Segurança cibernética no setor de seguros

Com os crimes digitais cada vez mais frequentes, a área está entre as atividades econômicas impactadas que precisarão se adequar às mudanças

“Hoje não se pergunta mais se uma empresa vai ser invadida por um hacker e, sim, quando ela será invadida. Isso é, se já não foi.” Esse é o alerta do advogado Landulfo de Oliveira Ferreira Junior, sócio do escritório Abdalla, Landulfo e Zambrotti, de Belo Horizonte. Junto com Marcelo Blay – fundador e CEO da Minuto Seguros, especialista em segurança da informação no setor de corretagem de seguros – Landulfo vai ministrar a palestra Vendas online X Riscos cibernéticos, promovida pelo SindSeg MG/GO/MT/DF (Sindicato das Empresas de Seguros Privados, de Resseguros e de Capitalização dos Estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e do Distrito Federal), no dia 21 de agosto, em Belo Horizonte.

Eles vão analisar o atual contexto e os desdobramentos da segurança digital no Brasil e no mundo, e como o consumo online pode e precisa ser aliado às novas práticas, tecnologias e legislações já adotadas em diversos países. Landulfo falará sobre Cyber Security (Segurança Cibernética). “Mesmo com o aumento visível de ataques desse tipo, as empresas continuam despreocupadas com relação ao problema, especialmente as pequenas e médias. As seguradoras, que operam com cadastros de clientes, estão entre as que precisam se atentar para o assunto”, informa ele.

Riscos e segurança cibernética

Com sua palestra na capital mineira, Landulfo visa alertar os profissionais da área de seguros, incluindo os corretores, para as novas dinâmicas e regras que a segurança digital de dados trará ao mercado e à operação online das empresas. “O foco agora é pensar além da venda online. Nesse processo, destaco o cuidado necessário em relação ao prejuízo que podemos causar a terceiros quando captamos, guardamos e compartilhamos informações pessoais”, enfatiza Landulfo.

Ele se refere aos chamados dados sensíveis, que vão de documentos gerais, a dados financeiros ou da saúde de um indivíduo. “A guarda dessas informações não pode mais estar vulnerável às invasões de hackers. Empresas como seguradoras são responsáveis por garantir a segurança desses dados contra os ataques cibernéticos, um risco inerente a qualquer atividade.”   

Algumas ações para se evitar invasões requerem práticas simples, como checar bem a procedência de e-mails, anexos, links, pen drivers, redes sociais e dispositivos externos antes de acessar, além de fazer uso de sistemas de proteção e bloqueio antivírus. Outras podem, em alguns casos, exigir investimentos em novas tecnologias, métodos e estrutura operacional e jurídica de guarda online, em conformidade com a legislação.

O seguro contra riscos cibernéticos é outra ferramenta que ganha força global. “Ele não evita, mas protege quando acontece um ataque cibernético em que se tenha, por exemplo, a constatação de que a empresa foi vítima de um ransomware – que, em linhas gerais, é o bloqueio de acesso às redes da empresa e o sequestro de dados”, explica Landulfo. Isso porque a captura criminosa de informações trava a rede de uma empresa, criptografa os dados e impede qualquer operação. O sistema só é liberado mediante depósito de criptomoedas. “O seguro devolve o acesso sem que seja necessário o pagamento de resgate, e cobre as despesas com ações de emergência, além de medidas  jurídicas,  como descriptografar o sistema e comunicar a ocorrência do ataque aos clientes – necessárias nesse tipo de situação”, exemplifica ele.

Serviço:

Conversa com especialistas: palestra Vendas online X Riscos Cibernéticos

Landulfo Ferreira – advogado e sócio da Abdalla, Landulfo e Zambrotti Sociedade de Advogados

Marcelo Blay – fundador e CEO da Minuto Seguros

Data: 21 de agosto – 8h30

Local: sede do SindSeg – Av. Afonso Pena, 726 – 22º andar – Centro – Belo Horizonte

Informações: SindSeng MG/GO/MT/DF – (31) 3271-0770 – https://sindsegmd.com.br/

Fonte:

Landulfo de Oliveira Ferreira Júnior

Graduado em Direito pela UFMG, mestre em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos e professor da PUC-MG nos Cursos de Direito e de Ciências Atuariais, Landulfo também é o coordenador acadêmico do MBA Executivo em Seguros e Resseguro da Escola Nacional de Seguros, em Belo Horizonte, MG. Membro da AIDA-Brasil – Seção Brasileira da Associação Internacional de Direito de Seguros. Presidente da Comissão Especial de Assuntos Jurídicos e Fiscais do Sindicato das Empresas de Seguros, Capitalização, Previdência Complementar e de Resseguros no Estado de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e do Distrito Federal. Coordenador Jurídico do Conselho Empresarial de Seguros da ACMINAS.