A indústria de cinema vai se adaptar a novas demandas de entretenimento tecnológico
A indústria de cinema vai se adaptar a novas demandas de entretenimento tecnológico

Minha filha Bruna deseja fazer um curso de cinema. O que mudará para ela, que hoje tem 14 anos. 

Mesmo quando a Bruna iniciar o curso de cinema, por volta de 2021, a forma como se produz e se consome os filmes terá passado pela transformação exponencial provocada pela tecnologia. O avanço da realidade virtual será enorme, por exemplo, levando as salas de projeções a se adaptar a novos modelos de produção e consumo de entretenimento. O momento será marcado também pela evolução da holografia.

O objetivo das produtoras de filmes, pressionadas por grandes mudanças, é de transformar os espaços de projeção em ambientes de imersão e de experimentação de sentidos. O conceito de cinema em enésima dimensão, capaz de experimentar todas as sensações possíveis, fará da profissão algo extremamente desafiante.

Escrever um roteiro será um processo de estímulo a todos esses sentidos. Quase tudo será possível no momento em que a inteligência artificial estiver já dando as cartas em toda a indústria de entretenimento. O setor estará mais dividido e maior, com a atração de interesses de grandes investidores, como a Netflix e a Amazon começam a fazer hoje. Mais companhias vão investir no fato que, na próxima década, a tecnologia estará exercendo sua influência mais plena.

Demanda em expansão

Haverá uma corrida por profissionais de planejamento e produção de filmes, capazes de aplicar os recursos disponíveis em desenvolvimento de novas linguagens e conteúdos. A demanda será enorme, entre outros fatores, pela onipresença de transmissão e de telas. Não haverá momento na vida em que as pessoas deixarão de estar diante de um vídeo – o texto de hoje terá sido coisa do passado.

Já em 2020, cerca de 80% das informações disponibilizadas na internet serão no formato de vídeos. Além dos roteiros da indústria cultural, a demanda virá de organizações públicas e privadas. Seja para a realização de treinamento, produção de manuais de explicação de produtos e serviços ou para atender a explosão de cursos on line.

Os profissionais precisarão desenvolver suas habilidades de utilização das tecnologias para o desenvolvimento. As técnicas de filmagem vão ser modificadas, introduzindo automação de processos de produção, o uso de robôs e a tentação de substituir atores por avatares, o que pode reforçar uma certa tendência de rejeição à tecnologia e a busca por filmes “100% humanos”.

A sociedade estará mais angustiada, em busca de sentidos para a própria vida. Trabalhando em casa, pressionados por trabalhos temporários e instáveis, os consumidores de filmes terão televisões de altíssimo padrão de imagem. E terão disponibilidade de tempo para assistir filmes.

Definições

O bacharel elabora e produz filmes e vídeos artísticos, publicitários, documentais, institucionais ou jornalísticos, para veiculação em cinema, TV, internet ou circuito fechado. Se encarrega do roteiro, de figurino, da cenografia, iluminação, edição, direção ou sonorização. Atende demandas de entretenimento, informações ou instruções. Responsável por decisões criativas, como interpretação de roteiro, escolha de atores ou convidados, design, som, efeitos especiais e coreografia.

 

Habilidades

  • Contar histórias
  • Organização
  • Coordenação de equipes
  • Criatividade
  • Visão empreendedora