Futuro da pedagogia: os desafios da profissão em 2025

0
1083
O desnivelamento entre escolas públicas e particulares é o principal desafio para quem pretende lecionar. Foto: Pixabay.
O desnivelamento entre escolas públicas e particulares é o principal desafio para quem pretende lecionar . Foto: Pixabay.

Alessandra Grisolia
Editora de Sustentabilidade e Inovação

O curso de Pedagogia é um dos mais procurados no Brasil. O campo de atuação do pedagogo é vasto: ele pode atuar em escolas e em diversos setores. Sua formação está embasada na inclusão em diversos aspectos, e também na sustentabilidade e incorporação de novas tecnologias, que o tornam, mais que um educador, um profissional apto a lidar com as diferenças.

Estamos em 2025. Entre as memórias de Maria Angelina, dona de casa, de 83 anos, está a lembrança da escola. Devido à mudança de cidade teve que largar os estudos, no quarto ano primário, mesmo sendo a melhor aluna da turma. Sua professora queria que a estudante ficasse no pequeno distrito onde morava e ofereceu sua própria casa para a menina morar e, dessa forma, conseguir concluir os estudos.

Mas Nicola, o pai de Maria Angelina não consentiu que a filha morasse com a professora e a levou para São Paulo, capital, onde, aos sete anos, a garota assumiu a incumbência de tomar conta dos irmãos mais novos enquanto seus progenitores saíam para trabalhar.

Já Maria Cristina, filha de Maria Angelina, desenhista-projetista mecânica, cuidava do setor administrativo da pequena empresa de seu esposo. Aos 53 anos, resolveu traçar uma nova direção à sua vida profissional e ingressou em uma faculdade para cursar Pedagogia.

Maria Cristina atua como professora da Educação Infantil em uma escola estadual da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Leciona em uma sala com quase 30 alunos e chega a ficar com a voz comprometida de tanto pedir às crianças que prestem atenção à aula.

Mesmo com o salário defasado, a professora gosta de sua profissão e faz da criatividade o seu lema, ao juntar anéis de caixas de leite, bandejas de isopor e garrafas pet para ensinar seus alunos a criar brinquedos com materiais recicláveis e embalagens que seriam descartadas.

Maria Cristina lida com alunos que encontram dificuldade no aprendizado. Depois de um dia exaustivo, retorna para casa, revisa as atividades ministradas em sala, prepara a aula do dia seguinte e elabora as provas que serão aplicadas. Paralelamente ao trabalho e tarefas domésticas, a professora está em seu terceiro curso de Libras, para atender melhor à demanda de alunos com dificuldade auditiva.

Por sua vez, Caren, amiga de Maria Cristina, aos 25 anos, conseguiu finalizar o curso de Pedagogia. Há mais de seis meses está em busca de emprego em sua área. A profissional guarda também em sua memória aprendizados que a capacitam para lidar não apenas com o mundo acadêmico e seus desafios, como também para atuar em diferentes setores.

Século XXI

Em um século, a Educação deu um salto, a começar pela inclusão das mulheres, antes confinadas nas próprias residências, onde exerciam a tarefa de lavar, cozinhar, passar e tomar conta dos filhos. Elas aguardavam a chegada dos esposos, para lhes servir um prato de comida, pois eles eram os provedores de seus lares.

Hoje, homens e mulheres, de diferentes, raças, crenças e opções sexuais frequentam as salas de aula e conseguem concretizar o sonho de concluir a faculdade. Mas isso seria impossível se a Educação não tivesse evoluído ao longo do tempo. Nesse contexto, surge uma figura primordial: o pedagogo, que mais que um professor, atua na formação do indivíduo enquanto cidadão.

Por isso, muito mais que alguém em frente a um quadro negro, Caren é a ponte para o futuro. Recém-formada, a pedagoga se vê diante dos desafios do século XXI, que estão voltados para questões como inclusão em diferentes aspectos, sustentabilidade e uso de novas tecnologias.

Em contrapartida, se no início do século XX, o educador era um profissional valorizado, respeitado, e muitas vezes temido, agora ele enfrenta a questão da violência e precisa usar a criatividade para prender a atenção dos estudantes, que frequentam salas de aula, em sua maioria, superlotadas, mal arejadas, em condições precárias.

O curso

O curso de graduação em Pedagogia é um dos mais concorridos do Brasil e está entre os 10 mais procurados. Dura, em média quatro anos, e é oferecido presencial ou online. O estudante pode optar pelo bacharelado, que é mais focado na formação de gestores e administradores de instituições de ensino, ou licenciatura, que forma professores.

Quem cursa Pedagogia tem bastante contato com teoria e leitura. O aluno estuda assuntos como Pedagogia, Antropologia, Sociologia, Filosofia, História e Didática, com foco na área de Educação, além de matérias específicas. O estudante deve cumprir estágio obrigatório supervisionado.

Os cursos de Pedagogia estão voltados também para a atualização tecnológica dos alunos e inclui em sua carga horária matérias como Informática Aplicada à Educação, e Tecnologia e Novas Mídias.

Salários

O piso salarial nacional para professores do ensino fundamental na rede pública, para 40 horas semanais, é de R$2.557. O salário de professores e pedagogos de escolas privadas varia, em cada estado, conforme acordos e convenções coletivas da categoria. Já o salário do pedagogo muda de acordo com função, experiência, qualificação, departamento /empresa e cidade onde atua.

Áreas de atuação

O pedagogo pode atuar em instituições de ensino públicas e privadas, como professor ou no planejamento, coordenação e gestão pedagógica. O profissional é apto para trabalhar em escolas de idiomas, órgãos públicos ligados à educação, hospitais, bibliotecas, museus, brinquedotecas, editorias de livros didáticos, entre outros setores.

Inclusão e Sustentabilidade

A formação em Pedagogia enfatiza a inclusão, não apenas ao que se refere aos portadores de algum tipo de deficiência e pessoas especiais. Atualmente, as escolas trabalham com a inclusão sob diferentes aspectos, entre eles, de gênero, de raça, religiosa e social.

Os cursos de Pedagogia estão cada vez mais voltados para a questão da sustentabilidade e formam profissionais capazes de desenvolver atividades de conscientização dos alunos em relação à necessidade de preservação do Meio Ambiente.

Tecnologia

Em 2025, Caren está em busca de um emprego e tem certeza de que está bem preparada para novos desafios. A profissional tem um leque de opções para atuar em sua área. Mas, caso opte por lecionar encontrará duas realidades extremas em instituições de ensino públicas e privadas.

Se optar por uma escola pública Caren será direcionada a uma escola com escassez de professores. Correrá o risco de dar aulas em salas superlotadas e encarará o desafio prender a atenção dos alunos com os poucos recursos disponíveis para complementar as atividades com os estudantes. Se a escola onde atuar tiver laboratório de informática com acesso à internet e disponibilizar aplicativos para realização de simulados será um grande passo para a jovem.

Provavelmente, Caren seja direcionada a uma escola da periferia, longe de sua residência. A recém-formada encontrará alunos e pais de diferentes culturas e crenças religiosas, alguns deles em situação de vulnerabilidade social e vítimas de alguma forma de violência. Por isso, a questão do respeito às diferenças, enfatizada na faculdade de Pedagogia agora passa a exercer um papel fundamental em sua carreira como professora.

Caren enfrentará uma rotina exaustiva de trabalho: fará das tripas o coração para absorver a atenção dos seus pupilos; passará noites acordada, corrigindo provas e trabalhos, e também planejando as aulas; utilizará sua genialidade para criar formas alternativas de ensino que, de alguma forma, contribuam para o aprendizado e a formação do caráter dos estudantes; ganhará um salário defasado; e, por fim, talvez correrá o risco de sofrer algum tipo de violência por parte de pais e alunos.

Mas a jovem pode encontrar emprego em uma escola particular, onde será possível lecionar em salas confortáveis e bem ventiladas, com número menor de estudantes. Será possível, também, utilizar recursos como tablets, lousas digitais e celulares como meio auxiliar de tornar o aprendizado mais interativo e dinâmico. Poderá fazer uso da internet, terá a seu dispor laboratório ou sala de aula equipada com número de computadores suficiente para atender a todos os seus alunos.

A profissional fará uso de televisão, aplicativos de acesso à internet, Realidade Virtual, Realidade Aumentada, Realidade Mista, jogos digitais, holografias. Poderá, inclusive, dividir a tarefa de ensinar com outro professor, em espaços parecidos com o coworking, o que tornará as aulas expositivas mais interessantes.

Com certeza, a jovem terá como aliados as redes sociais, robótica, programação e conteúdo online, MP3, MP4, Datashow, DVD, pen-drives, assistentes virtuais. Poderá, ainda, tornar possível que seus alunos participem de eventos que estejam sendo transmitidos em tempo real. As tecnologias disponíveis serão facilitadas com a utilização da internet 5G.

Como a sustentabilidade é indissociável da Educação, o assunto será abordado em qualquer escola que Caren trabalhar. Provavelmente, em 2025, a maioria das instituições públicas e privadas de ensino terá adotado medidas como instalação de painéis solares fotovoltaicos e lixeiras destinadas aos recicláveis, e promoverão debates sobre a questão ambiental.

A diferença estará concentrada na forma como a sustentabilidade será abordada. Ficará mais fácil, por exemplo, a um(a) professor(a) de instituição particular de ensino utilizar recursos tecnológicos para incentivar o debate sobre a importância da preservação Meio Ambiente, ou até mesmo, reunir alunos para a realização de atos voluntários que incentivarão o exercício da cidadania dos mesmos.

Em contrapartida, o(a) professor(a) que lecionar em escola pública não terá à sua disposição recursos tecnológicos e, provavelmente, nem sempre poderá contar com a disponibilidade dos alunos para atos voluntários (estes possivelmente estarão trabalhando ou ajudando seus pais a tomarem conta dos irmãos). Por isso, o (a) profissional ficará limitado (a) às atividades escolares e em projetos desenvolvidos em parceria com os estudantes in loco.

Cenário atual

É cada vez maior a preocupação das faculdades de Pedagogia com aspectos como incorporação de novas tecnologias, diversidade, inclusão social, sustentabilidade e Meio Ambiente, o que torna os futuros profissionais aptos a atuar em diferentes ambientes e situações.

A incorporação da tecnologia incentiva a pesquisa e a criatividade em sala de aula. Diversas escolas brasileiras possuem laboratórios de informática, que oferecem acesso à internet, softwares educacionais e uma série de recursos didáticos que complementam o que é ministrado nas salas de aula.

A inserção da tecnologia no meio escolar traz diversas vantagens, como modificar a relação professor-aluno, tornar as aulas mais interativas e interessantes. É cada vez maior a utilização da internet nas escolas, incluindo as públicas, como meio auxiliar.

Grande parte das escolas públicas localizadas nas zonas urbanas tem acesso à internet, mas poucas têm acesso a computadores. Algumas dessas instituições, localizadas em centros urbanos, fazem uso de aplicativos que simulam provas do Enem, celulares e laboratórios de informática como meios de aprimorar o aprendizado dos alunos. Por sua vez, as escolas públicas rurais, em sua maioria, não possuem nem acesso à internet, nem computadores.

Desvios de verbas, má gestão ainda e, até mesmo dificuldade de acesso às escolas ainda são um entrave para o avanço tecnológico em diversas instituições públicas de ensino nas zonas rurais.

Por outro lado, as melhores escolas particulares contam com recursos como tablets, computadores e celulares, fazem uso de ambientes que simulam o espaço coworking e contam com grandes salas de projeção e auditórios. O uso de tecnologias como robótica, Realidade Aumentada e programação é comum em algumas dessas instituições.

Tanto as escolas públicas quanto as privadas estão focadas no respeito às diferenças, sejam elas sociais, religiosas, econômicas, culturais. A maioria delas trabalha no sentido de combater o racismo, a homofobia, o bullying e a violência, mas, mesmo assim, não estão isentas de ocorrências nesse sentido. Daí a necessidade de preparação dos estudantes de Pedagogia para lidar com tais situações.

A educação ambiental já faz parte das agendas das instituições públicas e particulares de ensino. Espalhadas pelo Brasil encontram-se escolas que incorporam em sua estrutura física painéis solares fotovoltaicos, hortas comunitárias, lixeiras para materiais recicláveis. Além disso, a maioria delas trabalha em sala de aula questões como necessidade de preservação do Meio Ambiente, economia de água e luz, tempo médio de decomposição do lixo, reciclagem, coleta seletiva e consumo consciente.

Desafios e oportunidades

Em 2025, o curso de Pedagogia será ainda um dos mais procurados pelos brasileiros e os maiores desafios na área estarão concentrados nas escolas públicas. Professores recém-formados terão de encarar o fator distância para conseguirem lecionar, enfrentarão salas superlotadas

Provavelmente, muitos professores em zonas rurais ainda encontrarão escolas precárias e terão de improvisar lugares para ensinar. Além disso, a falta de infraestrutura de acesso a diversas instituições promoverá intensa evasão escolar, dificultando a atuação dos profissionais da educação.

Escolas públicas serão limitadas no sentido de oferecer aos professores métodos alternativos de ensino. Com certeza, em 2025, instituições municipais e estaduais não disponibilizarão aos educadores alternativas como Realidade Virtual, Realidade Aumentada, softwares avançados, robótica e programação, para complementação das aulas.

O(a) professor(a) que ingressar em uma instituição particular de excelência terá a seu dispor alunos mais interessados, além de salas de aula com número menor de estudantes e equipadas com tecnologia de ponta. Por isso, o profissional terá que se preparar para lidar com os avanços tecnológicos.

Tanto em escolas públicas quanto particulares, o educador terá de trabalhar junto aos alunos questões como diversidade, em seus diferentes aspectos, e sustentabilidade, para tornar ambiente escolar mais inclusivo e ambientalmente correto.

As oportunidades em 2025 irão para além do ambiente escolar. Os pedagogos poderão trabalhar de diversas formas, em brinquedotecas, em Recursos Humanos, treinamentos, editoras, em empresas, no Terceiro Setor. Há um leque de oportunidades à espera do Pedagogo, desde que este tenha sido preparado adequadamente para lidar com desafios, diferenças, tecnologia e sustentabilidade.

Participe das conversas sobre o futuro. Deixe a sua opinião

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.