Novos estudos apontam riscos do excesso de exposição ao celular

Redação
Radar do Futuro

Adolescentes estão gastando cerca de nove horas por dia consumindo meios de comunicação. Crianças de oito a 12 anos gastam cerca de seis horas por dia fazendo a mesma coisa. A constatação é de um estudo de consumo de mídias, realizado pela organização sem fins lucrativos Common Sense Media e apresentado pelo jornal norte-americano Washington Post.

Snaptchat, facebook e outras mídias sociais formam o grupo das infinitas tentações para os adolescentes entendiados. Os dados significam que, um adolescente médio que acorda às 7h da manhã e vai para a cama às 10h, portanto com 15 horas despertos, gastará mais da metade do dia com olhos fixados em seus aparelhos celulares. 

Segundo matéria publicada pelo site Business Insider, a análise dos dados é extremamente importante. O comportamento diante das telas pode mudar a maneira como os nossos cérebros funcionam, diz a publicação. Em estudos, pesquisadores encontraram evidências de que, quando as crianças pequenas se tornam dependentes de tablets e smartphones, é possível acreditar em aumento da dificuldade da capacidade de concentração e de construção de vocabulário. 

A psiquiatra Victoria Duncley define um novo comportamento, denominado “síndrome da tela eletrônica”. A exposição à tela pode estar levando a uma sobrecarga sensorial, à falta de um sono reparador e a um sistema nervoso hipervigilante. Segundo a publicação especializada Psycology Today, equipamentos também podem torar as crianças mais acostumadas a estímulos constantes, atenção e exposição. 

Fonte: Business Insider

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.