O futuro dos pequenos negócios pós-normalidade

0
650
Produtores da economia criativa devem se preparar para um novo cenário. Foto: Pixabay
Futurista Rosa Alegria avalia como produtores da economia criativa devem se preparar para um novo cenário no pós-coronavirus. Foto: Pixabay

Carlos Teixeira
Radar do Futuro

“O futuro dos pequenos negócios pós-normalidade” é o tema da palestra que a futurista Rosa Alegria, principal nome de estudos sobre o futuro no Brasil, realiza no próximo dia 6 de maio, como parte das atividades da Feira Internacional de Negócios Criativos e Colaborativos. O evento 100% digital, promovido pelo Sebrae da Paraíba, reúne atividades, como palestras, oficinas e rodadas de negócios de vários segmentos, como artesanato e arte popular, artes visuais, audiovisual e cinema, design, música, teatro, circo, literatura, games, arquitetura, moda, museus, comunicação, publicidade, websites e startups.

A palestra de Rosa Alegria é essencial para o público desses setores, formados essencialmente por pequenos empreendedores impactados negativamente pela pandemia. “A pós-normalidade que não é um novo capítulo da normalidade, porque o mundo que está ficando para trás não era normal”, antecipa a futurista. De acordo com estudo do Sebrae, o setor de eventos, que envolve grande parte das atividades dos setores criativos, teve perdas de 98% desde o início da crise.

A proposta da apresentação tende a ir além das análises impregnadas de senso comum ao ressaltar uma maior percepção sobre o contexto das transformações, ao inserir desigualdade, violência, concentração de riqueza, xenofobia como variáveis que integraram uma vida planetária que chegou à sua exaustão. Nessa transição, diz Rosa, uma macrotransição, que é precedida por uma pausa civilizatória, interpretada pela Covid19, temos que identificar sinais de oportunidades para inovar e nos conectarmos com novos valores que sustentem a vida em comum e a Natureza.

Dois cientistas — o matemático Silvio Funtowicz e o cientista da filosofia Jerome Ravetz — pautam o conceito de pós-normalidade utilizado na apresentação. Este é um conceito de tempo que traduz uma transição nublada entre uma era e outra, momento no qual caem os níveis de compreensão e de confiança nos sistemas. Um espirito do tempo marcado por uma incerteza radical provocada por 3 fatores (chamados os 3 Cs): complexidade, caos e contradição.

Nessa Feira de Negócios Criativos promovida pelo SEBRAE, Rosa Alegria quer instigar os participantes a trazerem novo significado aos seus negócios e inseri-los nesse “zeitgeist”, a marca do que vem pela frente, de forma que estejam a serviço desse novo tempo que está nascendo. “Vou também valorizar o alto grau de incerteza porque é nele que, com coragem, criatividade e resiliência, podemos criar inovações disruptivas que gerem impacto positivo para o ser humano e para o mundo – e que torne a economia mais sustentável.

A pergunta a ser feita é “como prosperar nessa transição e como empreender na bifurcação de caminhos em que ainda temos escolhas entre o colapso generalizado e a renascença de uma cultura pautada por novos valores que tornem a vida na terra mais sustentável e construtiva?”

Serviço

Feira Internacional de Negócios Criativos e Colaborativos do Sebrae Paraíba

Palestra: Rosa Alegria

O futuro dos pequenos negócios pós-normalidade

  • Dia 6 de maio
  • 14h30