Abrindo as portas da nova década, as tecnologias assumem o protagonismo das transformações esperadas para o futuro. Foto por energepic.com em Pexels.com
Abrindo as portas da nova década, as tecnologias assumem o protagonismo das transformações esperadas para o futuro. Foto por energepic.com em Pexels.com

Mara Maehara *

Apesar das turbulências do cenário econômico brasileiro, em 2020, os investimentos globais com TI devem ter uma recuperação acentuada, comprovando que a tecnologia está, de fato, virando protagonista dos processos das empresas na era digital.

Segundo projeção do Gartner, os gastos com TI devem ter alta de 3,7% em relação a 2019, quando o aumento estimado era apenas de 0,4%. Com diferentes níveis de maturidade, podemos citar algumas tecnologias que continuarão a ditar as pautas de investimentos e a evolução do mercado em 2020.

A inteligência artificial, que vem sendo aplicada em diferentes tipos de usabilidade na busca de eficiência, dentre outros benefícios; o blockchain, que garante segurança e rastreabilidade; as assistentes virtuais, que estão se popularizando em uso tanto doméstico como profissional; a realidade aumentada, que está cada vez mais presente no segmento de saúde e no varejo de produtos e serviços; e a internet das coisas (IoT), a qual tem sido utilizada para conectar cada vez mais coisas e pessoas

Além das tendências tecnológicas citadas acima, um assunto que deve consumir investimentos das empresas é a necessidade de adequação à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), cuja vigência prevista para agosto de 2020 pode ser adiada em dois anos. Consultorias para mapeamento de processos, ferramentas para mapeamento de dados, esforço de adequação sistêmico e gastos com escritórios de advocacia são alguns exemplos de contratação que demandará necessidade de investimentos.

Desafios das corporações

A adequação legal citada, LGPD, soma-se aos demais desafios que já são uma realidade nas empresas hoje. A cultura da agilidade, por exemplo, que deve ser trabalhada na empresa como um todo para garantir entregas adequadas e sustentáveis, visto que uma entrega dificilmente fica limitada apenas a uma determinada área.

Outro ponto a considerar é um time de tecnologia muito conectado ao negócio, sem desmerecer o conhecimento técnico atualizado, mas com destreza para aplicar da melhor forma a tecnologia na busca do benefício esperado.

Um desafio importante é uma liderança que garanta a devida gestão para manter um time engajado nas entregas.

E por falar em times, novas capacidades e habilidades das equipes também serão exigidas pelo mercado. Em um momento em que as empresas ajustam seu negócio às mudanças comportamentais, econômicas e sociais, a busca por agilidade tem provocado o surgimento de times multidisciplinares, onde profissionais das áreas de negócio e técnicas precisam trabalhar juntos. Este cenário exige habilidades e competências que viabilizem a colaboração e o engajamento dos times. Flexibilidade, capacidade de adaptação e relacionamento interpessoal são algumas delas que farão diferença no resultado final.

Fica como recomendação para o planejamento de 2020 a definição de critérios maduros para guiar onde priorizar o investimento, nunca esquecendo da segurança e a busca pela estabilidade operacional.


  • CIO da TOTVS

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.