Primeiro semestre fecha com expansão de investimentos internos

0
55
No primeiro semestre, relatório mostra que fusões e aquisições se consolidam como estratégia de conglomerados para expansão de investimentos em novos mercados
Imagem de jplenio por Pixabay 

No primeiro semestre, relatório mostra que fusões e aquisições se consolidam como estratégia de conglomerados para expansão de investimentos em novos mercados

Carlos Plácido Teixeira
Jornalista I Radar do Futuro

Na primeira metade deste ano, o Brasil registrou aumento de 77% no volume de anúncios de investimentos em relação ao mesmo período do ano passado. Os setores de destaque no período foram os relacionados com infraestrutura, especialmente energia, e transportes. As intenções anunciadas em 3737 comunicados diversos somaram 784 bilhões de reais, envolvendo um total de 2353 de empresas. São Paulo, Minas Gerais e Bahia foram os estados com destaque de direcionamento de inversões no semestre.

setores%
Energia Elétrica, Solar, Térmica e Eólica18,5
Transporte e Logística11,9
Mineração, Metalurgia e Siderurgia10,2
Petróleo e Gás8,3
Bioenergia7,5
Fonte: relatório Platinvest

“Como era de se esperar, mesmo com a vacinação lenta e sem os impactos da retração econômica do ano passado, influenciado pela pandemia, os projetos começaram a ser retomados com maior intensidade. Com destaque para demonstração de vigor das áreas de energia, de combustíveis fósseis e fontes alternativas”, que representam mais de 30% da destinação de recursos anunciados”, avalia Brenner Lopes, CEO e consultor de inteligência de mercado da Nous SenseMaking.

Um dos dados importantes do relatório, produzido pela Platinvest, “spin-off“, unidade de inteligência da Nous, confirma a tendência de crescimento das fusões e aquisições, que seguem com forte intensidade. Uma leitura possível das informações geradas pelo monitoramento do mercado, confirmadas pelos dados do relatório, mostra que, em junho, por exemplo, quase 80% dos investimentos anunciados estavam vinculados a estratégias de aumento da penetração de mercado.

As informações disponíveis confirmam as expectativas empresariais mais favoráveis em relação ao futuro. Os índices de confiança estão em alta, ainda com a confiança de que as reformas estruturais defendidas pelo segmento e pelo sistema financeiro serão levadas adiante. E mesmo com o cenário político conturbado, combinando pressões inflacionárias e queda de apoio ao governo Bolsonaro.

Desempenho em junho

O cenário apresentado revela a forte concentração da destinação de recursos, com o destaque para os estados de São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Rio de Janeiro e Ceará, que concentraram 58% das aplicações no primeiro semestre de 2021. Em junho, no fechamento do semestre, o estado de São Paulo registrou 52,3% das ocorrências. Paraná, Minas Gerais, Bahia e Santa Catarina completam a lista dos cinco principais atratores de investimentos.

Os tipos de investimentos em destaque, segundo os consultores foram: Instalação de fábrica 36,8%, Fusão, Aquisição, Joint Ventures e Parcerias 23,8%, Ampliação de capacidade 13%, Infraestrutura 9,8% e Instalação de novos empreendimentos 6,8%.
Em números, o Setor Público, Indústria 4.0¹, Comércio Varejista, Alimentos e Bebidas e Transporte e Logística, foram responsáveis por 376 anúncios no mês de junho, que corresponde a 49,3% do total.

Monitoramento Platinvest

O estudo produzido pela Platinvest, “spin-off” — unidade de inteligência criada para explorar produtos ou serviços tecnológicos ou inovadores — da Nous SenseMaking, boutique de consultoria focada em Data Science, Inteligência, Tecnologia e Estratégia. Ele monitora continuamente a divulgação de investimentos privados e públicos realizados por veículos de comunicação tradicionais e meios corporativos.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.