Programa desenvolve o potencial comercial de laboratórios e impulsiona a interação entre centros de pesquisa e o mercado para geração de inovações para a sociedade. Primeira edição movimenta cerca de R$ 1 milhão em contratos e parcerias
Programa desenvolve o potencial comercial de laboratórios e impulsiona a interação entre centros de pesquisa e o mercado para geração de inovações para a sociedade. Primeira edição movimenta cerca de R$ 1 milhão em contratos e parcerias.

Fundep

Iniciativa pioneira de aceleração de negócios exclusiva para laboratórios de ciência, ensino e inovação, o programa Outlab aproxima pesquisadores do mercado para a formação de parcerias com foco na geração de novas soluções para a sociedade. Realizado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa (PRPq), e a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), o Outlab amplia o potencial dos centros de pesquisa e impulsiona interações entre Universidade e empresa.

“Em uma imersão de dez semanas, pesquisadores e integrantes dos laboratórios tiveram acesso a conteúdos especializados sobre todos os processos que envolvem um negócio, como planejamento, marketing, vendas, ferramentas de relacionamento com parceiros”, explica o diretor da Fundep, Ramon Azevedo. Na primeira edição, 25 laboratórios da UFMG participaram da aceleração para expansão de suas áreas comerciais e se conectaram com grandes empresas.

“Ao longo do primeiro ciclo, foram mais de 380 prospecções, 50 processos de negociação, 50 propostas fechadas e foram movimentados cerca de R$ 1 milhão em contratos firmados com empresas dos segmentos de farmácia, indústria, mineração, educação e saúde”, revela Ramon, complementando: “Os benefícios são para todas as partes: as empresas recebem a tecnologia e o conhecimento dos institutos acadêmicos e científicos e os laboratórios recebem recursos privados como mais uma alternativa de financiamento para avançar com as pesquisas”. Para o pró-reitor de pesquisa da UFMG, prof. Mario Fernando Montenegro Campos: “A excelência acadêmica fomenta a indústria e o Outlab é uma oportunidade para auxiliar os pesquisadores nesta transformação do conhecimento em desenvolvimento”.

Inovação aberta

No dia 16 de setembro, o Outlab realizou o evento Open Innovation – expressão usada para destacar a colaboração entre os diversos atores do ecossistema de inovação. O encontro reuniu a comunidade acadêmica, pesquisadores, integrantes de laboratórios, de startups e de empresas na Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg).

A programação contou com uma exposição das atividades dos 25 laboratórios do Outlab e uma rodada de negócios, em que participaram grandes empresas, como: Vallourec, Gerdau, Betim Química, Hypofarma, Hermes Pardini, Ferring, Belocal, Ceva, RMMG, Terra Bel, Pro Labore, Rede Batista de Educação, Tecsa. Nesta dinâmica, foram realizadas 84 reuniões, 16 segundas reuniões agendadas e seis propostas encaminhadas.

“A experiência de interagir com os laboratórios foi bem proveitosa. Para a gente, que está na indústria, é muito interessante conhecer o que está sendo estudado pelas pessoas que querem inovar. As empresas estão cada vez mais abertas a receber a inovação, então a gente ganha portas de entrada mais eficientes. Isso tem tornado nosso trabalho mais fácil para adquirir soluções para a indústria”, diz Dylan Hosken, da Gerdau.

Também foram revelados os laboratórios da UFMG que mais se desenvolveram no programa e que ganharam mentoria comercial e acompanhamento financeiro da equipe do Outlab pelos próximos meses. Conheça quais são:

  • LabTerm – estudos de termografia científica para a aplicação nos setores de Engenharia Mecânica, Elétrica, Nuclear, Arquitetura, Medicina e Veterinária. Durante as dez semanas no Outlab, prospectou novos clientes como Vale, Usiminas, Gerdau, Total, Arcelor Mittal, Cemig, Petrobras; criou nova identidade visual e canais nas mídias digitais.
  • GeotecLab – pesquisa, produtos e serviços em Geociências com aplicação nas áreas de cidades inteligentes e mineração. Como resultados nas dez semanas do Outlab, o laboratório desenvolveu e ampliou sua gestão e captou oito novos projetos, com Prefeituras de Sabará, Divinópolis, Rio Acima, Conselheiro Lafaiete, Juatuba; da empresa Anglo American; entre outros.
  • Neducom |Interagir – metodologias interativas de educação em saúde para estudantes da rede pública e privada. Durante o programa, o laboratório conquistou uma ampliação de 75% das escolas parceiras; novas taxas e potencialização das redes sociais.
  • Idea Real – laboratório aberto e comunitário para promover acesso às ferramentas de biologia molecular. Na aceleração do Outlab, a equipe realizou novas parcerias, mais participações em eventos, conversões de público em mídias digitais, identificação de novas demandas, projeto de precificação.
  • Science School – interface Universidade e Escola para enculturação científica entre alunos e professores da educação básica. Como resultados, prospectou R$36 mil (em negociação e contrato fechado), potencializou as redes sociais, e também as conexões externas e entre outros laboratórios do Outlab.

Destaque

O destaque principal ficou para o Laboratório de Ensaios de Combustíveis (LEC), do Departamento de Química – Instituto de Ciências Exatas UFMG. Com 20 anos de experiência na prestação de serviços em análise de combustíveis e biocombustíveis automotivos, o LEC também desenvolve projetos de Pesquisa & Desenvolvimento e cursos de capacitação.

O Laboratório conta com uma das principais infraestruturas da área na América do Sul para utilização de empresas e está ampliando seu escopo de trabalho para combustíveis de marítimos e de aviação, novo biocombustível que está surgindo a nível mundial. A coordenadora do laboratório, professora Vânya Pasa, conta que o Outlab é uma iniciativa que estava esperando e precisando.

“Às vezes o pesquisador tem um trabalho muito solitário, seu conhecimento é específico do seu campo de atuação, e a participação no programa nos desenvolveu, também, ampliando nossa visão de mercado e as potencialidades dos nossos trabalhos. Embora já tenhamos tempo de existência, este aprendizado e reforço vão nos ajudar a ter conexões mais eficientes, produtivas e para que nos posicionamos com destaque.” A pesquisadora ressalta, ainda, o caráter inovador do programa: “A Universidade e as empresas já trabalham muito bem, são excelentes no que fazem, o desafio é mesmo nesta conexão. Esse foi o grande diferencial da UFMG e da Fundep e os resultados continuarão muito positivos”.

Clique aqui e conheça todos os 25 laboratórios que participaram do 1º Outlab.

Novos programas

Para empresas

No evento, foi anunciado o InLab, programa de inovação e integração para soluções tecnológicas corporativas. “Será uma oportunidade para empresas que querem aumentar a competitividade do seu negócio, conectando-se aos laboratórios das universidades e centros científicos parceiros da Fundep. Atualmente, nós atendemos 32 institutos de ciência e tecnologia em todo país”, conta Ramon.

Para saber mais sobre InLab: novosprojetos@fundep.ufmg.br

Para startups e empreendedores

Vem aí o Lemonade 16. O programa é um laboratório de inovação que atua na transformação de processos e pessoas, por meio de experiências de imersão. O objetivo é gerar modelos de negócios funcionais e sustentáveis por meio de aplicação de metodologia diferenciada e formação de pessoas capazes de empregar o conhecimento adquirido no dia a dia dos negócios.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.