O futuro dos debates políticos terá inteligência

0
644
Projeto Debatedor da IBM mostra habilidades de argumentação da inteligência artificial - foto: IBM
Projeto Debatedor da IBM mostra habilidades de argumentação da inteligência artificial e possibilidades para o futuro dos debates políticos

Carlos Teixeira
Jornalista – Futurista

Em mais alguns poucos anos, candidatos a empregos ou a cargos políticos vão poder treinar argumentações diante de equipamentos inteligentes. Seja um candidato a síndico de prédio ou a presidente. Ou alguém que queira vender produtos. Esse pode ser o futuro dos debates políticos.

No processo de preparação para confrontos de ideias e propostas contra adversários, os pretendentes aos cargos poderão usar sistemas inteligentes somados a assistentes virtuais para obter o melhor preparo. Será mais difícil para candidatos usarem dados errados por confiar no desconhecimento da população.

O Project Debater, ou Projeto Debatedor, sistema de inteligência especializada da IBM, foi testado no último dia 19 de junho em San Francisco, nos Estados Unidos. Ele demonstra que o cenário dos debates tradicionais está mais próximo de ser alterado do que talvez imagine a nossa capacidade de compreensão do futuro. A multinacional de tecnologia da informação apresentou um sistema de inteligência artificial (IA). Ele foi utilizado no primeiro debate público ao vivo com seres humanos.

No evento realizado no site Watson West, dois especialistas humanos e o Project Debater foram escalados para uma troca de argumentos a favor e contra a afirmações apresentadas pelos organizadores da atividade. Exploração espacial e telemedicina foram temas dos debates. Cada participante apresentou teses de abertura, uma refutação de quatro minutos e um resumo de dois minutos.

Argumentações

Na questão da exploração espacial, o Project Debater incluiu aspectos que apontam benefícios para a humanidade. Por exemplo, o sistema assinalou que as viagens podem ajudar a avançar descobertas científicas e inspirar os jovens a pensar além de si mesmos. Noa Ovadia, campeã de um programa de debates israelense, se opôs à afirmação. Ela argumentou que há melhores aplicações para subsídios do governo, incluindo a destinação de recursos para pesquisa científicas aqui na Terra.

Depois de ouvir o argumento de Noa, o “Debatedor” apresentou contra-argumentos. Ele ressaltou que os potenciais benefícios tecnológicos e econômicos da exploração espacial superam os gastos do governo. Após o fechamento das respostas de ambos os lados, uma pesquisa instantânea mostrou que a maioria dos membros da audiência achava que o Project Debater superou a sua “rival” humana no debate.

Em resumo, assinala Arvind Krishna, diretor de pesquisas da IBM, em artigo publicado em um blog da empresa, um sistema de IA interagiu com um debatedor humano experiente, ouviu seu argumento e reagiu convincentemente com seu próprio raciocínio não-roteirizado para persuadir uma audiência a considerar sua posição sobre um assunto polêmico. Ou seja, o evento mostra, pela primeira vez, um sistema baseado em inteligência artificial com a habilidade tipicamente humana de argumentar.

Exploração do conhecimento

Há um novo território a ser explorado. Para pessoas envolvidas em processos de decisão, o sistema absorve conjuntos de informações e perspectivas massivas e diversificadas. O objetivo é ajudar as pessoas a construir argumentos persuasivos e tomar decisões bem informadas. Essa tecnologia expandirá os recursos do IBM Watson. Ele está sendo usado hoje por dezenas de empresas para extrair conjuntos de dados internos maciços para novos insights de negócios.

O sistema já usa a API de fala para texto do Watson. Para Arvind Krishna, isso vai contribuir para o aprimoramento dos recursos avançados de idioma e diálogo do Watson. Segundo o executivo, a construção do sistema foi um desafio extremamente difícil e complexo. Nos últimos seis anos, uma equipe global de Pesquisa da IBM, liderada pelo laboratório em Haifa, Israel, dotou o Project Debater dos recursos necessários para o desenvolvimento da capacidade de compreensão da demanda por voz, da busca de informações, seleção de informações e da fala simulada, para a apresentação dos argumento.

O futuro dos debates políticos em teste

Para o executivo, o formato de debate oferece o campo de testes ideal para esses recursos. Regras de debate derivam de uma cultura humana de discussão. Elas não são arbitrárias, e o valor dos argumentos é muitas vezes inerentemente subjetivo. “Em debates, a IA precisa aprender a navegar em nosso mundo humano desordenado e desestruturado como ele é. Não há um conjunto pré-definido de regras, como em um jogo de tabuleiro”, avalia.

Por esse motivo, ele reconhece que o Project Debater às vezes comete erros, assim como as pessoas. Embora o trabalho nesta tecnologia esteja longe de ser completo, ele tem o potencial de ajudar com milhares de decisões humanas complicadas. Por exemplo, ajudando a identificar fatos financeiros que apoiam ou se opõem a uma tese financeira. Ou apresentando argumentos pró e contra relacionados a políticas públicas. Por isso o teste no futuro dos debates políticos. O Project Debater pode ser a última caixa de ressonância baseada em fatos. Sem o viés que muitas vezes vem dos seres humanos.

 

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.