Cada vez mais vagas de emprego serão ocupadas por máquinas, o consultor Cézar Taurion aborda a necessidade de se preparar para os empregos do futuro

Dois bilhões de emprego vão desaparecer no mundo até 2030 – é o que indica o futurista norte-americano, Thomas Frey. Isso porque as máquinas movidas por tecnologia de inteligência artificial devem, nos próximos anos, ganhar ainda mais espaço e seguir revolucionando o mercado de trabalho. Como se adaptar às vagas do futuro? Para o Vice-presidente de Inovação do Instituto Smart City Business America, Cézar Taurion, é preciso já estruturar a transição para as novas carreiras que surgem.

O especialista abordará o tema durante o Smart City Business Brazil Congress & Expo 2019, em São Paulo – evento que reúne todo o ecossistema de inovações tecnológicas, de costumes ou estilo de vida, que constroem as futuras Cidades Inteligentes e que já influenciam diretamente o desenvolvimento social. “Novas carreiras serão criadas, mas muitas serão descontinuadas, assim como os ascensoristas. Será preciso reciclar esses profissionais para novas funções e o empreendedorismo será fundamental para isso”, comenta Taurion.

A polêmica dos patinetes

Recentemente, a Prefeitura de São Paulo começou a fiscalizar e multar empresas de aluguel de patinetes elétricos devido a falta de cadastramento prévio dos grupos que exploravam o serviço. As companhias, no entanto, alegam que o uso de patinetes já é regulado pelo Código Brasileiro de Trânsito – inclusive com limites de velocidade já estabelecidos e indicações sobre o uso de capacetes.

Para o profissional, não há necessidade de se opor às inovações tecnológicas uma vez que não se trata do fim das vagas de emprego, mas de uma modificação de funções e até da criação de novos postos de trabalho – baseados em inovação e novos hábitos de vida e consumo. O governo também precisa estar pronto para abarcar soluções inovadoras e criar um ambiente propício para uma renovação sustentável do mercado de trabalho – sobretudo nos centros urbanos.

“Para uma cidade se tornar verdadeiramente inteligente é preciso permitir a inovação e não ter certas restrições que hoje ainda surgem, como os patinetes em São Paulo. É preciso permitir que a inovação aconteça e, claro, regular esse serviço mas sem exigir que a regulamentação prévia de algo inovador porque inovação é algo que nunca ninguém fez e, por isso, esse tipo de dinâmica é prejudicial”, opina Taurion.

O Futuro dos Empregos é um dos pilares da discussão sobre Cidades Inteligentes – ou seja, aquelas que utilizam novas tecnologias, modelos e práticas disruptivas para resolver problemas antigos, como o trânsito, segurança pública ou limpeza urbana. O painel sobre o tema acontece no Smart City Business Brazil Congress & Expo 2019, que será realizado entre os dias 22 e 24 de julho no Transamerica Expo Center, em São Paulo.

Smart City Business America Congress & Expo 2019

Data: 22 a 24 de julho de 2019
Local: Transamerica Expo Center – Av. Dr. Mário Vilas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro, São Paulo – SP

Informações e credenciamento pelo site:
http://eexpo.scbamerica.com/scbbr2019

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.