para os pesquisadores está na criação de uma unidade compacta, capaz de integrar os dois sistemas e com alta eficiência diante das diferentes condições climáticas europeias.

Os pesquisadores pretendem desenvolver um sistema com menores custos de produção, um sistema de armazenamento de energia térmica direcionada, e um controlador integrado para automatizar a operação. As prioridades dos investigadores são a melhoria da monitorização do uso de energia em tempo real e a facilidade em escalar a operação.

Ficará a cargo do INEGI o desenvolvimento de componentes, como coletor solar, caldeira de biomassa, sistema de armazenamento de energia térmica com materiais de mudança de fase, sistema de controle inteligente, entre outros. O Instituto também ficará responsável pela validação experimental e pelo teste de três protótipos em ambiente real.

O Hybrid- BioVGE conta com mais seis organizações, sendo três empresariais (SOLARFOCUS, Hargassner e ComPLex), e três acadêmicas europeias (Universidade de Tecnologia de Graz, Universidade de Bolonha e Universidade de Ciências Aplicadas Rapperswiln – HSR). O projeto é financiado pelo Horizonte 2020, o maior programa de pesquisa e inovação da União Europeia (EU). A primeira reunião das equipes ocorreu no dia 27 de junho, nas instalações do INEGI, em Lisboa

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.