Notas Econômicas – 25 a 30 de julho de 2022

153

Confira nas Notas Econômicas os destaques das notícias publicadas durante a semana. A seleção de informações é produzida pelo economista Paulo Roberto Bretas

Foto: Agência Brasil

O cenário das eleições ganha contornos definitivos, com as definições finais sobre chapas e nomes de candidatos. A semana terminou com o PSB aprovando, neste dia 29, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, para vice na chapa liderada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para concorrer à Presidência da República. A decisão, por aclamação, foi tomada em convenção nacional da sigla. Antes, os filiados ao PSB aprovaram a participação do partido na coligação com PT, PCdoB, PV, PSOL, Solidariedade e Rede para a disputa ao Palácio do Planalto. Apesar da aliança em nível nacional, PT e PSB ainda trabalham para aparar arestas em alguns estados, em uma tentativa de evitar divisões, “fogo amigo” e garantir palanques mais estruturados para as candidaturas das siglas. Os partidos têm até o dia 5 para deliberar sobre coligações e escolher candidatos a presidente e vice-presidente da República, governador e vice-governador, senador e respectivos suplentes, deputado federal e deputado estadual e distrital. (Radar do Futuro)

Economia e Finanças

Investimentos Diretos no País: O chefe do departamento de estatísticas do Banco Central (BC), Fernando Rocha, afirmou que os setores de serviços financeiros e automóveis puxaram os investimentos diretos no país no primeiro trimestre em 2022. (Valor)

Investimentos Diretos no País 2: Os investimentos diretos no país somaram US$ 7,6 bilhões em março, com ingressos líquidos de US$ 6,2 bilhões em participação no capital e de US$ 1,4 bilhão em operações intercompanhia. (Valor)

Relatório Focus PIB: A mediana das projeções do mercado para o crescimento da economia brasileira em 2022 voltou a subir, agora de 1,75% para 1,93%. Para 2023, o ponto-médio das expectativas para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) teve uma leve acomodação, de 0,50% para 0,49%. Para 2024, caiu de 1,80% para 1,70%. (Valor)

Relatório Focus Selic: Para a taxa básica de juros (Selic), o ponto-médio das expectativas manteve-se em 13,75% para 2022, 10,75% em 2023 e 8,00% em 2024. (Valor)

Relatório Focus Dólar: A mediana das estimativas para o dólar no fim deste ano foi elevada de R$ 5,13 para R$ 5,20. (Valor)

Construção de Barcos Cresce com Força em 2021: Segundo a Associação Brasileira dos Construtores de Barcos e seus Implementos (Acobar), o segmento fechou o ano de 2021 com crescimento de aproximadamente 20% – o PIB brasileiro no ano teve alta de 4,6%, após queda de 3,9%, em 2020. Para 2022, é esperado uma alta entre 10% e 15%. (Valor)

Sondagem da Indústria da Construção 1: A sondagem da indústria da construção do segundo trimestre, feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), apontou pelo oitavo trimestre consecutivo a falta ou alto custo da matéria-prima como o problema mais citado pelos empresários do setor. Quase 48% dos entrevistados apontaram a questão. (Valor)

Sondagem da Indústria da Construção 2: Outros problemas citados na sondagem da indústria da construção são, em segundo lugar, o item taxas de juros elevadas, citado por 29,8% dos respondentes da pesquisa. Em terceiro, a elevada carga tributária foi ressaltada por 23,7% dos entrevistados. (Valor)

Deficit nas Contas Externas Brasileiras: As transações correntes do setor externo são formadas pela balança comercial, pelos serviços adquiridos por brasileiros no exterior e pelas rendas, como remessas de juros, lucros e dividendos do Brasil para outros países, dito isso, as contas externas do Brasil tiveram deficit de US$ 2,8 bilhões em março. Caiu 46,2% em comparação com o mesmo período de 2021, quando o saldo negativo foi de US$ 5,2 bilhões. (Poder 360)

Investimentos Diretos no País: O Investimento Direto no País (IDP) teve entrada líquida de US$ 7,6 bilhões em março de 2022. Subiu 8,6% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando foi de US$ 7 bilhões. Houve ingresso líquido de US$ 6,2 bilhões em participação no capital e de US$ 1,4 bilhão em operações de empresas. No acumulado de 12 meses, o IDP somou US$ 51,1 bilhões, ou 3,08% do PIB. Era de US$ 50,7 bilhões até fevereiro. (Poder 360)

Deficit da União com Aluguéis: Os gastos da União com aluguéis consumiu R$ 1,5 bilhão em 2021. A arrecadação com aluguel de imóveis federais foi próxima a 1%: R$ 11,6 milhões. Em 2018, último ano do governo de Michel Temer, a União gastou R$ 2 bilhões. Passou para R$ 1,86 bilhão em 2019 e R$ 1,7 bilhão em 2020. Neste ano, até abril, pagou R$ 171 milhões. (Poder 360) 

A Difícil Manutenção do Auxílio Brasil em Seiscentos Reais 1: Segundo o secretário especial do Tesouro e Orçamento, Esteves Colnago, a manutenção do Auxílio Brasil em R$ 600,00 até seria possível, mas deixaria todos os ministérios com o suficiente apenas para sobreviver. (Valor) 

A Difícil Manutenção do Auxílio Brasil em Seiscentos Reais 2: A medida prometida pelos dois candidatos à frente na corrida presidencial custaria algo como R$ 50 bilhões ou R$ 60 bilhões adicionais, disse o secretário especial do Tesouro. Com isso, o volume de gastos discricionários (não obrigatórios) do governo cairia de R$ 120 bilhões para algo como R$ 70 bilhões ao ano. (Valor)

O Peso das Desonerações: Segundo o Ministério da Economia, as medidas aprovadas em 2021 e 2022 para cortar a tributação provocarão este ano uma renúncia de receitas de R$ 71 bilhões. O maior impacto decorre do corte de 35% nas alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), com R$ 23,60 bilhões. O segundo maior é a desoneração dos tributos federais sobre gasolina e etanol, a um custo de R$ 16,51 bilhões este ano. Em seguida, vem a desoneração de diesel, querosene de aviação e gás, a um custo de R$ 14,94 bilhões. No total, são 15 medidas de redução tributária. (Valor)

Custo da Dívida Federal: A projeção para a dívida bruta do governo geral recuou de 78,6% do Produto Interno Bruto (PIB) para 78,2%. Já a dívida líquida do setor pública passou a ser projetada em 61,1% do PIB ante 60,1% do PIB por causa do aumento do custo das emissões dos títulos.(Valor)

Na Falta de Renda o Jeito É Não Pagar: A taxa de inadimplência do mercado, considerando os recursos livres, chegou em 3,53% em abril deste ano, o maior nível desde julho de 2020, quando estava em 3,57%. As estatísticas foram divulgadas pelo Banco Central (BC) dia 27-07-2022. Pesquisa publicada no início deste mês aponta que a quantidade de brasileiros endividados nunca foi tão alta. Há 66,6 milhões de pessoas inadimplentes no país, o equivalente a 31% da população. (O Globo)

Cresce o Crédito para Pessoas Físicas: Acredito que boa parte das pessoas estejam se endividando para manter um mínimo de consumo. O chefe do departamento de estatísticas do Banco Central (BC), Fernando Rocha, disse que o saldo de crédito para pessoas físicas teve em abril a maior taxa de crescimento acumulada em 12 meses, desde junho de 2011. No período, o estoque para as famílias aumentou 21,9%. (Valor)

Saldo de Crédito do Sistema Financeiro: O saldo de crédito geral do sistema financeiro continuou em trajetória de alta e avançou 16,8% no acumulado de 12 meses até abril, segundo dados divulgados pelo Banco Central, mesmo num ambiente de juros elevados. (Valor)

Projeções de Crescimento do Crédito em 2022: As projeções mais recentes do Banco central do Brasil para o crescimento do crédito em 2022 são de 11,9% para o saldo total, de 14,4% para pessoas físicas e 8,5% para pessoas jurídicas. (Valor)

Taxas de Juros São Desafios Até para a Ficção Científica 1: No Brasil, taxa de juros do cartão de crédito rotativo variou de 359,1% ao ano em março para 364,0% em abril. O parcelado do cartão variou de 171,7% para 175,1%. (Valor)

Taxas de Juros São Desafios Até para a Ficção Científica 2: No cheque especial, a taxa de juros cobrada foi de 132,7%, em abril, vinda de 127,8% em março. (Valor)

Sobe o Spread Bancário: O spread, que mede a diferença entre as taxas que os bancos cobram nos empréstimos e o custo de captação desses recursos, saiu de 17,0% em março para 17,6% em abril. Nas operações de crédito com pessoas físicas, o spread ficou em 22,8 pontos percentuais, contra 22,2 pontos em março. No crédito às empresas, ficou em 8,7 pontos em abril, contra 8,2 pontos no mês anterior. (Valor)

Índice de Confiança no Comércio: O Índice de Confiança do Comércio (Icom), calculado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre), recuou 2,8 pontos em julho, ao passar de 97,9 para 95,1 pontos. Na métrica de médias móveis trimestrais, o indicador subiu 3,1 pontos, no quinto resultado positivo consecutivo. (Valor)

Petrobras Anuncia Redução do Preço da Gasolina: E a Petrobras anunciou, uma nova redução no preço da gasolina. As distribuidoras passarão a comprar o litro por R$ 3,71. O recuo é de 3,9% ante o preço praticado hoje, de R$ 3,86 por litro. Nas bombas, o preço da gasolina está em trajetória de declínio há 1 mês. Isso se deve à lei que impôs teto de 17% a 18% para as alíquotas de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre os combustíveis. (Poder 360)

Lucros Gigantes da Petrobras: A Petrobras registrou lucro líquido de R$ 54,3 bilhões no 2º trimestre de 2022, segundo o balanço financeiro publicado nesta 5ª feira (28.jul.2022). O resultado supera o recorde de R$ 44,6 bilhões do período anterior. Para a empresa, os lucros são explicados pela alta de 12% do barril de petróleo no período, além do preço dos combustíveis e do gás natural. (Poder 360) 

Dívida Líquida e Bruta do Setor Público: Segundo o Banco Central, a dívida líquida do setor público não financeiro subiu de R$ 5,227 trilhões, ou 58,3% do Produto Interno Bruto (PIB), em abril para R$ 5,338 trilhões, ou 58,8% do PIB, em maio. Já a dívida bruta dos governos no Brasil variou de R$ 7,075 trilhões em abril para R$ 7,098 trilhões em maio. Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), caiu de 78,9% para 78,2%. (Valor)

Produtividade na Indústria Segue em Queda 1: Segundo estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), a produtividade do trabalho na indústria de transformação brasileira caiu 1,5% no primeiro trimestre de 2022, na comparação com o último trimestre de 2021. O dado é medido pelo volume produzido dividido pelas horas trabalhadas na produção. (Valor)

Produtividade na Indústria Segue em Queda 2: É o sexto trimestre consecutivo de queda do indicador, que atingiu o nível mais baixo da série desde o terceiro trimestre de 2012. A perda acumulada de produtividade chega a 10% na comparação com o terceiro trimestre de 2020, última alta registrada pelo indicador, afastando-se ainda mais do nível anterior à crise da covid-19. (Valor)

Inflação

IPCA: Segundo informações divulgadas pelo Banco Central em seu Relatório Focus, para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2022, a mediana das projeções dos economistas voltou a cair, agora de 7,54% para 7,30%, segundo a pesquisa com estimativas coletadas até o fim da semana passada. Para 2023, no entanto, a mediana subiu, de 5,20% para 5,30%. Para 2024, permaneceu em 3,30%.  (Valor)

Inflação do IPCA-15: O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) desacelerou em julho para alta de 0,13%, de um aumento de 0,69% em junho, informou o IBGE. Das nove classes de despesas usadas para cálculo do índice, seis tiveram desaceleração de preços na passagem entre junho e julho, seja com altas menos intensas ou com deflação. (Valor)

Índice Nacional de Custo da Construção: O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), calculado pela FGV, aponta que, no primeiro semestre, o cimento portland comum foi o campeão de alta, de 16,8%, seguido pela massa de concreto (15,5%) e pedra britada (13,5%). Ao se analisar a variação de preço dos últimos 12 meses, até junho, as maiores altas são da argamassa (27%), massa de concreto (25,6%) e elevador (21,6%). (Valor)

Preço do Leite Explode: O preço do leite longa vida subiu 22,27% em julho, no período de coleta do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) e foi a principal influência para a alta do indicador no mês, segundo o IBGE. No ano, o produto registra variação positiva acumulada de 57,42%. (Valor)

Recuo nos Preços do Grupo Transporte: Segundo o IBGE, os grupos transportes e habitação tiveram o maior peso na desaceleração do IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15) de julho, com quedas de 1,08% e 0,78%, respectivamente. O recuo significativo no grupo transportes foi impulsionado pela queda de 5,01% no preço da gasolina e de 8,16% no do etanol. (CNN Brasil)

Sobe o Preço do Arroz: O preço do arroz no atacado já acumula alta de quase 4% em julho, informou o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP. (Valor)

Índice de Preço ao Produtor: Segundo o Índice de Preços ao Produtor (IPP), calculado pelo IBGE, a chamada inflação de “porta de fábrica”, sem impostos e fretes, teve alta de 1,00% em junho, frente a maio. Em maio, os preços tinham subido 1,81% frente a abril (dado revisado após divulgação inicial de 1,83%). O resultado acumulado do ano atingiu 10,12% enquanto aquele acumulado nos 12 meses até junho atingiu 18,78%. (Valor) 

Governo e Ambiente Político

Chapa Alexandre Kalil-André Quintão Oficializada: O PSD oficializou o nome do ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD) como candidato ao governo de Minas Gerais e a Federação formada por PT, PV e PC do B confirmou o nome do Deputado Estadual André Quintão, como candidato a vice-governador. As confirmações foram realizadas durante as convenções dos respectivos partidos, na Assembleia Legislativa do Estado, dia 24-07-2022. O nome do senador Alexandre Silveira (PSD) também foi confirmado como candidato ao Senado. (Poder 360)

Pesquisa Datafolha 1: Se a eleição presidencial fosse hoje, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) venceria no primeiro turno, segundo pesquisa Datafolha divulgada dia 28-07-2022. Lula manteve os 47% do levantamento anterior, enquanto o presidente Bolsonaro (PL) passou de 28% para 29%, dentro da margem de erro de dois pontos. Lula tem cinco pontos a mais que a soma dos adversários: além de Bolsonaro, Ciro Gomes (PDT), com 8%; Simone Tebet (MDB), com 2%; e André Janones (Avante), Pablo Marçal (PROS) e Vera Lúcia (PSTU), com 1% cada. (Folha) (Meio)

Pesquisa Datafolha 2: A reprovação de Bolsonaro chegou a 48%, o pior nível de um presidente concorrendo à reeleição nesse ponto da campanha já registrado pelo Datafolha, embora menor que os 53% registrados em dezembro do ano passado. Chamou a atenção na pesquisa que Lula subiu quatro pontos, de 44% para 48%, na preferência dos homene, enquanto Bolsonaro saltou de 21% para 27% entre as mulheres. Num eventual segundo turno, o petista venceria o presidente por 57% a 34%. (Folha) 

Pesquisa Xp/Ipesp 1: Segundo nova pesquisa Xp/Ipespe divulgada dia 25-07-2022, quase metade do eleitorado faz uma avaliação negativa do governo Jair Bolsonaro. Comparando-se com a sondagem anterior, do início de junho, o percentual de avaliações negativas (“ruim” ou “péssimo”) passou de 50% para 49% agora. O percentual de “ótimo” ou “bom” era 31% em junho e nesta pesquisa está em 32%. Consideram “regular” 18%, mesmo resultado de junho. (Valor) (Meio)

Pesquisa XP/Ipesp 2: O instituto perguntou se o eleitor aprova ou desaprova a gestão. A maioria, 59%, diz desaprovar o governo (eram 60% em junho) e 36% aprovam (ante 35%). Não sabem ou não responderam 5% dos eleitores, igual percentual do mês passado. A taxa de desaprovação não ficava abaixo de 60% desde abril de 2021. (Valor)

Bolsonaro Segue Atacando as Instituições: O presidente Jair Bolsonaro confirmou o tom de sua campanha à reeleição diante de um Maracanãzinho lotado na tarde de domingo, dia 24-07-2022, onde a convenção nacional do PL homologou sua candidatura, tendo o ex-ministro da Defesa Walter Braga Netto como vice. Durante um discurso de cerca de uma hora, Bolsonaro conclamou seus apoiadores para irem às ruas “pela última vez” no dia 7 de setembro. O alvo, mais uma vez, é o Supremo Tribunal Federal, a quem se referiu como “esses poucos surdos de capa preta”, dizendo que os ministros do STF “têm que entender que quem faz as leis é o Poder Executivo e o Legislativo”. Ele também não poupou ataques ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a quem chamou de “bandido” e “ex-presidiário”. (g1) (meio)

Malu Gaspar: “O discurso de Bolsonaro (…) contrastou com o tom antissistema adotado em 2018. Ele defendeu feitos do governo ao lado de outros expoentes do Centrão. Em 2018, Bolsonaro chamou o grupo que hoje lhe dá base política no Congresso Nacional de ‘escória’, o que inclui seu atual partido.” (Globo) (Meio)

Lula, Temer, PT e MDB: A relação ruim entre Temer e o PT mostra o dilema de Lula diante da necessidade de ampliar sua base de apoio, na avaliação do cientista político da Tendências Consultoria, Rafael Cortez. Segundo ele, há uma percepção de que, se eleição se encerrar no primeiro turno, haverá menos espaço para o questionamento do resultado, o que implica o PT buscar alianças com quem participou ativamente de sua retirada do poder. (CNN Brasil) (Meio)

Eduardo Cunha Está de Volta: Em decisão monocrática, o desembargador Carlos Augusto Pires Brandão, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), anulou a parte da resolução da Câmara que cassou o mandato de Cunha em 2016 determinando sua inelegibilidade por oito anos. Segundo a defesa do ex-deputado, houve “vícios no processo”. (g1) (Meio)

Bancos Públicos no Programa de Governo de Lula: Uma das propostas em discussão por integrantes da campanha do ex-presidente Lula é que BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social), Banco do Brasil e Caixa possam criar um fundo com recursos para garantir empréstimos de empresas privadas. Trata-se do uso de bancos públicos para tentar retomar o crescimento econômico. (Valor)

Procuradoria-Geral da República Protege Bolsonaro: Após quase nove meses do recebimento do relatório final da CPI da Pandemia, a vice-procuradora-geral da República, Lindôra Araújo, pediu que o Supremo Tribunal Federal (STF) arquive sete das dez apurações preliminares envolvendo Bolsonaro (PL), ministros, ex-ministros e parlamentares abertas com base no texto. Na maioria dos casos, a vice-procuradora-geral diz não haver “indícios mínimos” de delitos. Bolsonaro é acusado de nove crimes; Lindôra pede o arquivamento de cinco e mais tempo para investigar os outros quatro. Relator da CPI, o senador Renan Calheiros (MDB-AL), diz que a PGR tenta “blindar Bolsonaro” às vésperas da eleição. (Poder360) (Meio)

Manifesto da Faculdade de Direito da USP: Banqueiros, empresários e artistas aderiram a um manifesto em defesa da democracia organizado pela Faculdade de Direito da USP. O texto, uma reação dos ataques de Bolsonaro ao sistema eleitoral, ganhou as assinaturas de Roberto Setubal, Pedro Moreira Salles e Candido Bracher, do Itaú Unibanco, do ex-presidente do BC Armínio Fraga, de Fábio Barbosa, dono da Natura, e de personalidades como Chico Buarque. “São intoleráveis as ameaças aos demais poderes e setores da sociedade civil e a incitação à violência e à ruptura da ordem constitucional”, diz o manifesto. (JB) (Meio)

Ciro Nogueira Não Quer Ver a Realidade: O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, fêz pouco caso da adesão de banqueiros ao documento da Faculdade de Direito. Segundo ele, os donos e executivos de bancos estão reclamando porque teriam perdido “R$ 40 bilhões por ano” com a implantação do PIX. Seria cômico se não fosse trágico. (UOL) (Meio)

A Biruta do Ministro Gira Rápida: O ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, que vinha fazendo coro às críticas de Bolsonaro ao TSE, mudou de tom, durante a 15ª Conferência de Ministros da Defesa das Américas, em Brasília. Ele afirmou que o Brasil respeita a Carta Democrática Interamericana, que estabelece a promoção da democracia como obrigação dos governos da região. (Metrópoles) (Meio)

Bolsonaro Tem Medo de Ser Preso: Veja só esta articulação casuística. Aliados de Bolsonaro (PL) juram não ter dúvidas sobre sua reeleição, mas já trabalham para garantir-lhe foro privilegiado caso ela não aconteça. Como conta Andréia Sadi, eles voltaram a articular uma proposta de emenda à Constituição (PEC) criando um cargo vitalício para ex-presidentes com direito a imunidade parlamentar. Também argumentam que a mudança passaria por um acordo com o Judiciário, em troca do fim dos ataques de Bolsonaro ao STF e ao TSE. (g1) (Meio)

Lula Fala: O ex-presidente Lula (PT) disse para o UOL que, se eleito, irá “retomar o Bolsa Família”, fixar o valor do benefício em R$ 600 e restabelecer o critério de pagamento por grupo familiar, não mais por indivíduos. Prometeu ainda recriar todos os ministérios que havia durante o seu governo (2003-2010), mas não antecipou nome de ministros. Lula afirmou que privilegiará investimentos em educação, saúde e ciência e tecnologia. Disse também que pretende retomar política de correção do salário mínimo com taxas acima da inflação. (Valor)

Perdendo Apoio Rapidamente: Bolsonaro (PL) usou seu discurso na convenção do aliado PP para desdenhar do manifesto da USP, dizendo não precisar de “nenhuma cartinhapara mostrar que defende a democracia. Contudo, o documento é visto no Planalto como um sinal de que o governo está perdendo apoio rapidamente, o que motivou o presidente a enviar emissários ao STF na tentativa de melhorar a relação com a Corte. (CNN Brasil) (Poder360) (Meio)

Interferência Internacional nas Eleições É Crime: A Hungria, cujo premiê de extrema-direita Viktor Orbán define como “democracia iliberal”, ofereceu ajuda para a reeleição de Jair Bolsonaro (PL). A tentativa de interferência no processo eleitoral brasileiro está registrada no relatório que a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Cristiane Britto, fez de sua viagem a Londres no início deste mês para participar da Conferência Ministerial Internacional sobre Liberdade de Religião ou Crença. Durante o evento, ela teve uma reunião com o chanceler húngaro, Péter Szijjártó, de quem partiu a oferta. Dias depois, a presidente da Hungria, Katalin Novák, que só exerce funções cerimoniais, esteve no Brasil e se reuniu com Bolsonaro. O Ministério da Mulher, o Itamaraty e a Embaixada da Hungria não comentaram o relatório. (Folha) (Meio)

Igor Gadelha: “A cúpula do MDB aposta que Simone Tebet terminará a eleição na frente de Ciro Gomes (PDT), que vem aparecendo em terceiro lugar nas pesquisas, atrás de Lula e Jair Bolsonaro. A avaliação de dirigentes emedebistas é que Tebet, atualmente em quarto lugar, vai crescer durante a campanha eleitoral, quando sua exposição pública aumentará.” (Metrópoles) (Meio)

Quais São os Interesses de Lindôra Araújo? Nos últimos dois anos o presidente Bolsonaro (PL) vem mantendo uma série de reuniões sigilosas com a vice-procuradora-geral da República, Lindôra Araújo, revela Guilherme Amado. As duas primeiras, em 2020, foram intermediadas pelo ex-deputado federal Alberto Fraga. Desde então, os dois se falam com frequência via WhatsApp e pessoalmente. Lindôra assinou os pareceres contra a investigação de Bolsonaro no caso do “gabinete paralelo” no MEC e pelo arquivamento das denúncias da CPI da Pandemia. O presidente teria prometido nomeá-la para o cargo do procurador-geral Augusto Aras num eventual segundo mandato. (Metrópoles) (Meio)

Augusto Aras na Berlinda: Depois da eleição de outubro, a oposição pretende pedir o impeachment de Aras. Para o senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Pandemia, o procurador-geral “tem se comportado como cabo eleitoral do presidente”. (UOL) (Meio)

Ambiente Social, Emprego e Renda

Cai a Taxa de Desemprego no Brasil 1: Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua divulgada pelo IBGE a taxa de desemprego no país atingiu 9,3% no segundo trimestre. Trata-se da menor taxa para um segundo trimestre desde 2015, quando tinha ficado em 8,4%. O resultado ficou abaixo do primeiro trimestre de 2022 (11,1%) e também abaixo do trimestre móvel encerrado em maio (9,8%). No segundo trimestre de 2021, a taxa tinha sido de 14,2%. (Valor)

Cai a Taxa de Desemprego no Brasil 2: Do aumento de três milhões de pessoas ocupadas na passagem entre o primeiro e o segundo trimestre 1,1 milhão de pessoas são trabalhadores informais. (Valor)

Trabalhadores Subutilizados: O Brasil tinha 24,7 milhões de trabalhadores subutilizados no segundo trimestre, de acordo com a Pnad, que mostra que houve queda de 7,7% (2,1 milhões de pessoas) frente ao primeiro trimestre. Em relação a igual trimestre de 2021, houve queda de 24,1% (7,9 milhões de pessoas). (Valor)

Varíola dos Macacos se Amplia: E a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a varíola dos macacos como a nova emergência de saúde global, a mais alta categoria de alerta da entidade. O anúncio ocorreu dia 23-07-2022 após reunião do Comitê de Emergência. Por precaução, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, tomou a decisão para melhorar a resposta internacional ao vírus, que já contabiliza mais de 16 mil infecções em 75 países, com cinco mortes. Até o dia 23-07-2022, o Ministério da Saúde registrou 696 casos confirmados da doença no Brasil. São Paulo é o estado mais infectado, com 506 pessoas. (g1) (Poder360) (Meio)

Um País Ignorante com Relação à Vacinação: Atenção para esta notícia. Dados da OMS e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), com informações de 177 países, mostram que o Brasil apresenta queda na taxa de vacinação infantil para a BCG, tríplice bacteriana, hepatite B e poliomielite, essenciais para crianças, ficando abaixo da média mundial. O levantamento das organizações também aponta para o maior retrocesso na imunização infantil dos últimos 29 anos no mundo todo. (g1) (Meio)

Auxílio Caminhoneiro Chega em Agosto: Aproximadamente 900 mil caminhoneiros autônomos começarão a receber, em agosto, o auxílio-caminhoneiro no valor de R$ 1.000. As duas primeiras parcelas, referentes a julho e agosto, serão pagas a partir do próximo dia 9. Lembrando que o benefício, aprovado dentro da chamada PEC Kamikaze, será concedido até dezembro. (Valor)

Cresce a Renda Nominal: Segundo dados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios (Pnad) Contínua do IBGE, a renda média real dos trabalhadores (que desconta a inflação), caiu 5,1% no segundo trimestre, na comparação com igual período do ano passado, para R$ 2.652. Quando se considera os valores nominais, houve aumento de 6,2% na mesma base de comparação. (Valor)

Resgate de Trabalhadores em Condição de Escravidão 1: Ação conjunta envolvendo seis órgãos públicos resgatou 337 pessoas de trabalhos análogos à escravidão em 22 estados mais o Distrito Federal. Entre as principais funções a que as vítimas eram submetidas estão serviços em colheitas em geral, plantações de café e criação de gados de corte. Em áreas urbanas, trabalhadoras domésticas foram resgatadas em cinco estados, enquanto outros estavam em clínicas de recuperação para dependentes químicos. (g1) 

Resgate de Trabalhadores em Condição de Escravidão 2: Entre os resgatados, ao menos 149 também foram vítimas de tráfico humano. A Operação Resgate 2, que teve início no dia 4 de julho e seguiu em andamento até dia 29-07-2022, contou com 49 equipes de fiscalização e foi a maior do tipo já realizada no Brasil. Em 2021, a primeira edição resgatou 136 pessoas em situações semelhantes. (g1) 

Gastos com Alimentação Comprometem o Orçamento: Os gastos com alimentação podem comprometer até 60% do salário médio do brasileiro. A conclusão é da Pesquisa+Valor, feita pela marca de benefícios de alimentação e refeição Ticket. Segundo o IBGE, o salário médio no País atualmente é de R$ 2.548. A pesquisa mostra que consumir uma refeição completa (prato, bebida, sobremesa e cafezinho) fora de casa nos dias úteis pode comprometer mais de um terço (35%) do salário médio do trabalhador brasileiro que não recebe benefícios de alimentação. (Mercado & Consumo)

Trabalhadores Informais Atingem Nível Recorde: O número de trabalhadores informais no mercado brasileiro atingiu recorde de 39,3 milhões de pessoas no segundo trimestre de 2022, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgada pelo IBGE. É o maior contingente da série histórica deste dado, que teve início no quarto trimestre de 2015.O aumento foi de 2,8% frente ao trimestre anterior, o que representa 1,1 milhão de pessoas a mais. A taxa de informalidade foi de 40% da população ocupada (Valor)

É Possível Prever Futuros Problemas com Novo Consignado 1: O governo Bolsonaro pretende regulamentar o empréstimo consignado para os beneficiários do Auxílio Brasil no próximo mês, em iniciativa que faz parte do “pacote de bondades” lançado a poucos meses da eleição. (Valor)

É Possível Prever Futuros Problemas com Novo Consignado 2: O prazo máximo será de dois anos e a regra não deve prever inicialmente um limite máximo de juros. Cada beneficiário poderá comprometer até 40% do valor recebido por mês, que será de R$ 600 ao menos até dezembro, com parcelas de no máximo R$ 240. (Valor)

É Possível Prever Futuros Problemas com Novo Consignado 3: Cálculos preliminares apresentados ao governo apontam que uma operação com esse grau de risco exigiria uma taxa média de 5% ao mês. (Valor)

Ambiente Empresarial e Tecnológico

Crise Real e Concreta: Com pausas nas suas contratações e cortes no orçamento, as gigantes de tecnologia enfrentam os problemas graves da economia mundial, que corre risco de recessão. E isso também refletiu nos resultados financeiros do segundo trimestre. A Microsoft teve o crescimento mais lento desde 2020. A empresa fundada por Bill Gates fechou o período com receitas líquidas de US$ 51,9 bilhões, uma alta de 12% na base anual, mas abaixo das expectativas do mercado, que esperava US$ 52,44 bilhões. A Alphabet, empresa proprietária do Google, registrou forte desaceleração no trimestre. O lucro líquido foi de US$ 16,43 bilhões, uma queda de 8,3% em relação ao mesmo período do ano passado (US$ 18,525 bilhões). A receita da empresa, porém, também cresceu 13% na comparação anual. (The Verge) (Meio)

Digitalização de Serviços Públicos: Uma boa notícia. Oito em cada 10 órgãos federais no Brasil ofereceram pela internet os serviços mais procurados pelos cidadãos em 2021. O levantamento feito pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) apontou que as tecnologias da informação e comunicação (TIC) têm sido usadas por órgãos públicos das esferas federal, estadual e municipal. Isso porque a pandemia catalisou um aumento significativo da disponibilização e do uso de serviços online. (Época Negócios) (Meio)

Cai a Estimativa de Produção de Carne de Frango: A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) reduziu sua estimativa para a produção de carne de frango no Brasil em 2022 para entre 14,35 milhões e 14,5 milhões de toneladas. Em dezembro, a entidade projetou algo entre 14,7 milhões e 14,9 milhões de toneladas. O consumo per capita de carne de frango do brasileiro é estimado em até 45,5 quilos em 2022, contra os 48 quilos previstos em dezembro. (Valor)

Sobem as Estimativas para Exportações de Frango: Para as exportações deste ano, a ABPA prevê agora entre 4,7 milhões a 4,9 milhões de toneladas, mais que o intervalo indicado em dezembro (4,65 milhões a 4,75 milhões de toneladas). Dessa forma, a oferta no mercado interno passou a ser calculada em até 9,8 milhões de toneladas — no fim de 2021, a estimativa apontava entre 9,95 milhões e 10,25 milhões de toneladas. (Valor)

Sobem estimativas de Produção de Carne Suína: A ABPA aumentou sua estimativa de produção para carne suína, neste ano, para entre 4,85 milhões a 4,95 milhões de toneladas, ante o intervalo de 4,8 milhões a 4,85 milhões de toneladas previsto em dezembro. (Valor)

Gargalo Logístico Continua: A falta de contêiner deve continuar no médio prazo, segundo relatório da Agência Nacional de Transportes Aquaviários, que analisou o gargalo logístico e suas consequências para o mercado marítimo. Uma das principais consequências foi o encarecimento do frete do transporte marítimo em navios de contêineres, que também deve continuar acima do que era praticado antes da pandemia. (Poder 360)

Gestão Ambiental e Energia

 Fogo Volta ao Pantanal: E o governo do Mato Grosso do Sul decretou situação de emergência nos próximos seis meses em 14 municípios, após incêndios que voltaram a atingir o Pantanal na semana passada. Segundo o Centro de Proteção Ambiental dos Bombeiros, 84 mil hectares de vegetação pantaneira e mais de 132 mil hectares em todo o estado foram consumidos pelo fogo nos 17 primeiros dias deste mês. Dados do Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais (Lasa) estimam um aumento de 215,5% de áreas queimadas nas unidades de conservação do Rio Paraguai e de 400% em terras indígenas, comparados ao mesmo período do ano passado. (Estadão) (Meio)

Pressão do Parlamento Europeu sobre os Desmatamentos: Os Representantes Verdes no Parlamento Europeu pretendem aumentar a pressão sobre o Brasil para conter a entrada de produtos relacionados ao desmatamento na Europa. A intenção é propor uma moratória para importação de madeira e compra de ouro enquanto continuar a degradação da floresta, a invasão de terras indígenas e a contaminação dos rios. (Valor)

Venda de Petróleo para os Estados Unidos Aumenta: O Brasil vendeu 25,3 milhões de barris de petróleo aos Estados Unidos no primeiro semestre, alta de 54,4% em relação a igual período em 2021. O volume foi calculado com base em dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) e do Valor Data. Segundo especialistas, o aumento reflete o início das sanções americanas e europeias à economia russa depois da invasão da Ucrânia, em fevereiro. (Valor)

Agrotóxico nos Alimentos Ultraprocessados: Estamos comendo veneno. Uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) identificou vestígios de agrotóxicos em amostras de alimentos ultraprocessados de origem animal, como derivados de carne e leite. Havia algum resíduo em 14 das 24 amostras analisadas, ou 58% do total. (Valor)

Controle de Desmatamento e “Lavagem de Gado”: Os bancos brasileiros querem criar uma regra para controlar o risco de desmatamento da Floresta Amazônica pela cadeia de carne bovina. As medidas em discussão na Federação Brasileira de Bancos (Febraban) miram apenas nos frigoríficos e ignoram os pecuaristas, atores também relevantes para coibir a “lavagem de gado”. (Valor)

Planeta em Risco Climático Crescente: Com incêndios florestais em diferentes países e mortes causadas pelas altas temperaturas chegando aos milhares, a Europa está se tornando o centro das ondas de calor no planeta. Além do aquecimento global, cientistas apontam outros motivos para o fenômeno, como mudanças na corrente de ar, na circulação da atmosfera e do oceano. (Estadão) (Meio)

Ambiente Internacional

 União Europeia Reduzirá Consumo de Gás: Os países da União Europeia (UE) chegaram a um acordo, no dia 26-07-2022, para reduzir o consumo de gás no bloco nos próximos oito meses, em um esforço para proteger suas economias de um possível corte no fornecimento por parte da Rússia. O acordo exige que os países reduzam voluntariamente seu consumo de gás em 15% a partir do próximo mês. (Valor) 

Projeções do FMI para Economia Global: Más notícias para o mundo. Com as ameaças globais começando a se materializar, como a forte contração das principais economias no segundo trimestre e o aumento acelerado da inflação, o Fundo Monetário Internacional (FMI) voltou a reduzir sua projeção de crescimento econômico global em 2022 para 3,2%, quase a metade da expansão de 6,1% no ano passado. (Valor)

Impactos da Desaceleração da China: A desaceleração econômica da China se espalha para os principais países exportadores da Europa e do Leste Asiático por meio da queda na demanda por produtos manufaturados, e já faz com que Alemanha e Coreia do Sul apresentem deficits comerciais raros com a segunda maior economia do mundo. (Valor)

Risco de Inadimplência Aumenta na China: A economia da China se expandiu no ritmo mais fraco em mais de dois anos no segundo trimestre devido aos lockdowns e a uma desaceleração prolongada do mercado imobiliário. Com isso, cresce a preocupação com empresas e indivíduos que não conseguem pagar seus empréstimos. (Valor)

Bancos Chineses se Apressam para Aumentar Capital: As instituições financeiras do país levantaram uma quantidade recorde de dinheiro no mercado, com um salto de 29% nas emissões de títulos no primeiro semestre em relação a 2021, para reabastecer capital e cobrir possíveis perdas de crédito. (Valor)

Confiança do Consumidor nos Estados Unidos: O índice de confiança do Conference Board, nos EUA, caiu para 95,7 pontos em julho, de 98,4 pontos da leitura de junho, recuando pela terceira vez consecutiva. Os dados contrariam a expectativa dos economistas consultados pelo “The Wall Street Journal”, de 97 pontos. (Valor)

Lucro da Coca Cola: A Coca-Cola registrou lucro líquido de US$ 1,9 bilhão no segundo trimestre, queda de 27,8% na comparação anual. As receitas entre abril e junho somaram US$ 11,3 bilhões, alta de 11,8% sobre o mesmo período de 2021. (Valor)

Zimbábue Cunha Moedas De ouro para Debelar Inflação: O banco central do Zimbábue tomou uma medida incomum para frear a inflação que assola o país há anos — e é considerada uma das mais altas do mundo. Em meio a uma queda abrupta no valor da moeda nacional, a instituição começou a cunhar moedas de ouro. Cada moeda de ouro custará o preço de uma onça de ouro no mercado internacional, mais 5% por custo de produção. Na última sexta-feira (22/07), uma onça valia cerca de US$ 1.724. (g1)

Fed Eleva Juros nos EUA: O Federal Reserve (Fed) elevou no dia 27-07-2022, novamente, a taxa de juros americana em 0,75 ponto percentual, para o intervalo entre 2,25% e 2,50%, em uma tentativa de combater a escalada da inflação, que encontra-se em seu patamar mais elevado em 40 anos. (Valor)

Estados Unidos em Recessão Técnica: Com um segundo trimestre consecutivo de retração, a economia dos EUA entra em recessão técnica de acordo com parâmetros internacionais. A primeira leitura do Produto Interno Bruto (PIB) anualizado do país indicou uma contração de 0,9% no segundo trimestre, segundo dados divulgados pelo Departamento de Comércio. O número foi abaixo do crescimento de 0,3% esperado por economistas consultados pelo “The Wall Street Journal”. No primeiro trimestre o PIB real havia recuado 1,6%. (Valor)

Inflação dos Estados Unidos: Uma má notícia. O índice de preços de gastos com consumo (PCE) indicou alta de 1% em junho em relação a maio, de acordo com dados divulgados pelo Departamento do Comércio dos EUA. O dado mostrou uma forte aceleração em relação aos 0,6% registrados em maio e 0,2% de abril. A expectativa dos economistas consultados pelo Wall Street Journal era de uma alta de 0,6%. (Valor)


Notas Econômicas – Fontes:

Valor, Folha, Estadão, UOL, O Globo, Meio Newsletter, Poder 360, Jota, Carta Capital, CNN Brasil, Metrópole e g1

    A gente quer manter você bem informado sobre tendências impactantes

    Deixe abaixo o seu e-mail para receber nossos insights sobre o futuro.

    Seu Nome (obrigatório)

    Seu e-mail (obrigatório)

    Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.