“Boom” tecnológico na pandemia acelera passos para a educação do futuro

0
161
imagem ilustrativa: jovem mulher ao computador em postura de interação e aprendizado. foto Pixabay

Conhecimento perderá fronteiras no “novo” normal: educação do futuro contará com recursos multimídias, internet, robótica e inteligência artificial.

O ano de 2020 começou muito desafiador devido a pandemia do Covid-19, mas também trouxe um grande “boom” tecnológico que integrou a internet e a educação e está trazendo avanços no ensino do Brasil. Esse match, que já era esperado para a educação do futuro por especialistas da área, foi acelerado pelo isolamento social.
 
De acordo com a professora do curso de Administração e especialista em educação da Faculdade Pitágoras, Juliana Palazzo, o distanciamento social forçou escolas, faculdades e corpo docente a se adaptarem a uma realidade tecnológica para que as aulas pudessem continuar no âmbito virtual. “O processo foi árduo, que envolveu muito investimento, empenho e aprendizado. Hoje, vemos que alunos e professores estão mais familiarizados com as ferramentas digitais e estão construindo um novo formato de ensino para o ‘novo’ normal”, conta.
 
Juliana diz que esse fenômeno veio para ficar e ressalta que graças a esse avanço o conhecimento não terá mais fronteiras. “As aulas virtuais não serão abolidas, o aluno que mora no Amazonas poderá assistir aula de um colégio em Belo Horizonte, por exemplo. As bibliotecas ‘perderão’ as paredes e se tornarão quase que infinitas devido à internet, aplicativos poderão ser usados como livros didáticos e as aulas terão diversos recursos multimídia. Claro que essa mudança não será de uma hora para outra, mas o futuro já está próximo.”
 
Na semana em que é comemorado o Dia da Educação (28 de abril), a especialista em educação aponta algumas tendências para o futuro do ensino que já estão começando a acontecer e outras que virão com o “novo” normal.

Gamificação

A primeira delas é a gamificação, que consiste na exploração de jogos para acabar com a visão de ensino engessado e metódico, tornando o aprendizado mais leve, divertido e contextualizado. Algo que é ideal para alunos que estão em uma fase de vida movimentada, cheia de informações e bastante conectada.

Dessa forma, fica mais fácil transmitir conhecimentos, auxiliar a assimilação de novos saberes, e discutir exemplos fictícios e reais. De quebra, estimula tanto a interação entre alunos e professores, quanto o interesse do seu filho em continuar aprendendo, mesmo fora da escola.

Salas de aula virtuais

Outra tendência do futuro da educação são as salas de aula virtuais, ou seja, plataformas online nas quais os alunos podem acompanhar o conteúdo de cada matéria de forma remota e com a possibilidade de assistir às aulas quantas vezes desejar.

As salas de aula virtuais podem ser acessadas quando os alunos tiverem dúvidas, quiserem estudar a fundo os assuntos ministrados pelos professores ou decidirem fazer resumos para as avaliações de cada etapa. Afinal, tal recurso permanece sempre disponível no sistema e ainda traz indicações de materiais didáticos, com o objetivo de facilitar o aprendizado.

Inteligência artificial

A inteligência artificial na educação busca aproximar os estudantes da atual realidade tecnológica disponível na sociedade. Isso permite não só a familiarização e o uso otimizado de aparelhos, programas, softwares e recursos digitais no estudo das diferentes áreas de conhecimento, mas a compreensão do processo de criação, desenvolvimento e funcionamento desses aparatos.
Além disso, com o acesso a esses equipamentos em sala de aula, o estudante tem como complementar o conteúdo dado pelo professor por meio de pesquisas, da visualização de material audiovisual e de experiências virtuais (como a realidade aumentada).

Aprendizagem colaborativa

A aprendizagem colaborativa envolve muito do que falamos sobre a autonomia do estudante no ambiente educacional. Isso porque ele não fica apenas sentado na carteira esperando o professor dar a matéria de maneira expositiva e, no fim, passar exercícios. Ao contrário, ele é chamado a participar e se envolver intensamente com o conteúdo.

Para isso, são promovidos debates, reflexões, investigações, pesquisas, leituras em grupo e muitas outras atividades que permitem uma imersão dos estudantes no assunto a ser estudado. Consequentemente, garante aos alunos o desenvolvimento de uma maior capacidade crítica para analisar os conteúdos, levantar pontos de vista diferentes, pensar em alternativas para a sua aplicação na atualidade etc.

Robótica

Outro exemplo de tecnologia na educação é o uso da robótica no contexto escolar, que complementa as aulas teóricas e auxilia o ensino de conteúdos práticos. Além disso, ela permite que os alunos façam experimentos para testar os próprios conhecimentos e, assim, possam entender, de forma dinâmica e interativa, como as ciências são capazes de desenvolver produtos e aparatos eletrônicos que facilitam o nosso dia a dia.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.